terça-feira, 31 de julho de 2018

Vencendo o mal semeando o bem



Gálatas 6.9: “E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.”

Esta mensagem deixada pelo apóstolo Paulo nos ensina um principio que é fundamental para todas as áreas de nossas vidas.

Hoje, eu gostaria de abordar alguns detalhes deste versículo.

Ele começa dizendo: “Não se canse de praticar o bem!”. O que isso significa? Que praticar pode, sim, cansar.  Por quê? Por que, muitas vezes, nós praticamos o bem, mas só recebemos o mal!

Em vez de receber amor ou um simples gesto de carinho, muitas vezes, somos traídos, enganados, humilhados ou incompreendidos!

Essas injustiças nos levam a um terrível desgaste emocional. E esse desgaste é uma grande armadilha porque nos torna amargos, egoístas e tão cruéis quanto aqueles que tanto nos prejudicaram.

Somos tentados, todos os dias, a praticar o mal. Por isso, precisamos sempre nos renovar no Senhor. Em vez de olhar para os lados, em vez de questionar por que, muitas vezes, aquela pessoa que tanto te prejudicou aparenta estar melhor do que você, olhe para o alto!

Por exemplo, se o seu colega de trabalho foi promovido porque forjou resultados ou se apropriou de resultados alheios, em vez de seguir seus passos, busque estratégias no Senhor e trabalhe incansavelmente para apresentar resultados melhores e verdadeiros... Busque se superar e se aperfeiçoar... No tempo certo, você será reconhecido... E, além de ser promovido, você se manterá no cargo...

Será que aquele outro colega terá competência para se manter naquela posição? Com certeza não, porque ele não se preparou para isso... Mas você, sim! Chegar ao pódio é fácil, mas se manter, não... Então, independente das circunstâncias, continue praticando o bem, continue sendo fiel, continue sendo honesto, continue sendo verdadeiro, continue sendo humilde, continue semeando... Não importa se os outros merecem! O que importa é ter consciência tranquila e o coração limpo diante de Deus!

Na passagem que inicia nosso estudo Paulo continua, dizendo: “... porque a seu tempo ceifaremos...”

Nosso trabalho, no Senhor, nunca é em vão! No tempo certo, você colherá todo o bem que você semeou.

Agora, se nesse intervalo, você praticar o mal, o vento levará todas as suas sementes!

E, para finalizar, ele reforça: “... se não desfalecermos”. Não entregue os pontos! Seja perseverante! Ainda que você esteja ferido, caminhe! Porque, no final deste ciclo, com certeza, você levantará as mãos e dirá: “Valeu a pena!”.

Salmos 126.5: “Aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão.”

segunda-feira, 30 de julho de 2018

O esfriamento espiritual


Oseias 14.1 a 8: “Volta, ó Israel, para o Senhor, teu Deus, porque, pelos teus pecados, estás caído. Tende convosco palavras de arrependimento e convertei-vos ao Senhor; dizei-lhe: Perdoa toda a iniquidade, aceita o que é bom e, em vez de novilhos, os sacrifícios dos nossos lábios. A Assíria já não nos salvará, não iremos montados em cavalos e não mais diremos à obra das nossas mãos: tu és o nosso Deus; por ti o órfão alcançará misericórdia. Curarei a sua infidelidade, eu de mim mesmo os amarei, porque a minha ira se apartou deles.

Serei para Israel como orvalho, ele florescerá como o lírio e lançará suas raízes como o cedro do Líbano. Estender-se-ão os seus ramos, o seu esplendor será como o da oliveira, e sua fragrância como a do Líbano. Os que se assentam de novo à sua sombra voltarão; serão vivificados como o cereal e florescerão como a vide; a sua fama; a sua fama será como o vinho do Líbano. Ó Efraim, que tenho eu com os ídolos? Eu te ouvirei e cuidarei de ti; sou como o cipreste verde; de mim procede o seu fruto.”

No momento em que nós passamos por um esfriamento espiritual, estamos em apostasia. Apostatar é não se importar com nada! É não estar ligado a nada. O apóstata é indiferente e apático.

Paulo fala, em 1 Timóteo 1, que a apostasia é a origem do ensinamento de demônios. 

Existem muitas pessoas que, nesta condição, ensinam que não precisamos ir à igreja, que não existe cobertura espiritual, que a igreja não tem autoridade... Essas pessoas não respeitam autoridades, anulam o agir do Espírito Santo de Deus e espumam sua sujidade, como ondas bravias do mar.

Sabe qual será o destino delas? Infelizmente, será a queda, porque elas buscam sua própria destruição.

Judas 12 e 13: “Estes homens são como rochas submersas, em vossas festas de fraternidade, banqueteando-se juntos sem qualquer recato, pastores que a si mesmos se apascentam; nuvens sem água impelidas pelos ventos; árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidas, duplamente mortas, desarraigadas; ondas bravias do mar, que espumam suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre”.

Na passagem que lemos no início do estudo, Deus fala:

Em primeiro lugar: Levante-se!

Ele explica que você pode estar caído, porque se voltou aos ídolos, abandonou os ensinamentos do Senhor e deixou este esfriamento cauterizar o seu coração.

Se você está nesta condição, levante-se, porque Deus vai te restaurar. Levante-se, porque Ele tem um novo tempo para você!

Em segundo lugar: Creia!

Tenha consciência de que todas as alternativas, fora seguir a vontade de Deus, não te levaram a lugar algum! Os homens resolveram? Os ídolos resolveram? Essa doutrina esdruxula, herética e demoníaca resolveu? Não!

Então, o Senhor está dizendo: “Aquilo que não resolveu a sua vida, você vai abandonar! Você vai voltar a Mim, porque Eu tenho uma nova história para você!”.

Deus estava dando uma nova oportunidade ao povo de Israel, a oportunidade de serem curados.

Está palavra é tão tremenda, pois mostra a grandiosidade do amor do nosso Pai celestial. Se você abandonou a Deus, seu trabalho, sua casa e sua família, Ele vai te curar e te trazer de volta!

Ele vai limpar essas feridas, e não haverá mais nenhuma cicatriz do tempo em que você foi infiel! Ele faz nova todas as coisas!

Deus também estenderá sobre nós o Seu amor. Ele será o nosso cipreste e restaurará todas as coisas!

A Palavra do nosso Senhor vem com força aos nossos corações, mostrando que a destruição, que este tempo que você viveu afastado de Deus trouxe para você – porque estar longe do nosso Pai de amor traz consequências terríveis –, não faz mais parte de quem você é! O Senhor está transformando o seu deserto em um campo florido! Deus vai te restaurar, para que você volte a ser o Israel que Ele projetou.

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Um poder transformador


João 2.1 a 11: “Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, achando-se ali a mãe de Jesus. Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento. Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho. Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora.

Então, ela falou aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser. Estavam ali seis talhas de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas. Jesus lhes disse: Enchei de água as talhas. E eles as encheram totalmente. Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram.

Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora. Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galiléia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele.”

Este texto narra o primeiro milagre realizado por Jesus. O local escolhido foi uma festa de casamento em Caná da Galileia.

O poder transformador de Cristo se manifesta em elementos completamente distintos, a água e o vinho, mostrando que, n´Ele, não existem situações irreversíveis.

E este mesmo poder se manifesta em nossas vidas:

1- Transformando pecado em perdão

1 João 1.7: “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.”

Romanos 8.1: “Primeiramente, dou graças a meu Deus, mediante Jesus Cristo, no tocante a todos vós, porque, em todo o mundo, é proclamada a vossa fé.”

Colossenses 3.5: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria...”

Isaías 59.2: “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.”

2- Transformando maldição em bênção

Neemias 13.2: “...porquanto não tinham saído ao encontro dos filhos de Israel com pão e água; antes, assalariaram contra eles Balaão para os amaldiçoar; mas o nosso Deus converteu a maldição em bênção.”

Gálatas 3.13: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro)...”

Efésios 1.3: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo...”

3- Ele transforma opróbrio em honra

Jó 42.10: “Mudou o SENHOR a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos; e o SENHOR deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra.”

Sofonias 3.20: “Naquele tempo, eu vos farei voltar e vos recolherei; certamente, farei de vós um nome e um louvor entre todos os povos da terra, quando eu vos mudar a sorte diante dos vossos olhos, diz o SENHOR.”


Prepare-se para viver um tempo de grandes transformações em Cristo!

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Assuma quem você é em Jesus


Mateus 10. 24 a 33: “O discípulo não está acima do seu mestre, nem o servo, acima do seu senhor. Basta ao discípulo ser como o seu mestre, e ao servo, como o seu senhor. Se chamaram Belzebu ao dono da casa, quanto mais aos seus domésticos? Portanto, não os temais; pois nada há encoberto, que não venha a ser revelado; nem oculto, que não venha a ser conhecido.

O que vos digo às escuras, dizei-o a plena luz; e o que se vos diz ao ouvido, proclamai-o dos eirados. Não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei, antes, aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo. Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai. 

E, quanto a vós outros, até os cabelos todos da cabeça estão contados. Não temais, pois! Bem mais valeis vós do que muitos pardais. Portanto, todo aquele que me confessar diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus; mas aquele que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai, que está nos céus.". 

O Senhor Jesus, ministrando seus apóstolos, fala sobre essa intimidade, sobre este relacionamento próximo e deixa para eles algumas instruções poderosíssimas, em oculto, para que eles, em seguida, pudessem passá-las adiante publicamente:  

Em primeiro lugar, Ele disse: “Não temas, porque o discípulo não precisa ser maior que o mestre. Ele precisa ser igual ao seu mestre.”. 

Busque ser como Jesus Cristo! Antes de tomar qualquer atitude, pense: “O que Jesus faria se estivesse no meu lugar?”.  

Em segundo lugar, Ele afirmou: “Não temas, porque aqueles que podem matar o corpo não podem matar a alma!” 

Não tenha medo do que os homens podem fazer contra você! Mas tema aquele que pode matar sua alma e te levar para o inferno!  

Em terceiro lugar, o Senhor fala: “Você é cuidado pelo Deus vivo”. 

O Senhor te conhece. E ele não nos trata na coletividade, mas na nossa individualidade. Ele sabe o teu deitar e o teu levantar! Antes de a palavra chegar à tua boca, o Senhor já a conhece!  

Lance sua ansiedade sobre aquele que tem cuidado de você! Permaneça firme nas promessas do Senhor, pois é Ele quem te guarda e quem te protege de todo o mal.  

Em quarto lugar, Ele diz: “Aquele que me confessar diante dos homens eu o confessarei diante do Pai!”. 

Em Romanos 1, Paulo fala: “Não me envergonho do Evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que nele crê!”. 

Sabe, negar Jesus é muito mais complexo do que somente dizer: “Não O conheço!”. Pedro negou Jesus três vezes, mas foi perdoado porque se arrependeu. Negar Jesus é conhecê-lo, mas viver como se não O conhecesse! Negar Jesus é ignorar todas as verdades ensinadas por Ele. Negar Jesus é não praticar Sua Palavra!  

Negar é ter vergonha de falar de Jesus em seu trabalho, para os seus amigos ou para sua família. Se você continuar negando o Senhor com suas atitudes, pensamentos e palavras, sabe o que vai acontecer? Você também será negado por Ele diante do Pai.  

Assuma sua identidade! Assuma quem você é em Jesus! 

quarta-feira, 25 de julho de 2018

É tempo de reconstrução


Neemias 2.17: “Então lhes disse: Bem vedes vós a miséria em que estamos, que Jerusalém está assolada, e que as suas portas têm sido queimadas a fogo; vinde, pois, e reedifiquemos o muro de Jerusalém, e não sejamos mais um opróbrio.”

Em Jerusalém, todos estavam completamente desmotivados e sem nenhuma perspectiva.

Quantas vezes, nós olhamos a situação geral, e o que os nossos olhos contemplam é somente a impossibilidade de que dias melhores virão?

Por isso que, quando Jesus chora sobre a cidade de Jerusalém (Lucas 19.41 a 44), Ele fala sobre a Jerusalém assolada, fala sobre a Jerusalém que mata os seus profetas, que despreza a lei do Senhor e fala sobre a Jerusalém contaminada pelo espírito de desânimo.

O desânimo – a disposição mental contrária à natureza que Deus colocou no homem (Romanos 1) – pode exatamente ser para o lado do pecado, da prostituição, ou pode ser para o lado da entrega, quando decidimos entregar os pontos, quando não temos mais forças e nada que nos impulsione.

Neemias encontra a situação de um povo completamente assolado e, no seu espírito, ele tinha o envio, o envio para transformar aquele estado de assolação em uma obra – inexplicável aos olhos humanos, mas possível para Deus. Ele, então, se propõe a fazer aquilo que talvez as pessoas jamais poderiam pensar ou imaginar. Ele se propõe a reedificar os muros, os muros assolados de Jerusalém. Ele, então, em 52 dias, faz esta obra gloriosa e maravilhosa.

O que eu tenho buscado de Deus, a cada dia, é exatamente o entendimento espiritual daquilo que significava o antes daquele local. O antes era uma cidade sem defesa.

Em Jerusalém, ainda há os muros reconstruídos e edificados de uma maneira tão impressionante e em tempo recorde. Hoje, podemos passar por cima deles e observar que eram exatamente uma defesa, ou seja, eram extremamente estratégicos.

Ali, o inimigo estava em uma posição de inferioridade. Quando você não tem muros espirituais, você está em uma posição de inferioridade espiritual. Você não tem defesas e, ao mesmo tempo, não pode atacar. Isso é exatamente o que o inimigo quer fazer. Ele quer que nós fiquemos completamente desprotegidos e despreparados para as batalhas que temos que enfrentar. Em Efésios 6, Paulo fala exatamente sobre nós estarmos preparados e armados.

O Senhor deu a Neemias um foco: “Coloque defesas, para que a minha glória seja mostrada, para o retorno do shekinah.”. Nós precisamos de defesas para que possamos manter o que Deus tem nos dado. É por esse motivo que as gerações se perdem. É por esse motivo que nós vemos que não há uma sucessão.

Nós temos que ter defesas que nos deem uma posição privilegiada contra o inimigo e defesas que signifiquem uma proteção para tudo aquilo que Deus nos entregou.

Neemias entende isso e, estrategicamente, reconstrói os muros. Eu tenho certeza de que o trabalho de Cristo é o trabalho de Neemias: o trabalho de reconstruir as nossas defesas, de nos colocar em uma posição de autoridade, uma posição estratégica contra o inimigo, uma posição estratégica que nos permite estar verdadeiramente constituídos em cima de fortaleza. Por isso que nós estamos assentados com Cristo, acima de potestades, principados e dominadores.

Por isso que Davi fala sobre a cidade murada, sobre a proteção daquilo que são os nossos muros. Quando estamos dentro de uma cidade murada, temos exatamente o diferencial que é esta posição estratégica de autoridade. Que o Senhor possa te dar esta condição.

Eu poderia citar para vocês vários exemplos de muros, mas vou destacar alguns:

Muros da vida espiritual:

Quem não tem uma vida espiritual protegida, uma vida espiritual edificada, é uma pessoa enfraquecida e, consequentemente, não consegue chegar à plenitude de sua constituição.

Muros das relações pessoais:

Quando eu sou uma pessoa desprotegida, as minhas relações pessoais são problemáticas, são completamente desgovernadas, não têm uma direção do Espírito Santo de Deus. Eu, então, não consigo manter esta liga verdadeira, que é a liga da comunhão. Eu fico sem poder discernir, entender e, consequentemente, faço voos cegos.

Muros para a preservação do futuro:

Quando eu não tenho proteção para a minha caminhada, para aquilo que é o meu futuro, o que acontece? Eu sou consumido no presente. O muro significa: proteção para o futuro. O muro significa: eu ter realmente aquilo que eu posso construir, edificar e deixar um legado.

terça-feira, 24 de julho de 2018

O teu futuro já está determinado


Deuteronômio 31.1 a 8: “Passou Moisés a falar estas palavras a todo o Israel e disse-lhes: Sou, hoje, da idade de cento e vinte anos. Já não posso sair e entrar, e o SENHOR me disse: Não passarás o Jordão. O SENHOR, teu Deus, passará adiante de ti; ele destruirá estas nações de diante de ti, e tu as possuirás; Josué passará adiante de ti, como o SENHOR tem dito. O SENHOR lhes fará como fez a Seom e a Ogue, reis dos amorreus, os quais destruiu, bem como a sua terra. Quando, pois, o SENHOR vos entregar estes povos diante de vós, então, com eles fareis segundo todo o mandamento que vos tenho ordenado. Sede fortes e corajosos, não temais, nem vos atemorizeis diante deles, porque o SENHOR, vosso Deus, é quem vai convosco; não vos deixará, nem vos desamparará.

Chamou Moisés a Josué e lhe disse na presença de todo o Israel: Sê forte e corajoso; porque, com este povo, entrarás na terra que o SENHOR, sob juramento, prometeu dar a teus pais; e tu os farás herdá-la. O SENHOR é quem vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te atemorizes.”

Moisés já estava com 120 anos. Durante 40 anos, ele guiou o povo pelo deserto. Nesta caminhada, ele cometeu um erro: em vez de falar com a rocha, ele a feriu. Aquela rocha, segundo Paulo fala em 1 Coríntios 10, era Jesus Cristo.

Este momento de descontrole emocional impediu Moisés de passar pelo Jordão e terminar os seus dias na Terra Prometida.

Nesta passagem, ele mostrou ao povo, em primeiro lugar, que as promessas não morrem!

Os homens podem até morrer, mas as promessas, não! A palavra que sai do altar de Deus não volta vazia, mas prospera naquilo que Ele a designou.

O nosso futuro só é garantido quando, verdadeiramente, ele está debaixo da Palavra de Deus. Mas a nossa ansiedade acaba nos sabotando. 

Sempre, para nós, o futuro é incerto porque, de repente, tudo pode mudar. Nós, como seres humanos, não temos forças ou poder para administrar o futuro.

O nosso futuro não pode ser somente uma expectativa humana, ele tem que ser baseado nas promessas de Deus. Assim, elas se cumprirão nas nossas vidas, na vida dos nossos filhos e na vida dos filhos dos nossos filhos, até a quarta geração.

Em segundo lugar, Moisés disse: “Sejam fortes e corajosos porque o Senhor prometeu para nós um futuro maravilhoso!”.

Eu quero, por meio deste texto, profetizar e declarar sobre sua vida a palavra de Provérbios 23.18: “Haverá bom futuro, e tua esperança não falhará!”.

Assim como Josué falou, nenhuma das boas palavras deixará de se cumprir!

Moisés também deixou um alerta a eles, e este alerta também serve para nós: “Vocês só terão vitórias no futuro, se, no presente, vocês forem fortes e corajosos! Vocês não podem ser consumidos pelo desespero!”. Ele sabia que o povo enfrentaria muitas dificuldades pela frente.

Não podemos, nunca, nos esquecer que o mesmo Deus que prometeu irá diante de nós! Então, quando a situação apertar, não se desespere! Confie! Confie naquele que é o mesmo ontem, hoje e eternamente.

Com o teu coração fortalecido em esperança e convicções superiores, vá em frente!

Ao receber aquela palavra, o povo se reanimou no Senhor. Eles seguiriam a viagem sem Moisés, mas eles sabiam que as convicções daquele homem de Deus e seus ensinamentos sempre os acompanhariam.

Em terceiro lugar, Moisés disse: “O Senhor não os deixará e não os desamparará!”.

Talvez, hoje, você esteja sem perspectivas. Parece que tudo está perdido. Parece que você está sozinho nessa guerra. Mas só parece! Porque o Senhor não te deixou e nem te desamparou! Ele estará contigo nesta jornada, e você sairá dela vitorioso! Esta luta será um divisor de águas na sua vida.

Assim como está escrito em Zacarias 4.6, não será por força e nem por violência! Assim como está em Isaías 11.2, repousará sobre você o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor.

Este deserto será uma passagem, não o seu destino! Seja forte, corajoso e creia que o Senhor não te deixará e não te desemparará.

Você vai atravessar em vitória! O Jordão significa o cumprimento da promessa de Deus, a passagem para um novo tempo e representa o que está escrito em Josué 3.5: “Santificai-vos, porque amanhã o Senhor fará maravilhas no meio de vós!”.

sexta-feira, 20 de julho de 2018

Um Alerta!



Efésios 5.1 a 21: “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave. Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos; nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças. 

Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus. Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais participantes com eles. Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade), provando sempre o que é agradável ao Senhor. 

E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha. Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz. Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. 

Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.”. 

Nesta passagem, o apóstolo Paulo nos deixa um alerta sobre a importância de conhecermos as obras das trevas. Nós não podemos ignorar os intentos do inimigo.  

O que ocorre é que, infelizmente, muitos acabam perdendo a consciência de que um dos princípios fundamentais do evangelho é a santidade. 

Nós precisamos ser separados, precisamos ser luz do mundo e sal da terra. As pessoas precisam olhar para nós e enxergar a presença do Senhor. Mas o que acontece? Exatamente o oposto. A permissividade e a falta de conhecimento da Palavra de Deus têm levado muitos a procurar o evangelho, visando somente o seu bem estar pessoal.  

Deus tem para nós o bem estar; isso faz parte do plano d’Ele. Mas, para que possamos experimentar e estar debaixo da vontade do Senhor, precisamos ser santos como Ele é santo. Precisamos andar em novidade de vida.  

Infelizmente, é muito comum nos depararmos com pessoas que se dizem servas de Deus, mas acabam tendo atitudes e reações piores do que a dos ímpios. Sem perceber, elas estão andando nas trevas. Para vencê-las, precisamos exercer a autoridade que o Senhor nos deu. De que maneira? Resistindo-as, ou seja, não ser participante das obras do inferno.  

Está na hora de você ser radical. Está na hora de o mundo começar a entrar em nós algo diferente. Está na hora de sair das trevas e ser participante das obras de Cristo. É uma questão de escolha, porque ninguém pode servir dois senhores.  

Paulo deixou também a seguinte mensagem: “Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará!”.  

Está na hora de despertar e assumir a missão que o Senhor tem para você! Está na hora de deixar a podridão do mundo e ser cheio do Espírito Santo.  

Gálatas 5.22: “... o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade.”.

quinta-feira, 19 de julho de 2018

Jesus e a mulher siro-fenícia



Mateus 15.24 a 30: “Partindo Jesus dali, retirou-se para os lados de Tiro e Sidom. E eis que uma mulher cananeia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada. 

Ele, porém, não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, aproximando-se, rogaram-lhe: Despede-a, pois vem clamando atrás de nós. Mas Jesus respondeu: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. 

Ela, porém, veio e o adorou, dizendo: Senhor, socorre-me! Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ela, contudo, replicou: Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos. Então, lhe disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã.”. 

Queridos, quando nós conseguimos mover o coração do Senhor Jesus em nossa direção, não há limites para o nosso milagre. É o que esta história nos mostra.  

Quando Jesus chega à região de Tiro e Sidom, aquela mulher cananeia – ou siro-fenícia – vai ao encontro d'Ele em busca de uma milagre para a sua filha, que estava endemoninhada.  

Ela, simplesmente, não mediu esforços para conseguir o que queria.  

Em primeiro lugar, aquela mulher se ajoelhou na presença de Jesus e O adorou.  

Jesus, querendo provar o coração daquela mulher, não a atendeu imediatamente e disse: “Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos.”. 

Em segundo lugar, ela não aceitou aquela resposta, porque sabia que existia amor em Jesus.  

Aquela mulher, com muita fé, respondeu: “Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos!”. 

Para ela, as migalhas de Jesus eram o suficiente. Jesus, então, libertou a filha daquela cananeia.  

Querido, a exemplo do que aconteceu com ela, o Senhor tem para realizar na sua vida o impossível e o improvável. Ele vai honrar a sua fé e determinação.  

Aquela mulher teve cinco atitudes que foram essenciais para que o milagre se manifestasse.  

1- A humilhação; 

2- Ela se posicionou diante da dificuldade; 

3- Ela não se intimidou; 

4- Ela argumentou por aquilo que havia no seu coração; 

5- Ela se preparou para receber o milagre.  

Que está palavra posso despertar na sua vida atitudes de fé, porque o seu milagre já está liberado, em nome de Jesus! 

terça-feira, 17 de julho de 2018

Confie nos propósitos de Deus!


2 Coríntios 12.7 a 10: “E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim.  Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.”

Essa palavra é extremamente profunda de um homem experimentado. Ninguém escreveria algo assim, se não tivesse recebido profundas revelações de Deus e se não tivesse uma experiência poderosa com o Senhor.

O apóstolo Paulo vivia para Cristo. Ele disse em Gálatas 2.20: “Não vivo eu, mas Cristo vive em mim.”. A vida dele foi completamente entregue nas mãos de Deus. Nós precisamos buscar viver dessa maneira.
                                                                                             
Para vivermos integrados com o nosso chamado, nós precisamos entender que luta é diferente de castigo. Muitas pessoas pensam que você está passando por lutas, porque Deus está te punindo, mas o que acabamos de ler é exatamente o contrário disso!

Paulo tinha um espinho na carne. Ele, obviamente, não cita em suas cartas o que era esse espinho, mas podemos entender que era alguma luta, alguma dificuldade pessoal, algo que ele tinha como peso.

Paulo pediu para que Deus o arrancasse – uma atitude absolutamente normal, pois sempre que passamos por dificuldades, pedimos a Deus um livramento.

Depois de Paulo ter pedido três vezes, a resposta de Deus foi: “A minha graça te basta!”.

A graça de Cristo, o amor de Cristo, a bondade de Cristo e o acesso a Cristo eram o suficiente! É disso que nós precisamos!

Você não precisa de compreensão humana! Você não precisa de amizades! Você não precisa da posição pela qual você está lutando! Antes de tudo isso, você precisa da graça de Deus. A graça que te equilibra, que te cura, que te dá sabedoria e que te impulsiona a viver o novo de Deus.

Com base nesta palavra, quero citar três pontos importantes:

Em primeiro lugar, Paulo entendeu o que Jesus disse!

Eu acredito que ele deve ter pensando da seguinte forma: “Eu vou continuar com esse espinho, mas maior do que ele é a graça que eu recebi, porque sem o espinho e sem a graça, eu vou desfalecer. Mas com o espinho e com a graça, serei mais que vencedor.”.

Em segundo lugar, Paulo falou algo muito difícil de entender nos dias atuais: “Tendes prazer por passardes por várias provações”.

Será que Paulo estava falando para sermos masoquistas?  Será que ele disse: “Alegre-se com essa desgraça que você está vivendo!”?

Ele explica que tudo o que acontece conosco tem um propósito maior em Deus. A enfermidade tem um propósito, a luta financeira tem um propósito...

Mas qual é a origem dessas lutas?

Essa é uma pergunta muito frequente na igreja. Na carta aos tessalonicenses, Paulo fala que a origem são os prazeres da nossa carne.

Muitas das nossas lutas são de origem espiritual, por isso, nós jejuamos, oramos, clamamos e louvamos! Entretanto, existem lutas que são de origem carnal, porque optamos por atitudes erradas. Todos os nossos atos têm consequências!

Precisamos entender que, independente da causa de cada enfermidade, se nós nos abrirmos para sermos controlados pelo Espírito Santo, não morreremos no meio da batalha, não ficaremos com as marcas do passado, pois vamos evoluir.

A tua luta é um fator de desenvolvimento. A tua dificuldade é o trabalhar de Deus.

Paulo fala: “Quando você passar por aflições, angustias, provações e perseguições, não deixe nada te derrubar! Sinta, no seu interior, que Deus permitiu essa situação para o teu crescimento e desenvolvimento.

Depois dessa luta, você sairá mais forte, mais determinado, mais experiente, mais sábio, mais sensível às dificuldades do seu próximo, mais amoroso, mais misericordioso e mais convicto.

Em terceiro lugar, há um segredo espiritual, no qual diz que o poder de Deus se aperfeiçoa nas nossas fraquezas.

Você se sente fraco? Mas, no Senhor, você é forte! Faça de Zacarias 4:6, a sua verdade. Sabe o que está escrito: “Não é por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos.”.

Você vai descobrir que, mesmo nessa tempestade, você pode andar e lutar.

Você vai aprender que a perseguição pode até chegar a um nível quase insuportável, mas você vai passar por ela e vai resistir no Senhor.

Permanecer em pé significa que eu estou abrindo as portas para o futuro que Deus deseja.

Sabe qual foi o segredo de Paulo? Ele entendeu que o poder de Deus se aperfeiçoa em suas fraquezas!

Talvez, você tenha pensado que está tão fraco que não consegue nem sair da cama. Talvez, você tenha pensado em entregar os pontos...

Você só pensou! Sabe por quê? Porque, quando pensamos que estamos fracos, na verdade, somos fortes.

Quando você pensa que está sozinho na batalha, vem sobre ti o poder do Espírito Santo, vem o poder da graça, vem a autoridade, vem a esperança... e, então, inexplicavelmente, você é tomado pela alegria do Senhor, que é a nossa força!

Você vai ultrapassar barreiras, vai ficar mais resistente, e o desejo maligno do coração humano não vai prosperar.


Tome posse dessa palavra! Levante sua cabeça e siga em frente, porque o Senhor é contigo!

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Saber esperar é uma virtude!


Mateus 6.25 a 34: “Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?

Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?

Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.”

Essa passagem é tão tremenda, que deveria fazer parte da nossa leitura bíblica diária.

O Senhor Jesus, em amor, faz uma advertência e uma exortação, por quê? Porque há um sentimento em nós terrível, que o inimigo faz de tudo para estimular... Este sentimento se chama ansiedade. 

Hoje, com base nesta passagem, eu vou deixar registrado aqui uma verdade espiritual. A ansiedade é a porta que nos leva à incredulidade. Por que eu afirmo isso?

A ansiedade transmite uma tensão e uma expectativa, que, quando é frustrada, leva-nos a desconfiar do amor e do poder de Deus.

A ansiedade leva à incredulidade e, consequentemente, à precipitação. O ansioso, em seu desespero, acaba interrompendo os planos de Deus.

Em Mateus 6, Jesus afirma que o Senhor conhece cada uma de nossas necessidades. Por isso, não devemos nos desesperar, porque o desespero é sinal de que desconfiamos d´Ele.

Dar lugar à ansiedade é o mesmo que a agir como os ímpios...

“Mas, apóstolo, eu tenho orado, eu tenho jejuado, mas não tenho visto um sinal do favor de Deus!”.

Querido, não se preocupe, porque nossa leve e momentânea tribulação produz um tempo de glória! Há um tempo determinado para todas as coisas. Há um tempo determinado para a semeadura e há um tempo determinado para a colheita!

Saber esperar é uma das maiores virtudes que o ser humano pode ter. Só sabe esperar quem tem o controle do Espírito Santo.

O meu conselho para você, nesta terça-feira, é, em vez de colocar suas energias na ansiedade e em expectativas humanas, canalize-as para a perseverança nas promessas do Senhor. Mude o foco. Mude sua disposição interior! Desta forma, tudo ficará mais leve.

“Apóstolo, e se nada acontecer?”. Ficar desesperado só vai piorar! Agora, perseverar e confiar vai te colocar na rota da vontade de Deus, que é boa perfeita e agradável. Ele tem o melhor para você. Lembre-se de que você é filho amado.

A erva nasce e logo morre, mas Deus tem propósitos maiores para a sua vida!


Creia porque, no tempo d’Ele, haverá uma poderosa liberação! 

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Em qual plano você está?



Gálatas 5.16 a 24: “Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais sob a lei.
 
 Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam. 

Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.”.

Para não satisfazermos os desejos carnais, precisamos andar no espírito. Existem três posições que podemos ocupar no mundo espiritual. 

O primeiro plano é o carnal: Quando a pessoa exerce as obras da carne, como prostituição, mentira, lascívia, inveja, guerras, facções... São pessoas que se entregam às sujeiras deste mundo e, consequentemente, à morte. 

O segundo plano é o da religiosidade: São aqueles que vivem de aparências. São aqueles cujo deus é o próprio ventre. 

Apocalipse 2.4 a 6: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas. Tens, contudo, a teu favor que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.”.

Judas 1.12 e 13: “Estes homens são como rochas submersas, em vossas festas de fraternidade, banqueteando-se juntos sem qualquer recato, pastores que a si mesmos se apascentam; nuvens sem água impelidas pelos ventos; árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidas, duplamente mortas, desarraigadas; ondas bravias do mar, que espumam as suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre.”.

Uma das características de religiosidade é a crueldade. É exatamente o que Jesus Cristo nos mostra na Parábola do Bom Samaritano. São pessoas que ignoram a dor e o sofrimento alheio. São aqueles que têm posicionamentos contrários à Palavra de Deus. 

Quem está neste plano deixa de ter a alegria na salvação. Quem está neste plano tem uma vida dupla e se coloca debaixo de um jugo, que a impede de receber o amor do Senhor. 

O terceiro plano é o apostólico: É o plano da revelação, dos sinais, prodígios e maravilhas. Ocupamos este plano quando carregamos em nosso corpo as marcas do evangelho. 

2 Coríntios 12.12: “Os sinais do meu apostolado foram manifestados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e maravilhas.”.

É onde somos guiados pelo Espírito Santo e encontramos descanso nos braços do Pai.

Saia dos planos carnal e religioso e venha para o plano apostólico. Deus tem uma grande obra para realizar na sua vida! Desta forma, você caminhará no espírito. 

Gálatas 5.22 e 23: Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei.”.

terça-feira, 10 de julho de 2018

Acima de tudo, está a vontade de Deus!


No segundo período do Acampa Day das Mais que Vencedoras, realizado nesta segunda-feira (09), na Fazenda Renascer, em Mairinque (SP), o Apóstolo Estevam Hernandes deixou uma mensagem inspiradora, com base na história de Zacarias e Isabel – pais de João Batista. Acompanhe abaixo:


Lucas 1.5 a 25: “Nos dias de Herodes, rei da Judéia, houve um sacerdote chamado Zacarias, do turno de Abias. Sua mulher era das filhas de Arão e se chamava Isabel. Ambos eram justos diante de Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os preceitos e mandamentos do Senhor. E não tinham filhos, porque Isabel era estéril, sendo eles avançados em dias.

Ora, aconteceu que, exercendo ele diante de Deus o sacerdócio na ordem do seu turno, coube-lhe por sorte, segundo o costume sacerdotal, entrar no santuário do Senhor para queimar o incenso; e, durante esse tempo, toda a multidão do povo permanecia da parte de fora, orando.

E eis que lhe apareceu um anjo do Senhor, em pé, à direita do altar do incenso. Vendo-o, Zacarias turbou-se, e apoderou-se dele o temor. Disse-lhe, porém, o anjo: Zacarias, não temas, porque a tua oração foi ouvida; e Isabel, tua mulher, te dará à luz um filho, a quem darás o nome de João. Em ti haverá prazer e alegria, e muitos se regozijarão com o seu nascimento.

Pois ele será grande diante do Senhor, não beberá vinho nem bebida forte e será cheio do Espírito Santo, já do ventre materno. E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor, seu Deus. E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado.

Então, perguntou Zacarias ao anjo: Como saberei isto? Pois eu sou velho, e minha mulher, avançada em dias. Respondeu-lhe o anjo: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado para falar-te e trazer-te estas boas-novas. Todavia, ficarás mudo e não poderás falar até ao dia em que estas coisas venham a realizar-se; porquanto não acreditaste nas minhas palavras, as quais, a seu tempo, se cumprirão.

O povo estava esperando a Zacarias e admirava-se de que tanto se demorasse no santuário. Mas, saindo ele, não lhes podia falar; então, entenderam que tivera uma visão no santuário. E expressava-se por acenos e permanecia mudo. Sucedeu que, terminados os dias de seu ministério, voltou para casa. Passados esses dias, Isabel, sua mulher, concebeu e ocultou-se por cinco meses, dizendo: Assim me fez o Senhor, contemplando-me, para anular o meu opróbrio perante os homens.”


Isabel era prima de Maria e casada com Zacarias – um grande sacerdote. Seu maior sonho era gerar um filho.

Naquela época, as mulheres que não podiam engravidar eram discriminaras. Muitas, inclusive, por conta disso, eram abandonadas pelos maridos.

Aquela situação de infertilidade trouxe uma grande crise para aquele casamento, mas o Senhor tinha planos superiores.

Certo dia, enquanto Zacarias estava exercendo suas funções como sacerdote, um anjo o visitou com a notícia de que Isabel iria engravidar.

Isabel, com o passar do tempo, viu aquela promessa se cumprir e gerou João Batista, o grande percursor do evangelho, aquele que o Senhor escolheu para anunciar a chegada de Jesus Cristo!

João Batista era filho da impossibilidade, mostrando que, acima de tudo, está a vontade de Deus e que Suas promessas não falham.

Hoje, eu quero dizer que, independente das suas dificuldades, você dará á luz ao seu João Batista!

Vocês são aquelas que Deus escolheu para levar o evangelho hoje! Levante-se, em autoridade, porque o Senhor tem uma grande obra para realizar em você e através de você.


Redação iGospel

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Ocupe o lugar que o Senhor determinou


Durante a Ceia de Oficiais realizada neste sábado (07.07), na Renascer Arena, o Apóstolo Estevam Hernandes leu a passagem bíblica de Marcos 10.35 a 45 e falou sobre como ocupar espaços físicos e espirituais.


“No capítulo 20, Mateus relata que o pedido para se sentar ao lado de Jesus não partiu de Tiago e João, mas da mãe de ambos. Porém Jesus Cristo deu a eles uma resposta inesperada!”, contextualizou.

Na sequência, o Apóstolo explicou que Jesus Cristo mostrou as condições que poderiam levá-los a ocupar aquele espaço. Veja a seguir:

1- Para se assentar com Ele, era necessário pagar um preço alto (cálice de dores)

“O quanto estamos preparados para verdadeiramente pagar um preço para ocupar uma posição espiritual que nos coloque ao lado de Cristo?”, questionou ele.

“Todos os grandes homens da Bíblia precisaram fazer grandes sacrifícios para entrar no plano de Deus”, conscientizou.

2- Ter consciência de que todos têm um espaço determinado espiritualmente (Mateus 11.12)

“Deus tem uma posição e uma porção para cada um de nós. Para alcançá-las e recebê-las, precisamos nos esforçar, por que o Reino de Deus é tomado à força!”, afirmou.

3- Ter consciência de que, no mundo espiritual, os papéis são invertidos

“Jesus nasceu para servir, não para ser servido. Essa deve ser a essência do nosso chamado!”, declarou.


Dando seguimento à ministração, ele afirmou que:
  
1- Precisamos eliminar as guerras e políticas humanas do Corpo de Cristo (1 Coríntios 1.10 a 13)

“A divisão é um câncer! Precisamos nos amar, porque somos irmãos em Cristo! Precisamos andar como Ele andou”, reforçou.

2- Precisamos quebrar o fascínio pelo poder humano (Gálatas 3.1 a 3)

“Guarde o seu coração! Busque ocupar as posições que Deus determinou. Não importa quem você é para os homens, mas quem você é para Ele!”, conscientizou.

3- Não podemos permitir que Satanás ocupe lugares santos (Marcos 13.14 e Efésios 1.10 a 23)

“A nossa posição, como igreja, é estar acima de principados, potestades e dominadores! Esse é o lugar que Cristo separou para nós!”, declarou.

Para finalizar, o Apóstolo Estevam explicou que, para ocuparmos os lugares que o Senhor reservou para nós, é necessário:

1- Limpar nossas casas como Ezequias (2 Crônicas 29.3 a 5)

“Temos que tirar toda a imundície dos lugares santos para que a glória do Senhor se manifeste. Nós somos o altar que o Senhor edificou na terra. Por isso, precisamos constantemente nos purificar”, declarou.

2- Entregar-se ao chamado apostolicamente (2 Coríntios 12.7 a 10)

“Dores e sofrimentos fazem parte do chamado, mas, quando resistimos, ocupamos uma posição espiritual que Satanás não pode alcançar”, disse.

3- Ter o fogo santo que nos faz reconhecidos como ungidos (Números 16.4 e 1 Coríntios 3.13)

“A sua posição no mundo espiritual já está determinada! Agora, é tempo de ocupar”, finalizou.



Redação iGospel
Fotos: Leonardo Júnior e Giulia Giaffredo