quinta-feira, 17 de setembro de 2020

Desistir não é uma opção



Esdras 4.1 a 23: “Ouvindo os adversários de Judá e Benjamim que os que voltaram do cativeiro edificavam o templo ao Senhor, Deus de Israel, chegaram-se a Zorobabel e aos cabeças de famílias e lhes disseram: Deixai-nos edificar convosco, porque, como vós, buscaremos a vosso Deus; como também já lhe sacrificamos desde os dias de Esar-Hadom, rei da Assíria, que nos fez subir para aqui.  Porém Zorobabel, Jesua e os outros cabeças de famílias lhes responderam: Nada tendes conosco na edificação da casa a nosso Deus; nós mesmos, sozinhos, a edificaremos ao Senhor, Deus de Israel, como nos ordenou Ciro, rei da Pérsia.

Então, as gentes da terra desanimaram o povo de Judá, inquietando-o no edificar; alugaram contra eles conselheiros para frustrarem o seu plano, todos os dias de Ciro, rei da Pérsia, até ao reinado de Dario, rei da Pérsia.  No princípio do reinado de Assuero, escreveram uma acusação contra os habitantes de Judá e de Jerusalém.  E, nos dias de Artaxerxes, rei da Pérsia, Bislão, Mitredate, Tabeel e os outros seus companheiros lhe escreveram; a carta estava escrita em caracteres aramaicos e na língua siríaca.  Reum, o comandante, e Sinsai, o escrivão, escreveram contra Jerusalém uma carta ao rei Artaxerxes.

Escreveu Reum, o comandante, e Sinsai, o escrivão, os outros seus companheiros: dinaítas, afarsaquitas, tarpelitas, afarsitas, arquevitas, babilônios, susanquitas, deavitas, elamitas e outros povos, que o grande e afamado Osnapar transportou e que fez habitar na cidade de Samaria, e os outros aquém do Eufrates. Eis o teor da carta endereçada ao rei Artaxerxes:  Teus servos, os homens daquém do Eufrates e em tal tempo. Seja do conhecimento do rei que os judeus que subiram de ti vieram a nós a Jerusalém. Eles estão reedificando aquela rebelde e malvada cidade e vão restaurando os seus muros e reparando os seus fundamentos.

Saiba ainda o rei que, se aquela cidade se reedificar, e os muros se restaurarem, eles não pagarão os direitos, os impostos e os pedágios e assim causarão prejuízos ao rei. Agora, pois, como somos assalariados do rei e não nos convém ver a desonra dele, por isso, mandamos dar-lhe aviso,  a fim de que se busque no Livro das Crônicas de seus pais, e nele achará o rei e saberá que aquela cidade foi rebelde e danosa aos reis e às províncias e que nela tem havido rebeliões, desde tempos antigos; pelo que foi a cidade destruída.

Nós, pois, fazemos notório ao rei que, se aquela cidade se reedificar, e os seus muros se restaurarem, sucederá que não terá a posse das terras deste lado do Eufrates.  Então, respondeu o rei: A Reum, o comandante, a Sinsai, o escrivão, e a seus companheiros que habitam em Samaria, como aos restantes que estão além do Eufrates: Paz! A carta que nos enviastes foi distintamente lida na minha presença. Ordenando-o eu, buscaram e acharam que, de tempos antigos, aquela cidade se levantou contra os reis, e nela se têm feito rebeliões e motins.

Também houve reis poderosos sobre Jerusalém, que dalém do Eufrates dominaram em todo lugar, e se lhes pagaram direitos, impostos e pedágios. Agora, pois, dai ordem a fim de que aqueles homens parem o trabalho e não se edifique aquela cidade, a não ser com autorização minha. Guardai-vos, não sejais remissos nestas coisas. Por que há de crescer o dano em prejuízo dos reis? Depois de lida a cópia da carta do rei Artaxerxes perante Reum, Sinsai, o escrivão, e seus companheiros, foram eles apressadamente a Jerusalém, aos judeus, e, de mão armada, os forçaram a parar com a obra.”

A obra de edificação do templo estava a todo vapor, mas, por incrível que parece, havia opositores que se levantaram com falsas acusações para paralisá-la. 

O que fazer quando existem forças contrárias?

1- Nunca abra mão do direito de lutar pelo que você acredita

2 Coríntios 5.7: “...visto que andamos por fé e não pelo que vemos.”

Não permita que situações ou pessoas determinem seus resultados.

Confie naquele que te enviou e lembre-se de que as promessas sempre ser

2- Busque sempre uma alternativa

Sempre haverá um caminho de restauração e de restituição. Para Deus, não existem problemas sem solução!

2 Crônicas 20.17: “Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o Senhor vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o Senhor é convosco.”

Precisamos aprender a bater nas portas certas!

Mateus 7.7: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á.”

3- Enfrente todos os desafios com determinação

Esdras 6:8: “Também por mim se decreta o que haveis de fazer a estes anciãos dos judeus, para que reedifiquem esta Casa de Deus, a saber, que da tesouraria real, isto é, dos tributos dalém do rio, se pague, pontualmente, a despesa a estes homens, para que não se interrompa a obra.”

Esdras estava determinado: “Não importam as circunstâncias, este templo será edificado!”

O que é ser determinado? É ser decidido...

A determinação é aquela força interior que nos impulsiona a seguir em frente, ainda que os eventos sejam contrários! É permanecer e perseverar!

A minha mensagem hoje para você é: Lute pelo seu casamento, lute pelos seus filhos, lute pelo seu trabalho, lute pelo seu ministério...

Desistir nunca mais será uma opção!

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

O que pode te afastar do plano de Deus?



Neemias 6:1 a 4 “Tendo ouvido Sambalate, Tobias, Gesém, o arábio, e o resto dos nossos inimigos que eu tinha edificado o muro e que nele já não havia brecha nenhuma, ainda que até este tempo não tinha posto as portas nos portais, Sambalate e Gesém mandaram dizer-me: Vem, encontremo-nos, nas aldeias, no vale de Ono. Porém intentavam fazer-me mal.

Enviei-lhes mensageiros a dizer: Estou fazendo grande obra, de modo que não poderei descer; por que cessaria a obra, enquanto eu a deixasse e fosse ter convosco? Quatro vezes me enviaram o mesmo pedido; eu, porém, lhes dei sempre a mesma resposta.”

Neemias recebeu uma direção de Deus: reparar as portas e edificar os muros caídos de Jerusalém.

Aquele homem estava em uma posição confortável na corte do rei Artaxerxes. Mas, ao ver a situação deplorável daquela cidade, decidiu cumprir aquele desafio.

Nós precisamos ser como Neemias! Precisamos nos dispor a fazer a obra do Senhor. Precisamos nos entregar, sem nenhum tipo de resistência, ao plano que Ele tem.

Neemias lutou, clamou, enfrentou todos os tipos de oposição, e, depois de 52 dias, viu os muros de Jerusalém totalmente reconstruídos.

Neste período de reedificação, como eu havia mencionado, muitas pessoas queriam impedi-lo de realizar aquela obra.

Sambalate, Tobias e Gesém, por exemplo, não admitiam que aqueles muros fossem reedificados, porque eles eram dominadores de Jerusalém, ou seja, queriam ver o povo oprimido. O que eles fizeram? Ameaçaram e intimidaram Neemias, que, por sua vez, manteve-se inabalável e focado.

Precisamos tomar cuidado, porque o inimigo vai fazer de tudo para nos afastar do nosso chamado. Hoje, eu vou citar as quatro estratégias mais comuns adotadas por ele:

1ª As amizades do mundo

Salmos 1.1 e 2: “Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes, o seu prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.”

1 Coríntios 15.33: “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes.”

Tiago 4.4: “Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.”

2 Coríntios 6.14 e 15: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo?”

2ª Falta de conhecimento das Escrituras Sagradas

Não podemos ter somente um envolvimento emocional com a obra de Deus.

Oséias 4.6: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas? Que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união, do crente com o incrédulo?”

Provérbios 29.18: "Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é feliz."

3ª Falta de santidade

Romanos 6.23: “...porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

Precisamos resistir às tentações!

Tiago 4.7: “Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”.

4ª Falta de comunhão com Deus (esfriamento espiritual)

1 Timóteo 4.1 a 5: “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência, que proíbem o casamento e exigem abstinência de alimentos que Deus criou para serem recebidos, com ações de graças, pelos fiéis e por quantos conhecem plenamente a verdade; pois tudo que Deus criou é bom, e, recebido com ações de graças, nada é recusável, porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificado."

Nós precisamos vigiar mais, precisamos ir mais à Casa do Senhor e crer em Filipenses 1.6: “Aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.”. Não dê mais ouvidos aos chamados do inimigo. Não ceda mais aos atrativos do seu adversário. Tenha fé, porque Deus é fiel.

Neemias permaneceu convicto até o fim e teve uma grande vitória. O posicionamento dele foi determinante, para que a obra fosse realizada em tempo recorde.

Em vez de se entregar à tristeza, à falta de esperança, erga sua cabeça porque o Senhor vai realizar uma grande obra no seu casamento, no seu trabalho, na sua família, no seu ministério...

Não aceite mais ter uma vida sem propósitos. Disponha-se a viver um novo tempo, um tempo de reconstrução, restauração e restituição.

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Novo nascimento, novas atitudes!


Colossenses 3.1 a 11: “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.

Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas.

Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar. Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos.”

Que Palavra tremenda! Aqui, está a chave do novo sentimento que deve nascer em nós e de uma vida de santidade.

Paulo nos deixa três conselhos, que eu gostaria de compartilhar com vocês:

1º Faça morrer sua natureza terrena

Fazer morrer a nossa natureza terrena significa aniquilar nossos desejos carnais, por meio de nossas convicções. É não aceitar viver mais da mesma maneira, é reconhecer a verdade que liberta!

João 8.32: “...e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

O importante é você aprender a se desligar do mal. O problema é que muitas pessoas falam: “Eu quero ser liberto!”. Mas continuam tendo prazer no pecado. Isso significa que elas não nasceram de novo. Nascer de novo é ter o sentimento transformado. Ao pecar, ela sentem remorso, não arrependimento.

Como fazer morrer a natureza terrena? Paulo explica que é se enchendo do poder e autoridade do novo homem.

João 3.3: “A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.”

Como buscar este novo nascimento? Mergulhando nas águas da verdade e buscando romper com os laços do pecado.

2º Revista-se do novo homem

O novo homem se refaz, volta à essência, não segundo a imagem do pecado, mas à imagem do Deus Criador.

Mude os teus hábitos e comportamentos. Não abra mais concessões!

3º Estabeleça, no mundo espiritual, o dia e a hora da tua transformação

Quando nos determinamos, Satanás perde o domínio. Você tira o domínio destas áreas das mãos do inimigo e as coloca nas mãos de Deus.

O nosso coração, que é o centro das nossas emoções, precisa estar nas mãos de Deus. Mas, para que isso acontece, temos que tomar uma decisão. A escolha da nossa liberdade depende de nós.

Tiago 4.4: “Chegai-vos a Deus, e Ele se chegará a vós.”

Em um de nossos cultos, eu ministrei sobre Jacó. Ele morou em Betel, que quer dizer “Casa de Deus”. Qual lugar escolheu para habitar?

Saia deste vale de morte e vá para a terra de Deus. Lá, você terá experiências profundas, terá seu nome mudado e será conhecido como uma grande nação!

Escolha ser verdadeiramente livre!

segunda-feira, 14 de setembro de 2020

Os que esperam no Senhor jamais serão confundidos



Salmos 40.1 a 5: “Esperei confiadamente pelo Senhor; Ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro. Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos.

E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no Senhor.

Bem-aventurado o homem que põem no Senhor a sua confiança e não pende para os arrogantes, nem para os afeiçoados à mentira.

São muitas, Senhor, Deus meu, as maravilhas que tens operado e também os seus desígnios para conosco; ninguém há que se possa igualar contigo. Eu quisera anuncia-los e deles falar, mas são mais do que se pode contar.”

Acalme-se, aquiete o seu coração! Qual é o nosso grande desafio? A espera! A espera que não pode matar a esperança. Mesmo que essa espera seja, aos olhos humanos, absurda, incompreensível e não tenha justificativas, não deixe que ela te desgaste emocionalmente.

O que os outros dizem não importa. Espere confiadamente no Senhor. Espere naquele que pode resolver os seus problemas, espere naquele que começou a boa obra na sua vida e é fiel para finalizá-la. Espere naquele que nunca mudou e nunca mudará.

Esperar confiadamente no Senhor é saber que a Palavra d´Ele não volta vazia. É saber que, pela fé, você viverá o impossível. É saber que nós sempre teremos, em nosso Pai de amor, livramentos, respostas e consolo, porque aqueles que esperam no Senhor jamais serão confundidos.

Quando eu espero confiadamente no Senhor, eu não duvido, eu tranquilizo meu coração, eu busco ter um comportamento diferente daqueles que não têm fé e me fortaleço na esperança.

Salmo 119.116: “Ampara-me, segundo a Tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança seja envergonhada."

No momento de maior dor, de maior angustia e de perdas incalculáveis, Jó disse: “O meu redentor vive! Ainda que Ele me mate, eu O louvarei.”.

Mesmo com tantas lutas e com sua esposa dizendo: “Amaldiçoa seu Deus, e morre!”, Ele se manteve inabalável.

Espere naquele que pode restaurar seu casamento, naquele que pode curar suas enfermidades, naquele que pode trazer seus filhos de volta! Espere! Deus está no controle!

Ele vai desatar os teus pés, assim como está escrito no Salmo 40.

O medo, a ansiedade e o desespero nos impedem de caminhar. Mas, hoje, o Senhor vai colocar os teus pés em terra firme, sobre a rocha!

Os que confiam no Senhor são como o monte de Sião, que não se abalam, mas permanecem para sempre.

Então, faça desta palavra o teu apoio e a tua verdade. Deus vai te tirar deste lugar de dor. Se você estava triste, desolado, humilhado, cansado, Ele vai colocar nos teus lábios um canto de vitória, para que você renove suas forças e se levante para um novo tempo!

domingo, 13 de setembro de 2020

Transformando impedimentos profissionais em oportunidades


Neemias 13.4 a 9: “Ora, antes disto, Eliasibe, sacerdote, encarregado da câmara da casa do nosso Deus, se tinha aparentado com Tobias; e fizera para este uma câmara grande, onde dantes se depositavam as ofertas de manjares, o incenso, os utensílios e os dízimos dos cereais, do vinho e do azeite, que se ordenaram para os levitas, cantores e porteiros, como também contribuições para os sacerdotes.

Mas, quando isso aconteceu, não estive em Jerusalém, porque no trigésimo segundo ano de Artaxerxes, rei da Babilônia, eu fora ter com ele; mas ao cabo de certo tempo pedi licença ao rei e voltei para Jerusalém. Então, soube do mal que Eliasibe fizera para beneficiar a Tobias, fazendo-lhe uma câmara nos pátios da Casa de Deus. Isso muito me indignou a tal ponto, que atirei todos os móveis da casa de Tobias fora da câmara. Então, ordenei que se purificassem as câmaras e tornei a trazer para ali os utensílios da Casa de Deus, com as ofertas de manjares e o incenso.

Neemias precisou fazer uma grande limpeza, porque a situação estava crítica. Ele tirou todas as tranqueiras que foram colocadas por Sambalate – um dos seus maiores opositores – no armazém.

Durante anos, os sacerdotes foram coniventes aquela situação, mesmo sabendo que ela contribuía para que a miséria do povo continuasse, pois impedia o envio e recebimento de suprimentos.  

A interferência de Neemias foi essencial, pois inaugurou um tempo de liberações.

Deus vai te levantar para você interferir, definir situações e para você transformar lutas em grandes oportunidades, mas, para isso, e necessário:
                                                                                                                      
1- Mudar de hábitos!

Levíticos 26.10: “Comereis o velho da colheita anterior e, para dar lugar ao novo, tirareis fora o velho.”

Precisamos ter consciência de que nossos comportamentos, muitas vezes, estão sabotando nossa carreira.

Muitas vezes, sem perceber, somos influenciados pelo sentimento coletivo. Deixamos de ser disciplinados, dedicados, criativos e proativos.

Êxodo 23.32: “Não farás aliança nenhuma com eles, nem com os seus deuses.”

2- Adotar um ritmo diferente no desenvolvimento de tarefas

Neemias 4.16 a 18: “Daquele dia em diante, metade dos meus moços trabalhava na obra, e a outra metade empunhava lanças, escudos, arcos e couraças; e os chefes estavam por detrás de toda a casa de Judá; os carregadores, que por si mesmos tomavam as cargas, cada um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a arma. Os edificadores, cada um trazia a sua espada à cinta, e assim edificavam; o que tocava a trombeta estava junto de mim.”

Precisamos ter iniciativas que impeçam os planos dos nossos adversários.

Não podemos também ser acomodados e pessimistas! A inércia e as expectativas negativas nos impedem de ousar e superar limites.

3- Decretar uma jornada de vitórias

Êxodo 33.13 a 17: “Agora, pois, se achei graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber neste momento o teu caminho, para que eu te conheça e ache graça aos teus olhos; e considera que esta nação é teu povo. Respondeu-lhe: A minha presença irá contigo, e eu te darei descanso.

Então, lhe disse Moisés: Se a tua presença não vai comigo, não nos faças subir deste lugar. Pois como se há de saber que achamos graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Não é, porventura, em andares conosco, de maneira que somos separados, eu e o teu povo, de todos os povos da terra? Disse o SENHOR a Moisés: Farei também isto que disseste; porque achaste graça aos meus olhos, e eu te conheço pelo teu nome.”

O Senhor, hoje, inaugura um novo tempo! No lugar dos muros e dos impedimentos, Ele abrirá uma grande porta! A fé em ação abre caminhos e nos leva ao impossível!

Apocalipse 3.8: “Conheço as tuas obras–eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar–que tens pouca força, entretanto, guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome.”

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

É tempo de reconciliação


2 Crônicas 30.1 a 15: “Depois disto, Ezequias enviou mensageiros por todo o Israel e Judá; escreveu também cartas a Efraim e a Manassés para que viessem à Casa do SENHOR, em Jerusalém, para celebrarem a Páscoa ao SENHOR, Deus de Israel. Porque o rei tivera conselho com os seus príncipes e com toda a congregação em Jerusalém, para celebrarem a Páscoa no segundo mês (Porquanto não a puderam celebrar no devido tempo, porque não se tinham santificado sacerdotes em número suficiente, e o povo não se ajuntara ainda em Jerusalém.).

Foi isto aprovado pelo rei e toda a congregação; e resolveram que se fizesse pregão por todo o Israel, desde Berseba até Dã, para que viessem a celebrar a Páscoa ao SENHOR, Deus de Israel, em Jerusalém; porque não a celebravam já com grande número de assistentes, como prescrito. Partiram os correios com as cartas do rei e dos seus príncipes, por todo o Israel e Judá, segundo o mandado do rei, dizendo: Filhos de Israel, voltai-vos ao SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, para que ele se volte para o restante que escapou do poder dos reis da Assíria.

Não sejais como vossos pais e como vossos irmãos, que prevaricaram contra o SENHOR, Deus de seus pais, pelo que os entregou à desolação, como estais vendo. Não endureçais, agora, a vossa cerviz, como vossos pais; confiai-vos ao SENHOR, e vinde ao seu santuário que ele santificou para sempre, e servi ao SENHOR, vosso Deus, para que o ardor da sua ira se desvie de vós. Porque, se vós vos converterdes ao SENHOR, vossos irmãos e vossos filhos acharão misericórdia perante os que os levaram cativos e tornarão a esta terra; porque o SENHOR, vosso Deus, é misericordioso e compassivo e não desviará de vós o rosto, se vos converterdes a ele.

Os correios foram passando de cidade em cidade, pela terra de Efraim e Manassés até Zebulom; porém riram-se e zombaram deles. Todavia, alguns de Aser, de Manassés e de Zebulom se humilharam e foram a Jerusalém. Também em Judá se fez sentir a mão de Deus, dando-lhes um só coração, para cumprirem o mandado do rei e dos príncipes, segundo a palavra do SENHOR.

Ajuntou-se em Jerusalém muito povo, para celebrar a Festa dos Pães Asmos, no segundo mês, mui grande congregação. Dispuseram-se e tiraram os altares que havia em Jerusalém; também tiraram todos os altares do incenso e os lançaram no vale de Cedrom. Então, imolaram o cordeiro da Páscoa no décimo quarto dia do segundo mês; os sacerdotes e os levitas se envergonharam, e se santificaram, e trouxeram holocaustos à Casa do SENHOR.”

Depois de um período de total abandono da Casa do Senhor, o povo de Israel precisava voltar e se reconciliar com Ele, ou seja, restabelecer sua conexão com Ele. O estado deles era deplorável. A miséria espiritual havia se estendido para todas as áreas.

Ezequias, então, determina que, no segundo mês, eles fossem a Jerusalém para celebrar a Páscoa, para voltar a oferecer ofertas e estabelecer este tempo de reconciliação com o Senhor e, consequentemente, com os Seus planos.

Hoje é dia de reconciliação na presença do Senhor, nosso Deus, exatamente como aconteceu há dois mil anos. E essa reconciliação nos levará para um novo tempo!

Hoje, eu gostaria de destacar três pontos importantes:

1º Precisamos nos reconciliar com quem somos espiritualmente

Não importam as lutas, você é filho de Deus, e Ele te ama!

Apocalipse 2.5: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.”

O povo havia perdido a perspectiva de quem era. Eles haviam perdido sua identidade espiritual. Em vez de serem o povo de Deus, eles se contentaram em viver de maneira deplorável.

2- Precisamos nos reconciliar com a vontade de Deus

Romanos 12.2: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

Para vivermos a vontade de Deus, muitas vezes, precisamos abrir mão da nossa! Mas a boa notícia é que os caminhos d’Ele são mais altos. Ele tem uma obra restauradora e transformadora pra realizar na sua vida!

Estar reconciliado com a vontade de Deus é receber a paz que excede todo o entendimento!

Para o mundo, pode ser uma loucura, mas a vontade d’Ele é boa, perfeita e agradável. O plano que Deus tinha para Jesus não era uma morte na cruz, mas a ressurreição e a nossa salvação.

3- Receber o ministério da reconciliação

2 Coríntios 5.17 e 18: “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação.”


Só existe reconciliação quando há uma iniciativa. Precisamos nos achegar a Deus, assim Ele se achegará a nós! O pecado nos separou, mas o sangue de Jesus nos uniu. É tempo de reconciliação!

quarta-feira, 9 de setembro de 2020

Três ensinamentos do Salmo 140


Salmo 140: Livra-me, SENHOR, do homem perverso, guarda-me do homem violento, cujo coração maquina iniquidades e vive forjando contendas. 

Aguçam a língua como a serpente; sob os lábios têm veneno de áspide. Guarda-me, SENHOR, da mão dos ímpios, preserva-me do homem violento, os quais se empenham por me desviar os passos.

Os soberbos ocultaram armadilhas e cordas contra mim, estenderam-me uma rede à beira do caminho, armaram ciladas contra mim. Digo ao SENHOR: tu és o meu Deus; acode, SENHOR, à voz das minhas súplicas. 

Ó SENHOR, força da minha salvação, tu me protegeste a cabeça no dia da batalha. Não concedas, SENHOR, ao ímpio os seus desejos; não permitas que vingue o seu mau propósito.

Se exaltam a cabeça os que me cercam, cubra-os a maldade dos seus lábios. Caiam sobre eles brasas vivas, sejam atirados ao fogo, lançados em abismos para que não mais se levantem. O caluniador não se estabelecerá na terra; ao homem violento, o mal o perseguirá com golpe sobre golpe. 

Sei que o SENHOR manterá a causa do oprimido e o direito do necessitado. Assim, os justos renderão graças ao teu nome; os retos habitarão na tua presença.”

Além de ser uma linda oração, este Salmo traz três grandes ensinamentos: 

1- Cuidado para não ser enredado pelas armadilhas do inimigo

A maldade não faz parte da natureza humana. Deus não criou o homem para ser um instrumento de destruição... Deus não criou o homem para cometer atrocidades... Deus nos criou para sermos um canal de bênçãos, para manifestarmos a glória d'Ele aqui na terra!

Existem pessoas que, infelizmente, permitem que o mal habite em seu coração. Elas permitem que estes sentimentos se transformem em atitudes destrutivas. Esta é a natureza terrena, porque o mundo jaz no maligno. Mas a natureza divina só produz o bem!

Para não sermos envolvidos por armadilhas de pessoas mal intencionadas, precisamos vigiar e orar! 

Viva sempre debaixo da orientação do Senhor. Espere n’Ele! Vença o mal com o bem!

2- Mantenha-se fiel, porque os caluniadores não prevalecerão

3- Confie nos livramentos e nos propósitos do Senhor

Não seja conduzido pelos seus impulsos, mas seja guiado pelo Espírito Santo. Não tenha medo, tenha fé, porque os planos do Senhor são superiores. Os intentos do inimigo não vão prevalecer!


Lembre-se de que, no Senhor, não existem situações irreversíveis!