domingo, 26 de junho de 2022

Não é o fim...


Filipenses 1: 12 a 26: Quero ainda, irmãos, cientificar-vos de que as coisas que me acontecem têm, antes, contribuído para o progresso do evangelho; de maneira que as minhas cadeias, em Cristo, se tornaram conhecidas de toda a guarda pretoriana e de todos os demais; e a maioria dos irmãos, estimulados no Senhor por minhas algemas, ousam falar com mais desassombro a Palavra de Deus.

Alguns, efetivamente, proclamam a Cristo por inveja e porfia; outros, porém, o fazem de boa vontade; estes, por amor, sabendo que estou incumbido da defesa do evangelho; aqueles, contudo, pregam a Cristo, por discórdia, insinceramente, julgando suscitar tribulações às minhas cadeias.

Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, que por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei. Por que estou certo de que isto mesmo, pela vossa súplica e pala provisão do Espírito de Jesus Cristo, me redundará em libertação, segundo a minha ardente expectativa e esperança de que em nada serei envergonhado; antes, com toda a ousadia, como sempre, também agora, será Cristo engrandecido no meu corpo, quer pela vida, quer pela morte.

Porquanto, para mim, o viver é Cristo, e morrer é lucro. Entretanto, se o viver na carne traz fruto para o meu trabalho, já não sei o que hei de escolher. Ora, de um e outro lado, estou constrangido, tendo o desejo de partir e estar, com Cristo, o que é incomparavelmente melhor. Mas, por vossa causa, é mais necessário permanecer na carne. E, convencido disto, estou certo de que ficarei e permanecerei com todos vós, para o vosso progresso e gozo na fé, a fim de que aumente, quanto a mim, o motivo de vos gloriardes em Cristo Jesus, pela minha presença, de novo, convosco."

Paulo estava preso em Roma. Esta prisão trouxe uma grande comoção entre a sociedade que, na época, era composta também por cristãos. Muitas pessoas acusaram Paulo injustamente. Outras, simplesmente, ficaram paralisadas. Algumas, por outro lado, tiveram a fé abalada.

Mas Paulo, em meio a essa loucura, levantou questões maravilhosas. Vamos enumerá-las:

Em primeiro lugar: A situação pela qual estou passando é para o progresso e crescimento da vossa fé!

Muitas vezes, é difícil entender que as situações de abandono, de humilhação, de solidão, de perdas familiares e de enfermidades podem trazer aspectos positivos à nossa vida.

Mas, na verdade, por piores que sejam as lutas que você está vivendo, elas terão um fim proveitoso! Esta situação vai trazer progresso, não somente para você, mas para as pessoas que te cercam.

Nos momentos mais difíceis, nosso testemunho precisa falar mais alto que tudo. Na adversidade, nós mostramos se realmente dependemos de Deus e se sabemos caminhar pelo espírito.

Se você passar pelas adversidades com autoridade, com consolo, com forças e não desfalecer, a sua tribulação será leve, momentânea e trará peso de glória.

Satanás não vai se aproveitar do seu momento de dor. Você não vai entregar os pontos. Você não vai ficar prostrado e, muito menos, preso à depressão!

Em segundo lugar: Importa que, através do que está acontecendo comigo, o evangelho seja pregado. Tenha convicção de que a voz da suplica trará libertação!

Nós, quando passamos pela adversidade, temos algumas tendências: nos trancamos, não queremos dividir nossas dificuldades com ninguém, queremos ficar sozinhos, porque tudo nos irrita, tudo nos perturba, e não temos paz!

Nas situações que nos fazem perder a razão, a oração, o clamor e a súplica nos fazem encontrar uma saída.

Se você não consegue orar sozinho, há uma igreja que ora por você! Peça oração para seu irmão em Cristo ou para o seu pastor! A aliança nos fortalece!

Tiago 5.16: “Confessai, pois, os vossos pecados e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo.”

Paulo disse: Eu sei que a oração e a suplica de vocês me devolverão a liberdade!

Em terceiro lugar: O meu sofrimento não trará vergonha e não acabará com a minha vida!

Paulo tinha convicção de que aquela situação não era o fim da linha! Ele sabia que o propósito de Deus era, infinitamente, maior.


Se hoje  existem pessoas que torcem pelo seu fracasso, não se abale! No lugar da sua vergonha, você terá dupla honra!

quinta-feira, 23 de junho de 2022

Ser livre é uma questão de escolha!


Marcos 10.17 a 27: “E, pondo-se Jesus a caminho, correu um homem ao seu encontro e, ajoelhando-se, perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não defraudarás ninguém, honra a teu pai e tua mãe.

Então, ele respondeu: Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude. E Jesus, fitando-o, o amou e disse: Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me. Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades. Então, Jesus, olhando ao redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!

Os discípulos estranharam estas palavras; mas Jesus insistiu em dizer-lhes: Filhos, quão difícil é [para os que confiam nas riquezas] entrar no reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus. Eles ficaram sobremodo maravilhados, dizendo entre si: Então, quem pode ser salvo? Jesus, porém, fitando neles o olhar, disse: Para os homens é impossível; contudo, não para Deus, porque para Deus tudo é possível.”

Queridos, eu estava meditando nesta Palavra, e gostaria de repartir rapidamente alguns princípios com vocês.

As atitudes daquele moço eram mentirosas, eram hipócritas, porque ele era um religioso. Suas práticas eram contraditórias aos seus discursos. Ele observava todos os mandamentos, mas não amava o próximo.

Ao se aproximar de Jesus, ele estava esperando ser prestigiado. Para aquele jovem rico, andar com Jesus, ser íntimo de Jesus, era mais uma questão de status, do que ter experiências fortes com Deus. Então, ele vem com aquele discurso: “Jesus, o que eu preciso fazer para Te seguir? Eu quero Te seguir!”.

Na verdade, aquele jovem não estava preparado para andar com Jesus. Para seguir a Cristo era necessário:

Em primeiro lugar: pagar um preço.

Ele precisava “nascer de novo”. Nascimento gera dores. Jesus tinha uma nova jornada para aquele jovem. Mas ele já estava satisfeito com sua vida.

João 3: 6 “O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.”

Tome cuidado! Porque, muitas vezes, você tem um discurso, mas, no fundo, você está conformado em viver cheio de deformações. Da sua boca, sai: “Eu quero ser transformado!”, mas, do seu coração, sai: “Eu não preciso ser transformado. Deixe tudo como está!”. Isso se chama arrogância.

Aquele moço era prepotente: “Eu sou rico, milionário! Por que eu vou abrir mão de tudo o que eu tenho para encarar essa jornada?”.

O coração dele não estava em Jesus, mas nas riquezas. Ele não percebeu que Jesus foi assertivo e queria libertá-lo daquilo que o prendia.

Há determinadas áreas de sua vida, que você precisa pagar um preço pela libertação.

A amarração daquele jovem eram os seus bens. Qual é a sua amarração? O que tem te impedido de ter uma vida plena com Cristo? Deixe essas amarrações para trás! Siga aquele que pode te libertar!

Em segundo lugar: tomar uma decisão

Aquele jovem tomou a pior decisão de sua vida. É uma decisão que, infelizmente, muita gente toma!

Ele se sentiu contrariado: “Como assim? Eu vou dar tudo o que tenho aos pobres? De jeito nenhum!”.

A contrariedade dele foi a demonstração de sua dependência. Ele não dependia de Deus, mas de suas riquezas.

Jesus estava provando o coração daquele jovem. É claro que Jesus não queria o dinheiro dele, muito menos os bens. Jesus queria que ele fosse liberto!

É exatamente isso que eu quero te ministrar! Existem áreas que você precisa de libertação. Você precisa tomar uma decisão: abrir mão de determinadas situações para ser livre, ou viver como um escravo.

Naquele momento em que Jesus contrariou aquele jovem, tudo mudou. De repente, ele não tinha mais vontade de segui-Lo.

Jesus disse que é difícil um rico entrar no Reino dos Céus, mas Ele não estava se referindo só às riquezas materiais, mas àquilo que a gente prioriza. Afinal, onde está o nosso tesouro também estará o nosso coração. 

Você dá importância às baladas, à prostituição, à loucura, às drogas, à sujeira... É nisso que está o seu coração?

Hoje, o Espírito Santo está te dizendo: “Tome a decisão certa!”. Qual é a decisão certa? Faça o que Jesus determinou! Abandone todas as suas riquezas, abandone os valores que estão te escravizando, abandone as drogas, abandone o vício, abandone os relacionamentos errados, abandone a promiscuidade, abandone a traição... Depois de abandonar tudo o que te deformava, siga Jesus Cristo.

Imagine como teria sido a realidade daquele jovem se ele tivesse tomado a decisão correta! Ele teria uma vida abundante e receberia o privilégio de ser um discípulo de Jesus, uma posição que dinheiro nenhum compra!

Eu quero terminar a Palavra do Dia falando com você que tem tomado decisões erradas! Se você abandonou os caminhos do Senhor e embarcou em uma vida sem propósitos, volte! Jesus te chama para a liberdade! Ele tem pra você a salvação eterna!

quarta-feira, 22 de junho de 2022

Novo nascimento, novas atitudes!


Colossenses 3.1 a 11: “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.

Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas.

Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar. Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos.”

Que Palavra tremenda! Aqui, está a chave do novo sentimento que deve nascer em nós e de uma vida de santidade.

Paulo nos deixa três conselhos, que eu gostaria de compartilhar com vocês:

1º Faça morrer sua natureza terrena

Fazer morrer a nossa natureza terrena significa aniquilar nossos desejos carnais, por meio de nossas convicções. É não aceitar viver mais da mesma maneira, é reconhecer a verdade que liberta!

João 8.32: “...e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

O importante é você aprender a se desligar do mal. O problema é que muitas pessoas falam: “Eu quero ser liberto!”. Mas continuam tendo prazer no pecado. Isso significa que elas não nasceram de novo. Nascer de novo é ter o sentimento transformado. Ao pecar, ela sentem remorso, não arrependimento.

Como fazer morrer a natureza terrena? Paulo explica que é se enchendo do poder e autoridade do novo homem.

João 3.3: “A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.”

Como buscar este novo nascimento? Mergulhando nas águas da verdade e buscando romper com os laços do pecado.

2º Revista-se do novo homem

O novo homem se refaz, volta à essência, não segundo a imagem do pecado, mas à imagem do Deus Criador.

Mude os teus hábitos e comportamentos. Não abra mais concessões!

3º Estabeleça, no mundo espiritual, o dia e a hora da tua transformação

Quando nos determinamos, Satanás perde o domínio. Você tira o domínio destas áreas das mãos do inimigo e as coloca nas mãos de Deus.

O nosso coração, que é o centro das nossas emoções, precisa estar nas mãos de Deus. Mas, para que isso acontece, temos que tomar uma decisão. A escolha da nossa liberdade depende de nós.

Tiago 4.4: “Chegai-vos a Deus, e Ele se chegará a vós.”

Em um de nossos cultos, eu ministrei sobre Jacó. Ele morou em Betel, que quer dizer “Casa de Deus”. Qual lugar escolheu para habitar?

Saia deste vale de morte e vá para a terra de Deus. Lá, você terá experiências profundas, terá seu nome mudado e será conhecido como uma grande nação!

Escolha ser verdadeiramente livre!

terça-feira, 21 de junho de 2022

Sem Ele, nada podemos fazer


João 15. 1 a 5, 15 e 16: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda. Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim.

Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer.

Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.”

A maioria dos cristãos conhece essa passagem bíblica, mas eu queria, hoje, destacar alguns pontos importantes.

Jesus fala que Ele é a videira verdadeira, e que o Pai é o agricultor.

O livro de Êxodo 15 mostra o momento em que os hebreus saíram do Egito rumo à Terra Prometida. No início daquela jornada, eles enfrentaram um grande desafio. Para superá-lo, eles dependiam de um milagre para que as águas amargas fossem transformadas em águas doces. Eles estavam em uma região desértica.

Atualmente, nós sabemos que Israel possui máquinas capazes de transformar a água do mar em água potável. Mas, naquela época, eles não dispunham dessa tecnologia.

O local se chamava Mara, porque suas águas eram amargas. A questão era: O que fazer? Lançar a árvore que o Senhor havia mostrado sobre aquelas águas.

Êxodo 15.25: “E ele clamou ao Senhor, e o Senhor mostrou-lhe uma árvore, que lançou nas águas, e as águas se tornaram doces. Ali lhes deu estatutos e uma ordenança, e ali os provou.”

Quando eu coloco a videira verdadeira, as águas amargas são transformadas em águas doces, ou seja, elas passam a ter vida.

Jesus Cristo é a videira verdadeira. Quem estiver n´Ele dará muitos frutos. Por isso que nós questionamos o posicionamento dos religiosos. Porque quando, verdadeiramente, eu estou em Cristo, eu dou muitos frutos. Sem Jesus Cristo, não temos raízes, ou seja, nos tornamos estéreis.

Faça uma autoanálise! Você acha mesmo que o Senhor te criou para apenas existir? Para ser uma pessoa sem objetivos? Para ser alguém improdutivo? Claro que não! Ele te criou para dar frutos, e frutos permanentes.

O estéril faz do deserto o seu lar, mas o fértil habita junto às águas que saem do trono de Deus. Ele está plantado junto ao ribeiro de águas, dá frutos na estação própria e prospera em todos os seus caminhos.

Que, a partir de hoje, você assuma novos comportamentos. Em vez de reclamar, clame ao Senhor! Em vez de se acomodar, lute! Em vez de se sentir o mais injustiçado do mundo, ande de cabeça erguida! A sua força está no Senhor, não está nas pessoas, não está em uma posição social, não está em uma conta bancária.

Coloque todo o seu potencial à disposição do Senhor. Ele te escolheu, te nomeou e te enviou para que você possa fazer a diferença.   

Filipenses 4.13: “Tudo posso naquele que me fortalece!”

Romanos 8.37: “Contudo, em todas as coisas somos mais que vencedoras por meio daquele que nos amou.”

segunda-feira, 20 de junho de 2022

O amor cura, liberta e transforma!


1 João 4: 13 a 21 “Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito. E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque Ele nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão.”

O mundo está em crise. Hoje, nós observamos atos cruéis de ódio contra a vida humana. Isso só demonstra que o mundo está dominado pelo ódio. Este é o maior objetivo de Satanás: roubar, matar e destruir.

Este ambiente de violência e este clima de destruição geram insegurança. A insegurança gera medo; e o medo aprisiona.

Por que isso ocorre? Porque falta amor, o amor que Paulo fala em Colossenses 14 e em 1 Coríntios 13.

A ausência de amor é ocupada pelo sentimento de ódio. Por isso, nós precisamos plantar, regar e exercitar o amor. De todos os dons, ele é o maior, é o principal!

Muitos, infelizmente, desprezam este sentimento. Isso é nítido nos relacionamentos familiares e espirituais.

A política de Caim, infelizmente, é a política exercida pela religiosidade. Vemos irmão matando irmãos. Vemos irmãos desejando a divisão, a exemplo do que aconteceu com José – Rubem, felizmente, foi usado por Deus para impedir uma desgraça maior.

Mas, pelo ódio, os irmãos de José, cruelmente, o jogaram em um poço e o venderam como escravo. O ódio faz com que as pessoas cometam loucuras! É um sentimento demoníaco.

Então, não deixe que o ódio entre na sua casa. Não deixe que ele encontre espaço no seu coração. Não seja nutrido por sentimentos de vingança, inveja, raiva e destruição. Ao contrário, como um verdadeiro cristão, faça do amor o seu estilo de vida, a sua verdade. Este é o reconhecimento de que Deus habita em nós.

No texto que acabamos de ler, João nos dá uma lição de vida! É uma lição que temos que praticar. Se não tivermos amor, vamos nos destruir.

Eu não posso falar que eu amo a Deus, a quem não vejo, se eu não amo meu irmão, a quem eu vejo.

Limpe seu coração! Não deseje, não pratique e não estimule o mal. Que o amor possa imperar dentro de você.

O amor lança fora todo o medo!

Nesta passagem, João também fala sobre o medo. A origem do medo é a falta de amor. A origem do medo é a falta de proteção, porque, quando nos sentimos amados, nos sentimos protegidos e sustentados. Quando nos sentimos amados, temos a certeza de que não seremos descartados ou prejudicados.

Precisamos entender, acima de tudo, que Deus não é um déspota, não é um tirano. Deus é pai! Pai de amor e Pai das luzes!

Quando eu amo Deus acima de todas as coisas, eu percebo que o amor d’Ele por mim também é recíproco; e o medo desaparece!

Eu não tenho medo de ir para o inferno. Eu não tenho medo do Senhor me abandonar. Eu não tenho medo de ser destruído, porque eu sei que Ele está comigo todos os dias!

O amor me dá a certeza de que Deus está comigo no dia dos meus acertos e nos dias dos meus erros. Quando eu erro, eu sei que encontrarei, em Cristo, uma fonte de perdão!

Querido, o amor nos protege, nos fortalece e lança fora todo o medo! Creia nesta verdade!

Se você está possuído por um medo, se você está tomado pela síndrome do pânico, se você está dominado pelo desespero, clame ao Senhor. Declare que você é amado! Não deixe mais esta opressão determinar como serão os seus dias.

Receba o poder de cura e de libertação que há no amor de Deus! Receba esta arma que o inferno não conhece!

Eu quero terminar a Palavra do Dia de hoje, dizendo que, quando há amor, há perspectivas de futuro. Quando há amor, há segurança para seguir em frente! Quando há amor, há sempre um caminho de retorno!

domingo, 19 de junho de 2022

No vale de ossos secos!


Ezequiel 37.1 a 10: “Veio sobre mim a mão do SENHOR; ele me levou pelo Espírito do SENHOR e me deixou no meio de um vale que estava cheio de ossos, e me fez andar ao redor deles; eram mui numerosos na superfície do vale e estavam sequíssimos. Então, me perguntou: Filho do homem, acaso, poderão reviver estes ossos? Respondi: SENHOR Deus, tu o sabes. 

Disse-me ele: Profetiza a estes ossos e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do SENHOR. Assim diz o SENHOR Deus a estes ossos: Eis que farei entrar o espírito em vós, e vivereis. Porei tendões sobre vós, farei crescer carne sobre vós, sobre vós estenderei pele e porei em vós o espírito, e vivereis. E sabereis que eu sou o SENHOR. Então, profetizei segundo me fora ordenado; enquanto eu profetizava, houve um ruído, um barulho de ossos que batiam contra ossos e se ajuntavam, cada osso ao seu osso.

Olhei, e eis que havia tendões sobre eles, e cresceram as carnes, e se estendeu a pele sobre eles; mas não havia neles o espírito. Então, ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize-lhe: Assim diz o SENHOR Deus: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. Profetizei como ele me ordenara, e o espírito entrou neles, e viveram e se puseram em pé, um exército sobremodo numeroso.”

Deus deu uma tremenda visão profética a Ezequiel. A visão era o estado espiritual do povo de Israel, que estava destruído pelo pecado e pelas malignidades. Eles realmente precisavam receber uma porção espiritual para conhecer o poder da ressurreição.

Com base nesta passagem:

Em primeiro lugar, precisamos entender que é necessário renascer todos os dias.

Em Romanos 8.11, está escrito: “Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.”.

O que Paulo quis dizer? Que, todos os dias, precisamos nos encher do Espírito Santo de Deus. Precisamos nos encher deste poder. Este poder que nos levanta, que nos dá perspectivas de um futuro glorioso, que tira todas as confusões das nossas mentes e que nos impede de chegar ao estado que estava aquele vale que Ezequiel enxergou.

Aqueles ossos estavam sequíssimos e destruídos. Com certeza, virariam pó. Mas havia uma saída, uma solução: o poder da ressurreição. E ele precisa estar presente em nós!

Em segundo lugar, precisamos ter fé!

O profeta estava diante de um vale de ossos secos. Talvez, essa seja a visão que você tenha de muitas áreas da sua vida! Pode ser que, para você, não tenha mais jeito!

Mas o Senhor ouve o teu choro, o teu clamor, olha para você e pergunta: "Você crê que todos estes ossos podem renascer? Você crê na transformação deste cenário?".

Qual será a sua resposta? Pense muito bem, pois ela vai determinar o final desta história!
Eu sei que a resposta de Ezequiel foi: “Senhor, Tu sabes, Tu podes, e eu creio! Eu creio que Tu podes realizar o impossível!”.

Depois de ouvir aquela resposta carregada de fé, o Senhor diz a ele: “Já que você crê, profetize!”.

Você está chorando, mas continua crendo no poder transformador do Senhor? Então, profetize! Está difícil? Profetize! Clame ao Senhor, porque haverá uma revolução!

Depois do posicionamento de Ezequiel, os ossos começaram a se juntar, tendões se juntaram com tendões... a pele começou a se regenerar... os músculos... os corpos recuperam sua forma... A transformação foi completa!

Daquele vale de ossos secos, surgiu um grande exército, e o Senhor mostrou que a glória da segunda casa é maior do que a da primeira, porque Ele continua dizendo ao profeta: “Este é o povo de Israel, e vocês saberão que eu sou Deus, quando Eu abrir as vossas sepulturas!”.

Há uma mensagem profética grandiosa neste milagre: Deus vai colocar as coisas da sua vida em ordem, pelo poder da ressurreição.

Hoje, o Senhor está abrindo todas as sepulturas, está enxugando as lágrimas dos seus olhos e está realizando uma grande restauração!

Creia, profetize e você verá, destas áreas que estavam mortas em sua vida, surgir um grande milagre.
1 Coríntios 2.9: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.”.

quinta-feira, 16 de junho de 2022

Quando nos deparamos com situações inesperadas


Atos 28.1 a 6: “Uma vez em terra, verificamos que a ilha se chamava Malta. Os bárbaros trataram-nos com singular humanidade, porque, acendendo uma fogueira, acolheram-nos a todos por causa da chuva que caía e por causa do frio. Tendo Paulo ajuntado e atirado à fogueira um feixe de gravetos, uma víbora, fugindo do calor, prendeu-se-lhe à mão.

Quando os bárbaros viram a víbora pendente da mão dele, disseram uns aos outros: Certamente, este homem é assassino, porque, salvo do mar, a Justiça não o deixa viver. Porém ele, sacudindo o réptil no fogo, não sofreu mal nenhum; mas eles esperavam que ele viesse a inchar ou a cair morto de repente. Mas, depois de muito esperar, vendo que nenhum mal lhe sucedia, mudando de parecer, diziam ser ele um deus.”

Paulo conquistou, perante o rei Agripa, o direito de ir para Roma. Para chegar ao local, ele teve que passar pelo mar Adriático.

Durante a viagem, ele se deparou com um Euro-Aquilão, um vento muito forte, mas, ele permaneceu inabalável. O motivo? Ele sabia que Deus estava no controle.

Com base nesta experiência de Paulo, eu gostaria de destacar alguns pontos importantes:

Em primeiro lugar, Paulo não desfaleceu, porque sabia que tinha um destino!

Deus deixou uma palavra: “Ninguém vai se perder!”.

Muitas vezes, na nossa caminhada, nos deparamos com tufões e muitas adversidades. Não tenha medo, porque Deus vai te fazer chegar ao destino que Ele determinou.

Em segundo lugar, eles chegaram a Malta. Ali, habitavam os Bárbaros, um povo sem civilização.

De repente, Paulo teve um baque: uma serpente deu uma mordida em sua mão. As pessoas acharam que ele não aguentaria.

Em terceiro lugar, todo mundo estava esperando o pior, mas Paulo, mais uma vez, demonstrou serenidade

Os caminhos de Deus são maiores que o nosso! O Senhor já havia determinado um livramento.

Pegue os julgamentos e aquilo que te picou: sacuda a mão e larga isso!

Paulo foi curado e deixou todos impressionados. As pessoas achavam que ele era um deus. Ele, inclusive, foi chamado para tratar da enfermidade do dono daquela ilha.

Aquilo significa honra de Deus!

Querido, se você está passando pelo dia da crise, da perda, do abandono, da traição... saiba que o Senhor não permitirá que você seja destruído!  Ele tem um grande livramento!

Ele vai te livrar do veneno da serpente!
Ele vai te livrar das aflições!
Ele vai te levar para o destino determinado!