segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Uma pequena atitude, grandes lições!


João 13.12 a 20: Depois de lhes ter lavado os pés, tomou as vestes e, voltando à mesa, perguntou-lhes: Compreendeis o que vos fiz? Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque eu o sou. Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.

Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou. Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes. Não falo a respeito de todos vós, pois eu conheço aqueles que escolhi; é, antes, para que se cumpra a Escritura: Aquele que come do meu pão levantou contra mim seu calcanhar.

Desde já vos digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais que EU SOU. Em verdade, em verdade vos digo: quem recebe aquele que eu enviar, a mim me recebe; e quem me recebe aquele que me enviou.”

Quando Jesus estava no cenáculo com seus discípulos celebrando sua última Santa Ceia, Ele faz algo surpreendente.

Ele pega uma vasilha de água e começa a lavar os pés de seus seguidores. O que, afinal, Jesus pretendia com aquela atitude?

Em primeiro lugar: Dar-nos grandes lições!

Uma delas – a humildade – foi esquecida por muitos cristãos.

1 Pedro 5.6: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte!”

Lucas 18.14: “Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado!”

Jesus estava ensinando para os discípulos que o caminho da constituição também passa pela humilhação.

Ser humilhado é viver Filipenses 4, quando o apóstolo Paulo fala que ele aprendeu a estar bem em toda e qualquer situação: "Tanto sei estar humilhado como também ser honrado.”.

Sabe o que acontece? É que nós, muitas vezes, nos provemos de uma arrogância, de uma prepotência e transferimos isso para o nosso relacionamento com Deus.

Achamos que somos autossuficientes e nos sentimos no direito de exigir do Senhor, como se estivéssemos exigindo de um ser humano qualquer. Isso é inconcebível. A vontade d´Ele é soberana. Sem Ele, nada podemos fazer!

Nós também transferimos essa sensação de autossuficiência para nossos relacionamentos interpessoais, quando somos intolerantes, não aceitamos que as pessoas erram e não nos abrimos para a correção.

O humilde aprende, entrega-se à correção e aceita pagar um preço para o seu desenvolvimento. Em outras palavras, a humildade é o caminho dos sábios!

O humilde não busca fazer justiça com as próprias mãos, pois confia na justiça do Senhor.

O humilde entrega suas humilhações como uma oferta a Deus e permanece com o coração limpo.

Romanos 5.20 e 21: “Sobreveio a lei para que avultasse a ofensa; mas onde abundou o pecado, superabundou a graça, a fim de que, como o pecado reinou pela morte, assim também reinasse a graça pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor.”

Em segundo lugar, mostrar sua constituição espiritual

Jesus quis dizer: “O fato de eu estar lavando os pés de vocês não muda quem eu sou! EU SOU! Eu sou escolhido, eleito, enviado! E, como Deus, conhecendo a minha constituição espiritual, eu posso lavar os pês de vocês. Eu não preciso de autoafirmação. Não preciso de reconhecimento humano. Eu tenho minha constituição espiritual”.

E, por fim, o Senhor Jesus mostra que o caminho da comunhão e da humilhação denuncia o traidor!

Ali, houve a manifestação de Judas. Ali, houve o cumprimento de um ciclo que fora estabelecido por Deus.


Este ciclo também será cumprido em sua vida, e tudo o que estava oculto será revelado. Deus tem para você coisas superiores. 

domingo, 27 de setembro de 2020

Os ensinamentos de Isaías 55


“Ah! Todos vós, os que tendes sede, vinde às águas; e vós, os que não tendes dinheiro, vinde, comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem dinheiro e sem preço, vinho e leite. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão, e o vosso suor, naquilo que não satisfaz? Ouvi-me atentamente, comei o que é bom e vos deleitareis com finos manjares. Inclinai os ouvidos e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá; porque convosco farei uma aliança perpétua, que consiste nas fiéis misericórdias prometidas a Davi.


Eis que eu o dei por testemunho aos povos, como príncipe e governador dos povos. Eis que chamarás a uma nação que não conheces, e uma nação que nunca te conheceu correrá para junto de ti, por amor do Senhor, teu Deus, e do Santo de Israel, porque este te glorificou. Buscai o Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.  Deixe o perverso o seu caminho, o iníquo, os seus pensamentos; converta-se ao Senhor, que se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar.

Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o Senhor, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos. Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus e para lá não tornam, sem que primeiro reguem a terra, e a fecundem, e a façam brotar, para dar semente ao semeador e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca: não voltará para mim vazia, mas fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a designei. 

Saireis com alegria e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cânticos diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas. Em lugar do espinheiro, crescerá o cipreste, e em lugar da sarça crescerá a murta; e será isto glória para o Senhor e memorial eterno, que jamais será extinto.”

Nesta passagem, existem muitos ensinamentos. Mas, hoje, eu gostaria de destacar alguns:

1º Deus tem para nós o que o dinheiro não pode comprar

Existem valores no mundo espiritual que não se conquistam com dinheiro. Obviamente, Deus recebe nossos dízimos e ofertas. Afinal, a nossa aliança de amor mantém as portas da igreja abertas e dá apoio aos necessitados.

Mas os dons são adquiridos com uma vida de santidade na presença d’Ele. Isso ocorre quando você faz a opção de viver no centro da vontade do Senhor.

Ao renunciar o mundo, você é separado para receber coisas superiores. Você quer mais de Deus? Mergulhe. Aquilo que o dinheiro não pode comprar é o que Ele tem preparado para você!

2º Deus quer estabelecer uma aliança com você

Esta Palavra é tão forte e poderosa, que, quando ela cresce no nosso interior, nos dá capacidade e entendimento.

Deus está propondo para nós a aliança de Davi. Quando esta aliança foi estabelecida, o Senhor disse a ele: “Nunca faltará um herdeiro teu no trono de Israel! Eu te farei um grande rei, eu te farei um grande príncipe, você será governador de povos!”.

Esta aliança de Davi é a aliança de Jesus Cristo, é a aliança do príncipe, do vencedor! Deus está te propondo uma aliança firmada em promessas. Você precisa se apossar de cada uma delas! Como? Assumindo a posição de filho de Deus! Não se sinta mais incapaz e indigno. O Senhor te escolheu.

Em 2 Samuel 8, está escrito que, aonde Davi ia, Deus lhe dava vitórias. É esta condição que Ele tem para você! Caminhe em santidade, que a vitória será garantida! A aliança do príncipe é uma aliança de prosperidade, proteção e segurança.

3º Deus tem muitos planos para a tua vida

Nesta passagem, o Senhor fala: “Os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos!”.

Talvez, você já tenha começado o dia, achando que tudo vai dar errado, que, para você, é o fim da linha. Talvez, o negativismo tenha tomado conta dos seus pensamentos e atitudes. Mas, a partir de hoje, você vai fazer da Palavra de Deus a sua verdade!

Ele tem para você um novo e excelente caminho! Haverá bom futuro, e a sua esperança, no Senhor, não será frustrada.

Levante-se para viver as promessas de Isaías 55: “Saireis com alegria e em paz sereis guiados; os montes e os outeiros romperão em cânticos diante de vós, e todas as árvores do campo baterão palmas. Em lugar do espinheiro, crescerá o cipreste, e em lugar da sarça crescerá a murta; e será isto glória para o Senhor e memorial eterno, que jamais será extinto.”.

terça-feira, 22 de setembro de 2020

A grande reviravolta



Atos 8 a 24: “Em Listra, costumava estar assentado certo homem aleijado, paralítico desde o seu nascimento, o qual jamais pudera andar. Esse homem ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos e vendo que possuía fé para ser curado, disse-lhe em alta voz: Apruma-te direito sobre os pés! Ele saltou e andava.

Quando as multidões viram o que Paulo fizera, gritaram em língua licaônica, dizendo: Os deuses, em forma de homens, baixaram até nós. A Barnabé chamavam Júpiter, e a Paulo, Mercúrio, porque era este o principal portador da palavra. O sacerdote de Júpiter, cujo templo estava em frente da cidade, trazendo para junto das portas touros e grinaldas, queria sacrificar juntamente com as multidões.

Porém, ouvindo isto, os apóstolos Barnabé e Paulo, rasgando as suas vestes, saltaram para o meio da multidão, clamando: Senhores, por que fazeis isto? Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o evangelho para que destas coisas vãs vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles; o qual, nas gerações passadas, permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos; contudo, não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria.

Dizendo isto, foi ainda com dificuldade que impediram as multidões de lhes oferecerem sacrifícios. Sobrevieram, porém, judeus de Antioquia e Icônio e, instigando as multidões e apedrejando a Paulo, arrastaram-no para fora da cidade, dando-o por morto. Rodeando-o, porém, os discípulos, levantou-se e entrou na cidade. No dia seguinte, partiu, com Barnabé, para Derbe.

E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio, e Antioquia, fortalecendo a alma dos discípulos, exortando-os a permanecer firmes na fé; e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus. E, promovendo-lhes, em cada igreja, a eleição de presbíteros, depois de orar com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido.”

A mitologia grega imperava naquela local. No centro da cidade, havia um grande templo onde as entidades eram cultuadas. Paulo, acompanhado de Barnabé, estava naquela região e liberou a palavra que curou um paralítico que estava no meio do caminho.

Os homens daquela cidade, impressionados com o milagre, começaram a endeusar Paulo e Silas e a chamá-los de Mercúrio e Júpiter.

Paulo sabia que aquilo era uma armadilha demoníaca e que teria que lutar contra aqueles principados. Ele não caiu naquela cilada e cumpriu, em sua vida, o plano que Deus havia estabelecido.

Por não ter aceitado o sacrifício e as ofertas daquela multidão, ele foi apedrejado e arrastado para fora da cidade, onde foi dado como morto. Mas o inesperado aconteceu!

Quando as perspectivas humanas não existirem e, mesmo quando tudo parecer definitivamente perdido, Deus dá uma grande reviravolta.

Paulo foi dado como morto por apedrejamento, mas o Senhor o preservou, e ele realizou uma grande obra!

Se o inimigo levantou situações para te desestruturar e te destruir, renove suas forças no Senhor, porque Ele vai te justificar e manifestar a glória d´Ele através da sua vida. 

Lembre-se de que suas esperanças no Senhor jamais serão frustradas! 

domingo, 20 de setembro de 2020

Saindo do natural para entrar no sobrenatural



João 4.35 a 38: “Não dizeis vós que ainda há quatro meses até à ceifa? Eu, porém, vos digo: erguei os olhos e vede os campos, pois já branquejam para a ceifa. O ceifeiro recebe desde já a recompensa e entesoura o seu fruto para a vida eterna; e, dessarte, se alegram tanto o semeador como o ceifeiro. Pois, no caso, é verdadeiro o ditado: Um é o semeador, e outro é o ceifeiro. Eu vos enviei para ceifar o que não semeastes; outros trabalharam, e vós entrastes no seu trabalho.”

Nesta passagem, nós vemos que os discípulos estavam tendo uma visão carnal daquele campo. Mas Jesus os exorta para que eles levantassem a cabeça e enxergassem de maneira espiritual. Este é o tempo de enxergarmos além, de enxergamos o sobrenatural!

Eles sabiam discernir o tempo, pois estavam a quatro dias da colheita, mas não sabiam discernir os sinais espirituais. Jesus, então, amplia este raciocínio e os inspira a ter atitudes espirituais para que eles pudessem reconhecer os sinais do novo tempo que o Senhor tinha para eles. Eles precisavam erguer seus olhos, abrir seu entendimento e alargar as estacas da tenda!

Com base nisso, precisamos:
  
1- Ter clareza do que Deus está nos mostrando

1 Coríntios 2.13: “Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.”

Não fique na dependência do que é natural, porque nossas conquistas começam no mundo espiritual!

2- Ter consciência de que os campos estão brancos e que chegou a hora da colheita

Vamos sair do natural e entrar no sobrenatural!

3- Entender que estamos liberados

Mateus 12.1 e 2: “Por aquele tempo, em dia de sábado, passou Jesus pelas searas. Ora, estando os seus discípulos com fome, entraram a colher espigas e a comer. Os fariseus, porém, vendo isso, disseram-lhe: Eis que os teus discípulos fazem o que não é lícito fazer em dia de sábado.”

Gálatas 5.1: “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.”

Os discípulos estavam famintos. Apesar de estarem caminhando em meio às plantações, não podiam colher espigas, porque era sábado. Mas o Senhor os liberou.

As circunstâncias não importam, a última palavra é de Deus!

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

O que pode te afastar do plano de Deus?



Neemias 6:1 a 4 “Tendo ouvido Sambalate, Tobias, Gesém, o arábio, e o resto dos nossos inimigos que eu tinha edificado o muro e que nele já não havia brecha nenhuma, ainda que até este tempo não tinha posto as portas nos portais, Sambalate e Gesém mandaram dizer-me: Vem, encontremo-nos, nas aldeias, no vale de Ono. Porém intentavam fazer-me mal.

Enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria a obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco? Quatro vezes me enviaram o mesmo pedido; eu, porém, lhes dei sempre a mesma resposta.”

Neemias recebeu uma direção de Deus: reparar as portas e edificar os muros caídos de Jerusalém.

Aquele homem estava em uma posição confortável na corte do rei Artaxerxes. Mas, ao ver a situação deplorável daquela cidade, decidiu cumprir aquele desafio.

Nós precisamos ser como Neemias! Precisamos nos dispor a fazer a obra do Senhor. Precisamos nos entregar, sem nenhum tipo de resistência, ao plano que Ele tem.

Neemias lutou, clamou, enfrentou todos os tipos de oposição, e, depois de 52 dias, viu os muros de Jerusalém totalmente reconstruídos.

Neste período de reedificação, como eu havia mencionado, muitas pessoas queriam impedi-lo de realizar aquela obra.

Sambalate, Tobias e Gesém, por exemplo, não admitiam que aqueles muros fossem reedificados, porque eles eram dominadores de Jerusalém, ou seja, queriam ver o povo oprimido. O que eles fizeram? Ameaçaram e intimidaram Neemias, que, por sua vez, manteve-se inabalável e focado.

Precisamos tomar cuidado, porque o inimigo vai fazer de tudo para nos afastar do nosso chamado. Hoje, eu vou citar as quatro estratégias mais comuns adotadas por ele:

1ª As amizades do mundo

Salmos 1.1 e 2: “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.”

1 Coríntios 15.33: “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.”

Tiago 4.4: “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.”

2 Coríntios 6.14 e 15: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo?”

2ª Falta de conhecimento das Escrituras Sagradas

Não podemos ter somente um envolvimento emocional com a obra de Deus.

Oséias 4.6: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo?”

Provérbios 29.18: "Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz."

3ª Falta de santidade

Romanos 6.23: “...porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

Precisamos resistir às tentações!

Tiago 4.7: “Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”.

4ª Falta de comunhão com Deus (esfriamento espiritual)

1 Timóteo 4.1 a 5: “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência, que proíbem o casamento e exigem abstinência de alimentos que Deus criou para serem recebidos, com ações de graças, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a verdade; pois tudo que Deus criou é bom, e, recebido com ações de graças, nada é recusável, porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificado."

Nós precisamos vigiar mais, precisamos ir mais à Casa do Senhor e crer em Filipenses 1.6: “Aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.”. Não dê mais ouvidos aos chamados do inimigo. Não ceda mais aos atrativos do seu adversário. Tenha fé, porque Deus é fiel.

Neemias permaneceu convicto até o fim e teve uma grande vitória. O posicionamento dele foi determinante, para que a obra fosse realizada em tempo recorde.

Em vez de se entregar à tristeza, à falta de esperança, erga sua cabeça porque o Senhor vai realizar uma grande obra no seu casamento, no seu trabalho, na sua família, no seu ministério...

Não aceite mais ter uma vida sem propósitos. Disponha-se a viver um novo tempo, um tempo de reconstrução, restauração e restituição.

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Novo nascimento, novas atitudes!


Colossenses 3.1 a 11: “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.

Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas.

Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar. Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos.”

Que Palavra tremenda! Aqui, está a chave do novo sentimento que deve nascer em nós e de uma vida de santidade.

Paulo nos deixa três conselhos, que eu gostaria de compartilhar com vocês:

1º Faça morrer sua natureza terrena

Fazer morrer a nossa natureza terrena significa aniquilar nossos desejos carnais, por meio de nossas convicções. É não aceitar viver mais da mesma maneira, é reconhecer a verdade que liberta!

João 8.32: “...e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

O importante é você aprender a se desligar do mal. O problema é que muitas pessoas falam: “Eu quero ser liberto!”. Mas continuam tendo prazer no pecado. Isso significa que elas não nasceram de novo. Nascer de novo é ter o sentimento transformado. Ao pecar, ela sentem remorso, não arrependimento.

Como fazer morrer a natureza terrena? Paulo explica que é se enchendo do poder e autoridade do novo homem.

João 3.3: “A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.”

Como buscar este novo nascimento? Mergulhando nas águas da verdade e buscando romper com os laços do pecado.

2º Revista-se do novo homem

O novo homem se refaz, volta à essência, não segundo a imagem do pecado, mas à imagem do Deus Criador.

Mude os teus hábitos e comportamentos. Não abra mais concessões!

3º Estabeleça, no mundo espiritual, o dia e a hora da tua transformação

Quando nos determinamos, Satanás perde o domínio. Você tira o domínio destas áreas das mãos do inimigo e as coloca nas mãos de Deus.

O nosso coração, que é o centro das nossas emoções, precisa estar nas mãos de Deus. Mas, para que isso acontece, temos que tomar uma decisão. A escolha da nossa liberdade depende de nós.

Tiago 4.4: “Chegai-vos a Deus, e Ele se chegará a vós.”

Em um de nossos cultos, eu ministrei sobre Jacó. Ele morou em Betel, que quer dizer “Casa de Deus”. Qual lugar escolheu para habitar?

Saia deste vale de morte e vá para a terra de Deus. Lá, você terá experiências profundas, terá seu nome mudado e será conhecido como uma grande nação!

Escolha ser verdadeiramente livre!

domingo, 13 de setembro de 2020

Transformando impedimentos profissionais em oportunidades


Neemias 13.4 a 9: “Ora, antes disto, Eliasibe, sacerdote, encarregado da câmara da casa do nosso Deus, se tinha aparentado com Tobias; e fizera para este uma câmara grande, onde dantes se depositavam as ofertas de manjares, o incenso, os utensílios e os dízimos dos cereais, do vinho e do azeite, que se ordenaram para os levitas, cantores e porteiros, como também contribuições para os sacerdotes.

Mas, quando isso aconteceu, não estive em Jerusalém, porque no trigésimo segundo ano de Artaxerxes, rei da Babilônia, eu fora ter com ele; mas ao cabo de certo tempo pedi licença ao rei e voltei para Jerusalém. Então, soube do mal que Eliasibe fizera para beneficiar a Tobias, fazendo-lhe uma câmara nos pátios da Casa de Deus. Isso muito me indignou a tal ponto, que atirei todos os móveis da casa de Tobias fora da câmara. Então, ordenei que se purificassem as câmaras e tornei a trazer para ali os utensílios da Casa de Deus, com as ofertas de manjares e o incenso.

Neemias precisou fazer uma grande limpeza, porque a situação estava crítica. Ele tirou todas as tranqueiras que foram colocadas por Sambalate – um dos seus maiores opositores – no armazém.

Durante anos, os sacerdotes foram coniventes aquela situação, mesmo sabendo que ela contribuía para que a miséria do povo continuasse, pois impedia o envio e recebimento de suprimentos.  

A interferência de Neemias foi essencial, pois inaugurou um tempo de liberações.

Deus vai te levantar para você interferir, definir situações e para você transformar lutas em grandes oportunidades, mas, para isso, e necessário:
                                                                                                                      
1- Mudar de hábitos!

Levíticos 26.10: “Comereis o velho da colheita anterior e, para dar lugar ao novo, tirareis fora o velho.”

Precisamos ter consciência de que nossos comportamentos, muitas vezes, estão sabotando nossa carreira.

Muitas vezes, sem perceber, somos influenciados pelo sentimento coletivo. Deixamos de ser disciplinados, dedicados, criativos e proativos.

Êxodo 23.32: “Não farás aliança nenhuma com eles, nem com os seus deuses.”

2- Adotar um ritmo diferente no desenvolvimento de tarefas

Neemias 4.16 a 18: “Daquele dia em diante, metade dos meus moços trabalhava na obra, e a outra metade empunhava lanças, escudos, arcos e couraças; e os chefes estavam por detrás de toda a casa de Judá; os carregadores, que por si mesmos tomavam as cargas, cada um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a arma. Os edificadores, cada um trazia a sua espada à cinta, e assim edificavam; o que tocava a trombeta estava junto de mim.”

Precisamos ter iniciativas que impeçam os planos dos nossos adversários.

Não podemos também ser acomodados e pessimistas! A inércia e as expectativas negativas nos impedem de ousar e superar limites.

3- Decretar uma jornada de vitórias

Êxodo 33.13 a 17: “Agora, pois, se achei graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber neste momento o teu caminho, para que eu te conheça e ache graça aos teus olhos; e considera que esta nação é teu povo. Respondeu-lhe: A minha presença irá contigo, e eu te darei descanso.

Então, lhe disse Moisés: Se a tua presença não vai comigo, não nos faças subir deste lugar. Pois como se há de saber que achamos graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Não é, porventura, em andares conosco, de maneira que somos separados, eu e o teu povo, de todos os povos da terra? Disse o SENHOR a Moisés: Farei também isto que disseste; porque achaste graça aos meus olhos, e eu te conheço pelo teu nome.”

O Senhor, hoje, inaugura um novo tempo! No lugar dos muros e dos impedimentos, Ele abrirá uma grande porta! A fé em ação abre caminhos e nos leva ao impossível!

Apocalipse 3.8: “Conheço as tuas obras–eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar–que tens pouca força, entretanto, guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome.”

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

É tempo de reconciliação


2 Crônicas 30.1 a 15: “Depois disto, Ezequias enviou mensageiros por todo o Israel e Judá; escreveu também cartas a Efraim e a Manassés para que viessem à Casa do SENHOR, em Jerusalém, para celebrarem a Páscoa ao SENHOR, Deus de Israel. Porque o rei tivera conselho com os seus príncipes e com toda a congregação em Jerusalém, para celebrarem a Páscoa no segundo mês (Porquanto não a puderam celebrar no devido tempo, porque não se tinham santificado sacerdotes em número suficiente, e o povo não se ajuntara ainda em Jerusalém.).

Foi isto aprovado pelo rei e toda a congregação; e resolveram que se fizesse pregão por todo o Israel, desde Berseba até Dã, para que viessem a celebrar a Páscoa ao SENHOR, Deus de Israel, em Jerusalém; porque não a celebravam já com grande número de assistentes, como prescrito. Partiram os correios com as cartas do rei e dos seus príncipes, por todo o Israel e Judá, segundo o mandado do rei, dizendo: Filhos de Israel, voltai-vos ao SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, para que ele se volte para o restante que escapou do poder dos reis da Assíria.

Não sejais como vossos pais e como vossos irmãos, que prevaricaram contra o SENHOR, Deus de seus pais, pelo que os entregou à desolação, como estais vendo. Não endureçais, agora, a vossa cerviz, como vossos pais; confiai-vos ao SENHOR, e vinde ao seu santuário que ele santificou para sempre, e servi ao SENHOR, vosso Deus, para que o ardor da sua ira se desvie de vós. Porque, se vós vos converterdes ao SENHOR, vossos irmãos e vossos filhos acharão misericórdia perante os que os levaram cativos e tornarão a esta terra; porque o SENHOR, vosso Deus, é misericordioso e compassivo e não desviará de vós o rosto, se vos converterdes a ele.

Os correios foram passando de cidade em cidade, pela terra de Efraim e Manassés até Zebulom; porém riram-se e zombaram deles. Todavia, alguns de Aser, de Manassés e de Zebulom se humilharam e foram a Jerusalém. Também em Judá se fez sentir a mão de Deus, dando-lhes um só coração, para cumprirem o mandado do rei e dos príncipes, segundo a palavra do SENHOR.

Ajuntou-se em Jerusalém muito povo, para celebrar a Festa dos Pães Asmos, no segundo mês, mui grande congregação. Dispuseram-se e tiraram os altares que havia em Jerusalém; também tiraram todos os altares do incenso e os lançaram no vale de Cedrom. Então, imolaram o cordeiro da Páscoa no décimo quarto dia do segundo mês; os sacerdotes e os levitas se envergonharam, e se santificaram, e trouxeram holocaustos à Casa do SENHOR.”

Depois de um período de total abandono da Casa do Senhor, o povo de Israel precisava voltar e se reconciliar com Ele, ou seja, restabelecer sua conexão com Ele. O estado deles era deplorável. A miséria espiritual havia se estendido para todas as áreas.

Ezequias, então, determina que, no segundo mês, eles fossem a Jerusalém para celebrar a Páscoa, para voltar a oferecer ofertas e estabelecer este tempo de reconciliação com o Senhor e, consequentemente, com os Seus planos.

Hoje é dia de reconciliação na presença do Senhor, nosso Deus, exatamente como aconteceu há dois mil anos. E essa reconciliação nos levará para um novo tempo!

Hoje, eu gostaria de destacar três pontos importantes:

1º Precisamos nos reconciliar com quem somos espiritualmente

Não importam as lutas, você é filho de Deus, e Ele te ama!

Apocalipse 2.5: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.”

O povo havia perdido a perspectiva de quem era. Eles haviam perdido sua identidade espiritual. Em vez de serem o povo de Deus, eles se contentaram em viver de maneira deplorável.

2- Precisamos nos reconciliar com a vontade de Deus

Romanos 12.2: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

Para vivermos a vontade de Deus, muitas vezes, precisamos abrir mão da nossa! Mas a boa notícia é que os caminhos d’Ele são mais altos. Ele tem uma obra restauradora e transformadora pra realizar na sua vida!

Estar reconciliado com a vontade de Deus é receber a paz que excede todo o entendimento!

Para o mundo, pode ser uma loucura, mas a vontade d’Ele é boa, perfeita e agradável. O plano que Deus tinha para Jesus não era uma morte na cruz, mas a ressurreição e a nossa salvação.

3- Receber o ministério da reconciliação

2 Coríntios 5.17 e 18: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação.”


Só existe reconciliação quando há uma iniciativa. Precisamos nos achegar a Deus, assim Ele se achegará a nós! O pecado nos separou, mas o sangue de Jesus nos uniu. É tempo de reconciliação!

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

Como você agiria?



João 12.1 a 8 “Seis dias antes da Páscoa, foi Jesus para Betânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos. Deram-lhe, pois, ali, uma ceia; Marta servia, sendo Lázaro um dos que estavam com ele à mesa. Então, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo. Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, o que estava para traí-lo, disse: Por que não se vendeu este perfume por trezentos denários e não se deu aos pobres? Isto disse ele, não porque tivesse cuidado dos pobres; mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, tirava o que nela se lançava. Jesus, entretanto, disse: Deixa-a! Que ela guarde isto para o dia em que me embalsamarem; porque os pobres, sempre os tendes convosco, mas a mim nem sempre me tendes.”

Aqui, nós vemos Lázaro, um milagre vivo, um milagre materializado. Lázaro, que estivera morto por quatro dias, agora, atestava em todos os lugares o poder de Jesus. Isso também acontece conosco!

Somos convocados para sermos testemunhas e para testificar o que o Senhor tem realizado.

Neste texto, vemos alguns aspectos importantes que estão relacionados ao nosso comportamento de vida:

Em primeiro lugar, o comportamento de Marta.

Como sempre, Marta estava preocupada com as questões materiais. Ela estava organizando um jantar e estava totalmente focada nisso! Será que realmente havia necessidade de tamanha preocupação?

Será que você tem agido da mesma forma?

Responsabilidade? Todos nós temos, mas a nossa ansiedade precisa ser lançada diante de Deus, porque Ele cuidará de nós.

Em vez de se entregar ao desespero, entregue sua vida nas mãos Senhor; confia n’Ele, e ele tudo fará.

Em segundo lugar, o comportamento de Judas, o traidor, o falso, o ladrão, o mentiroso.

Há muitas pessoas que odeiam que você glorifique o nome de Jesus, que você pregue o nome de Jesus e que você entregue sua vida para Jesus.

Ao ver a oferta de Maria, ele ficou indignado e veio com um discurso hipócrita: “Dê para os pobres!”. Mas, na verdade, ele queria aquela oferta para ele, queria roubá-la.

Precisamos guardar o nosso coração para não sermos roubados!

Em terceiro lugar, o comportamento de Maria, aquela que creu até as últimas consequências.

Maria foi testemunha ocular do milagre. Em sua coração, havia uma grande gratidão pela ressurreição de Lázaro.

Aquela essência era o mais precioso que ela tinha, e ela escolheu derramá-la sobre Jesus!

Derrame seu precioso sobre Jesus, derrame seu amor sobre Jesus.

Tenha a atitude de Maria!

Judas tomou a atitude errada, e Jesus o repreendeu: “Os pobres vocês sempre terão!”. Jesus não estava se referindo somente à pobreza de dinheiro, mas à pobreza de espírito, de criatividade, de amor...

Jesus quis dizer que eles teriam que desfrutar da presença d'Ele!

Tenha a melhor atitude! O mesmo poder de ressurreição que entrou na casa de Maria também vai entrar na sua casa!

Vitórias sobre os gafanhotos migrador, cortador e destruidor

Joel 2.23 a 27: “Alegrai-vos, pois, filhos de Sião, regozijai-vos no Senhor, vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva; fará descer, como outrora, a chuva temporã e a serôdia. As eiras se encherão de trigo, e os lagares transbordarão de vinho e de óleo. Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador, o meu grande exército que enviei contra vós outros.

Comereis abundantemente, e vos fartareis, e louvareis o nome do Senhor, vosso Deus, que se houve maravilhosamente convosco; e o meu povo jamais será envergonhado. Sabereis que estou no meio de Israel e que eu sou o Senhor, vosso Deus, e não há outro; e o meu povo jamais será envergonhado.”

O mundo material também está sujeito ao mundo espiritual.

A Bíblia, nesta passagem, nos mostra a ação de três gafanhotos que representam, figurativamente, três forças do mal que nos impedem de construir uma jornada bem-sucedida.

Acompanhe abaixo:

1- Migrador

É o que nos afasta de nossos objetivos, drenando nossas forças.

Sintomas da ação dele:

- Roubos constantes;

- Acúmulo de tarefas inacabadas;

- Um nível baixo de satisfação pessoal.

2- Cortador

Aquele que traz confusão e a dissolução de relacionamentos, para nos isolar.

Sintomas da ação dele:

- Dificuldades de desenvolver amizades;

- Não conseguir estabelecer vínculos com o trabalho;

- Viver disperso;

- Quando vivemos nos sentindo injustiçados.

3- Destruidor

É aquele que destrói a plantação antes da colheita, ou seja, tudo o que construímos.

Sintomas da ação dele:

- Vida financeira sempre enrolada;

- Frustração;

- Sensação de fracasso.

Mas, em Deus, temos tudo o que precisamos para vencê-los e uma poderosa restituição de tudo o que foi roubado.