quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Os segredos da vitória de Daniel


Daniel 1.1 a 16 e 20: No ano teceiro do reinado de Jeoaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei da Babilônia, a Jerusalém e a sitiou. O Senhor lhe entregou nas mãos a Jeoaquim, rei de Judá, e alguns dos utensílios da Casa de Deus; a estes, levou-os para a terra de Sinar, para a casa do seu deus, e os pôs na casa do tesouro do seu deus. Disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, tanto da linhagem real como dos nobres, jovens sem nenhum defeito, de boa aparência, instruídos em toda a sabedoria, doutos em ciência, versados no conhecimento e que fossem competentes para assistirem no palácio do rei e lhes ensinasse a cultura e a língua dos caldeus. 

Determinou-lhes o rei a ração diária, das finas iguarias da mesa real e do vinho que ele bebia, e que assim fossem mantidos por três anos, ao cabo dos quais assistiriam diante do rei. Entre eles, se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias. O chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel, o de Beltessazar; a Hananias, o de Sadraque; a Misael, o de Mesaque; e a Azarias, o de Abede-Nego. 

Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se. Ora, Deus concedeu a Daniel misericórdia e compreensão da parte do chefe dos eunucos. Disse o chefe dos eunucos a Daniel: Tenho medo do meu senhor, o rei, que determinou a vossa comida e a vossa bebida; por que, pois, veria ele o vosso rosto mais abatido do que o dos outros jovens da vossa idade? Assim, poríeis em perigo a minha cabeça para com o rei. 

Então, disse Daniel ao cozinheiro-chefe, a quem o chefe dos eunucos havia encarregado de cuidar de Daniel, Hananias, Misael e Azarias: Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias; e que se nos dêem legumes a comer e água a beber. Então, se veja diante de ti a nossa aparência e a dos jovens que comem das finas iguarias do rei; e, segundo vires, age com os teus servos. Ele atendeu e os experimentou dez dias. 

No fim dos dez dias, a sua aparência era melhor; estavam eles mais robustos do que todos os jovens que comiam das finas iguarias do rei. Com isto, o cozinheiro-chefe tirou deles as finas iguarias e o vinho que deviam beber e lhes dava legumes. Em toda matéria de sabedoria e de inteligência sobre que o rei lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos e encantadores que havia em todo o seu reino.”. 

Daniel saiu de Jerusalém e foi levado para a Babilônia. Ele poderia ter se encantado, pois, naquela época, era um dos locais mais cobiçados da terra, mas não se contaminou.  

A Babilônia era tudo para muitas pessoas, mas, para Daniel, não. O relacionamento que ele tinha com Deus era a sua prioridade e sua força motriz. 

Hoje, eu gostaria de destacar algumas características que levaram Daniel a ter vitória na Babilônia:  

Em primeiro lugar, Daniel era incorruptível, ou seja, não era como alguns “cristãos”, que, no domingo, são fervorosos, mas, na segunda-feira, são duros como uma pedra e não acreditam em mais nada.  

Em segundo lugar, ele aceitou o desafio de honrar suas convicções 

Só aceita este desafio quem confia no Senhor. Só aceita este desafio quem é ousado! 

Salmos 125.1: “Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.”. 

O rei havia mandado servi-lo com o que havia de melhor naquela terra. Mas Daniel resolveu, firmemente, não se contaminar!  

Mas, pensando bem, será mesmo que aquelas iguarias causariam algum mal ao organismo de Daniel? Claro que não! Aquele cardápio foi desenvolvido especialmente para os príncipes. Daniel, na verdade, escolheu não se contaminar espiritualmente. Aqueles alimentos eram consagrados aos ídolos babilônicos. Naquele cardápio, também havia alimentos que, antes da graça, eram abominados por Deus.  

Daniel aceitou o desafio de honrar suas convicções, sem se importar com as consequências. Ele disse ao chefe dos eunucos: “Espere dez dias, e você verá Deus agir!”.  

Querido, chegou a hora de você desafiar o mundo e crer verdadeiramente no Senhor.  

Daniel sabia que o alimento que viria do Senhor o deixaria mais forte. Depois de dez dias, Daniel e os amigos dele estavam mais robustos. O chefe dos eunucos ficou tão impressionado, que aceitou manter a dieta estipuladas por eles.  

Não adiante se alimentar do que o mundo oferece, e continuar vazio! Alimente-se no Senhor. Busque ser cheio do Espírito Santo!  

Em terceiro lugar, Daniel buscou ser o melhor! 

Daniel foi achado dez vezes mais sábio do que os grandes encantadores da Babilônia! Daniel era disciplinado, organizado, estudioso e, o mais importante de tudo, ele tinha um vida de oração! 

Tiago 1.5: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.