sexta-feira, 30 de março de 2018

A ressurreição de Cristo


Não existe evangelho sem entrega, sem dedicação e sem um propósito de Deus, que se cumprirá em nossas vidas. Por isso que o Senhor disse em João 6.33: “No mundo, tereis aflições, mas tende bom ânimo. Eu venci o mundo!”. Em Romanos 8, o próprio Paulo fala: “Se com Ele sofremos, com Ele, também reinaremos!”

A parte do sofrimento de Cristo, sem dúvida nenhuma, foi agoniante, foi desesperadora... Mas Ele estava cumprindo um propósito. O propósito começa quando você se entrega à vontade de Deus: “Seja feita a Tua vontade, Senhor!”.

Essa é a chave do sacerdócio, essa é a chave da eleição e da separação, porque a entrega incondicional, a entrega sem limites significa que não vivo eu, mas Cristo vive em mim, e a vida que eu vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, que morreu e se entregou por mim (Gálatas 2.20).

O que nós temos é o poder e a autoridade daquilo que representa a ressurreição. Então, ela torna possível todas as coisas. Ela torna consequente tudo o que nós vivemos, porque foi exatamente o que Paula disse: “Não sobreveio sobre vós uma provação que não possamos suportar, mas, com a provação, o Senhor nos dá o escape.”. Qual é o escape? O escape é aquilo que Jó declarou: “O meu redentor vive!”.

A certeza maior de que, se nós temos o espírito de vida que ressuscitou Jesus Cristo entre os mortos, é que Ele habita em nós. Então, nós podemos, literalmente, superar todas as coisas, porque a nossa caminhada é uma caminha de superação.

O evangelho significa você ser, muitas vezes, incompreendido pelos homens, pela própria família, pelos seus amigos, porque Jesus disse: “Quem não for digno de deixar pai, mãe, filhos e filhas, por amor a mim, não é digno de mim.”.

Esse evangelho é, verdadeiramente, uma ruptura com todas as coisas, para que nós, na nossa individualidade, possamos viver a plenitude de uma vida abundante, a despeito do que nós tenhamos, a despeito daquilo que o homem mais espera de Deus. Porque o homem, tão somente, espera benefícios do Senhor. Só que Deus não tem só benefícios para nos dar, Deus tem coisas superiores (Hebreus 12).

Nós estamos firmados em cima de promessas superiores. Por isso que, na crucificação, muitas pessoas abandonaram Jesus. Por isso que Jesus disse que muitos são chamados, mas poucos são escolhidos. Os escolhidos passam pelo vale, passam pelo dia mau, passam pela provação, mas têm um poder sobrenatural que os faz suportar todas as coisas. Essa é realmente a arma que o Senhor colocou em nós, porque o nosso espírito se renova. Foi o que Isaías falou no capítulo 40: “Os que esperam no Senhor renovam suas forças!”.

Nós temos a certeza gloriosa de que, se com Cristo nós sofremos, com ele, também reinaremos. Reinar não significa oprimir o próximo, não significa eu ter apenas uma posição de superioridade que me faça um super-homem, mas significa eu enfrentar todas as minhas adversidades e não ser dominado por elas. Reinar significa eu ter uma perspectiva imutável, que é a nossa vida eterna.

Vocês estão aqui, porque vocês são aqueles que levam a Palavra das Boas Novas! A Palavra das Boas Novas é levar salvação, anunciar que o Senhor Jesus Cristo é vivo, anunciar que, ao conhecê-Lo, nós somos livres. Na Bíblia, está escrito: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará!”. Isso é algo muito maior do que nós imaginamos. Não é apenas a libertação do álcool, das drogas... mas é a libertação da escravidão espiritual, que vem pela gloriosa consciência de Cristo em nós.

Aquilo que a Igreja recebeu depois da ressurreição de Cristo foi muito maior do que Ela recebeu quando Jesus estava como homem na terra, porque, como homem na terra, Jesus cumpriu um ministério de 33 anos. Jesus, ressurreto, deu à Igreja todos os preceitos eternos de Deus. Por isso que, em Efésios 1.3, está escrito que, n’Ele, nós temos toda a sorte de bênção espirituais.

Enquanto Jesus estava sepultado há três dias, Ele foi ao inferno, recuperou toda a sorte de bênçãos e deu a quem? À Igreja, que somos nós! Esse poder de viver uma vida abundante é o que está reservado a cada um de nós.

Que a cada dia nós possamos ser renovados na esperança de que nós seremos ressuscitados com Ele. Que a cada dia o Senhor te levante com este poder de superação.

As suas limitações e deformações são humanas, mas o poder realizador de Cristo é o poder de João 14.12, que diz que, se você crer n’Ele, você realizará obras maiores ainda. A maior obra que Jesus realizou foi a salvação. A maior obra que Jesus realizou foi a ressurreição, porque Paulo fala que o último inimigo que foi vencido foi a morte!

Nós vencemos a morte todos os dias. Vivemos em uma sociedade de mortos, que se alimentam daquilo que dá a eles apenas prazeres carnais e momentâneos, como o dinheiro, a prostituição... mas vence a morte quem, todos os dias, respirar Jesus Cristo. Nós temos que respirá-Lo de tal maneira que possamos transpirá-Lo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.