sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Faça uma aliança com a vida e persevere!


2 Timóteo 2.1 a 13: “Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus. E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros. Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou.

Igualmente, o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a participar dos frutos. Pondera o que acabo de dizer, porque o Senhor te dará compreensão em todas as coisas. Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado de entre os mortos, descendente de Davi, segundo o meu evangelho; pelo qual estou sofrendo até algemas, como malfeitor; contudo, a palavra de Deus não está algemada.

Por esta razão, tudo suporto por causa dos eleitos, para que também eles obtenham a salvação que está em Cristo Jesus, com eterna glória. Fiel é esta palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele; se perseveramos, também com ele reinaremos; se o negamos, ele, por sua vez, nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo.”

Deste texto, surgiu um dos adesivos mais famosos do Brasil, que, há muitos anos, eu mandei confeccionar, com a frase: “Deus é fiel”.

Nesta Passagem, Paulo destaca princípios espirituais profundos.

Nós fomos chamados para agradar ao Senhor. Em Salmos 37.4, está escrito: “Agrada-te do Senhor, e Ele satisfará o desejo do seu coração.”.

Será que a sua vida tem agradado ao Senhor? Os seus comportamentos, os seus sentimentos e as suas palavras têm agradado a Deus? Ou será que você está com a vida completamente enrolada?

Paulo fala que nenhum soldado em serviço deve se envolver em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou. Jesus Cristo nos arregimentou.

Precisamos tomar cuidado para que o espírito de confusão não nos tire do plano que o Senhor tem para nossas vidas.

Lamentavelmente, muitas pessoas estão sendo roubadas e perdendo tempo. Estão perdendo tempo murmurando, lamentando-se e com conversas que não edificam.

A recomendação de Paulo, em primeiro lugar, é: “Libere sua vida! Permita-se ser conduzido para o centro da vontade de Deus!”.

Em segundo lugar, ele fala para não agirmos como mortos-vivos e para lembrarmos de Jesus Cristo, porque Ele ressuscitou.

João 10.10: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.”

Será que você tem conseguido passar pelo dia mau com essa certeza? Se você não tem conseguido nem manter o bom humor, acho, sinceramente, muito difícil você conseguir manter a fé.

Lucas 18.8: “Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?”

Faça uma aliança com a vida. Seja determinado e convicto! Se você receber alguma tarefa, faça-a da melhor maneira possível.

Nós não podemos andar como mortos-vivos, porque servimos ao Cristo ressurreto!

Em terceiro lugar, Paulo aconselha: “Persevere!”

Se perseverarmos, em Cristo, também com Ele reinaremos! Persevere em todas as situações, ou seja, no dia bom e no dia mau!

Seja perseverante em suas convicções. Paulo fala que, se nós negarmos a Cristo, Ele também nos negará! Isso é muito sério. Você pode falar aos quatro ventos que ama Jesus, mas pode estar negando-o com suas atitudes.

Está na hora de fazer uma autoavaliação, está na hora de você rever seus conceitos e mudar de atitudes.

Salmo 101.6: “Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que habitem comigo; o que anda em reto caminho, esse me servirá.”

A sua infidelidade não muda o Senhor, mas pode te colocar em um caminho de morte e destruição. As consequências podem ser desastrosas.


Caminhe em retidão sabendo que aquele que começou a boa obra em sua vida é fiel e justo para completá-la.  Os homens podem mudar, as circunstancias podem mudar, mas Deus continua o mesmo!

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

O seu lugar é na luz!

Nesta quinta-feira (21), aconteceu o encerramento do “Jejum da Vergonha de Satanás”, nas igrejas Renascer em Cristo. O culto realizado no Renascer Hall, sede internacional do ministério, foi transmitido para todo o país, através da Rede Gospel de Televisão e da Rádio Gospel FM, e para os quatro cantos do mundo, por meio do canal oficial da igreja no YouTube.


Depois do louvor do Renascer Praise, Apóstolo Estevam Hernandes leu a passagem bíblica de Marcos 5.1 a 20 e ministrou com base no tema “A Vergonha de Gadara”.

“Jesus estava estendendo a pregação do evangelho além dos limites judeus. Ele sai de Cafarnaum – sua base ministerial – e vai para Gadara, uma das dez cidades que formavam a antiga Decápolis, onde a idolatria imperva. Apesar de aquela cidade ser vizinha dos judeus, seus habitantes não adotaram seus costumes, eram pagãos. Por isso, eles criavam porcos – animais imundos para os judeus –”, contextualizou.

“Ali, Jesus envergonha Satanás e expulsa a legião de demônios que estava assolando, perturbando e oprimindo um jovem e os manda para uma manada de porcos que ali estava. Depois de liberto, aquele rapaz começou a compartilhar a experiência que teve com os maradores daquela região”, destacou.

“Jesus chegou em Gadara para envergonhar e frustrar o plano de destruição de Satanás”, acrescentou.

Na sequência, o Apóstolo afirmou que:


1º Jesus vai trazer uma grande libertação para aquelas situações humanamente impossíveis de serem resolvidas (João 8.32 e 36)

“Deus vai te libertar de todas as cadeias e prisões infernais”, disse.

“Satanás só respeita a autoridade que está acima dele. Ele não respeita a autoridade daqueles que fazem parte do mundo que ele domina. Ele só respeita os joelhos que não se dobraram a ele. Satanás só respeita a autoridade de Jesus Cristo, de quem nós somos propriedade exclusiva”, conscientizou.

2º Precisamos ficar atentos para não cair nas artimanhas de Satanás (Marcos 5.6, 2 Coríntios 11.14 e 15 e 1 João 4.4)

“Guarde o teu coração. Tenha uma vida de oração e vigie, para que Satanás não alcance vantagem sobre você!”, aconselhou.

3º Satanás é um espírito imundo que habita na sujeira (Mateus 12.43, Colossenses 1.12 e 13 e Romanos 5.20)

“Você é purificado, lavado e remido pelo sangue do Cordeiro! O seu lugar é na luz!”, concluiu.

Redação iGospel

Fotos: Fellipe Pupo

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Um exemplo de fé e determinação!



Mateus 15.24 a 30: “Partindo Jesus dali, retirou-se para os lados de Tiro e Sidom. E eis que uma mulher cananeia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada. 

Ele, porém, não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, aproximando-se, rogaram-lhe: Despede-a, pois vem clamando atrás de nós. Mas Jesus respondeu: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. 

Ela, porém, veio e o adorou, dizendo: Senhor, socorre-me! Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ela, contudo, replicou: Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos. Então, lhe disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã.”. 

Queridos, quando nós conseguimos mover o coração do Senhor Jesus em nossa direção, não há limites para o nosso milagre. É o que esta história nos mostra.  

Quando Jesus chega à região de Tiro e Sidom, aquela mulher cananeia – ou siro-fenícia – vai ao encontro d´Ele em busca de uma milagre para a sua filha, que estava atormentada por espíritos malignos.  

Ela, simplesmente, não mediu esforços para conseguir o que queria.Hoje, eu gostaria de destacar alguns posicionamentos que ela teve que foram fundamentais para aquele processo de libertação:

Em primeiro lugar, aquela mulher se ajoelhou na presença de Jesus e o adorou.  

Jesus, querendo provar o coração daquela mulher, não a atendeu imediatamente e disse: “Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos.”. 

Em segundo lugar, ela não aceitou aquela resposta, porque sabia que existia amor em Jesus.  

Aquela mulher, com muita fé, respondeu: “Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos!”. 

Para ela, as migalhas de Jesus eram o suficiente. Jesus, então, libertou a filha daquela cananeia.  

Querido, a exemplo do que aconteceu com ela, o Senhor tem para realizar na sua vida o impossível e o improvável. Ele vai honrar a sua fé e determinação.  

Aquela mulher teve cinco atitudes que foram essenciais para que o milagre se manifestasse.  

1- Ela se humilhou na presença de Jesus; 

2- Ela se posicionou diante da dificuldade; 

3- Ela não se intimidou; 

4- Ela argumentou por aquilo que havia no seu coração; 

5- Ela se preparou para receber o milagre.  

Que está palavra posso despertar na sua vida atitudes de fé, porque o seu milagre já está liberado, em nome de Jesus! 

terça-feira, 12 de setembro de 2017

O deserto não é o seu funeral, mas a passagem para um novo tempo!


1 Coríntios 10.1 a 13: “Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos sob a nuvem, e todos passaram pelo mar, tendo sido todos batizados, assim na nuvem como no mar, com respeito a Moisés. Todos eles comeram de um só manjar espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo.

Entretanto, Deus não se agradou da maioria deles, razão por que ficaram prostrados no deserto. Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se. E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram, e caíram, num só dia, vinte e três mil.

Não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles já fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes. Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador. Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado.

Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia. Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.”

Paulo fala para nós não ignorarmos o que aconteceu com o povo de Deus no deserto. Mesmo recebendo poderosos livramentos, eles, lamentavelmente, não alcançaram a promessa.

Hoje, infelizmente, há muitas pessoas que estão morrendo no meio do caminho. Há pessoas que tinham um plano vitorioso, mas, por causa das lutas, caíram.

Aquele povo foi liberto do Egito, onde foram escravos por mais de 400 anos. Deus tinha levantado Moisés para libertá-los.

O caminho em direção à Terra Prometida levaria no máximo 30 dias, mas aquela jornada durou 40 anos, ou seja, toda aquela geração que saiu do Egito pereceu no deserto.

Este é o plano de satanás: matar aqueles que Deus tirou do cativeiro!

O Senhor tem um plano glorioso para cada um de nós, mas, para vivê-lo, precisamos orar e vigiar! O inimigo não quer que cheguemos à terra prometida.

Aquele povo serve de exemplo para nós. Se a gente agir diferente, não teremos o fim que eles tiveram.

Hoje, eu gostaria de destacar algumas atitudes e princípios que são fundamentais para sairmos do deserto de maneira vitoriosa:

1- SER BATIZADO COM MILAGRES E ATRAVESSAR O MAR VERMELHO

Êxodo 14.13 a 21: “Moisés, porém, respondeu ao povo: Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do SENHOR que, hoje, vos fará; porque os egípcios, que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O SENHOR pelejará por vós, e vós vos calareis. Disse o SENHOR a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem.

E tu, levanta o teu bordão, estende a mão sobre o mar e divide-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco. Eis que endurecerei o coração dos egípcios, para que vos sigam e entrem nele; serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, nos seus carros e nos seus cavalarianos; e os egípcios saberão que eu sou o SENHOR, quando for glorificado em Faraó, nos seus carros e nos seus cavalarianos.

Então, o Anjo de Deus, que ia adiante do exército de Israel, se retirou e passou para trás deles; também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles, e ia entre o campo dos egípcios e o campo de Israel; a nuvem era escuridade para aqueles e para este esclarecia a noite; de maneira que, em toda a noite, este e aqueles não puderam aproximar-se. Então, Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o SENHOR, por um forte vento oriental que soprou toda aquela noite, fez retirar-se o mar, que se tornou terra seca, e as águas foram divididas.”

O deserto não é o seu sepulcro, não é o sepulcro dos teus sonhos, da sua vida profissional, de sua vida espiritual, mas será o local onde a glória de Deus se manifestará.

2- ANDAR DEBAIXO DA NUVEM

Êxodo 13. 21 e 22: “O SENHOR ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite. Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite.”

Aquela nuvem protegia o povo no deserto. Hoje, a nossa nuvem é a Igreja de Jesus Cristo, contra a qual o inferno não prevalece.

3- BEBER DA ROCHA, QUE É JESUS CRISTO (ÊXODO 17: 6 E 7)

Êxodo 17.6 a 7: “Eis que estarei ali diante de ti sobre a rocha em Horebe; ferirás a rocha, e dela sairá água, e o povo beberá. Moisés assim o fez na presença dos anciãos de Israel. E chamou o nome daquele lugar Massá e Meribá, por causa da contenda dos filhos de Israel e porque tentaram ao SENHOR, dizendo: Está o SENHOR no meio de nós ou não?”

Para finalizar este estudo tão profundo, gostaria de enfatizar alguns conselhos que Paulo nos deixa:

1º SEJA OBIEDIENTE AO SENHOR

Muitas vezes, você tem feito a tua vontade, sem ao menos se importar com a vontade de Deus.

2º NÃO MURMURE 

Isaías 53.6 a 7: “Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca.”

1 Coríntios 10.10: “Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador.”

Habacuque 3.17 e 18: “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação.”

Por causa da murmuração e da ingratidão, aquele povo perdeu o milagre.

3º NÃO SE PRECIPITE, PRINCIPALMENTE NA HORA DA AFLIÇÃO E DA PRESSÃO

1 Coríntios 10.13: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.”

Provérbios 19.2: “Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado.”


Confie no Senhor, fique firme! Este deserto não será o seu funeral, mas a passagem para um novo tempo.

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Os segredos da vitória de Daniel


Daniel 1.1 a 16 e 20: No ano teceiro do reinado de Jeoaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei da Babilônia, a Jerusalém e a sitiou. O Senhor lhe entregou nas mãos a Jeoaquim, rei de Judá, e alguns dos utensílios da Casa de Deus; a estes, levou-os para a terra de Sinar, para a casa do seu deus, e os pôs na casa do tesouro do seu deus. Disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, tanto da linhagem real como dos nobres, jovens sem nenhum defeito, de boa aparência, instruídos em toda a sabedoria, doutos em ciência, versados no conhecimento e que fossem competentes para assistirem no palácio do rei e lhes ensinasse a cultura e a língua dos caldeus. 

Determinou-lhes o rei a ração diária, das finas iguarias da mesa real e do vinho que ele bebia, e que assim fossem mantidos por três anos, ao cabo dos quais assistiriam diante do rei. Entre eles, se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias. O chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel, o de Beltessazar; a Hananias, o de Sadraque; a Misael, o de Mesaque; e a Azarias, o de Abede-Nego. 

Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se. Ora, Deus concedeu a Daniel misericórdia e compreensão da parte do chefe dos eunucos. Disse o chefe dos eunucos a Daniel: Tenho medo do meu senhor, o rei, que determinou a vossa comida e a vossa bebida; por que, pois, veria ele o vosso rosto mais abatido do que o dos outros jovens da vossa idade? Assim, poríeis em perigo a minha cabeça para com o rei. 

Então, disse Daniel ao cozinheiro-chefe, a quem o chefe dos eunucos havia encarregado de cuidar de Daniel, Hananias, Misael e Azarias: Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias; e que se nos dêem legumes a comer e água a beber. Então, se veja diante de ti a nossa aparência e a dos jovens que comem das finas iguarias do rei; e, segundo vires, age com os teus servos. Ele atendeu e os experimentou dez dias. 

No fim dos dez dias, a sua aparência era melhor; estavam eles mais robustos do que todos os jovens que comiam das finas iguarias do rei. Com isto, o cozinheiro-chefe tirou deles as finas iguarias e o vinho que deviam beber e lhes dava legumes. Em toda matéria de sabedoria e de inteligência sobre que o rei lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos e encantadores que havia em todo o seu reino.”. 

Daniel saiu de Jerusalém e foi levado para a Babilônia. Ele poderia ter se encantado, pois, naquela época, era um dos locais mais cobiçados da terra, mas não se contaminou.  

A Babilônia era tudo para muitas pessoas, mas, para Daniel, não. O relacionamento que ele tinha com Deus era a sua prioridade e sua força motriz. 

Hoje, eu gostaria de destacar algumas características que levaram Daniel a ter vitória na Babilônia:  

Em primeiro lugar, Daniel era incorruptível, ou seja, não era como alguns “cristãos”, que, no domingo, são fervorosos, mas, na segunda-feira, são duros como uma pedra e não acreditam em mais nada.  

Em segundo lugar, ele aceitou o desafio de honrar suas convicções 

Só aceita este desafio quem confia no Senhor. Só aceita este desafio quem é ousado! 

Salmos 125.1: “Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.”. 

O rei havia mandado servi-lo com o que havia de melhor naquela terra. Mas Daniel resolveu, firmemente, não se contaminar!  

Mas, pensando bem, será mesmo que aquelas iguarias causariam algum mal ao organismo de Daniel? Claro que não! Aquele cardápio foi desenvolvido especialmente para os príncipes. Daniel, na verdade, escolheu não se contaminar espiritualmente. Aqueles alimentos eram consagrados aos ídolos babilônicos. Naquele cardápio, também havia alimentos que, antes da graça, eram abominados por Deus.  

Daniel aceitou o desafio de honrar suas convicções, sem se importar com as consequências. Ele disse ao chefe dos eunucos: “Espere dez dias, e você verá Deus agir!”.  

Querido, chegou a hora de você desafiar o mundo e crer verdadeiramente no Senhor.  

Daniel sabia que o alimento que viria do Senhor o deixaria mais forte. Depois de dez dias, Daniel e os amigos dele estavam mais robustos. O chefe dos eunucos ficou tão impressionado, que aceitou manter a dieta estipuladas por eles.  

Não adiante se alimentar do que o mundo oferece, e continuar vazio! Alimente-se no Senhor. Busque ser cheio do Espírito Santo!  

Em terceiro lugar, Daniel buscou ser o melhor! 

Daniel foi achado dez vezes mais sábio do que os grandes encantadores da Babilônia! Daniel era disciplinado, organizado, estudioso e, o mais importante de tudo, ele tinha um vida de oração! 

Tiago 1.5: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.”.

domingo, 3 de setembro de 2017

O mergulho apostólico


Mergulhar totalmente nas águas do Espírito de Deus e fazer a obra de Deus com toda a intensidade, este é o objetivo que um servo verdadeiro do Senhor deve buscar. O Mergulho Apostólico foi tema da ministração do Apóstolo Estevam Hernandes neste sábado, 2 de setembro, durante a Ceia de Oficiais realizada no Renascer Arena, em São Paulo.

“Deus deu uma visão profunda ao profeta Ezequiel, algo que precisamos entender à luz da revelação. O Senhor mostra ao profeta os níveis espirituais das águas que saem do lado direito do trono, que representam níveis espirituais de relacionamento com Deus. Jesus é a água viva que tem o poder da ressureição e que está à direita de Deus (Marcos 16.19)”, afirmou. 

Ele leu o texto que está em Ezequiel 47.1-12 e falou dos níveis de profundidade das águas, que são uma realidade da vida espiritual dos servos de Deus na terra, pois significam justamente nosso nível de profundidade no relacionamento com Cristo.

Veja a seguir os principais trechos desta ministração:

Quais são esses níveis espirituais?


1º) Nível dos artelhos: este é o nível mais baixo de relacionamento espiritual. É quando estamos apenas vivendo uma simpatia com Cristo, mas ainda pertencemos ao mundo. O rei Asa, por exemplo, morreu enfermo dos pés porque confiou nos médicos e não em Deus (2ª Crônicas 16.12). Asa fez aliança com o rei da Síria e não tinha profundidade para se relacionar com Deus. As águas estavam no nível do seu pé e por isso ele morreu sem ter mergulhado firmemente no seu relacionamento com Deus.

2º) Nível de mil côvados: as águas que chegavam ao nível do joelho, nível de relacionamento com Deus que permite apenas caminhar por um tempo, mas que nos deixa paralisados (Hebreus 12.12-13). É o que aconteceu com Mefibosete, que tinha linhagem real, mas vivia como mendigo (2ª Samuel 4.4). Muitos estão andando por aí trôpegos como Mefibosete, vivendo uma miséria espiritual. São verdadeiros mendigos da fé. Hoje muitos estão com as águas nos joelhos, as têm tudo para viver como um herdeiro real, falta apenas a profundidade que os impede de caminhar dentro do plano e chamado de Deus. Não viva uma vida espiritual de miséria, Deus tem mais para você! Os dias são maus e só quem tem motivação verdadeira em Cristo encontra sentido para viver.

3º) Nível de dos lombos ou cintura: são as pessoas que servem a Deus pela metade, não mergulham verdadeiramente na sua vida espiritual. São pessoas divididas espiritualmente (1ª Samuel 2.28-31). Vemos neste texto que Eli era um sacerdote escolhido Deus, ele tinha um lugar especial, mas começou a servir a Deus pela metade. Ele ficou dividido entre Deus e seus filhos (Mateus 15.8). Ele permitiu a corrupção e a sujeira na casa de Deus. Mexa-se enquanto Deus está te dando oportunidades, não sirva ao Senhor pela metade! A casa dividida não prospera! Precisamos de uma igreja mais integral, mergulhada no poder de Deus! Não sirva a Deus pela metade, se entregue ao Senhor integralmente!

4º) Nível águas que se tornam um rio: é o nível de onde emergem os eleitos, águas que simbolizam a profundidade do nosso mergulho em Cristo. Águas que crescem e que se tornam um rio são águas que não se pode passar a pé, mas só mergulhando. Esse é o nível do mergulho apostólico. Quando estamos totalmente mergulhados em Cristo, quando estamos nesse nível passamos a ser uma fonte transbordante a jorrar vida eterna (João 4.14). No nosso interior começa a fluir um rio, que é o Senhor de Jesus! São águas curadoras, que entram no mar Morto e saem saudáveis. Existem muitas áreas mortas nas nossas vidas que precisam dessas águas! As águas que saem do trono começam a ser mover e entram as regiões mais áridas possíveis. O Senhor quer quebrar a esterilidade de todas as áreas da sua vida! Muitos estão mortos espiritualmente por falta de relacionamento com Deus, mas deixe as águas te curarem. Essas águas vão quebrar a esterilidade e fazem nascer árvores em abundância nas nossas vidas! Mergulhe no seu chamado, peça para viver um novo tempo na sua vida espiritual! A Igreja tem vivido num ambiente carnal, mas quando entende isso passa a viver um ambiente espiritual de eternidade.

O mergulho apostólico nos leva a viver uma vida profunda com Deus, algo que Ezequiel viu em sua visão e que João viu espiritualmente em Apocalipse (Apocalipse 22.1-2). Jesus é o rio de águas cristalinas que tem em suas margens a cura e o alimento apostólico por 12 meses e que serve de cura para os povos. Mergulhar nessas águas cristalinas é viver na dimensão da nova Jerusalém e estar alimentado pelo fruto das águas puras que fazem nascer.


Ezequiel viu árvores que nasceram nas margens dos rios, árvores que dão frutos todos os meses e trazem cura. É tempo da Igreja receber essa cura que vem dos frutos que estão na árvore da vida, frutos de libertação! Somos como árvores plantadas junto ao ribeiro de águas, como está em Salmos 1. E o que são esses frutos? São os mistérios de Deus revelados por Cristo.

Chega de servir a Deus pela metade! Mergulhe nessas águas espirituais e comece a viver esse nível de profundidade na sua vida!


Cláudia Pires, redação igospel

Fotos: Karin Marcitello e Bruno Bros

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

O novo nascimento!


Colossenses 3: 1 a 11 “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória.

Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência]. Ora, nessas mesmas coisas andastes vós também, noutro tempo, quando vivíeis nelas.

Agora, porém, despojai-vos, igualmente, de tudo isto: ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena do vosso falar. Não mintais uns aos outros, uma vez que vos despistes do velho homem com os seus feitos e vos revestistes do novo homem que se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou; no qual não pode haver grego nem judeu, circuncisão nem incircuncisão, bárbaro, cita, escravo, livre; porém Cristo é tudo em todos.”

Que Palavra tremenda! Aqui, está a chave do novo sentimento que deve nascer em nós e de uma vida de santidade.

Paulo nos deixa três conselhos, que eu gostaria de compartilhar com vocês:

1º Faça morrer sua natureza terrena

Fazer morrer a nossa natureza terrena significa aniquilar nossos desejos carnais, por meio de nossas convicções. É não aceitar viver mais da mesma maneira, é reconhecer e assumir a verdade que liberta!

João 8.32 “...e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

O importante é você aprender a se desligar do mau. O problema é que muitas pessoas falam: “Eu quero ser liberto!”. Mas continuam tendo prazer no pecado. Isso significa que elas não nasceram de novo. Ao pecar, ela sentem remorso, não arrependimento.

Nascer de novo é ter o sentimento transformado.

Como fazer morrer a natureza terrena? Paulo explica que é se enchendo do poder e autoridade do novo homem.

João 3.3: “A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.”

Como buscar este novo nascimento? Mergulhando nas águas da verdade e buscando romper com os laços do pecado.

2º Revista-se do novo homem

O novo homem se refaz, volta à essência, não segundo a imagem do pecado, mas à imagem do Deus Criador.

Mude os teus hábitos e comportamentos. Não abra mais concessões!

3º Estabeleça, no mundo espiritual, o dia e a hora da tua transformação

Quando nos determinamos, tiramos o domínio de todas as áreas das mãos do inimigo e o colocamos nas mãos de Deus.

O nosso coração, que é o centro das nossas emoções, precisa estar nas mãos do Senhor. Mas, para que isso aconteça, temos que tomar uma decisão. Ser livre no espírito é uma questão de escolha.

Tiago 4.4: “Chegai-vos a Deus, e Ele se chegará a vós.”

1 Coríntios 7.21: “Foste chamado sendo escravo? Não te preocupes com isso. Mas se ainda podes conseguir tua liberdade, aproveita a oportunidade.”

Em um de nossos cultos, eu ministrei sobre Jacó. Ele morou em Betel, que quer dizer “Casa de Deus”. Qual lugar você escolheu para habitar? Você está em Betel ou em Sodoma.


Saia deste vale de morte e vá para a terra de Deus. Lá, você terá experiências profundas, terá seu nome mudado – assim como Jacó que passou a ser chamado de Israel – e será conhecido como uma grande nação!