terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Transformando convicções em atitudes!


Josué 1.6 a 9: “Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais. Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares. 

Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido. Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.”. 

Existem muitas intranquilidades que tomam conta dos nossos corações. A questão é: Como superá-las? 

Como transformar convicções e discursos em atitudes? Esse é um dos maiores desafios entre os cristãos. 

Através da vida de Josué e das experiências que ele teve com o Senhor, podemos identificar a solução para essas questões. Hoje, eu gostaria de citar algumas: 

Em primeiro lugar, entender que o Senhor também se relaciona conosco através da promessa, e que Ele não falha! 

Todos nós temos uma promessa. Mas precisamos entender que a concretização dela depende, e muito, de nossas atitudes. Depende da nossa fé e da nossa postura diante das dificuldades.

Isaías 55. 10 e 11: “Como a chuva e a neve descem dos céus e não retornam para eles sem regarem a terra e fazerem-na brotar e florescer, a fim de que ela produza sementes para o semeador e pão para os que dele se alimentam, assim também acontece com a Palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas realizará toda a obra que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei.”. 

Nós, muitas vezes, literalmente, empacamos no meio do caminho da nossa promessa. Por quê? Porque deixamos a dúvida tomar conta de nossas vidas e, consequentemente, bloqueamos qualquer possibilidade de que ela será realizada.   

Deus disse para Josué: “Seja forte e corajoso, porque é você quem levará o povo a herdar a terra que eu prometi que entregaria para eles.”. 

Então, não fique esperando que Deus ou que outras pessoas façam sua parte. Não tropece mais nos seus impossíveis, não perca mais tempo. Se você não se limitasse tanto, já estaria em outro patamar espiritual.    

Ser forte e ser corajoso são os ingredientes fundamentais pra que a promessa se cumpra. 

Em segundo lugar, não desanimar, porque o Senhor está te capacitando para que você supere todas as suas limitações e não seja roubado no meio da caminhada. 

Gálatas 6.7 e 9: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá. Não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.”. 

Pare e pense: Quantos projetos inacabados você pode contabilizar na sua vida?

Quantas situações e oportunidades passaram e você pensou: "Poxa, eu poderia ter feito, mas não fiz."? 

Sabe, querido, aquela oportunidade que você perdeu não volta mais. Poderá vir outras, mas aquela não! Com certeza, outra pessoa se levantou para realizá-la. Então, esteja preparado para as que virão e não desanime! 

Se está demorando muito, persevere! Se, aos olhos humanos, não há mais perspectivas, persevere! Renove-se na esperança! 

Salmos 119.116: “Ampara-me, segundo a tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança me envergonhe.”. 

Em terceiro lugar, mova-se! Caminhe em direção à conquista. 

Muitas vezes, deixamos a passividade nos dominar. Essa passividade pode ser fruto de uma formação errada ou, até mesmo, da religiosidade, porque cruzamos os braços e queremos que tudo aconteça em um piscar de olhos. Muitas pessoas, erroneamente, acham que elas podem ficar só orando, e que Deus fará todo o resto. 

O Senhor disse para Josué: “Mova-se! Faça as coisas acontecerem, porque Eu sou contigo. Eu estou te enviando. Então, seja forte e corajoso!”. 

O Senhor também disse ainda: “...para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares.”.  Se Josué ficasse parado, nada iria acontecer. Ele tinha que seguir em frente, manter o foco e caminhar! 

Então, mova-se, não seja mais roubado em suas motivações, porque o Senhor é contigo, e a vitória já está ordenada! 

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

O tempo da escravidão acabou!


Isaías 52.1 a 12: “Desperta, desperta, reveste-te da tua fortaleza, ó Sião; veste-te das tuas roupagens formosas, ó Jerusalém, cidade santa; porque não mais entrará em ti nem incircunciso nem imundo. Sacode-te do pó, levanta-te e toma assento, ó Jerusalém; solta-te das cadeias de teu pescoço, ó cativa filha de Sião.

Porque assim diz o SENHOR: Por nada fostes vendidos; e sem dinheiro sereis resgatados. Porque assim diz o SENHOR Deus: O meu povo no princípio desceu ao Egito, para nele habitar, e a Assíria sem razão o oprimiu. Agora, que farei eu aqui, diz o SENHOR, visto ter sido o meu povo levado sem preço? Os seus tiranos sobre ele dão uivos, diz o SENHOR; e o meu nome é blasfemado incessantemente todo o dia.

Por isso, o meu povo saberá o meu nome; portanto, naquele dia, saberá que sou eu quem fala: Eis-me aqui. Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina! Eis o grito dos teus atalaias! Eles erguem a voz, juntamente exultam; porque com seus próprios olhos distintamente vêem o retorno do SENHOR a Sião. Rompei em júbilo, exultai à uma, ó ruínas de Jerusalém; porque o SENHOR consolou o seu povo, remiu a Jerusalém.

O SENHOR desnudou o seu santo braço à vista de todas as nações; e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus. Retirai-vos, retirai-vos, saí de lá, não toqueis coisa imunda; saí do meio dela, purificai-vos, vós que levais os utensílios do SENHOR. Porquanto não saireis apressadamente, nem vos ireis fugindo; porque o SENHOR irá adiante de vós, e o Deus de Israel será a vossa retaguarda.”

Esta palavra profética é tremenda, porque ela anuncia o fim de dois grandes cativeiros: o assírio e o babilônico.

Deus estava anunciando um novo tempo. Que tempo era esse? O fim do sofrimento, da prisão, da escravidão e do sentimento de abandono.

Para vivermos esta palavra, precisamos seguir o caminho que o Senhor nos deixou:

Em primeiro lugar, Ele disse: “Acorde!”

O Senhor está anunciando: “Acorde, porque o pesadelo acabou!”. Não fique mais se lamentando pelas coisas que você passou, olhe para frente!

Acorde, porque este tempo de dor, enfermidade, guerra e solidão já acabou! Deus vai te tirar desta situação muito antes do que você imagina!

Em segundo lugar, Ele anuncia: “Eu vou quebrar o poder do inimigo sobre sua vida!”

Ele estava se referindo aos grandes tiranos. Qual é a tirania que Satanás impôs sobre você? A da injustiça, a do ódio, a da amargura, a do abandono?

Deus anunciou a vitória sobre o poder dos tiranos! Então, você é livre! Agora, chegou o tempo de você voltar para Sião!

E, em terceiro lugar, Deus afirmou: “Eu vou fazer, Eu estou agindo, mas é importante você fazer a sua parte!”.

O Senhor disse: “Retirai-vos!”. Ou seja, disse para sairmos do domínio do inimigo! Saia do domínio do pecado, da maledicência, da morte!

Deus quer fazer uma grande obra, mas, para isso, você precisa quebrar as prisões! Como? A sua atitude pessoal de não aceitar já te da autoridade para vencê-las.


Quando você sair desta prisão, todos saberão que a mão forte do Senhor está sobre você!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Nós amamos, porque Ele nos amou primeiro


1 João 4.13 a 21: “Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito. E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque Ele nos amou primeiro.

 Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão.”

O mundo está em crise. Hoje, nós observamos atos cruéis de ódio contra a vida humana. Isso só demonstra que o mundo está dominado pelo ódio. Este é o maior objetivo de Satanás: roubar, matar e destruir.

Este ambiente de violência e este clima de destruição geram insegurança. A insegurança gera medo, e o medo aprisiona.

Por que isso ocorre? Porque falta amor, o amor que Paulo nos ensina em Colossenses 14 e em 1 Coríntios 13.

A ausência de amor é ocupada pelo sentimento de ódio. Por isso, nós precisamos plantar, regar e exercitar o amor. De todos os dons, ele é o maior, é o principal!

Muitos, infelizmente, desprezam este sentimento. Isso é nítido nos relacionamentos familiares e espirituais.

A politica de Caim, infelizmente, é a politica exercida pela religiosidade. Vemos irmão matando irmãos. Vemos irmãos desejando a divisão – a exemplo do que aconteceu com José. Rubem, felizmente, foi usado por Deus para impedir uma desgraça maior.

Mas, pelo ódio, os irmãos de José, cruelmente, o jogaram em um poço e o venderam como escravo. O ódio faz com que as pessoas cometam loucuras!

Então, não deixe que o ódio entre na sua casa. Não deixe que ele encontre espaço no seu coração. Não seja nutrido por sentimentos de vingança, inveja, raiva e destruição. Ao contrário, como um verdadeiro cristão, faça do amor o seu estilo de vida, a sua verdade. Este é o reconhecimento de que Deus habita em nós.

No texto que acabamos de ler, João nos dá uma lição de vida! É uma lição que temos que praticar, porque, se não tivermos amor, vamos nos destruir.

Eu não posso falar que eu amo a Deus, a quem não vejo, se eu não amo meu irmão, a quem eu vejo.

Limpe seu coração! Não deseje, não pratique e não estimule o mal. Pelo contrário, que o amor possa imperar dentro de você.

O amor lança fora todo o medo!

Nesta passagem, João também fala sobre o medo. A origem do medo é a falta de amor. A origem do medo é a falta de proteção, porque, quando nos sentimos amados, nos sentimos protegidos e sustentados. Quando nos sentimos amados, temos a certeza de que não seremos abandonados ou prejudicados.

Precisamos entender, acima de tudo, que Deus não é um déspota, não é um tirano. Deus é pai! Pai de amor e pai das luzes!

Quando eu amo a Deus acima de todas as coisas, eu percebo que o amor d’Ele por mim também é recíproco; e o medo desaparece!

Eu não tenho medo de ir para o inferno. Eu não tenho medo do Senhor me abandonar. Eu não tenho medo de ser destruído, porque eu sei que Ele está comigo todos os dias!

O amor me dá a certeza de que Deus está comigo no dia dos meus acertos e nos dias dos meus erros. Quando eu erro, eu sei que encontrarei, em Cristo, uma fonte de perdão!

Querido, o amor nos protege, nos fortalece e lança fora todo o medo! Creia nesta verdade!

Se você está possuído por um medo, se você está tomado pela síndrome do pânico, se você está dominado pelo desespero, clame ao Senhor. Declare que você é amado! Não deixe mais esta opressão determinar como serão os seus dias.

Receba o poder de cura e de libertação que há no amor de Deus! Receba esta arma que o inferno não conhece!

Eu quero terminar a Palavra do Dia de hoje, dizendo que, quando há amor, há perspectivas de futuro. Quando há amor, há segurança para seguirmos em frente! Quando há amor, há sempre um caminho de retorno!


O amor cura, transforma e liberta!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

A essência de um servo de Deus


2 Coríntios 2.14 a 17: “Graças, porém, a Deus, que, em Cristo, sempre nos conduz em triunfo e, por meio de nós, manifesta em todo lugar a fragrância do seu conhecimento. Porque nós somos para com Deus o bom perfume de Cristo, tanto nos que são salvos como nos que se perdem.

Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas? Porque nós não estamos, como tantos outros, mercadejando a palavra de Deus; antes, em Cristo é que falamos na presença de Deus, com sinceridade e da parte do próprio Deus.”

Nós precisamos ser guiados pelo Espírito Santo de Deus. Há muitas decisões que você tem tomado e forma precipitada. O que aconteceu? Sua carne se manifestou, e você foi guiado por ela.

Paulo fala: “Graças a Deus, somos conduzidos em triunfo!”. Isso quer dizer que podemos ser conduzidos pelo Espírito Santo.

Quando somos guiados pelo Espírito Santo, exalamos o bom perfume de Cristo, ou seja, exalamos vida! Esse cheiro da vida é a ressurreição em nós.

O que você tem exalado para as outras pessoas? Talvez, hoje, existam muitas áreas da sua vida que estão exalando morte e destruição.  Não deixe mais isso acontecer!

Nós estamos levando a Palavra viva do Senhor. É a palavra que traz transformação! Abra-se para vivê-la!

O Senhor quer que habite em nós o mesmo sentimento que havia em Cristo. Este é o nosso desafio, este é o nosso foco!

Mude seu jeito de agir, de falar, de pensar. Que, através das suas atitudes, você transmita vida para as pessoas.


Que as pessoas possam enxergar Jesus Cristo através da tua vida!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Um Deus perdoador!


Salmo 130: “Das profundezas clamo a ti, Senhor. Escuta, Senhor, a minha voz; estejam alertas os teus ouvidos às minhas súplicas.  Se observares, Senhor, iniquidades, quem, Senhor, subsistirá?  Contigo, porém, está o perdão, para que te temam.

Aguardo o Senhor, a minha alma o aguarda; eu espero na sua palavra.  A minha alma anseia pelo Senhor mais do que os guardas pelo romper da manhã.

Mais do que os guardas pelo romper da manhã,  espere Israel no Senhor, pois no Senhor há misericórdia; nele, copiosa redenção. É ele quem redime a Israel de todas as suas iniquidades.”

Quebrante o seu coração, peça perdão a Deus, com sinceridade, porque Ele é um Deus de amor, um Deus perdoador.

Eu estava meditando nessa palavra pela manhã, e há algo muito importante que eu quero compartilhar.

Pedir perdão não significa estar arrependido. Muitas pessoas perdem perdão, mas, no fundo, não se arrependeram do mal que fizeram. Estão apenas com remorso e não querem assumir as consequências dos seus erros.

O perdão existe, quando há arrependimento! Quando há arrependimento, há fruto. Qual é o fruto do arrependimento? Esforçar-se, ao máximo, para não cometer os mesmos erros.

O Senhor quer limpar o nosso coração. Quando estamos limpos por Ele, alcançamos suas misericórdias.

O teu clamor será ouvido, e o Senhor vai trazer o que você mais precisa... Mais do que dinheiro, mais do que uma posição, mais do que reconhecimento humano, mais do qualquer relacionamento, você precisa da paz de Cristo!


Receba essa paz! Se o seu arrependimento é verdadeiro, sinta-se perdoado pelo Senhor! Que Ele te cubra de misericórdias, renove o teu interior, e que você seja bendito em todos os seus caminhos, entendendo que Deus não quer te condenar. Ele quer te perdoar e te colocar em um novo caminho!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

O que aconteceu conosco?


Tem gente que complica demais a vida não é? Existem pessoas que brigam a toa, se desesperam sem motivos... Nós somos muitas vezes destruídos porque não temos o entendimento pleno daquilo que nós somos e não buscamos conhecer direito onde Deus quer nos levar. Mas nós fomos tocados pelo Deus todo poderoso e nossa vida foi totalmente transformada! Temos que entender o que verdadeiramente aconteceu conosco quando recebemos esta marca.

Muitas vezes você está buscando crescer em Deus, mas sua vida espiritual é conturbada. Quantas pessoas fazem votos a Deus e depois querem voltar atrás? São pessoas que agem de forma inconsequente e esquecem que temos que prestar a Deus um culto racional. Você precisa entender porque está aqui, qual a razão da sua vida.

A palavra do Senhor mostra muitas pessoas que tiveram a vida espiritual conturbada, vamos ver alguns exemplos: 


1º) Jonas

Ele teve uma disposição de fazer o contrário daquilo que Deus queria dele. (Jonas 1.22 e Jonas 3). Nosso grande erro é achar que a posição humana é melhor que a posição que Deus nos dá espiritualmente. Quem é servo está a disposição do seu Senhor. Mas pouca gente consegue ouvir o que Deus fala. Jonas se dispôs a fazer sua própria vontade. Deus te dá livre arbítrio, mas se você não priorizar a Deus, isso pode ser um caminho de morte. Você não pode fugir da vontade de Deus, sua vida pode virar uma confusão!

Deus não proibiu, mas orientou Adão e Eva sobre a árvore do conhecimento do Bem e do Mal, veja o que está em Gênesis 2.15. Deus deixa você agir livremente, mas te oriente sobre o que você não deve fazer. Imposição não vem de Deus, mas a orientação vem do Espírito Santo.

2º) Alexandre Latoeiro (2º Timóteo 4.14-17)

Ele foi um traidor do mover apostólico, ele não entendeu o que era andar ao lado de um apóstolo. O diabo quer que você se encha de questionamentos contra a vontade de Deus para que você assuma o papel de Judas. Quando não entendemos o que aconteceu com nossas vidas abrimos brechas para Satanás e nos tornamos adversários da cruz. Seja aquilo que Deus pretende de você. Há pessoas que andam anos com Deus e acham que não valem nada ou então, ao contrário, querem apenas aparecer.  Mas precisamos ter conhecimento daquilo que nós somos. Entender que Deus nos escolheu (Filipenses 3.17-19). Os inimigos da cruz são aqueles que abrem mão do seu ministério pelas coisas deste mundo. Mas ou você é usado por Deus ou por Satanás. E existem ímpios que são usados por Deus! E você, que serve a Deus, não pode ser usado pelo inimigo.

3ª) Eli, que vivia na apostasia (1ª Timóteo 4.1-3)

Ele foi negligente com o chamado, com o dom que Deus havia dado a ele. Eli se deixou contaminar pela religiosidade, não entendeu a palavra e não buscou a porção de sacerdote. Temos que entender o que aconteceu em nosso espírito (1º Coríntios 2.13-16, 1ª Coríntios 4.13).  A opção carnal pode te levar a uma grande destruição. Senhor me faça entender o que aconteceu comigo! O homem espiritual discerne todas as coisas. Eu não sou filho de Eli, sou filho de Deus. Temos que ser controlados pelo Espírito Santo!

O que aconteceu conosco?


1º) Fomos tirados de arar a terra, de uma condição indigna, para viver o chamado de profetas do Senhor (1ª Reis 19.19-21)

Fomos cobertos com o manto apostólico, somos guiados pelo Espírito Santo (2º Coríntios 3.14-18).

2º) Nascemos para ser sucessores de um mover genuíno e não das contaminações de Eli

Temos a unção de Samuel (1ª Samuel 3.1). Nenhum sacerdote ungiu dois reis, apenas Samuel (1ª Samuel 10.1; 1ª Samuel 16.12-13). Temos que viver essa unção! Não adianta eu conhecer 1 milhão de versículos se eu não conhecer o Senhor da Bíblia. O Senhor vai tirar a religiosidade e fazer com que você seja guiado e impulsionado pelo Espírito Santo. Você é sucessor da unção de Samuel. Samuel tipifica Jesus Cristo (Atos 10.38). Deus nos escolheu para coisas superiores.

3º)  Recebemos um chamado pelo entendimento (Atos 9.18-19)

O entendimento do chamado fez cair as escamas dos nossos olhos (Atos 10.11-16).  Samuel entendeu o que aconteceu com ele. Samuel nem sabia que Deus falava, mas ele ouviu e entendeu que Deus queria fazer com a sua vida. Você vai receber este chamado pelo entendimento!

Saulo ouviu a voz de Deus ainda fariseu, depois se transformou em um apóstolo! (Atos 9.4). Ele era um perseguidor de cristãos, matador, sanguinário! Mas quando caiu as escamas dos seus olhos, Paulo já sabia tudo! O chamado apostólico vem como fogo e nos leva a viver um novo tempo! (Gálatas 6.17). Muita gente não deu certo no evangelho até hoje porque não entendeu seu chamado.

Temos que ser marcados como Israel, para Samuel, como apostólicos!


Cláudia Pires, redação igospel

Fotos Fellipe Pupo

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Um amor que salva, liberta, cura e ensina!


Não existe evangelho sem entrega, sem dedicação, sem amor e sem um propósito de Deus, que se cumprirá em nossas vidas. Por isso que o Senhor disse em João 6.33: “No mundo, tereis aflições, mas tende bom ânimo. Eu venci o mundo!”. Em Romanos 8, o próprio Paulo fala: “Se com Ele sofremos, com Ele, também reinaremos!”.

A parte do sofrimento de Cristo, sem dúvida nenhuma, foi agoniante, foi desesperadora... Foi uma atitude de amor, um amor sem limites, um amor incondicional... Ele estava cumprindo um propósito. O propósito começa quando você se entrega, amor, à vontade de Deus: “Seja feita a Tua vontade, Senhor!”.

Essa é a chave do sacerdócio, essa é a chave da eleição e da separação, porque a entrega incondicional, a entrega sem limites significa que não vivo eu, mas Cristo vive em mim, e a vida que eu vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, que morreu e se entregou por mim (Gálatas 2.20).

O que nós temos é o poder e a autoridade daquilo que representa a ressurreição. Então, ela torna possível todas as coisas. Ela torna consequente tudo o que nós vivemos, porque foi exatamente o que Paula disse: “Não sobreveio sobre vós uma provação que não possamos suportar, mas, com a provação, o Senhor nos dá o escape.”. Qual é o escape? O escape é aquilo que Jó declarou: “O meu redentor vive!”.

A certeza maior de que, se nós temos o espírito de vida que ressuscitou Jesus Cristo entre os mortos, é que Ele habita em nós. Então, nós podemos, literalmente, superar todas as coisas, porque a nossa caminhada é uma caminha de superação.

O evangelho significa você ser, muitas vezes, incompreendido pelos homens, pela própria família, pelos seus amigos, porque Jesus disse: “Quem não for digno de deixar pai, mãe, filhos e filhas, por amor a mim, não é digno de mim.”.

Esse evangelho é, verdadeiramente, uma ruptura com todas as coisas, para que nós, na nossa individualidade, possamos viver a plenitude de uma vida abundante, a despeito do que nós tenhamos, a despeito daquilo que o homem mais espera de Deus. Porque o homem, tão somente, espera benefícios do Senhor. Só que Deus não tem só benefícios para nos dar, Deus tem coisas superiores (Hebreus 12).

Nós estamos firmados em cima de promessas superiores. Por isso que, na crucificação, muitas pessoas abandonaram Jesus. Por isso que Jesus disse que muitos são chamados, mas poucos são escolhidos. Os escolhidos passam pelo vale, passam pelo dia mau, passam pela provação, mas têm um poder sobrenatural que os faz suportar todas as coisas. Essa é realmente a arma que o Senhor colocou em nós, porque o nosso espírito se renova. Foi o que Isaías falou no capítulo 40: “Os que esperam no Senhor renovam suas forças!”.

Nós temos a certeza gloriosa de que, se com Cristo nós sofremos, com Ele, também reinaremos. Reinar não significa oprimir o próximo, não significa eu ter apenas uma posição de superioridade que me faça um super-homem, mas significa eu enfrentar todas as minhas adversidades e não ser dominado por elas. Reinar significa eu ter uma perspectiva imutável, que é a nossa vida eterna.

Vocês estão aqui, na terra, porque vocês são aqueles que levam a Palavra das Boas Novas! Boas Novas é levar salvação, anunciar que o Senhor Jesus Cristo é vivo, é anunciar que, ao conhecê-Lo, nós somos livres. Na Bíblia, está escrito: “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará!”. Isso é algo muito maior do que nós imaginamos. Não é apenas a libertação do álcool, das drogas... mas é a libertação da escravidão espiritual, que vem pela gloriosa consciência de Cristo em nós.

Aquilo que a Igreja recebeu depois da ressurreição de Cristo foi muito maior do que Ela recebeu quando Jesus estava como homem na terra, porque, como homem na terra, Jesus cumpriu um ministério de 33 anos. Jesus, ressurreto, deu à Igreja todos os preceitos eternos de Deus. Por isso que, em Efésios 1.3, está escrito que, n’Ele, nós temos toda a sorte de bênção espirituais.

Enquanto Jesus estava sepultado há três dias, Ele foi ao inferno, recuperou toda a sorte de bênçãos e deu a quem? À Igreja, que somos nós! Esse poder de viver uma vida abundante é o que está reservado a cada um de nós.

Que a cada dia nós possamos ser renovados na esperança de que nós seremos ressuscitados com Ele. Que a cada dia o Senhor te levante com este poder de superação.

As suas limitações e deformações são humanas, mas o poder realizador de Cristo é o poder de João 14.12, que diz que, se você crer n’Ele, você realizará obras maiores ainda. A maior obra que Jesus realizou foi a salvação. A maior obra que Jesus realizou foi a ressurreição, porque Paulo fala que o último inimigo que foi vencido foi a morte!


Nós vencemos a morte todos os dias. Vivemos em uma sociedade de mortos, que se alimentam daquilo que dá a eles apenas prazeres carnais e momentâneos, como o dinheiro, a prostituição... mas vence a morte quem, todos os dias, respirar Jesus Cristo. Nós temos que respirá-Lo de tal maneira que possamos transpirá-Lo.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Uma cidade fortificada!


Neemias 2.17: “Então lhes disse: Bem vedes vós a miséria em que estamos, que Jerusalém está assolada, e que as suas portas têm sido queimadas a fogo; vinde, pois, e reedifiquemos o muro de Jerusalém, e não sejamos mais um opróbrio.”

Em Jerusalém, todos estavam completamente desmotivados e sem nenhuma perspectiva.

Quantas vezes, nós olhamos a situação geral, e o que os nossos olhos contemplam é somente a impossibilidade de que dias melhores virão?

Por isso que, quando Jesus chorou sobre a cidade de Jerusalém (Lucas 19.41 a 44), Ele fala sobre a Jerusalém assolada, fala sobre a Jerusalém que mata os seus profetas, que despreza a lei do Senhor e fala sobre a Jerusalém contaminada pelo espírito de desânimo.

O desânimo – a disposição mental contrária à natureza que Deus colocou no homem (Romanos 1) – pode exatamente se manifestar no pecado, na prostituição, ou pode se manifestar nas nossas emoções, quando decidimos entregar os pontos, quando não temos mais forças e nada que nos impulsione.

Neemias encontra a situação de um povo completamente assolado e, no seu espírito, ele tinha o envio, o envio para transformar aquele estado de assolação em uma obra inexplicável aos olhos humanos, mas possível para Deus. Ele, então, se propõe a fazer aquilo que talvez as pessoas jamais poderiam pensar ou imaginar. Ele se propõe a reedificar os muros, os muros assolados de Jerusalém. Ele, então, em 52 dias, faz esta obra gloriosa e maravilhosa.

O que eu tenho buscado de Deus, a cada dia, é exatamente o entendimento espiritual daquilo que significava o antes daquele local. O antes era uma cidade sem defesas.

Em nossa viagem de estudos a Israel, nós visitamos estes muros, que foram reconstruídos e edificados de uma maneira tão impressionante e em tempo recorde. Hoje, podemos passar por cima deles e testificar que eram uma defesa, ou seja, eram extremamente estratégicos.

Ali, inimigo estava em uma posição de inferioridade. Quando você não tem muros espirituais, você se coloca em uma posição de inferioridade espiritual. Você não tem defesas e, ao mesmo tempo, não pode atacar. Isso é exatamente o que o inimigo quer fazer. Ele quer que nós fiquemos completamente desprotegidos e despreparados para as batalhas que temos que enfrentar. Em Efésios 6, Paulo fala exatamente sobre nós estarmos preparados e armados.

O Senhor deu a Neemias um foco: “Coloque defesas, para que a minha glória seja mostrada, para o retorno do shekinah.”. Nós precisamos de defesas para que possamos manter o que Deus tem nos dado. É por esse motivo que as gerações se perdem. É por esse motivo que nós vemos que não há uma sucessão.

Nós temos que ter defesas que nos deem uma posição privilegiada contra o inimigo e defesas que signifiquem uma proteção para tudo aquilo que Deus nos entregou.

Neemias entende isso e, estrategicamente, reconstrói os muros. Eu tenho certeza de que o trabalho de Cristo é o trabalho de Neemias: o trabalho de reconstruir as nossas defesas, de nos colocar em uma posição de autoridade, uma posição estratégica contra o inimigo, uma posição estratégica que nos permite estar verdadeiramente constituídos em cima de fortalezas. Por isso que nós estamos assentados com Cristo, acima de potestades, principados e dominadores.

Por isso que Davi fala sobre a cidade murada, sobre a proteção daquilo que são os nossos muros. Quando estamos dentro de uma cidade murada, temos exatamente o diferencial que é esta posição estratégica de autoridade. Que o Senhor possa te dar esta condição.

Eu poderia citar para vocês vários exemplos de muros, mas vou destacar alguns:

Muros da vida espiritual:

Quem não tem uma vida espiritual protegida, uma vida espiritual edificada, fica enfraquecido e, consequentemente, não consegue chegar à plenitude de sua constituição.

Muros das relações pessoais:

Quando eu sou uma pessoa desprotegida, as minhas relações pessoais são problemáticas, são completamente desgovernadas, não têm uma direção do Espírito Santo de Deus. Eu, então, não consigo manter esta liga verdadeira, que é a liga da comunhão. Eu fico sem poder discernir, entender e, consequentemente, faço voos cegos.

Muros para a preservação do futuro:

Quando eu não tenho proteção para a minha caminhada, para aquilo que é o meu futuro, o que acontece? Eu sou consumido no presente. O muro significa: proteção para o futuro. O muro significa: eu ter realmente aquilo que eu posso construir, edificar e deixar um legado.