terça-feira, 25 de julho de 2017

Como ter soberania em tempos de crise?


Romanos 12.1 e 2: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

Nestas passagens bíblicas, o apóstolo Paulo nos deixa uma receita infalível do exercício de soberania. 

Muitas pessoas sucumbem em tempos de adversidade, porque se sujeitam às crises, aos diagnósticos e às previsões humanas.

Precisamos ter consciência de que a nossa guerra é espiritual, e que a nossa vitória está condicionada ao exercício da autoridade que Jesus Cristo conquistou para nós..

Efésios 1.17 a 23: “Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele, iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais, acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro.  E pôs todas as coisas debaixo dos pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja, a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas.”

Vencemos a crise, com soberania:

1- Realizando em vez de dar desculpas!

Mateus 25.24 a 30: “Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste, receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.

Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros o que é meu. Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem dez.

Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância; mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro e ranger de dentes."

2- Sendo cabeças, não por aquilo que temos, mas pelo o que somos em Deus!

2 Samuel 7.8: “Agora, pois, assim dirás ao meu servo Davi: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Tomei-te da malhada, de detrás das ovelhas, para que fosses príncipe sobre o meu povo, sobre Israel.”

3- Invertendo as posições e vencendo o espírito de inferioridade

Juízes 6.14: “Então, se virou o SENHOR para ele e disse: Vai nessa tua força e livra Israel da mão dos midianitas; porventura, não te enviei eu?”

Para finaliza esta mensagem, eu vou deixar cinco conselhos para você ser soberano em todas as áreas:

1- Declare sempre mentalmente que você é o melhor;

2- Não se abata quando estiver em processo de conquista;

3- Nunca subestime a concorrência;

4- Fale sempre olhando nos olhos, não abaixe a cabeça e nem perca a autoridade quando confrontado;

5- Nunca se abale por não saber realizar determinada tarefa. Foque sempre na solução!  

domingo, 23 de julho de 2017

O manto apostólico


A unção de Deus transbordou no Renascer Arena nesta noite de sábado (22/07), no encerramento da Conferência Apostólica. O apóstolo Estevam Hernandes ministrou sobre 2º Reis 2.13-14, com o tema “o que existe debaixo da capa”. Ele falou sobre Eliseu e de como ele começou uma caminhada baseado em seu pai espiritual que era Elias.

“Quando Eliseu pediu a Elias sua capa, ele estava sendo levado pelo Espírito Santo para ter uma atitude profética que significava uma liberação para a Igreja Apostólica. Por isso pediu uma porção dobrada do seu Espírito”, afirmou o apóstolo. 

Elias sabia que Eliseu estava pedindo algo difícil, que era um grande desafio, afirmou. “Ser profeta em Israel era algo que muitas pessoas não desejariam. Elias sabia que Eliseu ia pagar um preço por aquilo. Eliseu significa a Igreja Apostólica, ele era por excelência um homem apostólico (2ª Reis 2.9-10). Elias era um profeta, mas Eliseu representava a unção apostólica.”


Veja a seguir os principais pontos da ministração: 

Eliseu era um homem simples, não tinha uma origem que poderia levá-lo a ser profeta, mas ele tinha sobre si o chamado pleno como Samuel. Eliseu queria mais e foi buscar unção dobrada. E como acontece a transmissão da unção? Elias joga a capa e diz: você sabe o que aconteceu com você. Por isso, ofereça tudo ao Senhor, porque, como Eliseu, você que aceitou seu chamado não tem mais volta (Salmos 127.4).

A capa significa a cobertura espiritual sobre as vidas, um verdadeiro manto que nos livra das chuvas de desgraça do mundo que está nas mãos do diabo (1º João 5.19).

Vemos que Deus falou sobre isso ao apóstolo Pedro, isso se manifestou na visão que ele teve do lençol com 4 pontas (Atos 10.9-16). Há uma grande carga de revelação neste texto. O único que sacia a fome espiritual é Jesus Cristo. Pedro precisava receber um manto de cobertura apostólica, para parar de julgar. O amor é a capa que agasalha todos aqueles que são chamados. Essa é a capa apostólica!

Aquele manto tinha 4 pontas (Ezequiel 37). Quatro pontos cardeais, que vêm dos quatro cantos da terra. Quatro pontos, três vezes (ressurreição), igual a sete Espíritos de Deus!

A unção apostólica é a unção dobrada!

Mas o que tinha embaixo do manto de Elias?


1º) O sofrimento e a perseguição da Igreja demonstrada contra Elias na luta contra Jezabel e os profetas de Baal. Elias sofreu como Cristo sofreu no seu ministério terreno (João 16.33). Debaixo do manto tem sofrimento, mas também tem vitória! Eliseu, no entanto, não sofreu a perseguição da mesma forma que Elias. Jezabel já estava morta. Você vai ser participante do sofrimento, mas você não vai passar, porque ele já foi vencido.

2º) O poder de governo apostólico por intermédio da unção (2ª Reis 9.1-3). O governo espiritual deixando a terra sujeita (Josué 18.1). A terra estava sujeita, ela está sujeita à autoridade de Cristo em nossas vidas. Eliseu ungiu também a Hazael Rei da Síria. Temos a autoridade sobre o governo de Satanás (2º Reis 8.11-13). O que Elias não fez, Eliseu fez. O mundo jaz no maligno, mas Satanás não está livre, ele é limitado ao poder da autoridade da Igreja de Jesus Cristo!

3º) Prosperidade abundante que chama a chuva no tempo de seca e multiplicação que livra da miséria (1º Reis 17.13-16). O povo apostólico está debaixo de um manto de prosperidade. 

4º) O avivamento dos últimos dias está no manto (Joel 2.28 e 2ª Coríntios 12.12). Havia debaixo do manto um poder extraordinário que a primeira coisa que ele fez foi abrir o rio Jordão e a unção dobrada de Elias estava presente na vida de Eliseu. Hoje este avivamento está disponível para a Igreja! Eliseu desejou ardentemente pegar o manto de Elias e não o deixou.

O que está debaixo deste manto?

Curas, libertações, ressurreição e poder extraordinário! Isso está debaixo desse manto poderoso!



Cláudia Pires, redação igospel

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Não será por força, será pela fé!


Atos 5.12 a 16: “Muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E costumavam todos reunir-se, de comum acordo, no Pórtico de Salomão. Mas, dos restantes, ninguém ousava ajuntar-se a eles; porém o povo lhes tributava grande admiração.

E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor, a ponto de levarem os enfermos até pelas ruas e os colocarem sobre leitos e macas, para que, ao passar Pedro, ao menos a sua sombra se projetasse nalguns deles.

Afluía também muita gente das cidades vizinhas a Jerusalém, levando doentes e atormentados de espíritos imundos, e todos eram curados.”
  
Podemos desejar muitas coisas, como um carro maravilhoso, uma casa boa para morar, mas o nos sustenta de verdade é a fé! Ela nos fortalece a abre as portas dos impossíveis.

2 Pedro 1.3: “Visto como, pelo seu divino poder, nos tem sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para sua própria glória e virtude.”

Nós temos a natureza divina de Cristo! Eu queria, dentro desta Palavra, deixar três conselhos para vocês:

1º Se tu creres, tu verás a Glória de Deus

A fé protege, cura e nos restaura! A fé é um firme fundamento das coisas que não se veem, é a convicção daquilo que se espera.

Não deixe o inimigo te tornar uma pessoa incrédula. Não deixe as circunstâncias humanas te endurecerem, mas creia, porque, ainda que pareça que a promessa esteja demorando para se manifestar, o Senhor virá e realizará na sua vida o impossível.

Os apóstolos estavam cheios do Espirito Santo, e pessoas cheias de fé começaram a surgir de todas as partes. A fé trazia cura, trazia à existência as coisas que não existiam e se manifestava poderosamente.

2º Caminhe na direção da tua necessidade

Hebreus 12.2: “Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.”

Caminhe na direção da solução que você precisa. Nós, muitas vezes, ficamos caminhando em círculos. Essa limitação acontece, porque os mesmos erros são cometidos. Essa inconstância te faz sofrer, te torna uma pessoa pesada e amargurada, porque você fica sempre remoendo os momentos difíceis que você passou.

Aconteceu? Foi difícil? Mas, a partir de hoje, você vai levantar a cabeça e vai caminhar em direção às coisas novas que o Senhor tem para você. Quem disse que é o fim da linha?

Ainda que as circunstâncias não sejam ideais, não importa! O Senhor Jesus venceu o preconceito, a perseguição, a incompreensão, a intolerância, a incredulidade e até a rejeição familiar, porque Ele sabia que o propósito de Deus era maior do que qualquer sofrimento!

Então, liberte-se! Faça como aquelas pessoas. Elas corriam em direção ao mover apostólico e tinham o desejo de serem cheias do Espírito Santo. Elas fizeram parte daquela manifestação do poder de Deus, porque pararam de andar em círculos e correram em direção ao milagre!

3º Busque ser cheio do Espírito Santo

Efésios 5.18: “E não vos embriagueis com o vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito.”

Gálatas 5.19: “Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissenções, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes as estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam.”

Como você pode ver, as obras da carne envolvem tudo o que destrói o ser humano! Não se esqueça de que o principal objetivo do nosso adversário é roubar, matar e destruir.  Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas marcas, não há lei

O fruto do espírito faz com que você tenha uma qualidade de vida superior, e ele te conecta a Deus!

Como fazemos para ter este fruto? Enchendo-nos do Espírito Santo, conversando com Ele, entregando nossas vidas e sendo como Pedro, abertos e cheios de fé.

Pedro estava tão cheio da presença de Deus, que a sombra dele curava! Sabe o que era isso? A manifestação da unção, da fé e da autoridade!


Esvazie-se das palavras duras que você ouviu, desta tristeza e desta frustração, encha-se do Espírito Santo, para você ser livre de verdade! Um tempo de milagres está esperando por você! Aproxime-se de Deus e faça d’Ele a sua morada de paz!

terça-feira, 18 de julho de 2017

Transformando impedimentos profissionais em oportunidades


Neemias 13.4 a 9: “Ora, antes disto, Eliasibe, sacerdote, encarregado da câmara da casa do nosso Deus, se tinha aparentado com Tobias; e fizera para este uma câmara grande, onde dantes se depositavam as ofertas de manjares, o incenso, os utensílios e os dízimos dos cereais, do vinho e do azeite, que se ordenaram para os levitas, cantores e porteiros, como também contribuições para os sacerdotes.

Mas, quando isso aconteceu, não estive em Jerusalém, porque no trigésimo segundo ano de Artaxerxes, rei da Babilônia, eu fora ter com ele; mas ao cabo de certo tempo pedi licença ao rei e voltei para Jerusalém. Então, soube do mal que Eliasibe fizera para beneficiar a Tobias, fazendo-lhe uma câmara nos pátios da Casa de Deus. Isso muito me indignou a tal ponto, que atirei todos os móveis da casa de Tobias fora da câmara. Então, ordenei que se purificassem as câmaras e tornei a trazer para ali os utensílios da Casa de Deus, com as ofertas de manjares e o incenso.

Neemias precisou fazer uma grande limpeza, porque a situação estava crítica. Ele tirou todas as tranqueiras que foram colocadas por Sambalate – um dos seus maiores opositores – no armazém.

Durante anos, os sacerdotes foram coniventes aquela situação, mesmo sabendo que ela contribuía para que a miséria do povo continuasse, pois impedia o envio e recebimento de suprimentos.  

A interferência de Neemias foi essencial, pois inaugurou um tempo de liberações.

Deus vai te levantar para você interferir, definir situações e para você transformar lutas em grandes oportunidades, mas, para isso, e necessário:
                                                                                                                      
1- Mudar de hábitos!

Levíticos 26.10: “Comereis o velho da colheita anterior e, para dar lugar ao novo, tirareis fora o velho.”

Precisamos ter consciência de que nossos comportamentos, muitas vezes, estão sabotando nossa carreira.

Muitas vezes, sem perceber, somos influenciados pelo sentimento coletivo. Deixamos de ser disciplinados, dedicados, criativos e proativos.

Êxodo 23.32: “Não farás aliança nenhuma com eles, nem com os seus deuses.”

2- Adotar um ritmo diferente no desenvolvimento de tarefas

Neemias 4.16 a 18: “Daquele dia em diante, metade dos meus moços trabalhava na obra, e a outra metade empunhava lanças, escudos, arcos e couraças; e os chefes estavam por detrás de toda a casa de Judá; os carregadores, que por si mesmos tomavam as cargas, cada um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a arma. Os edificadores, cada um trazia a sua espada à cinta, e assim edificavam; o que tocava a trombeta estava junto de mim.”

Precisamos ter iniciativas que impeçam os planos dos nossos adversários.

Não podemos também ser acomodados e pessimistas! A inércia e as expectativas negativas nos impedem de ousar e superar limites.

3- Decretar uma jornada de vitórias

Êxodo 33.13 a 17: “Agora, pois, se achei graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber neste momento o teu caminho, para que eu te conheça e ache graça aos teus olhos; e considera que esta nação é teu povo. Respondeu-lhe: A minha presença irá contigo, e eu te darei descanso.

Então, lhe disse Moisés: Se a tua presença não vai comigo, não nos faças subir deste lugar. Pois como se há de saber que achamos graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Não é, porventura, em andares conosco, de maneira que somos separados, eu e o teu povo, de todos os povos da terra? Disse o SENHOR a Moisés: Farei também isto que disseste; porque achaste graça aos meus olhos, e eu te conheço pelo teu nome.”

O Senhor, hoje, inaugura um novo tempo! No lugar dos muros e dos impedimentos, Ele abrirá uma grande porta! A fé em ação abre caminhos e nos leva ao impossível!

Apocalipse 3.8: “Conheço as tuas obras–eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém pode fechar–que tens pouca força, entretanto, guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome.”

quarta-feira, 5 de julho de 2017

É tempo de crescer e frutificar!


João 15.1 a 7: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda.

Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; permanecei em mim, e eu permanecerei em vós. Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim.

Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não permanecer em mim, será lançado fora, à semelhança do ramo, e secará; e o apanham, lançam no fogo e o queimam. Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.”

Nesta passagem, Jesus Cristo estava falando sobre esterilidade e fertilidade, mas no contexto espiritual.

Qual é o objetivo de satanás? Tornar os servos de Deus estéreis. Ele quer te prender em uma cama de depressão. Quer te paralisar... A resultante disso é a frustração.

Os dias estão passando e, sem perceber, você está consumindo um estoque de vida que você não vai conseguir mais repor.

O Senhor, hoje, quer te limpar das dores, dos traumas, da tristeza, ou seja, de tudo o que tem te sufocado e te impedido de florescer e frutificar. Você, então, dará frutos, em Jesus Cristo:

1- Pelo poder da Palavra;

João 15.15: “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho dado a conhecer.”

A palavra já foi liberada para trazer à existência o que não existe.

2- Pela cobertura espiritual;

Ninguém cresce e ninguém floresce fora do corpo de Cristo! Nele, há todos os nutrientes necessários para que você se desenvolva de maneira saudável.

3- Pelo seu esforço.

Renove suas forças. Em você, habita a semente divina! Levante-se para um novo tempo!

terça-feira, 4 de julho de 2017

O que tem dividido sua família?


“Então, ele foi para casa. Não obstante, a multidão afluiu de novo, de tal modo que nem podiam comer. E, quando os parentes de Jesus ouviram isto, saíram para o prender; porque diziam: Está fora de si. Os escribas, que haviam descido de Jerusalém, diziam: Ele está possesso de Belzebu.

E: É pelo maioral dos demônios que expele os demônios. Então, convocando-os Jesus, lhes disse, por meio de parábolas: Como pode Satanás expelir a Satanás? Se um reino estiver dividido contra si mesmo, tal reino não pode subsistir; se uma casa estiver dividida contra si mesma, tal casa não poderá subsistir. Se, pois, Satanás se levantou contra si mesmo e está dividido, não pode subsistir, mas perece. Ninguém pode entrar na casa do valente para roubar-lhe os bens, sem primeiro amarrá-lo; e só então lhe saqueará a casa.

Em verdade vos digo que tudo será perdoado aos filhos dos homens: os pecados e as blasfêmias que proferirem. Mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão para sempre, visto que é réu de pecado eterno. Isto, porque diziam: Está possesso de um espírito imundo.”

É impressionante essa narrativa de Marcos, que descreve o momento em que Jesus estava orando com seus discípulos no monte e os enviando para que eles fossem – com autoridade – levar o evangelho para outras cidades. O povo também estava ouvindo os direcionamentos do Senhor.

Hoje, eu gostaria de destacar algo que me chamou muita a atenção neste capítulo.

Naquele momento em que Jesus estava exercendo o seu ministério, os parentes d’Ele, tomados por um sentimento maligno, foram em sua direção para prendê-lo. Eles alegavam que Jesus estava fora de si.

É claro que os fariseus e os escribas se aproveitaram daquela situação para levantar mais calúnias contra o Messias. Eles, inclusive, tiveram a audácia de dizer que Jesus expulsava demônios em nome de Belzebu.

Mas, obviamente, Jesus os colocou em seu devido lugar: “Vocês não sabem o que estão dizendo. Como eu poderia expulsar Satanás em nome do próprio Satanás?”.

Naquele momento de confusão, Ele estabelece o princípio da unidade: “A casa divida não prospera!”.

Jesus já havia ensinado que, muitas vezes, os nossos inimigos serão os da nossa própria casa. O motivo? Sentimentos destrutivos que, sutilmente, invadem os corações, como a inveja, a rejeição, o ódio, á mágoa...  Sentimentos que formam um campo fértil para o inimigo implantar a divisão. Por isso, existem tantos conflitos entre pais e filhos, entre irmãos, entre marido e mulher, entre nora e sogra, entre cunhados... Conflitos que, muitas vezes, viram até caso de polícia.

Hoje, eu quero denunciar algumas atitudes e comportamentos que têm dividido muitas família:

1- O conflito de interesses

O egoísmo tem dividido muitos lares e tem afastado muitas pessoas do Senhor. Muitas têm buscado a bênção, em vez de buscar o Deus da benção.

Outro ponto importante que não podemos esquecer é que nós não somos o centro de nossas casas. Por isso, devemos lutar pelo bem comum. 

2- Quando eu abro meus ouvidos e o meu coração para os “conselhos” da serpente

Quando damos ouvimos ao inimigo, abrimos um caminho para a rebeldia e para a desobediência. Quando Satanás consegue dividir os seus sentimentos, consequentemente, seus comportamentos mudam.

No teu casamento, no teu trabalho, no teu ministério, se houver divisão de sentimentos, não vai existir prosperidade, porque a prosperidade só se manifesta na unidade. Por isso que nós precisamos amarrar o valente.

3- Inconsequência

Jesus Cristo nos deixa um alerta: “Quando nós pecamos contra o Espírito Santo, este pecado é eterno!”. Isso é muito profundo, porque todos os pecados são temporais, desde os coloquemos debaixo do sangue do cordeiro.

Quando o colocamos debaixo do sangue, há a remição. Se há remissão, ele não existe mais, não há mais condenação. Mas o pecado contra o Espírito Santo é um pecado eterno e imperdoável.

O inimigo luta dia e noite para que você fique com o sentimento dividido e peque contra o Espírito Santo. Desta forma, ele te condenará à morte eterna.

Como pecamos contra o Espírito Santo?  Quando atribuímos a demônios aquilo que é a obra de Deus. É você julgar homens de Deus. É você se levantar contra a obra de Deus. É você se rebelar contra o Espírito Santo. É você extingui-lo e impedir Sua ação.

Então, esta a Palavra de Deus ao seu coração: Reposicione-se, vigie e ore para que você tenha autoridade contra o espírito de divisão! Lute para que o seu coração não seja um campo fértil para a manifestação desta malignidade.

Eles tentaram parar Jesus, tentaram prendê-lo, tentaram destruir sua obra. Só que a obra não pode ser destruída, porque ela pertence a Deus. Não impeça mais a ação d’Ele.


O Senhor quer realizar uma grande obra em sua vida e, consequentemente, na sua casa! 

segunda-feira, 3 de julho de 2017

A autoridade apostólica


A autoridade apostólica foi tema da ministração do Apóstolo Estevam Hernandes nesta noite de sábado (1º), durante a Ceia de Oficiais do mês de julho, realizada na Renascer Arena, em São Paulo.

Ele leu como referência o texto bíblico de Marcos 16.15 a 18, que narra o momento em que Jesus Cristo envia, com poder e autoridade, os seus discípulos para levar o evangelho aos confins da terra. 

“Após Sua ressurreição e antes de Sua ascensão, Jesus entrega uma autoridade apostólica para a Sua igreja. O princípio básico de autoridade se constitui em estarmos também debaixo de uma autoridade. Espiritualmente falando, quando eu me submeto à autoridade, eu estou habilitado a exercer autoridade. Tudo no mundo espiritual se estabelece por autoridade.”, explicou.

“Quando Saul se levantou contra Davi, ele pensou que estava somente derrubando mais um oponente. Mas, na verdade, estava se levantando contra a autoridade de Samuel. Quando ele foi à guerra sem esperar por Samuel, oficiou a Deus sem a presença do sacerdote e não feriu o agagita, como lhe fora ordenado, ele feriu a autoridade espiritual. A partir destes momentos, ele gera uma série de consequências devastadoras. Ele e seus filhos morreram de maneira trágica. A rebeldia o desviou do destino que Deus tinha para ele. É isso que o inimigo quer! Ele quer que nós desprezemos as autoridades espirituais, para transformar nossas escolhas em uma terrível destruição. Precisamos ter consciência de que a rebeldia é uma prática espiritual do mal. Na Bíblia, ela é comparada à feitiçaria”, alertou.

“Em Filipenses 2, nós vimos que Jesus Cristo se submeteu à autoridade do Pai. Ele foi fiel até a morte, e morte de cruz! Com esta atitude, ele conquistou a nossa salvação e foi colocado em uma condição de honra. O nome d’Ele está sobre todo o nome. A submissão nos leva a patamares superiores”, declarou.


Acompanhe, a seguir, os principais pontos da ministração:

O que Jesus fez antes de subir aos céus? Derramou a autoridade plena sobre os apóstolos, ou seja, sobre Sua igreja. Nós, então, passamos a ter a autoridade plena de Cristo em nós. Esta autoridade foi derramada para quê? Para que possamos caminhar e um plano superior.

Quando ignoramos este princípio, automaticamente, deixamos de ter autoridade:

1- Sobre a carne (1 Coríntios 9.17 e Colossenses 3.15)

A autoridade nos dá estabilidade e equilíbrio! Quando nascemos de novo, deixamos de ser dominados pelos nossos anseios, pelos nossos impulsos carnais, ou seja, recebemos autocontrole!

Mas o que acontece quando eu perco o controle? Sou reprovado espiritualmente! Se nascemos de novo, não podemos retomar as velhas práticas. Precisamos ter autoridade, diariamente, para matar a nossa natureza terrena.

O novo nascimento é ter autoridade sobre a carne. Não adianta teorizar, é uma prática diária! Não é só pedir perdão, é ter domínio sobre aquilo que veio para te destruir! Estamos no mundo, mas não somos do mundo! Estamos no mundo, mas o mundo não está dentro de nós!

2- Sobre o pecado (Romanos 6.11 a 14, 2 Pedro 2.9 e Romanos 6.23)

Não tem como viver de aparências, o pecado se manifesta no copo carnal. O pecado sempre vem à tona, porque o nosso comportamento muda!

O pecado é um corpo espiritual que ocupa, dentro de você, o espaço do Espírito Santo!

O salário do pecado é a morte! Todo mundo sabe disso? Sabe? Mas por que continuam pecando? Por que não têm autoridade! Exercer a autoridade sobre o pecado é questão de escolha!

3- Contra os demônios (Atos 19.13 a 28, Lucas 10.8 e 17 e Mateus 16.18 e 19)

Para exercer esta autoridade, é necessário ter consciência e santidade! Sem uma vida espiritual limpa, é impossível ter autoridade sobe espíritos malignos.

Há muitas pessoas enfermas porque não têm autoridade contra demônios! Vivem oprimidas e subjugadas!

Como o diabo oprime e subjuga o homem?

- Por meio do medo;
- Por meio da divisão;
- Por meio da incredulidade.

Nesta noite, o Senhor entregará a chave que nos dá acesso à restituição desta autoridade:


1- Para estarmos onde Ele está (João 14.3)

Cristo está em uma posição de autoridade absoluta! O mundo jaz no maligno, mas estamos onde Ele está! Maior é aquele que está em nós!

2- Para submetermos os principados que agem no mundo (1 João 5.19, Mateus 5.12, 1 João 4.3 a 6)

O espírito do anticristo se manifestou no mundo com a ascensão de Cristo. Mas ele não pode agir livremente por causa da autoridade de Jesus em nós!

A nossa missão é limitar o poder do anticristo! Está na hora da sua luz confrontar a obra das trevas!

3- Para movermos o mundo espiritual e trazer poder para a terra (Josué 10.13 e 14 e 1 Coríntios 4.20)

O evangelho é a demonstração do poder de Deus!

4- O revestimento deste poder e autoridade se manifesta em nós por meio da glória de Deus (2 Coríntios 3.7 e 8, Atos 5.14 a 16 e Apocalipse 7.11 a 17)

Exerça a sua autoridade, porque é tempo de manifestar a glória de Deus! É tempo de vencer o que nunca foi vencido! Aleluia!


  
Redação iGospel

Fotos: Kelly Ferreira e Alessandra Braga