terça-feira, 26 de junho de 2018

Motivações renovadas, muros reconstruídos!


Neemias 2.17: “Então lhes disse: Bem vedes vós a miséria em que estamos, que Jerusalém está assolada, e que as suas portas têm sido queimadas a fogo; vinde, pois, e reedifiquemos o muro de Jerusalém, e não sejamos mais um opróbrio.”

Em Jerusalém, todos estavam completamente desmotivados e sem nenhuma perspectiva.

Quantas vezes, nós olhamos a situação geral, e o que os nossos olhos contemplam é somente a impossibilidade de que dias melhores virão?

Por isso que, quando Jesus chora sobre a cidade de Jerusalém (Lucas 19.41 a 44), Ele fala sobre a Jerusalém assolada, fala sobre a Jerusalém que mata os seus profetas, que despreza a lei do Senhor e fala sobre a Jerusalém contaminada pelo espírito de desânimo.

O desânimo – a disposição mental contrária à natureza que Deus colocou no homem (Romanos 1) –  pode exatamente se inclinar para o lado do pecado, da prostituição, ou pode se inclinar para o lado da entrega, quando decidimos entregar os pontos, quando não temos mais forças e nada que nos impulsione.

Neemias encontra a situação de um povo completamente assolado. Mas, no seu espírito, ele tinha o envio, o envio para transformar aquele estado de assolação em uma obra inexplicável aos olhos humanos, mas possível para Deus.

Ele, então, se propõe a fazer aquilo que talvez as pessoas jamais poderiam pensar ou imaginar. Ele se propõe a reedificar os muros assolados de Jerusalém. Ele, então, em 52 dias, faz esta obra gloriosa e maravilhosa.

O que eu tenho buscado de Deus, a cada dia, é exatamente o entendimento espiritual daquilo que significava o antes daquele local. O antes era uma cidade sem defesa.

Aqueles muros foram reconstruídos e edificados de uma maneira impressionante e em tempo recorde. Hoje, podemos passar por cima deles e testificar que se tornaram um instrumento de defesa e proteção. Ali, os inimigos eram colocados em uma posição de inferioridade.

Esta história também pode ser aplicada à nossa realidade espiritual. Quando não temos muros espirituais – uma vida de oração, jejum, de meditação na Palavra de Deus –, ficamos indefesos e em uma posição inferior. Este é o objetivo do inimigo: deixar-nos vulneráveis. Por isso que, em Efésios 6, Paulo enfatiza a importância das armas espirituais.

Neemias entendia o quanto o podo de Israel dependia daqueles muros para se sentirem protegidos. Por esse motivo, ele assumiu aquela obra.

Eu tenho certeza de que o trabalho de Cristo em nossas vidas pode também ser comparado ao trabalho de Neemias: o trabalho de reconstruir as nossas defesas, de nos colocar em uma posição de autoridade e em uma posição estratégica contra o inimigo, que nos permite estar verdadeiramente constituídos em cima de uma fortaleza. Por isso que nós estamos assentados com Cristo, acima de potestades, principados e dominadores.

Existem muitos muros que o Senhor quer restaurar em nossas vidas. Hoje, eu gostaria de citar três deles. Acompanhe a seguir:

Muros da vida espiritual:

Quem não tem uma vida espiritual edificada e protegida torna-se frágil e incapaz de chegar à plenitude de sua constituição.

Muros das relações pessoais:

Quando estou desprotegido, minhas relações pessoais são problemáticas, são completamente desgovernadas, não têm uma direção do Espírito Santo de Deus. Eu, então, não consigo manter a liga verdadeira, que é a liga da comunhão. Eu fico sem poder discernir, entender e, consequentemente, faço voos cegos.

Muros para a preservação do futuro:


Quando eu não tenho proteção, eu sou consumido no presente. O muro, além de ser um símbolo de proteção e de preservação, é um legado que deixamos para as próximas gerações. 

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Como alcançar a prosperidade plena?


Ao longo de nossas vidas, procuramos sempre resolver os problemas que nos afligem e que parecem nos perseguir. É como se estivéssemos em uma constante corrida onde ao final atingimos a plenitude, mas o caminho é marcado de desafios que nos impedem de enxergar essa linha de chegada.


Os desafios que aparecem em nossa trajetória são provações que precisam ser administradas para que sejam superadas, não pela ganância da vitória, mas pelo estado de prosperidade e harmonia que se pode ter em uma vida alinhada com Deus.
  
1 João 2:27 - E a unção que vós recebestes dele fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis.

Pela vontade e sabedoria de Deus, você será guiado através dos desafios, de maneira a atingir a prosperidade plena em sua vida. Aquele ponto em que você é guiado e suas dúvidas em relação à vida são respondidas.

Abaixo, você pode acompanhar alguns dos saberes que lhe ajudarão a estar mais próximo de uma prosperidade plena:

Cuide de quem você ama– As pessoas próximas de você e que te amam são aquelas que foram colocadas em seu caminho por Deus para auxiliá-lo nessa jornada pela prosperidade plena. Trate-as com o amor que elas merecem, pois assim como Deus as colocou na sua vida, Ele fez o mesmo te colocando na vida delas.

Inveja não vale a pena– A inveja é o atraso. É o sentimento que mais te afasta dos planos de Deus para uma prosperidade plena. Mais do que isso, é ela que faz com que você se torne uma pessoa tóxica, não só para você, mas para os outros.

Não seja traiçoeiro– Traição é uma dos maiores desvios do caminho para a prosperidade plena. O traidor é aquele que quebra um acordo feito com Deus, um acordo que transcende o mundo dos homens. É quem interrompe os planos de Deus para si e para os outros.

Você pode se reerguer– A queda não é um momento fácil. Mas é o momento de provação e fé, em que Deus estará ao seu lado para te levar pelo caminho da superação e te alinhar novamente aos grandes planos de Deus.


Só você pode permitir que Deus administre e traga foco para o seu coração, podendo levar você aos seus objetivos através dos planos Dele, atingindo o estado de prosperidade plena.
  

Felipe Bugarib – Redação iGospel

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Os primeiros lugares



Lucas 14.7 a 14: “Reparando como os convidados escolhiam os primeiros lugares, propôs-lhes uma parábola: Quando por alguém fores convidado para um casamento, não procures o primeiro lugar; para não suceder que, havendo um convidado mais digno do que tu, vindo aquele que te convidou e também a ele, te diga: Dá o lugar a este. Então, irás, envergonhado, ocupar o último lugar. 

Pelo contrário, quando fores convidado, vai tomar o último lugar; para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, senta-te mais para cima. Ser-te-á isto uma honra diante de todos os mais convivas. Pois todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado. Disse também ao que o havia convidado: Quando deres um jantar ou uma ceia, não convides os teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem vizinhos ricos; para não suceder que eles, por sua vez, te convidem e sejas recompensado. 

Antes, ao dares um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos; e serás bem-aventurado, pelo fato de não terem eles com que recompensar-te; a tua recompensa, porém, tu a receberás na ressurreição dos justos.”. 

O Senhor Jesus estava em um casamento, e Ele percebeu que, naquela festa, havia uma disputa pelos primeiros lugares. Ali, então, Ele ministra seus discípulos e os ensina sobre uma prática vinda dos céus, dando uma verdadeira lição de humildade. 

Ele mostrou o quanto arrogância, a necessidade de ostentar e de auto-afirmação pode tornar o ser humano repugnante. 

Através daquela parábola, Ele ensinou que: 

Em primeiro lugar, não devemos buscar, na carne, a nossa posição. 

Muitas vezes, você pensa que o seu jeitinho, as suas amizades, a sua situação financeira vão te beneficiar em relação à posição espiritual que você precisa alcançar. Mas o Reino de Deus não é feito de lobbies! O Reino de Deus não é feito de favorecimentos. O Reino de Deus é feito pela eleição, pela escolha e pela sua disposição de servir o Senhor. 

Infelizmente, muitas pessoas erram porque não sabem exatamente ocupar, espiritualmente, os seus lugares. 

Quando você casa, você precisa, por exemplo, como esposa, ocupar sua posição no relacionamento. Uma mulher sábia edifica sua casa, mas a tola a destrói com suas próprias mãos. 

Quando você é um homem de Deus, você ocupa a posição de sacerdote do seu lar, não carnalmente, achando que a sua vontade é absoluta, mas espiritualmente! 

Ocupe o seu lugar no mundo espiritual. Tudo o que é conquistado na carne é passageiro. 

O Senhor Jesus disse: “Você senta na primeira fila, mas vão te levar para o fundo!”. No mundo, há um jogo de interesses! Sempre vai chegar alguém mais importante do que você. Mas, quando você é constituído espiritualmente, ninguém te tira da posição que o Senhor te colocou, porque os dons e a unção são irrevogáveis. 

Então, busque espiritualmente, o lugar que o Senhor te deu! 

Em segundo lugar, que devemos aprender a sentar no último lugar! 

Tenha consciência de que os últimos serão os primeiros. Tenha consciência de que humilhação não significa para nós o que significa para o mundo. 

Há muitas pessoas que estão na igreja, que meditam na Palavra de Deus, mas, na hora de tomar uma decisão, erram de maneira grotesca. Por quê? Entendem humilhação como punição. Entendem humilhação como um abandono. Mas, na verdade, como próprio Jesus nos ensinou: os humilhados serão exaltados. 

Se você sentou na última fileira, se você está na última cadeira, o dono da festa, que é Cristo e conhece o seu coração, te colocará na frente, e todos os convidados verão que você está sendo honrado pelo Senhor, sem que haja interferência da sua carne ou um jogo de interesses, mas porque você recebeu a graça d’Ele. 

Tiago 4.6: “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.”. 

Então, em vez de ser arrogante, prepotente e egoísta, aguarde! Sente no último lugar, porque, no tempo oportuno, Deus vai te exaltar e vai te levar para os primeiros lugares, porque você terá passado por um processo de preparação. 

Se você está enfrentando uma humilhação, não se desespere. Se, hoje, você está chorando pelo mal que te fizeram, humilhe-se na presença de Deus. Ele vai enxergar suas lágrimas com milagres, porque, para nós, a humilhação possui três aspectos importantes: 

1- A consequente exaltação;

2- A restituição;

3- A bem-aventurança. 

Este tempo de humilhação é passageiro! Os primeiros lugares estão te esperando. 

Em terceiro lugar, que somos eleitos 

Você é eleito de Deus! É aquele que recebeu o convite do dono da festa! O seu reconhecimento virá do Senhor. Então, não se precipite. Deixe que Ele complete o ciclo. No tempo de Deus, todas as coisas vão se encaixar. 

Filipenses 1.6: “Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.”.

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Vencendo o sentimento do anticristo


1 João 4.3: Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo.”

1 João 2.18 a 27: “Filhinhos, já é a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também, agora, muitos anticristos têm surgido; pelo que conhecemos que é a última hora. Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos.

E vós possuís unção que vem do Santo e todos tendes conhecimento. Não vos escrevi porque não saibais a verdade; antes, porque a sabeis, e porque mentira alguma jamais procede da verdade. Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Este é o anticristo, o que nega o Pai e o Filho. Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai.

Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai. E esta é a promessa que ele mesmo nos fez, a vida eterna. Isto que vos acabo de escrever é acerca dos que vos procuram enganar.

Quanto a vós outros, a unção que dele recebestes permanece em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é falsa, permanecei nele, como também ela vos ensinou.”

Nesta passagem, João nos deixa um alerta e nos mostra como desmascarar o espírito do anticristo.

É importante compreendermos que ele não está se referindo a alguém, mas a um espírito que se opõe a tudo o que é relacionado a Cristo.

Ele está se referindo a um sentimento que o inimigo quer plantar em nós para que deixemos de crer no Senhor Jesus e aceitar Suas obras em nossas vidas.

Uma de suas ações é criar ambientes de medo, destruição, divisão, degradação e morte, para que a apostasia impere.

Geralmente, os sintomas do sentimento do anticristo são:

- Não defender Cristo e Sua obra;

- Não confessar a Cristo diante dos homens;

- Apostasia espiritual;

-Permissividade;

-Espírito de divisão.

2 Tessalonicenses 2.3, 4, 8 a 12: “Ninguém, de nenhum modo, vos engane, porque isto não acontecerá sem que primeiro venha a apostasia e seja revelado o homem da iniquidade, o filho da perdição, o qual se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus.

Então, será, de fato, revelado o iníquo, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e o destruirá pela manifestação de sua vinda. Ora, o aparecimento do iníquo é segundo a eficácia de Satanás, com todo poder, e sinais, e prodígios da mentira, e com todo engano de injustiça aos que perecem, porque não acolheram o amor da verdade para serem salvos.

É por este motivo, pois, que Deus lhes manda a operação do erro, para darem crédito à mentira, a fim de serem julgados todos quantos não deram crédito à verdade; antes, pelo contrário, deleitaram-se com a injustiça.

Essa é a realidade do engano do sentimento atual no mundo e que nós precisamos vencer:

Em primeiro lugar, não dando lugar a esse sentimento

Temos que deixar que mesmo o sentimento que habita em Cristo crescer dentro de nós. Caso contrário, seremos tentados pelo inimigo a nos tornar traidores.

Filipenses 2.5: “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus...”

Romanos 8.38 e 39: “Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

2- Resistir e exercer a autoridade de Cristo para vencer o mundo dominado pelo sentimento do anticristo

1 João 5.4: “... Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé.”

Jesus deixou para nós a sua autoridade para que pudéssemos combater esse sentimento.  

Marcos 16.17 e 18: “Estes sinais hão de acompanhar aqueles que creem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.”

Se não tomarmos posse e exercermos essa autoridade, seremos tragados de maneira sutil.

3- Ter consciência de que os planos do Senhor são superiores e que Ele está acima de tudo

Romanos 16.20 “E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo dos vossos pés a Satanás. A graça de nosso Senhor Jesus seja convosco.”

Toda sorte de oposições impostas por Satanás não podem deter os planos do Senhor.  

Efésios 1.3: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo...”

Hebreus 12.2 e 3: “...olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossa alma.”


Romanos 8.35 a 37: “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.” 

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Três ensinamentos do Salmo 140


Salmo 140: Livra-me, SENHOR, do homem perverso, guarda-me do homem violento, cujo coração maquina iniquidades e vive forjando contendas. 

Aguçam a língua como a serpente; sob os lábios têm veneno de áspide. Guarda-me, SENHOR, da mão dos ímpios, preserva-me do homem violento, os quais se empenham por me desviar os passos.

Os soberbos ocultaram armadilhas e cordas contra mim, estenderam-me uma rede à beira do caminho, armaram ciladas contra mim. Digo ao SENHOR: tu és o meu Deus; acode, SENHOR, à voz das minhas súplicas. 

Ó SENHOR, força da minha salvação, tu me protegeste a cabeça no dia da batalha. Não concedas, SENHOR, ao ímpio os seus desejos; não permitas que vingue o seu mau propósito.

Se exaltam a cabeça os que me cercam, cubra-os a maldade dos seus lábios. Caiam sobre eles brasas vivas, sejam atirados ao fogo, lançados em abismos para que não mais se levantem. O caluniador não se estabelecerá na terra; ao homem violento, o mal o perseguirá com golpe sobre golpe. 

Sei que o SENHOR manterá a causa do oprimido e o direito do necessitado. Assim, os justos renderão graças ao teu nome; os retos habitarão na tua presença.”

Além de ser uma linda oração, este Salmo traz três grandes ensinamentos: 

1- Cuidado para não ser enredado pelas armadilhas do inimigo

A maldade não faz parte da natureza humana. Deus não criou o homem para ser um instrumento de destruição... Deus não criou o homem para cometer atrocidades... Deus nos criou para sermos um canal de bênçãos, para manifestarmos a glória d'Ele aqui na terra!

Existem pessoas que, infelizmente, permitem que o mal habite em seu coração. Elas permitem que estes sentimentos se transformem em atitudes destrutivas. Esta é a natureza terrena, porque o mundo jaz no maligno. Mas a natureza divina só produz o bem!

Para não sermos envolvidos por armadilhas de pessoas mal intencionadas, precisamos vigiar e orar! 

Viva sempre debaixo da orientação do Senhor. Espere n’Ele! Vença o mal com o bem!

2- Mantenha-se fiel, porque os caluniadores não prevalecerão

3- Confie nos livramentos e nos propósitos do Senhor

Não seja conduzido pelos seus impulsos, mas seja guiado pelo Espírito Santo. Não tenha medo, tenha fé, porque os planos do Senhor são superiores. Os intentos do inimigo não vão prevalecer!


Lembre-se de que, no Senhor, não existem situações irreversíveis!

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Três palavras de Jesus para você seguir em frente!


João 14. 1 a 6: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar.

E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também. E vós sabeis o caminho para onde eu vou. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; como saber o caminho? Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.”

Nesta passagem, nós vemos que os discípulos estavam em um momento de intranquilidade, porque havia rumores de que Jesus seria morto. Havia rumores de que Ele seria preso, e que o sinédrio o entregaria para os romanos.

Era um momento em que todos os seguidores de Cristo estavam sendo ameaçados. Era um momento de desespero, porque eles já estavam imaginando como seriam suas vidas sem Jesus na terra. E, neste mesmo momento, Cristo vem com três palavras poderosas – palavras que também nos motivam a seguir em frente, a despeito das dificuldades, e nos levam a vencer definitivamente a morte.

Em primeiro lugar, Jesus disse: “Não se desesperem!”

“Não se turbe o coração” significa que não devemos andar ansiosos, desesperados, que não devemos deixar as loucuras do momento serem o motivo da nossa morte!

Salmos 46. 10: “Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus..”

Jesus mostrou para eles que aquilo que o inimigo estava anunciando não era o definitivo de Deus. Tenha consciência de que o que o inimigo está anunciando para a tua vida não é  o definitivo de Deus. O melhor ainda está por vir!

Em segundo lugar, Jesus disse: “Tenha fé!”

Na hora do desespero, na hora dos falatórios e na hora da assolação mental, a tendência é você se tornar um incrédulo.

Creia porque o Deus que fez é o Deus que faz e é o Deus que fará!

Em vez de andar de acordo com o que você já alcançou, você se deixa tomar por um espírito de incredulidade. Foi o que aconteceu com Gideão.   Ele disse: “Se Tu és Deus e faz tantas as coisas, por que me sobreveio este mal?".

João 11. 40: “Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?”

Creia porque o Senhor Jesus não vai te deixar. Creia porque jamais vai acontecer o que o inimigo tem anunciado. Creia porque o Senhor tem para você uma saída! Crer é fundamental!

Creia que o Senhor vai salvar o seu casamento. Creia que o Senhor vai abrir essa porta. Creia que o Senhor é contigo!

Em terceiro lugar, Jesus disse: “Há um caminho!”

Tomé não entendeu nada e disse: “Se existe um caminho, qual é esse caminho?”. E Jesus respondeu: “Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.”.

Eu quero falar hoje para você: Há um caminho para essa situação! Há um caminho para a sua enfermidade. Há um caminho para essa situação com o seu filho! Esse caminho é Jesus Cristo.

Descanse porque o melhor de Deus virá! A Palavra d’Ele jamais voltará vazia!


Não desista! O plano que o Senhor tinha para Jesus Cristo não era a morte, mas a ressurreição!

terça-feira, 12 de junho de 2018

A certeza de um bom futuro!


João 8.12: “De novo, lhes falava Jesus, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas; pelo contrário, terá a luz da vida.”

Segundo um dos comentários da Bíblia Apostólica, as trevas são o ambiente onde habita o mal.

Jesus veio para nos trazer a luz. Em 1 João 5.19, está escrito que o mundo jaz no maligno, mas, no versículo 4, diz que a nossa fé vence o mundo.

O maligno pode até dominar o mundo, mas ele não produz luz. Jesus disse: "Eu sou a luz do mundo!". Em relação a nós, em Mateus 5, Ele orienta: "Que vossa luz brilhe diante dos homens. Isso significa que nós somos a manifestação de Cristo na terra!".

Esta luz:

Em primeiro lugar, brilha nas nossas incertezas

Talvez, no seu interior, você esteja com uma série de incertezas, como por exemplo: "Será que meu casamento vai dar certo?"; "Será que o meu projeto será aprovado pelo meu chefe?"; "Será que minha esposa, algum dia, conseguirá engravidar?".

São incertezas que nos consomem, tiram a nossa paz e a nossa alegria de viver. Mas, no meio de toda essa nebulosidade, vai brilhar a luz de Jesus Cristo! Ela mostrará qual é o melhor caminho e te ensinará a passar por ele.

Você encontrará, na paz que excede todo o entendimento, o arbitro do seu coração para as grandes decisões que você precisa tomar.

1 João 2.27: “Quanto a vós outros, a unção que d´Ele recebestes permanece em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como  a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é falsa, permanecei n´Ele, como também ela vos ensinou.”

Em segundo lugar, expõe tudo o que está oculto

Deus vai te revelar planos, conspirações e o que está sendo preparado para te destruir. Com está luz, virá também uma grande libertação.

Lucas 12.2: “Não há nada encoberto que não venha a ser revelado; e oculto que não venha a ser conhecido.”

Em terceiro lugar, traz perspectivas para o futuro.

Talvez, hoje, você esteja passando pelo momento mais difícil da sua vida e não encontre solução para o futuro. Mas, quando você deixa essa luz invadir sua vida, os caminhos se abrem. Aquele que está em Cristo jamais ficará perdido.


Provérbios 23.18: “Porque deveras haverá bom futuro; não será frustrada a tua esperança.”

sexta-feira, 8 de junho de 2018

Salvação: O nosso divisor de águas!



2 Coríntios 5.16 e 17: “Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo. E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.”. 

Nesta passagem, o apóstolo Paulo fala sobre o divisor de águas que o Senhor tem para realizar em nossas vidas!  

Mesmo que algumas pessoas não queiram reconhecer, a história da humanidade está dividida em antes e depois de Cristo! Assim deve ocorrer com nossas vidas também, através do novo nascimento que vivemos, quando aceitamos Jesus como o nosso senhor e salvador.   

Acontece que, como Paulo explica em Gálatas 5.19, há uma guerra constante entre a nossa carne e o nosso espírito, porque eles são opostos entre si. E, nessa guerra, nós precisamos estar atentos às seguintes verdades espirituais: 

1ª Nós não podemos conhecer Cristo segundo a carne  

O que é conhecer Jesus Cristo segundo a carne? É quando apenas sabemos que Ele existe. É quando somente ouvimos algo a respeito d’Ele. É uma informação que está somente no seu intelecto, mas não está no seu espírito ou no seu coração. Isso é bom? É apenas uma teoria, e teorias não têm o poder de transformar nada!  

O que você precisa, na verdade, é conhecer Jesus Cristo no Espírito. Como assim? É o que Paulo define como o novo nascimento. É o nascer do teu ser espiritual. Paulo fala que o nosso homem exterior se corrompe. Os anos passam... Nós envelhecemos... Isso é natural. Mas nosso homem espiritual se renova a cada dia, porque ele é imortal.  

Agora, quando queremos nos relacionar com o que é espiritual, mas de forma carnal, vêm a incredulidade, o desânimo, as impossibilidades e os questionamentos que resultam em uma grande frustração.  

Conhecer Cristo espiritualmente é o que Paulo expressa em Gálatas 6.17: “Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus.”. É ter marcas, é ser tocado, é senti-lo, é andar com Ele. É ter sua emoção completamente envolvida pelo Espírito Santo.  

Isaías 61.1 a 3: “O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados; a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória.”. 

2ª Se alguém está em Cristo, nova criatura é. As coisas velhas se passaram, e tudo se fez novo! 

E eu te pergunto? Por que você insiste em retomar os velhos hábitos? Por que você insiste em viver como se Deus não existisse? Por que você insiste em resgatar relacionamentos que quase te levaram para a morte? 

Em Cristo, você tem a oportunidade de deixar tudo isso para trás.  

Salmo 103.12: “Como está distante o Oriente do Ocidente, assim o Senhor afasta de nós as nossas transgressões.”. 

Isaías 43.25: “Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não me lembro.”. 

Deixe o passado definitivamente para trás e receba o novo do Senhor.  

Romanos 6.4: “Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.”. 

Mude de comportamento, mude as companhias, deixe aquelas conversinhas que sempre te levam para o mesmo lugar. Deixe para trás aqueles relacionamentos que sempre te jogam para baixo. Faça coisas novas! Em Cristo, você é nova criatura! 

3ª Volte a ter esperança  

Salmo 119.116: “Ampara-me, segundo a tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança me envergonhe.”. 

Salmo 125.1: “Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.”. 

Aquele que confia no Senhor não se entrega às circunstâncias. Ele olha para os montes, e sabe de onde virá o seu socorro. Ele anda firmado em promessas superiores e tem o coração cheio de esperança. 

Creia nesta palavra, porque:  

Em primeiro lugar: Haverá bom futuro! 

Provérbios 23.18: “Porque deveras haverá bom futuro; não será frustrada a tua esperança.”. 

Em segundo lugar: Deus vai fazer uma obra na sua vida tão grande, que as pessoas não vão acreditar 

Habacuque 1.5: “Vede entre as nações, olhai, maravilhai-vos e desvanecei, porque realizo, em vossos dias, obra tal, que vós não crereis, quando vos for contada.”. 

Em terceiro lugar: Deus vai te amparar e te fortalecer! 

Provérbios 18.10: “Torre forte é o nome do SENHOR, à qual o justo se acolhe e está seguro.”. 

Zacarias 9.12: “Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também, hoje, vos anuncio que tudo vos restituirei em dobro.”. 

Abra-se para este tempo de Deus! 

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Em Cristo, somos livres!


2 Coríntios 3.12 a 18: “Tendo, pois, tal esperança, servimo-nos de muita ousadia no falar. E não somos como Moisés, que punha véu sobre a face, para que os filhos de Israel não atentassem na terminação do que se desvanecia. Mas os sentidos deles se embotaram. Pois até ao dia de hoje, quando fazem a leitura da antiga aliança, o mesmo véu permanece, não lhes sendo revelado que, em Cristo, é removido.

Mas até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles. Quando, porém, algum deles se converte ao Senhor, o véu lhe é retirado.  Ora, o Senhor é o Espírito; e, onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.”

Queridos, o Apóstolo Paulo enfrentava uma oposição ministerial muito grande. Esta oposição, por incrível que pareça, era maior por parte dos judeus do que por parte dos gentios.

Ele, olhando para o comportamento religioso, teve a revelação do verdadeiro evangelho.

Com base em tudo isso, precisamos entender:

Em primeiro lugar, que Deus tem um tempo para todas as coisas, e que, para cara um, Ele tem um plano diferente.

O Senhor nos trata individualmente.

Moisés tinha um tempo com Deus. Os filhos de Israel temiam a glória do Senhor. Quando ela ia embora, Moisés colocava um véu!

Paulo quis dizer que, através de uma experiência verdadeira com Cristo, o véu da religiosidade é tirado de nossas vidas! Assim, nós passamos a ter livre acesso a Ele.

Entregue seu caminho ao Senhor!

Em segundo lugar, que Deus é Espírito, e, onde está o Espírito de Deus, há liberdade.

Você, muitas vezes, tem sido levado a ter uma vida hipócrita, cheia de regras, mas sem nenhuma experiência profunda com Deus.

Seja livre! Livre para orar, para reconhecer os seus erros, para pedir perdão e para seguir em frente...

Esta liberdade traz o mover das águas e te faz ir além do véu...

Em terceiro lugar, que, quando o véu é retirado, você é transformado de glória em glória.

Deus quer derramar a glória d’Ele sobre sua vida! Você é livre para viver os planos de Deus.

Não deixe que o inimigo te faça andar com o véu, porque ele já foi rasgado.

Deus quer que você seja livre pelo poder do sangue de Cristo!

João 8.36: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”

quarta-feira, 6 de junho de 2018

Livres da opressão da religiosidade!



Mateus 23.1 a 16: “Então, falou Jesus às multidões e aos seus discípulos: Na cadeira de Moisés, se assentaram os escribas e os fariseus. Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem. Atam fardos pesados [e difíceis de carregar] e os põem sobre os ombros dos homens; entretanto, eles mesmos nem com o dedo querem movê-los. 

Praticam, porém, todas as suas obras com o fim de serem vistos dos homens; pois alargam os seus filactérios e alongam as suas franjas. Amam o primeiro lugar nos banquetes e as primeiras cadeiras nas sinagogas, as saudações nas praças e o serem chamados mestres pelos homens. Vós, porém, não sereis chamados mestres, porque um só é vosso Mestre, e vós todos sois irmãos. A ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque só um é vosso Pai, aquele que está nos céus. 

Nem sereis chamados guias, porque um só é vosso Guia, o Cristo. Mas o maior dentre vós será vosso servo. Quem a si mesmo se exaltar será humilhado; e quem a si mesmo se humilhar será exaltado. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque fechais o reino dos céus diante dos homens; pois vós não entrais, nem deixais entrar os que estão entrando! 

[Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque devorais as casas das viúvas e, para o justificar, fazeis longas orações; por isso, sofrereis juízo muito mais severo!]. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque rodeais o mar e a terra para fazer um prosélito; e, uma vez feito, o tornais filho do inferno duas vezes mais do que vós. Ai de vós, guias cegos, que dizeis: Quem jurar pelo santuário, isso é nada; mas, se alguém jurar pelo ouro do santuário, fica obrigado pelo que jurou!”. 

Mateus 5.37: “Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno.”. 

Nesta passagem, o Senhor Jesus faz um alerta. Ele exorta, com autoridade, os fariseus e os saduceus. Ele os chama de hipócritas, porque tinham uma vida dupla. Eram aproveitadores e exploradores da fé alheia. Impunham as leis, com o objetivo de destruir as pessoas, e não para conduzi-las ao caminho dos céus.  

É incontestável dizer que a nossa realidade não é muito diferente. A intolerância religiosa tem subjugado e matado muitos servos de Deus.  

Jesus destacou alguns pontos importantes, que são libertadores. Hoje, eu vou contextualizar alguns: 

Em primeiro lugar, Ele disse: “Ai de vós, escribas e fariseus, porque têm feito de tudo para que as pessoas não entrem no reino dos céus.”. 

O Senhor Jesus veio para salvar e buscar os perdidos. Essa ideia de que as pessoas precisam de autorização humana para entrar no reino de Deus é uma grande mentira. Nós fomos salvos e alcançados pela graça!  

Efésios 2.8: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus...”. 

A graça nos dá livre acesso a Jesus Cristo! A graça nos coloca na rota da eternidade! A graça nos liberta das opressões do inferno.  

Em segundo lugar, Ele afirma: “Ai de vós, escribas e fariseus, porque ficam rodeando as pessoas com suas doutrinas e mentiras. O objetivo de vocês é tirar as pessoas do caminho da graça”.  

Os religiosos querem, a todo o custo, impedir a obra de Deus. Eles não se importam com as vidas perdidas, mas com o seu próprio ego.  

Ainda que você tenha sido enganado pela religiosidade, lembre-se de que Deus se importa com a sua vida! Ele te ama!  

Joao 3.16: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.”.

Em terceiro lugar, Ele alerta: “Ai de vós, escribas e fariseus, porque vocês falam que podem jurar por todas as coisas, inclusive pelos templos.”. 

Aqueles religiosos deturpavam a Palavra de Deus para atenderem suas próprias conveniências. Em relação a eles, o Senhor Jesus é bem específico: “Não os imiteis!”.  

Querido, não trilhe mais este caminho de destruição, tire as capas da religiosidade e venha para a graça! Não importa como você esteja. 

Mateus 11.28 e 30: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.". 

O Senhor Jesus tem um novo tempo para a sua vida! Um tempo de alegria, paz e liberdade!