terça-feira, 31 de março de 2020

Quatro bons motivos para não perder a esperança


Lamentações 3.21 a 33: “Quero trazer à memória o que me pode dar esperança. As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade.

A minha porção é o Senhor, diz a minha alma; portanto, esperarei nele. Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca. Bom é aguardar a salvação do SENHOR, e isso, em silêncio. Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade.

Assente-se solitário e fique em silêncio; porquanto esse jugo Deus pôs sobre ele; ponha a boca no pó; talvez ainda haja esperança. Dê a face ao que o fere; farte-se de afronta. O Senhor não rejeitará para sempre; pois, ainda que entristeça a alguém, usará de compaixão segundo a grandeza das suas misericórdias; porque não aflige, nem entristece de bom grado os filhos dos homens”.

Estamos vivendo dias de confusão. A ansiedade tem tirado o sono das pessoas. Você, de repente, é atormentado por uma série de pensamentos e questionamentos: “O que será de mim amanhã?”, “Como vou enfrentar esta enfermidade?”, “Será que, neste mês, as contas vão fechar?”.

São pensamentos que, muitas vezes, nos fazem perder o chão. São pensamentos que nos fazem perder o foco. São pensamentos que, muitas vezes, nos fazem esquecer o que é essencial.

Nesta passagem, Jeremias nos ensina um grande segredo espiritual. Ele diz: “Eu vou trazer à memória o que me dá esperança!”.

Hoje, eu quero destacar quatro bons motivos para você não desistir e não perder a esperança:

Em primeiro lugar: O referencial do que Deus já realizou na tua vida no passado

Em Deus, não há sombra de variação! Ele fez, Ele faz, e Ele fará!

Hebreus 11.8: “Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e eternamente!”

Em segundo lugar: O futuro!

Provérbios 23.18: “Porque deveras haverá bom futuro; não será frustrada a tua esperança.”

Este futuro não é uma previsão sem fundamentos, não é uma possibilidade, mas é o plano glorioso que o Senhor tem para a sua vida.

Em terceiro lugar: O fato de você estar debaixo das misericórdias do Senhor!

As misericórdias do Senhor se renovam diariamente.  A cada dia, Ele renova em nós a força, a capacidade e o seu amor, que cobre multidões de pecados.

O livro de Lamentações faz parte do Antigo Testamento. Mas eu também quero destacar a graça que veio através do sacrifício de Cristo.

Efésios 2.8: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.”

Não deixe mais o inimigo te acusar por causa dos erros do passado! O Senhor te perdoa e te dá uma nova oportunidade! Escolha, a partir de hoje, caminhar de uma maneira diferente. Escolha trilhar o caminho da libertação.

Em quarto lugar: A sua porção é o Senhor!

Sabe, nós temos a tendência de depositarmos nossas esperanças em homens e em questões materiais, ou seja, naquilo que é efêmero e falível. O único que pode nos completar verdadeiramente é o Senhor! Ele é soberano.

Espere em Deus, mas espere em silêncio, ou seja, com paz no coração, porque Ele está no controle. Não seja mais consumido pelo desespero!

Ele é um Pai e amor. E, como todo o pai, Ele permite que passemos por determinadas situações para nos corrigir, nos ensinar e nos fortalecer. Por isso, não seja roubado nesta transição. Permaneça fiel, porque o Senhor vai cumprir este ciclo na sua vida!

Salmos 40.1: “Esperei com paciência no Senhor, e Ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor.”

segunda-feira, 30 de março de 2020

Os livramentos de Paulo


Atos 28.1 a 6: “Uma vez em terra, verificamos que a ilha se chamava Malta. Os bárbaros trataram-nos com singular humanidade, porque, acendendo uma fogueira, acolheram-nos a todos por causa da chuva que caía e por causa do frio. Tendo Paulo ajuntado e atirado à fogueira um feixe de gravetos, uma víbora, fugindo do calor, prendeu-se-lhe à mão.

Quando os bárbaros viram a víbora pendente da mão dele, disseram uns aos outros: Certamente, este homem é assassino, porque, salvo do mar, a Justiça não o deixa viver. Porém ele, sacudindo o réptil no fogo, não sofreu mal nenhum; mas eles esperavam que ele viesse a inchar ou a cair morto de repente. Mas, depois de muito esperar, vendo que nenhum mal lhe sucedia, mudando de parecer, diziam ser ele um deus.”

Paulo conquistou, perante o rei Agripa, o direito de ir para Roma. Para chegar ao local, ele teve que passar pelo mar Adriático.

Durante a viagem, ele se deparou com um Euro-Aquilão, um vento muito forte.

Em primeiro lugar, Paulo tinha um destino!

Deus deixou uma palavra: “Ninguém vai se perder!”.

Muitas vezes, na nossa caminhada, deparamo-nos com tufões e muitas adversidades. Não tenha medo, porque Deus vai te fazer chegar ao destino que Ele determinou.

Em segundo lugar, eles chegaram em Malta. Ali, habitavam os Bárbaros, um povo sem civilização.

De repente, Paulo teve um baque: uma serpente deu uma mordida em sua mão. As pessoas acharam que ele não aguentaria.

Em terceiro lugar, todo mundo estava esperando o pior

Os caminhos de Deus são maiores que o nosso! O Senhor já havia determinado um livramento.

Paulo foi curado e deixou todos impressionados. As pessoas achavam que ele era um deus. Ele, inclusive, foi chamado para tratar da enfermidade do dono daquela ilha.

Aquilo significa honra de Deus!

O Senhor vai te livrar do veneno da serpente!

O Senhor vai te livrar das aflições!

O Senhor vai te levar para o destino determinado!

sexta-feira, 27 de março de 2020

Vencendo o medo do que nos espera!


João 4.18: “No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.”

Para nos aterrorizar, oprimir, atormentar e nos afastar do Senhor, o inimigo usa como estratégia o medo.

Mateus 14.22: “Logo a seguir, compeliu Jesus os discípulos a embarcar e passar adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia as multidões.”

A Bíblia nos mostra a manifestação deste espírito em diversos momentos. Mas, hoje, eu vou destacar a experiência que Pedro teve durante uma tempestade.

Naquele momento em que ele estava com os outros apóstolos no barco, Pedro tinha no seu interior um medo assolador, que o estava desestabilizando, a ponto de ele não conseguir enxergar que a solução estava diante dos seus olhos.

Com base nesta história tão conhecida, eu gostaria de destacar alguns pontos importantes:

1- Quando somos dominados pelo medo, enxergamos fantasmas

Mateus 14.26: “E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram.”

Quem é dominado pelo medo sempre espera o pior de cada situação. Não temos paz interior e perdemos a capacidade de discernir.

2- Quando somos dominados pelo medo, somos levado pelos ventos contrários

Qualquer notícia ruim já nos abala!

3- O medo no faz afundar

O medo nos impede de avançar e conquistar.

Meditando nesta palavra, o Espírito Santo me ensinou que, para vencer o medo, nós precisamos:

1- Exercer a autoridade que Jesus Cristo nos entregou

Mateus 16.19: “Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus.”

2- Enfrentar o que veio para tentar nos destruir

2 Timóteo 1.7: “Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação.”

3- Mantendo os olhos em Cristo e andando sobre as águas

Mateus 17.27 a 29: “Mas Jesus imediatamente lhes disse: Tende bom ânimo! Sou eu. Não temais! Respondendo-lhe Pedro, disse: Se és tu, Senhor, manda-me ir ter contigo, por sobre as águas. E ele disse: Vem! E Pedro, descendo do barco, andou por sobre as águas e foi ter com Jesus.”

Não se entregue mais ao medo. O medo é um sentimento que veio para escravizar o homem, e não para protegê-lo.

A certeza de que o Senhor está com você precisa estar acima de tudo. Só vai acontecer o que Ele permitir. E Ele sempre tem o melhor. Confie e se entregue a Ele! 

quinta-feira, 26 de março de 2020

Cristo é o nosso resgatador



Rute 2.19 e 20: “Então, lhe disse a sogra: Onde colheste hoje? Onde trabalhaste? Bendito seja aquele que te acolheu favoravelmente! E Rute contou a sua sogra onde havia trabalhado e disse: O nome do senhor, em cujo campo trabalhei, é Boaz. Então, Noemi disse a sua nora: Bendito seja ele do Senhor, que ainda não tem deixado a sua benevolência nem para com os vivos nem para com os mortos. Disse-lhe mais Noemi: Esse homem é nosso parente chegado e um dentre os nossos resgatadores.”

Noemi encontrou uma luz no fim do túnel. Boaz poderia ser o resgatador de Rute e, assim, adquirir o direito de manter os bens da família e, ainda, dar continuidade à descendência. Ele seria aquele que poderia tirá-las da condição de humilhação e vulnerabilidade.

Jesus Cristo é o nosso resgatador. É Ele quem que nos tirou do império das trevas e nos transportou para o reino do Seu amor! Ele veio para salvar os perdidos.

Lucas 19.10: “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.”

Hoje, gostaria de destacar alguns pontos importantes:
  
1- Jesus pagou um preço para nos resgatar

Ele se entregou e foi crucificado para nos tirar da maldição do pecado.

Mateus 27.50: “E Jesus, clamando outra vez com grande voz, entregou o espírito.”

João 19.30: “Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito.”

Gálatas 3.13: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro)...”

2- Assim como Rute, coloque-se aos pés do resgatador

Rute 3.8: “Sucedeu que, pela meia-noite, assustando-se o homem, sentou-se; e eis que uma mulher estava deitada a seus pés.”

Precisamos ser como aquela mulher que prostrou-se diante de Jesus e clamou pelo seu milagre.

Quando nossas vidas estão aos pés de Cristo, encontramos o Seu amor e Suas infinitas misericórdias.
  
3- Creia, porque você viverá a restituição e a restauração do resgatador

Isaías 30.10: “Os resgatados do Senhor voltarão e virão a Sião com cânticos de júbilo; alegria eterna coroará a sua cabeça; gozo e alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido.”

Cristo veio para restituir nossos dias de alegria, esperança e paz.

Ele é o nosso resgatador e veio para nos restituir de tudo o que o diabo nos roubou no Éden, para que, na graça, vivêssemos a vida abundante!

terça-feira, 24 de março de 2020

Como vencer a ansiedade?

 

Mateus 6.25 a 34: “Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? 

Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam.

Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé? Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?

Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.”

Com certeza, esta palavra se encaixa na nossa realidade. A ansiedade é um dos males do século 21. Nunca se viu tanto desespero e tanta preocupação. Nunca se viu tantas pessoas perdendo as estribeiras, como hoje!

Depois de ter passado diversos preceitos e depois de ter ministrado no Monte das Bem-Aventuranças, Jesus questiona os seus seguidores: “Por que andeis ansiosos? Por que esta inquietação em relação ao futuro?”.  

Realmente, a ansiedade –  que é um grande sinal de incredulidade –  tem deixado muitas pessoas doentes, perturbadas e descontroladas. Elas perdem o sono, o apetite, as motivações e a alegria de viver.

Nesta passagem, depois de questionar seus discípulos, Jesus Cristo fala:

Em primeiro lugar, será que vale a pena viver ansioso? Será que a sua ansiedade pode transformar a sua realidade?

Claro que não! Ele ainda afirmou: “Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?”.

O que você precisa fazer? Renovar os seus pensamentos! Pensar no poder imensurável e incomparável do nosso Deus.

“Apóstolo, o Senhor não entende! Eu estou com uma dívida no banco, e não tenho como pagá-la!”... “Eu estou desesperado. O mês acabou, e eu não consegui cumprir com minhas obrigações. Será que Deus não se importa?”...

É claro que sim. Ele entende suas necessidades, mas o seu interior precisa estar renovado. A ansiedade nos impede de raciocinar, de buscar soluções.

Então, pare, respire fundo, ajoelhe-se e ore!

1 Pedro 5.6 e 7: Sendo assim, humilhai-vos sob a poderosa mão de Deus, para que Ele vos exalte no tempo certo, lançando sobre Ele toda a vossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de vós!”

Depois disso, você vai correr atrás das pessoas responsáveis. Explique que você é honesto, íntegro, sério e que está passando por um momento de dificuldade. 

Não deixe que este problema te mate e te afaste de Deus. Não deixe que esta adversidade determine quem você é. Você não é esta luta!

Romanos 8.37: “Mas, em todas estas coisas somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou.”

Em segundo lugar, Jesus faz o comparativo entre o cuidado que Deus tem com a natureza e o zelo que Ele tem por nós

A dignidade vem do Senhor. Você tem dependido de quem? Dos seus amigos? Dos seus pais? Do seu coordenador? Aprenda a depender do Senhor!

Se ele cuida tão bem da natureza, Ele cuidará muito mais de você, que é filho amado. Ele vai te vestir de amor, de paz, de alegria...

Salmos 46.10: “Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus...”

Em terceiro lugar, Jesus deixa um grande segredo espiritual: “Busque, primeiramente, o reino de Deus e sua justiça, e todas estas coisas lhe serão acrescentadas.”

Confie no Senhor, e você verá tudo se encaixando.

O nosso erro é inverter as prioridades. Nós priorizamos nossos interesses, damos ouvido a todas as pessoas e, simplesmente, ignoramos a Palavra de Deus, ou seja, desprezamos a verdade que liberta! 

Coloque suas prioridades em ordem. Busque, em primeiro lugar a vontade de Deus e confie! Ela é boa, perfeita e agradável.

Em quarto lugar, Ele afirma: “Não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.”.

O que te atingiu ontem não vai te atingir hoje. E sobre amanha? O amanhã trará os seus próprios cuidados. Deus está no controle! Quando você confia n’Ele, nada te abala!

sábado, 21 de março de 2020

Em Cristo, somos um!


Efésios 2.11 a 22: “Portanto, lembrai-vos de que, outrora, vós, gentios na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, por mãos humanas ,naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo. 

Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade. 


E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto; porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito. Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.”

Nesta passagem, nós vimos que existiam dois povos: o Israel carnal eleito e os gentios, que somos nós.

Paulo, então, explica que:

Em primeiro lugar, destes dois povos, Deus criou um!

A barreira que existia foi quebrada porJesus Cristo. Agora, o povo de Deus não são mais somente aqueles que foram circuncidados por mãos humanas, mas são todos aqueles que foram circuncidados espiritualmente, ou seja, são aqueles que têm a marca de Cristo.

Se você não tem a marca de Cristo, se você não O coloca em primeiro lugar na sua vida, você não pode ser o Israel de Deus.

Paulo nos ensina que a cruz uniu os dois povos. Verticalmente, em cada ponta, a cruz simboliza a união de dois povos, que se tornaram o povo de Deus.

Em segundo lugar, nós estamos debaixo de promessas

Gálatas 3.13 e 14: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro), para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios, em Jesus Cristo, a fim de que recebêssemos, pela fé, o Espírito prometido.”

Desta forma, nós entendemos o que é andar na graça, mas sem desprezar as promessas.

Muitas pessoas, infelizmente, acabam tendo o entendimento espiritual totalmente contrário àquilo que Paulo nos ministra. Elas pensam que graça é deligar-se totalmente das promessas, das orientações e das experiências vividas com Deus.

Querido, tenha consciência de que as promessas do Senhor estão sobre sua vida!

Quando o inimigo  vier te acusar ou querer te colocar embaixo de maldição, lembre-se de que você está debaixo da Palavra de Romanos 8. Você é filho, eleito e coerdeiro com Cristo. Você foi chamado para ser povo de Deus.

Paulo também fala que estamos reconciliados em Cristo, e que a barreira de inimizade foi quebrada. Portanto, devemos caminhar de forma soberana e nos comportar como filhos de Deus.

Em terceiro lugar, nós estamos fundamentados sobre Cristo, a pedra angular

Se você não está sobre a pedra angular, você não tem fundamentos. Paulo também fala que nós estamos fundamentados na doutrina dos apóstolos e dos profetas.

Você não está somente fundamentado naquilo que são as promessas da graça, mas você está fundamentado em todas as profecias, porque elas são eternas e saem do altar de Deus.

Coloque sua vida, a tua casa, a tua família e tudo o que te pertence sobre essa pedra angular, porque ela te dará sustentação para que você possa crescer e desenvolver. 

sexta-feira, 20 de março de 2020

Confie nos propósitos de Deus!


2 Coríntios 12.7 a 10: “E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim.  Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.”

Essa palavra é extremamente profunda de um homem experimentado. Ninguém escreveria algo assim, se não tivesse recebido profundas revelações de Deus e se não tivesse uma experiência poderosa com o Senhor.

O apóstolo Paulo vivia para Cristo. Ele disse em Gálatas 2.20: “Não vivo eu, mas Cristo vive em mim.”. A vida dele foi completamente entregue nas mãos de Deus. Nós precisamos buscar viver dessa maneira.
                                                                                             
Para vivermos integrados com o nosso chamado, nós precisamos entender que luta é diferente de castigo. Muitas pessoas pensam que você está passando por lutas, porque Deus está te punindo, mas o que acabamos de ler é exatamente o contrário disso!

Paulo tinha um espinho na carne. Ele, obviamente, não cita em suas cartas o que era esse espinho, mas podemos entender que era alguma luta, alguma dificuldade pessoal, algo que ele tinha como peso.

Paulo pediu para que Deus o arrancasse – uma atitude absolutamente normal, pois sempre que passamos por dificuldades, pedimos a Deus um livramento.

Depois de Paulo ter pedido três vezes, a resposta de Deus foi: “A minha graça te basta!”.

A graça de Cristo, o amor de Cristo, a bondade de Cristo e o acesso a Cristo eram o suficiente! É disso que nós precisamos!

Você não precisa de compreensão humana! Você não precisa de amizades! Você não precisa da posição pela qual você está lutando! Antes de tudo isso, você precisa da graça de Deus. A graça que te equilibra, que te cura, que te dá sabedoria e que te impulsiona a viver o novo de Deus.

Com base nesta palavra, quero citar três pontos importantes:

Em primeiro lugar, Paulo entendeu o que Jesus disse!

Eu acredito que ele deve ter pensando da seguinte forma: “Eu vou continuar com esse espinho, mas maior do que ele é a graça que eu recebi, porque sem o espinho e sem a graça, eu vou desfalecer. Mas com o espinho e com a graça, serei mais que vencedor.”.

Em segundo lugar, Paulo falou algo muito difícil de entender nos dias atuais: “Tendes prazer por passardes por várias provações”.

Será que Paulo estava falando para sermos masoquistas?  Será que ele disse: “Alegre-se com essa desgraça que você está vivendo!”?

Ele explica que tudo o que acontece conosco tem um propósito maior em Deus. A enfermidade tem um propósito, a luta financeira tem um propósito...

Mas qual é a origem dessas lutas?

Essa é uma pergunta muito frequente na igreja. Na carta aos tessalonicenses, Paulo fala que a origem são os prazeres da nossa carne.

Muitas das nossas lutas são de origem espiritual, por isso, nós jejuamos, oramos, clamamos e louvamos! Entretanto, existem lutas que são de origem carnal, porque optamos por atitudes erradas. Todos os nossos atos têm consequências!

Precisamos entender que, independente da causa de cada enfermidade, se nós nos abrirmos para sermos controlados pelo Espírito Santo, não morreremos no meio da batalha, não ficaremos com as marcas do passado, pois vamos evoluir.

A tua luta é um fator de desenvolvimento. A tua dificuldade é o trabalhar de Deus.

Paulo fala: “Quando você passar por aflições, angustias, provações e perseguições, não deixe nada te derrubar! Sinta, no seu interior, que Deus permitiu essa situação para o teu crescimento e desenvolvimento.

Depois dessa luta, você sairá mais forte, mais determinado, mais experiente, mais sábio, mais sensível às dificuldades do seu próximo, mais amoroso, mais misericordioso e mais convicto.

Em terceiro lugar, há um segredo espiritual, no qual diz que o poder de Deus se aperfeiçoa nas nossas fraquezas.

Você se sente fraco? Mas, no Senhor, você é forte! Faça de Zacarias 4:6, a sua verdade. Sabe o que está escrito: “Não é por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos.”.

Você vai descobrir que, mesmo nessa tempestade, você pode andar e lutar.

Você vai aprender que a perseguição pode até chegar a um nível quase insuportável, mas você vai passar por ela e vai resistir no Senhor.

Permanecer em pé significa que eu estou abrindo as portas para o futuro que Deus deseja.

Sabe qual foi o segredo de Paulo? Ele entendeu que o poder de Deus se aperfeiçoa em suas fraquezas!

Talvez, você tenha pensado que está tão fraco que não consegue nem sair da cama. Talvez, você tenha pensado em entregar os pontos...

Você só pensou! Sabe por quê? Porque, quando pensamos que estamos fracos, na verdade, somos fortes.

Quando você pensa que está sozinho na batalha, vem sobre ti o poder do Espírito Santo, vem o poder da graça, vem a autoridade, vem a esperança... e, então, inexplicavelmente, você é tomado pela alegria do Senhor, que é a nossa força!

Você vai ultrapassar barreiras, vai ficar mais resistente, e o desejo maligno do coração humano não vai prosperar.


Tome posse dessa palavra! Levante sua cabeça e siga em frente, porque o Senhor é contigo!

quinta-feira, 19 de março de 2020

Ansiedade, um sentimento atormentador


Mateus 6.25 a 34: “Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?  Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?


E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé? Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos?

Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.”

Se nós fossemos mais observadores e praticantes da Palavra de Deus, nós viveríamos muito melhor do que vivemos.

Ser cristão é ter uma transformação interior, é andar no espírito, mas, infelizmente, nós nos entregamos a muitas malignidades, e a principal delas é a ansiedade.

Nesta passagem, Jesus trata a ansiedade como um espírito atormentador. Ele fala:

Em primeiro lugar: Não andeis ansiosos!

Por que você está tão ansioso? Por que você está tão atormentado? Por que, mesmo dizendo que confia no Senhor, você caminha como os ímpios?

A conclusão é: Você não sabe que Deus está ao seu lado! Você não entregou seu caminho a Ele! Você decidiu ser o senhor da sua própria vida!

Em segundo lugar, sobre a grandiosidade do Deus Criador

Faça uma avaliação daquilo que é constatado pela natureza. Observe o cuidado do Senhor nos mínimos detalhes.

O Senhor não vai te deixar faltar nem coisa pequena nem coisa grande! Você vale muito! Sua vida é preciosa! Sempre haverá um livramento, uma porta aberta e um suprimento.

Em terceiro lugar: Entregue seu caminho ao Senhor! Busque Seu reino e Sua justiça em primeiro lugar

Nós sofremos porque invertemos a prioridades.

Entregue-se ao Senhor, cumpra seu chamado, e todas as outras coisas serão acrescentadas. Esta é a lei espiritual.

Jesus termina, dizendo: Basta para cada dia o seu próprio mal. Em vez de se renovar a cada dia, nós acumulamos um grande peso!

Temos que entender que Deus não quer que sejamos irresponsáveis e inconsequentes, mas que tenhamos o controle da situação firmados n’Ele.

Que você faça desta palavra a sua verdade. Que você seja como o Monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre!

quarta-feira, 18 de março de 2020

É tempo de reconstrução


Neemias 2.17: “Então lhes disse: Bem vedes vós a miséria em que estamos, que Jerusalém está assolada, e que as suas portas têm sido queimadas a fogo; vinde, pois, e reedifiquemos o muro de Jerusalém, e não sejamos mais um opróbrio.”

Em Jerusalém, todos estavam completamente desmotivados e sem nenhuma perspectiva.

Quantas vezes, nós olhamos a situação geral, e o que os nossos olhos contemplam é somente a impossibilidade de que dias melhores virão?

Por isso que, quando Jesus chora sobre a cidade de Jerusalém (Lucas 19.41 a 44), Ele fala sobre a Jerusalém assolada, fala sobre a Jerusalém que mata os seus profetas, que despreza a lei do Senhor e fala sobre a Jerusalém contaminada pelo espírito de desânimo.

O desânimo – a disposição mental contrária à natureza que Deus colocou no homem (Romanos 1) – pode exatamente ser para o lado do pecado, da prostituição, ou pode ser para o lado da entrega, quando decidimos entregar os pontos, quando não temos mais forças e nada que nos impulsione.

Neemias encontra a situação de um povo completamente assolado e, no seu espírito, ele tinha o envio, o envio para transformar aquele estado de assolação em uma obra – inexplicável aos olhos humanos, mas possível para Deus. Ele, então, se propõe a fazer aquilo que talvez as pessoas jamais poderiam pensar ou imaginar. Ele se propõe a reedificar os muros, os muros assolados de Jerusalém. Ele, então, em 52 dias, faz esta obra gloriosa e maravilhosa.

O que eu tenho buscado de Deus, a cada dia, é exatamente o entendimento espiritual daquilo que significava o antes daquele local. O antes era uma cidade sem defesa.

Em Jerusalém, ainda há os muros reconstruídos e edificados de uma maneira tão impressionante e em tempo recorde. Hoje, podemos passar por cima deles e observar que eram exatamente uma defesa, ou seja, eram extremamente estratégicos.

Ali, o inimigo estava em uma posição de inferioridade. Quando você não tem muros espirituais, você está em uma posição de inferioridade espiritual. Você não tem defesas e, ao mesmo tempo, não pode atacar. Isso é exatamente o que o inimigo quer fazer. Ele quer que nós fiquemos completamente desprotegidos e despreparados para as batalhas que temos que enfrentar. Em Efésios 6, Paulo fala exatamente sobre nós estarmos preparados e armados.

O Senhor deu a Neemias um foco: “Coloque defesas, para que a minha glória seja mostrada, para o retorno do shekinah.”. Nós precisamos de defesas para que possamos manter o que Deus tem nos dado. É por esse motivo que as gerações se perdem. É por esse motivo que nós vemos que não há uma sucessão.

Nós temos que ter defesas que nos deem uma posição privilegiada contra o inimigo e defesas que signifiquem uma proteção para tudo aquilo que Deus nos entregou.

Neemias entende isso e, estrategicamente, reconstrói os muros. Eu tenho certeza de que o trabalho de Cristo é o trabalho de Neemias: o trabalho de reconstruir as nossas defesas, de nos colocar em uma posição de autoridade, uma posição estratégica contra o inimigo, uma posição estratégica que nos permite estar verdadeiramente constituídos em cima de fortaleza. Por isso que nós estamos assentados com Cristo, acima de potestades, principados e dominadores.

Por isso que Davi fala sobre a cidade murada, sobre a proteção daquilo que são os nossos muros. Quando estamos dentro de uma cidade murada, temos exatamente o diferencial que é esta posição estratégica de autoridade. Que o Senhor possa te dar esta condição.

Eu poderia citar para vocês vários exemplos de muros, mas vou destacar alguns:

Muros da vida espiritual:

Quem não tem uma vida espiritual protegida, uma vida espiritual edificada, é uma pessoa enfraquecida e, consequentemente, não consegue chegar à plenitude de sua constituição.

Muros das relações pessoais:

Quando eu sou uma pessoa desprotegida, as minhas relações pessoais são problemáticas, são completamente desgovernadas, não têm uma direção do Espírito Santo de Deus. Eu, então, não consigo manter esta liga verdadeira, que é a liga da comunhão. Eu fico sem poder discernir, entender e, consequentemente, faço voos cegos.

Muros para a preservação do futuro:

Quando eu não tenho proteção para a minha caminhada, para aquilo que é o meu futuro, o que acontece? Eu sou consumido no presente. O muro significa: proteção para o futuro. O muro significa: eu ter realmente aquilo que eu posso construir, edificar e deixar um legado.

terça-feira, 17 de março de 2020

Os que esperam no Senhor jamais serão confundidos



Salmos 40.1 a 5: “Esperei confiadamente pelo Senhor; Ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro. Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos.

E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no Senhor.

Bem-aventurado o homem que põem no Senhor a sua confiança e não pende para os arrogantes, nem para os afeiçoados à mentira.

São muitas, Senhor, Deus meu, as maravilhas que tens operado e também os seus desígnios para conosco; ninguém há que se possa igualar contigo. Eu quisera anuncia-los e deles falar, mas são mais do que se pode contar.”

Acalme-se, aquiete o seu coração! Qual é o nosso grande desafio? A espera! A espera que não pode matar a esperança. Mesmo que essa espera seja, aos olhos humanos, absurda, incompreensível e não tenha justificativas, não deixe que ela te desgaste emocionalmente.

O que os outros dizem não importa. Espere confiadamente no Senhor. Espere naquele que pode resolver os seus problemas, espere naquele que começou a boa obra na sua vida e é fiel para finalizá-la. Espere naquele que nunca mudou e nunca mudará.

Esperar confiadamente no Senhor é saber que a Palavra d´Ele não volta vazia. É saber que, pela fé, você viverá o impossível. É saber que nós sempre teremos, em nosso Pai de amor, livramentos, respostas e consolo, porque aqueles que esperam no Senhor jamais serão confundidos.

Quando eu espero confiadamente no Senhor, eu não duvido, eu tranquilizo meu coração, eu busco ter um comportamento diferente daqueles que não têm fé e me fortaleço na esperança.

Salmo 119.116: “Ampara-me, segundo a Tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança seja envergonhada."

No momento de maior dor, de maior angustia e de perdas incalculáveis, Jó disse: “O meu redentor vive! Ainda que Ele me mate, eu O louvarei.”.

Mesmo com tantas lutas e com sua esposa dizendo: “Amaldiçoa seu Deus, e morre!”, Ele se manteve inabalável.

Espere naquele que pode restaurar seu casamento, naquele que pode curar suas enfermidades, naquele que pode trazer seus filhos de volta! Espere! Deus está no controle!

Ele vai desatar os teus pés, assim como está escrito no Salmo 40.

O medo, a ansiedade e o desespero nos impedem de caminhar. Mas, hoje, o Senhor vai colocar os teus pés em terra firme, sobre a rocha!

Os que confiam no Senhor são como o monte de Sião, que não se abalam, mas permanecem para sempre.

Então, faça desta palavra o teu apoio e a tua verdade. Deus vai te tirar deste lugar de dor. Se você estava triste, desolado, humilhado, cansado, Ele vai colocar nos teus lábios um canto de vitória, para que você renove suas forças e se levante para um novo tempo!

segunda-feira, 16 de março de 2020

Não faça do deserto o seu funeral


1 Coríntios 10.1 a 13 “Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos sob a nuvem, e todos passaram pelo mar, tendo sido todos batizados, assim na nuvem como no mar, com respeito a Moisés. Todos eles comeram de um só manjar espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo. Entretanto, Deus não se agradou da maioria deles, razão por que ficaram prostrados no deserto.
                       
Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se. E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram, e caíram, num só dia, vinte e três mil. Não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles já fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes.

Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador. Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado. Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia. Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.”

Nesta passagem, o apóstolo Paulo cita os motivos da derrota do povo de Israel no deserto. Deus tinha um plano para eles. Esse projeto se concretizaria com a entrada na Terra Prometida.

É claro que o projeto de Deus não pode falhar. É obvio que os planos do Senhor vão se cumprir! O que ocorre é que, no decorrer deste processo, as pessoas podem mudar.

A grande verdade é que, se não acontecer na sua vida, vai acontecer na vida daquele que se levantar e se dispuser. Essa foi a realidade do povo no deserto.

Eles cometeram os seguintes erros:

-Foram idólatras;

-Praticaram a imoralidade;

-Foram rebeldes;

-Murmuraram.

Todos esses ingredientes, juntos, culminaram em uma perda irreversível.

Deus havia começado um projeto de restituição para aquele povo de maneira tremenda:

Em primeiro lugar, libertando-os!

Em segundo lugar, dando condições para que eles atravessassem o deserto

O povo tinha comida, proteção e fontes de água! Em vez de agradecer pelo livramento e pela provisão, eles preferiram reclamar. Muitos, inclusive, afirmaram que viver como escravo no Egito era melhor!

Tome cuidado para você não cometer o mesmo erro. Se você está passando por uma luta, não a transforme em uma maldição. O caminho é: transformar a luta em bênçãos! Como? Através dos seus posicionamentos, das suas escolhas, da sua fé, pela sua espera no Senhor, pela sua dependência d´Ele, por você ter escolhido caminhar de acordo com a Palavra de Deus... Caso contrário, você vai comprometer todas as áreas da sua vida, vai ferir princípios espirituais e, ainda, transformar essa batalha em uma grande guerra.

O apóstolo Paulo também nos deixa outra recomendação: “Aquele que está em pé cuide para que não caia!”. O que isso quer dizer? Que essa luta ainda não te derrubou, mas você não pode relaxar.

Em terceiro lugar, dando oportunidades para aquele povo

Paulo deixa uma revelação muito profunda na passagem que acabamos de ler.  Aquela pedra que Moisés bateu e saiu água representava Jesus Cristo. Pedro fala que Jesus é a pedra de esquina, ou seja, mesmo no deserto, o povo tinha a fonte de água viva.

Eles tinham todas as condições para terem suas forças renovadas, assim como Elias, em 1 Reis 19, que, depois de comer do pão e beber da água, correu 40 dias no deserto.

Sabe, eu quero deixar um conselho: Ainda que seja uma pequena nuvem, não despreze o que Deus está fazendo! Faça com que ela seja uma chama de esperança no seu coração ou a porta que Ele vai abrir para que uma revolução comece na sua vida.

No final do texto, Paulo afirma que não há tentação, não há dor e não há dificuldades que não possamos suportar.

Às vezes, passamos por lutas tão difíceis, que achamos que é o fim da linha. Mas precisamos ter a certeza de que a nossa esperança no Senhor jamais será confundida.

Eu sei que, com a provação e com a dificuldade, Deus vai prover um grande livramento, porque Ele é fiel.

Se você está passando por um deserto, não faça dele a sua morada ou o seu funeral! Deserto é uma passagem, é uma fase! Deus tem muito mais para você! Não desista, não negocie suas convicções, opte em ser diferente! Calebe conviveu com a aquele povo, mas não cometeu as mesmas práticas. Ele escolheu ser diferente, por isso, o seu futuro foi diferente! Pague um preço! Vale a pena.