quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Uma oferta viva!



Atos 7.54 a 60: “Ouvindo eles isto, enfureciam-se no seu coração e rilhavam os dentes contra ele. Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à sua direita, e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, em pé à destra de Deus. 

Eles, porém, clamando em alta voz, taparam os ouvidos e, unânimes, arremeteram contra ele. E, lançando-o fora da cidade, o apedrejaram. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo. E apedrejavam Estêvão, que invocava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito! Então, ajoelhando-se, clamou em alta voz: Senhor, não lhes imputes este pecado! Com estas palavras, adormeceu.”

Estêvão foi colocado diante do sinédrio e acusado de heresia, porque essa era a estratégia dos religiosos que queriam matar a igreja que estava nascendo. 

O fato de ele ser sábio, capacitado, conhecedor da lei, cheio do Espírito Santo e ser usado com poder e grande glória começou a trazer um incômodo terrível entre aqueles que eram contra o evangelho. O que se manifesta, então? O espírito do anticristo, aquele que se opõem a tudo relacionado a Jesus Cristo. 

Hoje, eu quero dividir com vocês algo muito sério sobre este assunto. Uma coisa é a possessão. O espírito do anticristo, até o momento, não possui ninguém. Mas ele manifesta os seus sentimentos nas pessoas. De acordo com João, ele já está no mundo. 

1 João 4.3: “... e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo.”. 

Então, veja bem, até aqueles que serviam a Jesus podem ter, em si, a manifestação do espírito do anticristo. Por isso que, muitas vezes, você não compreende algumas pessoas que dizem que acreditavam em Deus, mas se levantam contra tudo o que está relacionado a Jesus Cristo, principalmente contra Sua obra. 

Tome cuidado com os julgamentos precipitados e as palavras proferidas contra a igreja e seus ungidos, contra você mesmo, contra o seu casamento.... Aquilo que você pratica contrário a esta palavra é a manifestação do espírito do anticristo, e ela te coloca em juízo perante Deus. 

Aqueles que têm sua manifestação e não se consertam acabam cometendo abominações e pecando contra o Espírito Santo. Muitos, infelizmente, não encontram um caminho de arrependimento. 

Aqueles homens que mataram Estêvão estavam contaminados pelo espírito do anticristo. Entre eles, estava Saulo. 

Saulo achava que estava praticando o bem, que estava defendendo os interesses da lei judaica, mas, na verdade, estava permitindo o apedrejamento de um homem de Deus. Quando Estêvão fez aquele discurso, houve uma reação terrível. 

Sabe, querido, Deus vai te usar, mas as reações contrárias vão se manifestar. Entretanto, se agirmos de acordo com Tiago 4.17“Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” –, a vitória é garantida. Precisamos resistir, precisamos nos santificar! 

Talvez, as pedras que o inimigo está jogando não te machuquem fisicamente, mas te ferem emocionalmente, matando suas motivações e sonhos. Você precisa resistir, rejeitá-las e canalizá-las, para que a glória do Senhor se manifeste. 

O inimigo achou que estava destruindo Estêvão. Mas ele mal sabia que aquele homem era a ofertava viva que geraria o apóstolo Paulo, aquele que causou um grande estrago no inferno. 

Estêvão viu a glória de Deus e foi recebido nos céus. Ele, ainda, deixou uma habilitação. A capa dele foi colada aos pés de Saulo, que se transformou em Paulo, um grande apóstolo de Jesus Cristo. 

Eu termino está palavra dizendo: Estas pedras podem ser lançadas com o objetivo de te matar, mas elas serão um instrumento de Deus para te habilitar para coisas superiores. 

A exemplo do que aconteceu com Estêvão, hoje, estamos gerando coisas grandes para o futuro, porque o mover apostólico não pode parar. Quem poderia imaginar que aquele apedrejamento traria à existência o apóstolo Paulo? 

Deus tem o poder de transformar lutas em bênçãos. Creia nesta palavra e lembre-se: Tudo coopera para o bem para aqueles que amam a Deus!

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Paz em meio às perseguições


João 16. 25 a 33: “Estas coisas vos tenho dito por meio de figuras; vem a hora em que não vos falarei por meio de comparações, mas vos falarei claramente a respeito do Pai. Naquele dia, pedireis em meu nome; e não vos digo que rogarei ao Pai por vós. Porque o próprio Pai vos ama, visto que me tendes amado e tendes crido que eu vim da parte de Deus. Vim do Pai e entrei no mundo; todavia, deixo o mundo e vou para o Pai.

Disseram os seus discípulos: Agora é que falas claramente e não empregas nenhuma figura. Agora, vemos que sabes todas as coisas e não precisas de que alguém te pergunte; por isso, cremos que, de fato, vieste de Deus. Respondeu-lhes Jesus: Credes agora? Eis que vem a hora e já é chegada, em que sereis dispersos, cada um para sua casa, e me deixareis só; contudo, não estou só, porque o Pai está comigo. Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.”

No final de sua jornada com os apóstolos, Jesus fala: "Eu vou para o meu Pai. Vocês vão pedir em meu nome, e Ele atenderá. Vocês terão uma linha direta com o Senhor. Vocês serão marcados como aqueles que se relacionam com o Deus vivo! Agora, eu estou convosco, mas vos deixarei. Vocês serão dispersos, depois da minha partida!".

Jesus os estava preparando, pois eles enfrentariam muitas perseguições, perseguições que sempre fizeram parte da história do cristianismo.

O mundo ficou chocado quando 21 cristãos foram decapitados pelo Estado Islâmico. As últimas palavras de alguns daqueles homens foram: “Senhor Jesus Cristo!”.

O Messias nos ensinou que, quando somos perseguidos em Seu nome, somos bem-aventurados.

O irmão de dois daqueles cristãos decapitados afirmou: “Eles me fazem andar de cabeça erguida, orgulhoso! O EI deu mais do que pedimos ao não cortar da edição do vídeo a parte que eles declaravam sua fé e clamavam por Jesus Cristo. Isso fortaleceu a nossa fé!”.

Muitos perguntam: “Por que tanto ódio? Por que tanta crueldade?”.

A verdade é que o inimigo tem ódio porque a solução da humanidade está no evangelho de Jesus Cristo. O evangelho traz salvação e a vida eterna!

Jesus também fala sobre os últimos dias, que são aqueles que nós estamos vivendo. O Senhor afirmou que, neles, nós presenciaríamos guerras, terremotos e muitas situações de dificuldade. O homem está se degradando, e a natureza está sofrendo. Estes são sinais de que Jesus está voltando.

Ele voltará com poder e grande glória. Todos os olhos verão e todas as línguas confessarão que Ele é o Senhor.

Nós temos que ficar atentos com estas situações de perseguição, com os sinais da natureza e com o estado deplorável que a humanidade se encontra.

Não precisamos ir muito longe para perceber isso. Aqui, no centro de São Paulo, por exemplo,  temos a Cracolândia, um lugar marcado pela destruição. Este local mostra o poder degradante das drogas. Ali, nós vemos pessoas que foram, literalmente, descartadas pela sociedade.

Por fim, mesmo mostrando as situações difíceis que enfrentaríamos, Jesus nos enche de esperanças e convicções: “No mundo, tereis aflições, mas tende bom ânimo, Eu venci o mundo!”.

Tenha bom ânimo porque Ele já venceu essa enfermidade. Tenha bom ânimo, porque, n’Ele, somos mais que vencedores. Tenha bom ânimo porque o céu não está em crise.

Renove as tuas forças porque o Senhor e contigo! Permaneça firme n’Ele e em Suas promessas, porque o mal não te tocará!

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Em Cristo, vencemos o que nunca foi vencido



Josué 15.63: “Não puderam, porém, os filhos de Judá expulsar os jebuseus que habitavam em Jerusalém; assim, habitam os jebuseus com os filhos de Judá em Jerusalém até ao dia de hoje.”

Josué e os judeus receberam a missão de expulsar os jebuseus de Jerusalém. Mas, infelizmente, não conseguiram detê-los.

Essa vitória, então, ficou reservada para aquele que quebraria o orgulho e a arrogância daquele povo: Davi!

2 Samuel 5.6 a 10: “Partiu o rei com os seus homens para Jerusalém, contra os jebuseus que habitavam naquela terra e que disseram a Davi: Não entrarás aqui, porque os cegos e os coxos te repelirão, como quem diz: Davi não entrará neste lugar. Porém Davi tomou a fortaleza de Sião; esta é a Cidade de Davi.

Davi, naquele dia, mandou dizer: Todo o que está disposto a ferir os jebuseus suba pelo canal subterrâneo e fira os cegos e os coxos, a quem a alma de Davi aborrece. (Por isso, se diz: Nem cego nem coxo entrará na casa). Assim, habitou Davi na fortaleza e lhe chamou a Cidade de Davi; foi edificando em redor, desde Milo e para dentro. Ia Davi crescendo em poder cada vez mais, porque o Senhor, Deus dos Exércitos, era com ele.”

Temos que nos levantar contra as malignidades do inferno. Em autoridade e debaixo da bênção do Senhor, podemos vencer o que nunca ninguém venceu, como Jesus Cristo fez na cruz do Calvário.

1 Coríntios 15.55 a 57: “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.”

Para vencer o que nunca foi vencido e conquistar o que nunca foi conquistado, precisamos:

1- Vencer nossos fantasmas interiores (crenças limitadoras)

1 João 4.18: “No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor.”

Mateus 14.26: “E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram.”

Em vez de nutrir seus medos, alimente sua fé!

2- Vencer as intimidações externas (não ceder às pressões)

1 Reis 17.1 a 4: “Acabe fez saber a Jezabel tudo quanto Elias havia feito e como matara todos os profetas à espada. Então, Jezabel mandou um mensageiro a Elias a dizer-lhe: Façam-me os deuses como lhes aprouver se amanhã a estas horas não fizer eu à tua vida como fizeste a cada um deles. Temendo, pois, Elias, levantou-se, e, para salvar sua vida, se foi, e chegou a Berseba, que pertence a Judá; e ali deixou o seu moço.

Ele mesmo, porém, se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte e disse: Basta; toma agora, ó Senhor, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais.”

Elias tinha forças e unção para vencer, mas não tinha disposição para enfrentar Jezabel. Preferiu ceder às ameaças dela, em vez de seguir a orientação do Senhor.

Isaías 1.19: “Se quiserdes e me ouvirdes, comereis o melhor desta terra.”

3- Não ter medo de recomeçar ou tentar outra vez (seja perseverante)

Atos 9.28 a 30: “Estava com eles em Jerusalém, entrando e saindo, pregando ousadamente em nome do Senhor. Falava e discutia com os helenistas; mas eles procuravam tirar-lhe a vida. Tendo, porém, isto chegado ao conhecimento dos irmãos, levaram-no até Cesareia e dali o enviaram para Tarso.”

Gálatas 2.1: “Depois, passados quatorze anos, subi outra vez a Jerusalém com Barnabé, levando também comigo Tito.”

Após permanecer em Tarso por 14 anos, Paulo decide voltar a Jerusalém para enfrentar os religiosos e a estrutura romana. O anonimato era estratégico, mas abandonar a missão, não!

Deus não te levantou para você ser dono de projetos inacabados, mas para você cumprir os propósitos d’Ele aqui na terra.

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Há tempo para tudo



Eclesiastes 3.1 a 8: “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu: há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar de alegria; tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar; tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora; tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar; tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz.”

O que esta passagem nos ensina? Que precisamos confiar em Deus e em seus ciclos, ou seja, não podemos nos precipitar. 

Muitas vezes, queremos que as coisas aconteçam no nosso tempo e do nosso jeito. No final, acabamos atropelando tudo. 

Provérbios 19.2: “Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado.”

Precisamos dominar nossos impulsos. A ansiedade, por exemplo, faz com que tenhamos uma expectativa interior tão forte, que acabamos ficando enfermos, desesperados e transtornados! 

Jesus mesmo nos ensinou, em Mateus 6, que, por mais que andemos ansiosos, não podemos acrescentar um côvado à nossa estatura, ou seja, não podemos mudar nada. A ansiedade não acelera processos, não encurta intervalos, não acelera o tempo... 

Outra sensação que nos rouba, e muito, é o estresse. Ele, literalmente, suga todas as nossas energias e, assim como ansiedade, nos deixa atormentados. Depois do trabalho, você, de repente, já não tem mais energia para nada. Depois de chegar em casa, você toma um banho e se joga na cama; não fala com ninguém. Chega o final de semana, e você não tem disposição para nada. Sabe o que está acontecendo? Você está queimando seus dias. No final do ano, se você parar para refletir, você só viveu, de verdade, um mês no ano todo. Os outros dias, você levou de maneira automática. 

O que Deus fala é: “Há um tempo certo para todas as coisas!”. A vida é feita de ciclos. Há tempo de nascer e tempo de morrer, há tempo de plantar e tempo de colher, há tempo de espalhar pedras e tempo de recolher pedras... Tudo tem um propósito debaixo dos céus. 

Quando estamos debaixo da direção de Deus, passamos por esses ciclos, completamos estes períodos, sabendo que, assim como está escrito em Romanos 8.26, todas as coisas contribuirão para o nosso bem. O Senhor tem propósitos superiores para todos nós.    

Filipenses 4.6: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.”

1 Pedro 5. 6 e 7: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós..”

Salmo 40.1: “Esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e ouviu meu clamor.”

Você tem um grande desafio! O desafio de esperar que, no tempo de Deus, as coisas aconteçam. Quando você está cheio do Espírito Santo, o tempo de espera vira um período de preparação, de paz e tranquilidade. 

O seu desafio é, a despeito de qualquer situação, manter o equilíbrio e confiar no Senhor. 

Salmo 121.1 e 2: “Elevo meus olhos para os montes; de onde virá o meu socorro? O meu socorro vem do Senhor, criador dos céus e da terra.”

Salmos 125.1: “Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.”

Aprenda a passar pelos dias maus, porque eles não duram para sempre. 

Eu declaro que você viverá o versículo 8 de Eclesiastes 3: Há tempo de guerra, mas haverá tempo de paz!.

Depois que Davi finalmente conquistou Jerusalém, ele teve paz! 

Há tempos de tormentas, mas haverá tempos de calmaria. Mesmo que pareça impossível, você vai viver, sim, um tempo de paz na sua família, no seu trabalho, nos seus relacionamentos, na sua vida financeira, porque os propósitos de Deus, que são superiores, vão se cumprir na sua vida!

Hebreus 8.6: “Agora, com efeito, obteve Jesus ministério tanto mais excelente, quanto é ele também Mediador de superior aliança instituída com base em superiores promessas.”

Descanse, porque o Senhor é o seu pastor, e nada te faltará! 

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Uma vida sem frutos é uma vida sem propósitos


Mateus 21. 18 a 22: “Cedo de manhã, ao voltar para a cidade, teve fome; e, vendo uma figueira à beira do caminho, aproximou-se dela; e, não tendo achado senão folhas, disse-lhe: Nunca mais nasça fruto de ti! E a figueira secou imediatamente. Vendo isto os discípulos, admiraram-se e exclamaram: Como secou depressa a figueira!

Jesus, porém, lhes respondeu: Em verdade vos digo que, se tiverdes fé e não duvidardes, não somente fareis o que foi feito à figueira, mas até mesmo, se a este monte disserdes: Ergue-te e lança-te no mar, tal sucederá; e tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis.”

Nesta passagem, nós vemos que Jesus estava com fome, mas não encontrou frutos naquela figueira. Ele teve uma grande decepção ao encontrar somente folhas. Isso é uma grande lição para nós, porque há homens que causam profundas decepções. O que é uma decepção? É uma expectativa não correspondida. É algo que traz muita tristeza.

O que podemos aprender com este episódio?

Em primeiro lugar, era época de frutos, mas a figueira não tinha frutos

É triste quando alguém tem raízes, alimentos, solo fértil, mas não tem frutos. Isto é um potencial perdido.

Judas 1.11 e 12: “Estes homens são como rochas submersas, em vossas festas de fraternidade, banqueteando-se juntos sem qualquer recato, pastores que a si mesmos se apascentam; nuvens sem água impelidas pelos ventos; árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidas, duplamente mortas, desarraigadas; ondas bravias do mar, que espumam as suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre.”

É tempo de dar frutos. Que você não seja apenas uma figueira cheia de folhas.

Em segundo lugar, a árvore tinha beleza, mas não tinha conteúdo

Frutos são gerados com dores, com sacrifícios. Há pessoas quem vivem um evangelho raso, porque não pagam um preço. Há muitas pessoas que vivem um evangelho cheio de discursos, mas pobre de atitudes.

Quando uma árvore não dá frutos, ela não sofre, porque deixa de extrair água da terra, de extrair minerais, e não precisa de alimentos para alimentar o fruto.  Deus não procura aparência, mas essência e conteúdo.

Quando Samuel chegou à casa de Jessé para ungir o futuro rei de Israel, ele olhou para Davi e não enxergou potencial, mas o Senhor disse: “Não atentes para a sua aparência, nem para a sua altura, porque o rejeitei; porque o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração.”.

Em terceiro lugar, esterilidade atrai maldição

Os discípulos se assustaram porque Jesus amaldiçoou a figueira! Mas, sinceramente, não tinha mais sentido ela continuar ocupando espaço na terra.

Em João 15.5, Ele disse: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda!”.

Em Mateus 7.16, Jesus também afirmou: “Pelos frutos, vos conhecereis!”.

Que, a partir de hoje, você produza os frutos que o Senhor espera.

Em quarto lugar, precisamos ter uma fé inabalável

Se tivermos fé, faremos as mesmas obras que Jesus realizou e maiores ainda.  Jesus disse: “Tudo quanto pedirdes em oração, crendo, recebereis!”.

Chegou o tempo de abandonar a esterilidade. Tenha uma vida de frutos que alegram Jesus! Eles, com certeza, te habilitaram para coisas superiores.

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Três palavras-chave para a manifestação do milagre


Lucas 7.1 a 10: “Tendo Jesus concluído todas as suas palavras dirigidas ao povo, entrou em Cafarnaum. E o servo de um centurião, a quem este muito estimava, estava doente, quase à morte. Tendo ouvido falar a respeito de Jesus, enviou-lhe alguns anciãos dos judeus, pedindo-lhe que viesse curar o seu servo. Estes, chegando-se a Jesus, com instância lhe suplicaram, dizendo: Ele é digno de que lhe faças isto; porque é amigo do nosso povo, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.


Então, Jesus foi com eles. E, já perto da casa, o centurião enviou-lhe amigos para lhe dizer: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres em minha casa. Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado.


Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens, e digo a este: vai, e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz. Ouvidas estas palavras, admirou-se Jesus dele e, voltando-se para o povo que o acompanhava, disse: Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta. E, voltando para casa os que foram enviados, encontraram curado o servo.”


É tremendo o poder ilimitado do Senhor Jesus. Aqui, neste texto, nós podemos destacar três palavras-chave: habilitação, humildade e fé.

Habilitação

Jesus voltou da Galileia para Cafarnaum, sua base ministerial. Naquela época, Israel estava debaixo do império romano. Cada região possuía um centurião, que comandava uma centúria – obviamente, composta por cem homens – e tinha autoridade absoluta.

Este centurião a quem a Bíblia se refere tinha um servo muito querido que estava à beira da morte. Para salvá-lo, ele, então, envia alguns anciãos, que suplicaram a Jesus: “Ele é digno de que lhe faças isto; porque é amigo do nosso povo, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.”.

O que aquilo significava? Aquele servo tinha uma habilitação, ou seja, um memorial diante de Deus.

O ser humano, muitas vezes, se preocupa como os faraós, em construir pirâmides e fazer delas o seu túmulo. Mas o Senhor Jesus disse, em Mateus 6.19, que devemos ajuntar tesouros no céu, onde a traça, nem a ferrugem pode destruir.

Aquele homem, sem saber, estava se habilitando. Ele construiu uma sinagoga para que o nome do Senhor fosse glorificado. Ele tinha uma oferta que, assim como a de Abel, clamava diante do Senhor. Era a oferta de Hebreus 11.4: “Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala.”.

Nós precisamos ter uma vida de entrega. Precisamos ter uma relação verdadeira com Deus. No dia mau, se você não tiver habilitação, certamente, será destruído.

O rei Ezequias é outro grande exemplo de habilitação. Depois de receber, da boca do profeta Isaías, a revelação de que iria morrer, ele clamou: “Senhor, eu abri as portas da tua casa. Eu limpei o templo. Eu fiz o que era reto diante do povo.”. Ele colocou sua vida diante de Deus, e aquela sentença foi quebrada.

Estes homens que a Bíblia cita plantaram no passado o milagre que iriam colher lá na frente.

1 Coríntios 15.58: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.”

Humildade

1 Pedro 5.6: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte...”


Os prepotentes são dignos de dó. É digno de dó aquele que se vale de uma posição para subjugar os outros.

Aquele centurião era extremamente poderoso, e Jesus, por outro lado, era um homem simples, sem beleza e formosura. Só que ele sabia que Jesus era o Filho de Deus e que tinha poder para realizar aquele milagre. O centurião, que morava na melhor casa de Cafarnaum, se esvazia da sua posição e se humilha: “Não sou digno de que entres em minha casa. Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado.”.

Ele pediu para que Jesus dissesse somente uma palavra. Como eu creio nisso. Um simples gesto do nosso Deus pode mudar sua história. Mas, para que o milagre aconteça, precisamos deixar de ser prepotentes, ou seja, de achar que não precisamos de ninguém.



Hebreus 11.1: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.”


Aquele centurião, mesmo não sendo judeu, tinha muita fé. Jesus, inclusive, disse: “Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta!”.

Sabe qual é a conclusão que eu chego? Há pessoas no mundo que têm mais fé que os filhos de Deus. Aquele homem não seguia Jesus, mas sabia que a solução estava n’Ele!

Você está enfermo? Sua solução está em Jesus! Você está solitário? Sua solução está em Jesus! Você está frustrado? Sua solução está em Jesus!

Aquele homem tinha plena convicção de que seu servo seria curado!

Salmo 107.20: “Enviou-lhes a sua palavra, e os sarou, e os livrou do que lhes era mortal.”

Jesus enviou a sua palavra e livrou aquele servo do que lhe era mortal. Jesus nem precisou entrar na casa do centurião, Ele nem precisou orar com imposição de mãos.

Hoje, eu creio que o Senhor tem uma palavra de cura para a sua vida!

Humilhe-se debaixo das onipotentes mãos do Senhor, tenha fé, e você viverá o milagre!

O mesmo Jesus Cristo que estava em Cafarnaum está aqui! Ele é o mesmo ontem, hoje, e será eternamente.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Como você agiria?



João 12.1 a 8 “Seis dias antes da Páscoa, foi Jesus para Betânia, onde estava Lázaro, a quem ele ressuscitara dentre os mortos. Deram-lhe, pois, ali, uma ceia; Marta servia, sendo Lázaro um dos que estavam com ele à mesa. Então, Maria, tomando uma libra de bálsamo de nardo puro, mui precioso, ungiu os pés de Jesus e os enxugou com os seus cabelos; e encheu-se toda a casa com o perfume do bálsamo. Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, o que estava para traí-lo, disse: Por que não se vendeu este perfume por trezentos denários e não se deu aos pobres? Isto disse ele, não porque tivesse cuidado dos pobres; mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, tirava o que nela se lançava. Jesus, entretanto, disse: Deixa-a! Que ela guarde isto para o dia em que me embalsamarem; porque os pobres, sempre os tendes convosco, mas a mim nem sempre me tendes.”

Aqui, nós vemos Lázaro, um milagre vivo, um milagre materializado. Lázaro, que estivera morto por quatro dias, agora, atestava em todos os lugares o poder de Jesus. Isso também acontece conosco!

Somos convocados para sermos testemunhas e para testificar o que o Senhor tem realizado.

Neste texto, vemos alguns aspectos importantes que estão relacionados ao nosso comportamento de vida:

Em primeiro lugar, o comportamento de Marta.

Como sempre, Marta estava preocupada com as questões materiais. Ela estava organizando um jantar e estava totalmente focada nisso! Será que realmente havia necessidade de tamanha preocupação?

Marta já fora roubada de presenciar o milagre, porque estava se dedicando aos afazeres domésticos.

Será que você tem agido da mesma forma?

Responsabilidade? Todos nós temos, mas a nossa ansiedade precisa ser lançada diante de Deus, porque Ele cuidará de nós.

Pare de se preocupar, entregue teu caminho ao Senhor; confia n’Ele, e ele tudo fará.

Em segundo lugar, o comportamento de Judas, o traidor, o falso, o ladrão, o mentiroso.

Judas tinha ódio de tudo o que era feito para Jesus.

Há muitas pessoas que odeiam que você glorifique o nome de Jesus, que você pregue o nome de Jesus e que você entregue sua vida para Jesus.

Ao ver a oferta de Maria, ele ficou indignado e veio com um discurso hipócrita: “Dê para os pobres!”. Mas, na verdade, ele queria aquela oferta para ele, queria roubá-la.

Precisamos guardar o nosso coração para não sermos roubados!

Em terceiro lugar, o comportamento de Maria, aquela que creu até as últimas consequências.

Maria foi testemunha ocular do milagre. Em sua coração, havia uma grande gratidão pela ressurreição de Lázaro.

Aquela essência era o mais precioso que ela tinha, e ela escolheu derramá-la sobre Jesus!

Derrame seu precioso sobre Jesus, derrame seu amor sobre Jesus.

Tenha a atitude de Maria!

Judas tomou a atitude errada, e Jesus o repreendeu: “Os pobres vocês sempre terão!”. Jesus não estava se referindo somente à pobreza de dinheiro, mas à pobreza de espírito, de criatividade, de amor...

Jesus quis dizer que eles teriam que desfrutar de sua presença!

Tenha a melhor atitude! O mesmo poder de ressurreição que entrou na casa de Maria também vai entrar na sua casa!

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Como assumir minha posição com soberania e sabedoria



Atos 26.25 a 32: “Paulo, porém, respondeu: Não estou louco, ó excelentíssimo Festo! Pelo contrário, digo palavras de verdade e de bom senso. Porque tudo isto é do conhecimento do rei, a quem me dirijo com franqueza, pois estou persuadido de que nenhuma destas coisas lhe é oculta; porquanto nada se passou em algum lugar escondido. Acreditas, ó rei Agripa, nos profetas? Bem sei que acreditas.

Então, Agripa se dirigiu a Paulo e disse: Por pouco me persuades a me fazer cristão. Paulo respondeu: Assim Deus permitisse que, por pouco ou por muito, não apenas tu, ó rei, porém todos os que hoje me ouvem se tornassem tais qual eu sou, exceto estas cadeias.

A essa altura, levantou-se o rei, e também o governador, e Berenice, bem como os que estavam assentados com eles; e, havendo-se retirado, falavam uns com os outros, dizendo: Este homem nada tem feito passível de morte ou de prisão. Então, Agripa se dirigiu a Festo e disse: Este homem bem podia ser solto, se não tivesse apelado para César.”

Paulo era um homem inteligente e sábio. O seu mentor – Gamaliel – era um grande mestre. Antes de se converter, seu nome era Saulo. Ele nasceu na cidade de Tarso. Era um homem temido e conhecido por perseguir cristãos. Foi um dos responsáveis pelo apedrejamento de Estêvão, o primeiro grande mártir da história.

Depois de ter uma experiência com o Senhor, teve sua vida completamente transformada. De perseguidor, tornou-se um grande seguidor de Cristo. Escreveu boa parte do Novo Testamento, fundamentou igrejas e foi um dos maiores apóstolos da Bíblia.

Enquanto estava em sua missão de levar a mensagem que o libertou, foi vítima de uma armação por parte de grandes religiosos da época e acabou sendo preso. A intensão deles era matá-lo. Mas Paulo consegue reverter aquela situação! Como? Exercendo sua soberania!

Ele se levanta e dá uma cartada decisiva: “Eu sou um cidadão romano!”. Paulo sabia que só poderia ser julgado por um tribunal formado por autoridades constituídas em Roma. E foi exatamente isso o que aconteceu! Além disso, Paulo também tinha direito a ter um advogado, mas decidiu fazer sua própria defesa e faz um discurso brilhante, no qual relatou suas experiências com Cristo, deixando o rei Agripa impressionado.

Em um determinado momento, o governador – Festo – o interrompe e o chama de louco. Mas Paulo não se deixou intimidar diante daquela afronta, e continua se dirigindo a Agripa.

Agripa chega à conclusão de que Paulo não tinha culpa das acusações que realizaram contra ele e o envia de volta para Roma.

Qual foi o segredo de Paulo? Ele exerceu sua soberania. Paulo tinha consciência de quem ele era e não abriu mão de suas convicções e direitos.  E essa condição é uma herança acessível a todos nós!

Nós vivemos em um mundo competitivo. Vivemos entre pessoas que têm sede de poder e que são capazes de tudo para atingir seus objetivos: denegrir, mentir, puxar tapete, apropriar-se de resultados alheios...

Quem é soberano sabe que não precisa “dar jeitinhos” para se manter em destaque. Quem é soberano não se abala com ameaças e provocações.

E como ser soberano?

1- Tendo consciência de que sua origem não é determinante para o seu sucesso


Muitas vezes, achamos que determinadas posições são inatingíveis por causa da nossa condição social, por exemplo. Ou por que ninguém nunca acreditou ou investiu na nossa formação. Você cresceu ouvindo dos seus próprios pais dizendo que você não é capaz, que você não pode sonhar alto, que você não tem talento, que as coisas nunca darão certo para você...

Não importa de onde você veio, mas aonde você quer chegar! Não importa em qual colégio ou faculdade você estudou, o que importa é o quanto você está disposto a aprender e a realizar!

Não se contente mais com a média. Você pode, sim, ir muito além, com ou sem o apoio da sua família.

Lembre-se de que as suas escolhas vão determinar quantas milhas você vai percorrer!

Na Bíblia, existem muitos exemplos de homens que foram desacreditados, mas que, mesmo assim, chegaram ao topo. José foi um deles. Era odiado pelos irmãos e, apesar de muito amado, era subestimado pelos pais. De um simples escravo, tornou-se governador do Egito.

José não foi contaminado pelos ambientes. Manteve-se soberano e fiel às suas convicções e conquistou a posição que Deus lhe havia determinado!

Está na hora de você assumir sua condição como filho de Deus!

2- Tendo autoconfiança e confiança em Deus


Provérbios 23.7: “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é; ele te diz: Come e bebe; mas o seu coração não está contigo.”

Provérbios 24.10: “Se te mostras fraco no dia da angústia, a tua força é pequena.”

Nunca podemos demonstrar fraqueza diante dos nossos adversários. Fé é isso: agir como vencedor, não como vítima!
Mostre a força e as habilidades que há em você, como:

- Davi, o filho renegado e “despreparado”!

Foi à guerra e derrubou o gigante com apenas uma pedrada.

- Elias, a minoria!

Com ousadia, desafiou os profetas de Baal.

Quem é autoconfiante define resultados!

- Daniel, o perseguido.

Daniel era tão soberano, que não cedeu aos costumes da Babilônia. Entrou na cova dos leões e saiu ileso.

3- Não se rasteje mais


Romanos 6.16: “Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça?”

O homem é escravo daquilo que o domina e servo daquilo que acredita. Muitas vezes, sem perceber, tornarmo-nos escravos da nossa condição atual. Sentimo-nos inferiores e incapazes de progredir.

A sua conta bancária não pode mais definir o seu estado de espírito. Para a sociedade, nós somos o que temos! Se essa é a sua verdade, você se torna refém dela! Muitas pessoas acabam se atolando em dívidas, porque acham que dependem de um carro importado para serem aceitas.

Tenha consciência de que o seu valor não está nas suas posses, mas em quem você é!

Isaías 40.31: “... mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.”

Lembre-se de que você não nasceu para rastejar como a serpente, mas para alçar voos altos como a águia!

Você nasceu para ser livre!

4- Aprendendo a ter domínio e encarando todos os desafios


Gênesis 1.26: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.”

O homem foi criado para ter domínio sobre todas as coisas, mas perdeu essa condição após sua queda. Mas a nossa soberania foi restituída em Cristo!

Esta na hora de você exercê-la com autoridade!

Romanos 8.17: “Se somos filhos, então somos herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se de fato participamos dos seus sofrimentos, para que também participemos da sua glória.”

Efésios1.20 e 21: “Esse mesmo poder que agiu em Cristo, ressuscitando-o dos mortos e entronizando-o à sua direita, nas regiões celestiais, muito acima de toda potestade e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que possa ser pronunciado, não somente nesta era, mas da mesma forma na que há de vir.”

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Força e resistência diante das dificuldades!



2 Coríntios 11.24 a 27 e 12.7 a 20: “Cinco vezes recebi dos judeus uma quarentena de açoites menos um; fui três vezes fustigado com varas; uma vez, apedrejado; em naufrágio, três vezes; uma noite e um dia passei na voragem do mar; em jornadas, muitas vezes; em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos entre patrícios, em perigos entre gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos; em trabalhos e fadigas, em vigílias, muitas vezes; em fome e sede, em jejuns, muitas vezes; em frio e nudez. 

 E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. 

De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então, é que sou forte.”

Quando nós refletimos sobre tudo o que o apóstolo Paulo passou, ficamos impressionados! Pelo evangélico, ele foi fustigado três vezes, recebeu 450 chibatadas, passou por perigos, passou frio e por tudo aquilo que nós acabamos de ler. 

Com base em tudo isso, eu te pergunto: Será que um homem normal aguentaria tudo isso, sem desistir? 

Será que é justo nós reclamarmos tanto da nossa vida? Será que é justo você ficar com esse mau humor? Será que é justo você simplesmente se isolar, porque está passando por dificuldades? 

Você já parou para pensar que estes hábitos e sentimentos são armadilhas do inimigo para comprometer o seu futuro? 

Paulo nos mostrou a força e a capacidade que um servo de Deus pode ter diante das dificuldades. 

Ele fez de João 16.33 a sua verdade. Sabe o que está escrito? Que, no mundo, teremos aflições, mas devemos ter bom ânimo, porque Jesus venceu o mundo! 

Em Tiago 4.8, está escrito: “Chegai-vos a Deus, e Ele se achegará a vós. Resista ao diabo, e ele fugirá de vós.”. Ou seja, o nosso poder de resistência nos torna militantes e verdadeiros guerreiros. 

Na passagem que lemos no começo do estudo, há um segredo espiritual. Paulo sabia que estava vivendo tudo o que Deus havia de terminado. Ele tinha tanta segurança disso, a ponto de dizer: “Eu sinto prazer nas aflições, nas angustia, nas lutas e nas perseguições”. 

Talvez, ao ler isso, você esteja pensando que Paulo era um masoquista, um home que gostava de sofrer. 

Na verdade, Paulo não disse que, carnalmente, ele estava gostando de passar por tudo aquilo. O prazer dele era espiritual. Que prazer é esse? É de ter a liberdade de gritar aos quatro ventos: “Eu sei que estou sofrendo por amor a Cristo. Mas também sei que a minha leve e momentânea tribulação produz um peso de glória!”. 

Muitas vezes, somos roubados, porque temos uma visão limitada. Não enxergamos nada além da situação pela qual estamos passando e deixamos de projetar o futuro. Tenha consciência de que o preço que foi pago hoje se transformará em grandes livramentos no futuro!

Debaixo desta palavra, eu quero deixar três conselhos: 

Primeiro conselho: Não desanime diante das adversidades. Deus está trabalhando na sua vida! 

O pior que pode acontecer na sua vida é você retroceder. Paulo foi perseguido, foi traído por falsos irmãos, passou por humilhações... Mas nunca se deixou desaminar, foi perseverante. 

Segundo conselho: Tenha consciência de que a graça do Senhor te basta! Desta forma, os seus valores serão ajustados. 

Muitas pessoas acham que a felicidade está em um carro novo, em roupas novas, em uma viagem, na casa própria...  As conquistas materiais são importantes, mas elas não podem te dar felicidade plena, só uma alegria momentânea. 

A verdadeira felicidade está no nosso interior. Ela brota de dentro para fora! Temos que buscar forças para nos alegrarmos com aquilo que já conquistamos. Essa alegria vem da graça, conforme está escrito em Efésios 2.8: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.”.                                                                                                           
Graça é ter a certeza de que você é salvo, é saber que o Espirito Santo controla sua vida, é saber que você é filho de Deus e é ter consciência de que Deus está no controle de tudo. 

A graça te renova, te restaura, te dá esperanças e perspectivas para o futuro. A graça é o favor imerecido de Deus e a plenitude daquilo que o pai do Filho Pródigo disse ao filho mais velho: “Eu sou seu pai. Tudo o que é meu é seu!”. 

Nós temos, através da graça, tudo aquilo que nosso Pai celestial possui. 

Terceiro conselho: Tenha certeza de que, no meio da luta, suas forças serão renovadas .

Paulo disse: “Quando penso que sou fraco, sou forte!”. Como isso é possível? Quando pensamos no conceito de força carnal, é pouco provável. 

O conceito de força carnal é ser uma pessoa insensível, bruta, inflexível, arrogante ou até cheia de músculos. Mas a verdadeira força é aquela que recebemos no espírito; não é questão de aparência, é questão de essência. É a força que te mantém inabalável fisicamente, emocionalmente e espiritualmente, ou seja, nada pode te abater! 

Você pode até pensar que está perdendo as forças, mas, assim como Paulo, resistira até o fim! 

Lembre-se, você pode todas coisas naquele que te fortalece!