quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

O deserto não é o seu funeral, mas a passagem para um novo tempo!


1 Coríntios 10.1 a 13: “Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos sob a nuvem, e todos passaram pelo mar, tendo sido todos batizados, assim na nuvem como no mar, com respeito a Moisés. Todos eles comeram de um só manjar espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo.

Entretanto, Deus não se agradou da maioria deles, razão por que ficaram prostrados no deserto. Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se. E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram, e caíram, num só dia, vinte e três mil.

Não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles já fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes. Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador. Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado.

Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia. Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.”

Paulo fala para não ignorarmos o que aconteceu com o povo de Deus no deserto. Mesmo recebendo poderosos livramentos, eles, lamentavelmente, não alcançaram a promessa.

Hoje, infelizmente, há muitas pessoas que estão morrendo no meio do caminho. Há pessoas que tinham um plano vitorioso, mas, por causa das lutas, caíram.

Aquele povo foi liberto do Egito, onde foram escravos por mais de 400 anos. Deus tinha levantado Moisés para conduzi-los em uma jornada rumo à Terra Prometida.

O trajeto levaria no máximo 30 dias, mas durou 40 anos, ou seja, toda aquela geração que saiu do Egito pereceu no deserto.

Este é o plano de satanás: matar aqueles que Deus tirou do cativeiro!

O Senhor tem um plano glorioso para cada um de nós, mas, para vivê-lo, precisamos orar e vigiar! O inimigo não quer que cheguemos ao destino que Deus determinou.

Aquele povo serve de exemplo para nós. Se a gente agir diferente, não teremos o fim que eles tiveram.

Hoje, eu gostaria de destacar algumas atitudes e princípios que são fundamentais para não perecermos no deserto.

1- SER BATIZADO COM MILAGRES E ATRAVESSAR O MAR VERMELHO

Êxodo 14.13 a 21: “Moisés, porém, respondeu ao povo: Não temais; aquietai-vos e vede o livramento do SENHOR que, hoje, vos fará; porque os egípcios, que hoje vedes, nunca mais os tornareis a ver. O SENHOR pelejará por vós, e vós vos calareis. Disse o SENHOR a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem.

E tu, levanta o teu bordão, estende a mão sobre o mar e divide-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco. Eis que endurecerei o coração dos egípcios, para que vos sigam e entrem nele; serei glorificado em Faraó e em todo o seu exército, nos seus carros e nos seus cavalarianos; e os egípcios saberão que eu sou o SENHOR, quando for glorificado em Faraó, nos seus carros e nos seus cavalarianos.

Então, o Anjo de Deus, que ia adiante do exército de Israel, se retirou e passou para trás deles; também a coluna de nuvem se retirou de diante deles, e se pôs atrás deles, e ia entre o campo dos egípcios e o campo de Israel; a nuvem era escuridade para aqueles e para este esclarecia a noite; de maneira que, em toda a noite, este e aqueles não puderam aproximar-se. Então, Moisés estendeu a mão sobre o mar, e o SENHOR, por um forte vento oriental que soprou toda aquela noite, fez retirar-se o mar, que se tornou terra seca, e as águas foram divididas.”

O deserto não é o seu sepulcro, não é o sepulcro dos teus sonhos, da sua vida profissional, de sua vida espiritual, mas será o local onde a glória de Deus se manifestará.

2- ANDAR DEBAIXO DA NUVEM

Êxodo 13. 21 e 22: “O SENHOR ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite. Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite.”

Aquela nuvem protegia o povo no deserto. Hoje, a nossa nuvem é a Igreja de Jesus Cristo, contra a qual o inferno não prevalece.

3- BEBER DA ROCHA, QUE É JESUS CRISTO

Êxodo 17.6 a 7: “Eis que estarei ali diante de ti sobre a rocha em Horebe; ferirás a rocha, e dela sairá água, e o povo beberá. Moisés assim o fez na presença dos anciãos de Israel. E chamou o nome daquele lugar Massá e Meribá, por causa da contenda dos filhos de Israel e porque tentaram ao SENHOR, dizendo: Está o SENHOR no meio de nós ou não?”

Para finalizar este estudo tão profundo, gostaria de enfatizar alguns conselhos que Paulo nos deixa:

1º SEJA OBEDIENTE AO SENHOR

Muitas vezes, você tem feito a tua vontade, sem ao menos se importar com a vontade de Deus.

2º NÃO MURMURE 

Isaías 53.6 a 7: “Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo caminho, mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca.”

1 Coríntios 10.10: “Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador.”

Habacuque 3.17 e 18: “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado, todavia, eu me alegro no SENHOR, exulto no Deus da minha salvação.”

Por causa da murmuração e da ingratidão, aquele povo perdeu o milagre.

3º NÃO SE PRECIPITE, PRINCIPALMENTE NA HORA DA AFLIÇÃO E DA PRESSÃO

1 Coríntios 10.13: “Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.”

Provérbios 19.2: “Não é bom proceder sem refletir, e peca quem é precipitado.”

Confie no Senhor, fique firme! Este deserto não será o seu funeral, mas a passagem para um novo tempo.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Da teoria para a prática!


Marcos 10.17 a 27: “E, pondo-se Jesus a caminho, correu um homem ao seu encontro e, ajoelhando-se, perguntou-lhe: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Respondeu-lhe Jesus: Por que me chamas bom? Ninguém é bom senão um, que é Deus. Sabes os mandamentos: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não defraudarás ninguém, honra a teu pai e tua mãe.

Então, ele respondeu: Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude. E Jesus, fitando-o, o amou e disse: Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me. Ele, porém, contrariado com esta palavra, retirou-se triste, porque era dono de muitas propriedades. Então, Jesus, olhando ao redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!

Os discípulos estranharam estas palavras; mas Jesus insistiu em dizer-lhes: Filhos, quão difícil é [para os que confiam nas riquezas] entrar no reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus. Eles ficaram sobremodo maravilhados, dizendo entre si: Então, quem pode ser salvo? Jesus, porém, fitando neles o olhar, disse: Para os homens é impossível; contudo, não para Deus, porque para Deus tudo é possível.”

Queridos, eu estava meditando nesta Palavra, e gostaria de repartir rapidamente alguns princípios com vocês.

As atitudes daquele moço eram mentirosas, eram hipócritas, porque ele era um religioso. Ele tinha um discurso, mas a prática não existia. Ele observava todos os mandamentos, mas não amava o próximo.

Ao se aproximar de Jesus, ele estava esperando ser prestigiado. Para aquele jovem rico, andar com Jesus, ser intimo de Jesus, era mais uma questão de status, do que, de fato, ter experiências fortes com Deus. Então, ele vem com aquele discurso: “Jesus, o que eu preciso fazer para Te seguir? Eu quero Te seguir!”.

Na verdade, aquele jovem não estava preparado para andar com Jesus. Para seguir a Jesus era necessário:

Em primeiro lugar: pagar um preço.

Ele precisava pagar o preço do “nascer de novo”. Nascimento gera dores. Jesus tinha um “novo nascimento” para aquele jovem. Mas ele já estava satisfeito com sua vida.

João 3.6: “O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.”

Tome cuidado! Porque, muitas vezes, você tem um discurso, mas, no fundo, você está satisfeito em viver cheio de deformações. Da sua boca, sai: “Eu quero ser transformado!”, mas, do seu coração, sai: “Eu não preciso de transformação. Deixe tudo como está!”. Isso se chama arrogância.

Aquele moço era prepotente: “Eu sou poderoso, milionário! Por que eu vou abrir mão de tudo o que eu tenho para encarar essa jornada?”.

O coração dele não estava em Jesus, mas nas riquezas. Ele não percebeu que Jesus foi assertivo e queria libertá-lo de suas prisões.

Há determinadas áreas de sua vida, que você precisa pagar um preço pela libertação.

A amarração daquele jovem eram os seus bens. Qual é a sua amarração? O que tem te impedido de ter uma vida plena com Cristo? Deixe essas amarrações para trás! Siga aquele que pode te libertar!

Em segundo lugar: tomar uma decisão

Aquele jovem tomou a pior decisão de sua vida. É uma decisão que, infelizmente, muita gente toma!

Ele se sentiu contrariado: “Como assim? Eu vou entregar tudo o que tenho aos pobres? De jeito nenhum!”.

A contrariedade dele foi a demonstração de sua dependência. Ele não dependia de Deus, mas de suas riquezas.

Jesus estava provando o coração daquele jovem. É claro que Jesus não queria o dinheiro dele, muito menos os bens. Jesus queria a libertação!

É exatamente isso que eu quero te ministrar! Existem áreas que você precisa de libertação. Você precisa tomar uma decisão: abrir mão de determinadas situações para ser livre, ou viver como um escravo.

Naquele momento em que Jesus contrariou aquele jovem, tudo mudou. De repente, ele não tinha mais vontade de segui-Lo.

Jesus disse que é difícil um rico entrar no Reino dos Céus, mas Ele não estava se referindo só às riquezas materiais, mas àquilo que a gente prioriza. 

Você dá importância às baladas, à prostituição, à loucura, às drogas, à sujeira... É nisso que está o seu coração?

Hoje, o Espírito Santo está te dizendo: “Tome a decisão certa!”. Qual é a decisão certa? Faça o que Jesus determinou! Abandone todas as suas riquezas, abandone os valores que estão te escravizando, abandone as drogas, abandone o vício, abandone os relacionamentos errados, abandone a promiscuidade, abandone a traição... Depois de abandonar tudo o que te deformava, siga Jesus Cristo.

Imagine como teria sido a realidade daquele jovem se ele tivesse tomado a decisão correta! Ele teria uma vida abundante e receberia o privilégio de ser um discípulo de Jesus, uma posição que dinheiro nenhum compra!

Eu quero terminar a Palavra do Dia falando com você que tem tomado decisões erradas! Se você abandonou os caminhos do Senhor e embarcou em uma vida sem propósitos, volte! Jesus te chama para a liberdade! Ele tem pra você a salvação eterna!

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Para refletir!


2 Timóteo 2.1 a 13: “Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus. E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros. Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou.

Igualmente, o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a participar dos frutos. Pondera o que acabo de dizer, porque o Senhor te dará compreensão em todas as coisas. Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado de entre os mortos, descendente de Davi, segundo o meu evangelho; pelo qual estou sofrendo até algemas, como malfeitor; contudo, a palavra de Deus não está algemada. 

Por esta razão, tudo suporto por causa dos eleitos, para que também eles obtenham a salvação que está em Cristo Jesus, com eterna glória. Fiel é esta palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele; se perseveramos, também com ele reinaremos; se o negamos, ele, por sua vez, nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo.”

Deste texto, surgiu um dos adesivos mais famosos do Brasil que, há muitos anos, eu mandei confeccionar, com a frase: “Deus é fiel”. 

Nesta Passagem, Paulo fala sobre princípios espirituais profundos. 

Nós fomos chamados para agradar ao Senhor. 

Em Salmos 37.4, está escrito: “Agrada-te do Senhor, e Ele satisfará o desejo do seu coração.”

Será que sua vida tem agradado ao Senhor? Os seus comportamentos, os seus sentimentos e as suas palavras têm agradado a Deus? Ou será que você está com a vida completamente enrolada? 

Paulo fala que nenhum soldado em serviço deve se envolver em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou. Jesus Cristo nos arregimentou. 

Precisamos tomar cuidado para que o espírito de confusão não nos tire do plano que o Senhor tem para nossas vidas. 

Lamentavelmente, muitas pessoas são roubadas. Perdem tempo murmurando, lamentando-se e com conversas que não edificam. 

A recomendação de Paulo, em primeiro lugar, é: “Libere sua vida! Permita-se ser conduzido para o centro da vontade de Deus!”

Em segundo lugar, ele fala para não agirmos como mortos-vivos e para lembrarmos de Jesus Cristo, porque Ele ressuscitou. 

João 10.10: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.”

Será que você tem conseguido passar pelo dia mau com essa certeza? Se você não tem conseguido nem manter o bom humor, acho, sinceramente, muito difícil você conseguir manter a fé.

Lucas 18.8: “Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?”

Faça uma aliança com a vida. Seja determinado e convicto! Se você receber alguma tarefa, faça-a da melhor maneira possível. 

Nós não podemos andar como mortos-vivos, porque servimos ao Cristo ressurreto! 

Em terceiro lugar, Paulo aconselha: “Persevere!”

Se perseverarmos, com Cristo, também reinaremos! Persevere em todas as situações, ou seja, no dia bom e no dia mau! 

Seja perseverante em suas convicções. Paulo fala que, se nós negarmos a Cristo, Ele também nos negará! Isso é muito sério. Você pode falar aos quatro ventos que ama Jesus, mas pode estar negando-o com suas atitudes. 

Está na hora de fazer uma autoavaliação, está na hora de você rever seus conceitos e mudar de atitudes. Seja fiel! 

Salmo 101.6: “Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que habitem comigo; o que anda em reto caminho, esse me servirá.”

A sua infidelidade não muda o Senhor, mas pode te colocar em um caminho de morte e destruição. As consequências podem ser desastrosas. 

Caminhe em retidão sabendo que aquele que começou a boa obra em sua vida é fiel e justo para completá-la.  Os homens podem mudar, as circunstâncias podem mudar, mas Deus continua o mesmo!

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Como quebrar as restrições mentais e avançar?


Isaías 11.2: “Repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR.”

2 Coríntios 6.12: “Não tendes limites em nós; mas estais limitados em vossos próprios afetos.”

  
Nossa mente é formada por lembranças e informações que recebemos ao longo de nossa história. Podemos concluir que ela é um campo de batalha e que pode se tornar escravizante e limitadora.

As restrições mentais e emocionais que possuímos são oriundas de traumas, fracassos e conceitos errados que adquirimos na nossa infância, por exemplo. Mas podemos nos libertar de tudo isso, tendo a consciência de que nada acontece “contra nós”, mas “para nós”. Nada acontece para a nossa destruição, mas para a nossa evolução! 

As restrições mentais obstruem a criatividade e a agilidade que precisamos para resolver problemas. Impedem-nos de enxergar que, em momentos de crise, também podem surgir grandes oportunidades.

Depende de você ser uma pessoa limitada ou de sucesso, pois é a sua mentalidade que determina seus sentimentos e comportamentos!

O que te impede, muitas vezes, de avançar são os pensamentos que você tem ao próprio respeito. Isso ocorre quando você se enxerga inferior, indigno e incapaz! É quando você não tem perspectivas de futuro! É quando você anula dentro de si todas as possibilidades.

Na Palavra de Deus, há um termo chamado “Metanoia”, que, ao pé da letra, significa: “além da mente”. É o processo de renovação e expansão da nossa capacidade mental! Quem não passa por ele sempre será escravo de um passado que não tem futuro!

Se eu não busco transformação, se eu não busco evolução, se eu não busco renovação, eu fico para trás, não tem jeito! O mundo está em constante evolução. Por isso, precisamos nos atualizar todos os dias e sempre procurar fazer algo novo.

Isaías 54.2: “Alarga o espaço da tua tenda, estende as cordas, reforça as estacas.”

Para passarmos por este processo de expansão, é necessário:

1- Ter uma mente forte que domina emoções


Com o passar dos dias, nossa mente fica sobrecarregada, gerando um grande esgotamento físico.  E esse cansaço somado às situações de pressão resulta também em um grande desgaste emocional. É daí que vem aquela expressão “minha cabeça vai explodir”.

Gálatas 5.22 “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.”

Quando perdemos o domínio de nossas emoções, automaticamente perdemos o controle das situações.

Quando perdemos o domínio mental, agimos de acordo com os nossos impulsos e instintos e, consequentemente, cometemos loucuras. Quando nos damos conta, já é tarde demais.

Antes que você coloque tudo a perder, estabeleça este domínio! Como? Filtrando os seus pensamentos e levando em consideração as consequências.

Existem duas técnicas que podem te ajudar:

- Contar até dez”

É um método infalível! Assim, você ganhará tempo para filtrar as informações que você recebeu e não, simplesmente, reagir de acordo com os seus impulsos ou dominado pelo desespero.

Quem pensa toma decisões sábias e assume o controle. Quem não pensa é manipulado e controlado pelas situações. 

Tiago 1.5: “Se algum de vocês tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá livremente, de boa vontade; e lhe será concedida.”

Ter domínio mental é não ceder às provocações, é manter o foco nos seus objetivos!

-Teste seu entendimento

Quando você estiver no limite das suas emoções, antes de agir ou falar, pense: “Será que é isso o que eu quero transmitir para as pessoas?; “Será que é este o conceito que eu quero que elas tenham de mim?”; “Entregar-me ao desespero vai ajudar ou piorar a situação?”.

Lembre-se de que as piores decisões são as emocionais.

2- Ter uma mente livre para expandir e sonhar!


Provérbios 23.10: “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é”

Elimine, diariamente, todo o “lixo mental”. Em vez de alimentar seus medos, alimente sua fé!

Hebreus 11.1: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem.”

Romanos 8.24: “Porque, na esperança, fomos salvos. Ora, esperança que se vê não é esperança; pois o que alguém vê, como o espera?”

Os “nossos impossíveis” nos impedem de sonhar e, consequentemente, de realizar!

Romanos 7.25: “... graças a deus por Jesus cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado.”

Quem é livre mentalmente nunca será escravo fisicamente!

João 8.32: “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

Ser livre mentalmente é ter consciência de que não importa de onde você veio e o que pensam ao seu respeito, mas aonde você quer chegar!

Ser livre mentalmente é ter consciência de que as situações não definem quem você é, mas suas escolhas, sim!

Ser livre mentalmente é deixar o passado definitivamente para trás

Uma geração inteira morreu no deserto, pois ainda pensavam como escravos! Eles eram livres fisicamente, mas eram escravos mentalmente!

José do Egito, por outro lado, foi vendido como escravo, mas manteve-se livre mental mente, nunca deixou de sonhar. Por isso, o plano de Deus se cumpriu na vida dele!

Abandone, de uma vez por todas, o papel de vítima e assuma o controle da sua vida!

Lembre-se de que só podemos conquistar o que podemos enxergar! Então, comece, hoje mesmo, a projetar na sua mente as vitórias que você terá!

Gálatas 5.1: “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.”

Romanos 12.2: “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

sexta-feira, 25 de janeiro de 2019

Saber esperar é uma virtude!


Mateus 6.25 a 34: “Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?

Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?

Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.”

Essa passagem é tão tremenda, que deveria fazer parte da nossa leitura bíblica diária.

O Senhor Jesus, em amor, faz uma advertência e uma exortação, por quê? Porque há um sentimento em nós terrível, que o inimigo faz de tudo para estimular... Este sentimento se chama ansiedade. 

Hoje, com base nesta passagem, eu vou deixar registrado aqui uma verdade espiritual. A ansiedade é a porta que nos leva à incredulidade. Por que eu afirmo isso?

A ansiedade transmite uma tensão e uma expectativa, que, quando é frustrada, leva-nos a desconfiar do amor e do poder de Deus.

A ansiedade leva à incredulidade e, consequentemente, à precipitação. O ansioso, em seu desespero, acaba interrompendo os planos de Deus.

Em Mateus 6, Jesus afirma que o Senhor conhece cada uma de nossas necessidades. Por isso, não devemos nos desesperar, porque o desespero é sinal de que desconfiamos d´Ele.

Dar lugar à ansiedade é o mesmo que a agir como os ímpios...

“Mas, apóstolo, eu tenho orado, eu tenho jejuado, mas não tenho visto um sinal do favor de Deus!”.

Querido, não se preocupe, porque nossa leve e momentânea tribulação produz um tempo de glória! Há um tempo determinado para todas as coisas. Há um tempo determinado para a semeadura e há um tempo determinado para a colheita!

Saber esperar é uma das maiores virtudes que o ser humano pode ter. Só sabe esperar quem tem o controle do Espírito Santo.

O meu conselho para você, nesta terça-feira, é, em vez de colocar suas energias na ansiedade e em expectativas humanas, canalize-as para a perseverança nas promessas do Senhor. Mude o foco. Mude sua disposição interior! Desta forma, tudo ficará mais leve.

“Apóstolo, e se nada acontecer?”. Ficar desesperado só vai piorar! Agora, perseverar e confiar vai te colocar na rota da vontade de Deus, que é boa perfeita e agradável. Ele tem o melhor para você. Lembre-se de que você é filho amado.

A erva nasce e logo morre, mas Deus tem propósitos maiores para a sua vida!


Creia porque, no tempo d’Ele, haverá uma poderosa liberação! 

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Existe um caminho de restauração!



Salmo 51.1 a 10: “Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mau perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que te comprazes na verdade no íntimo e no recôndito me fazes conhecer a sabedoria.

Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve. Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que exultem os ossos que esmagaste. Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável.

Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário.”

Tiago 4.17: “Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”

Provérbios 24.16: “porque sete vezes cairá o justo e se levantará; mas os perversos são derribados pela calamidade.”

Davi havia pecado. Ele deixou de ir à guerra e adulterou com Bate-Seba. O primeiro filho deles, ainda bebê, acabou morrendo, deixando-os arrasados. Parecia que o mundo havia desabado sobre eles.

Davi, então, entendeu que precisava:

Em primeiro lugar: Reconhecer seus erros

Sem isso, não existe reconciliação e restauração.

Davi escolheu trilhar o caminho certo: o do arrependimento. Ele sabia que precisava do perdão do Senhor.

1 João 1.7: “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.”

Quando eu escolho o caminho do arrependimento, quando eu me quebrando diante de Deus, imediatamente, minhas transgressões são perdoadas.

Salmo 103.12: “Como está distante o Oriente do Ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões.”

Romanos 6.23: “porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

Em segundo lugar: ser limpo

Davi disse: “Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve!”. Ele não queria mais cometer os mesmos erros. Arrependeu-se de verdade!".

Deseje ser limpo! Aproveite a oportunidade que o Senhor está te dando.

Em terceiro lugar: ser restaurado e restituído

O Senhor tinha um novo caminho para Ele. Deus tem um novo caminho para você também.

Zacarias 9.12: “Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também, hoje, vos anuncio que tudo vos restituirei em dobro.”

Davi e Bate-Seba foram curados, restaurados e perdoados. Eles viveram a glória da segunda casa, com o nascimento de Salomão. 

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Não faça do deserto o seu funeral


1 Coríntios 10.1 a 13 “Ora, irmãos, não quero que ignoreis que nossos pais estiveram todos sob a nuvem, e todos passaram pelo mar, tendo sido todos batizados, assim na nuvem como no mar, com respeito a Moisés. Todos eles comeram de um só manjar espiritual e beberam da mesma fonte espiritual; porque bebiam de uma pedra espiritual que os seguia. E a pedra era Cristo. Entretanto, Deus não se agradou da maioria deles, razão por que ficaram prostrados no deserto.
                       
Ora, estas coisas se tornaram exemplos para nós, a fim de que não cobicemos as coisas más, como eles cobiçaram. Não vos façais, pois, idólatras, como alguns deles; porquanto está escrito: O povo assentou-se para comer e beber e levantou-se para divertir-se. E não pratiquemos imoralidade, como alguns deles o fizeram, e caíram, num só dia, vinte e três mil. Não ponhamos o Senhor à prova, como alguns deles já fizeram e pereceram pelas mordeduras das serpentes.

Nem murmureis, como alguns deles murmuraram e foram destruídos pelo exterminador. Estas coisas lhes sobrevieram como exemplos e foram escritas para advertência nossa, de nós outros sobre quem os fins dos séculos têm chegado. Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia. Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar.”

Nesta passagem, o apóstolo Paulo cita os motivos da derrota do povo de Israel no deserto. Deus tinha um plano para eles. Esse projeto se concretizaria com a entrada na Terra Prometida.

É claro que o projeto de Deus não pode falhar. É obvio que os planos do Senhor vão se cumprir! O que ocorre é que, no decorrer deste processo, as pessoas podem mudar.

A grande verdade é que, se não acontecer na sua vida, vai acontecer na vida daquele que se levantar e se dispuser. Essa foi a realidade do povo no deserto.

Eles cometeram os seguintes erros:

-Foram idólatras;

-Praticaram a imoralidade;

-Foram rebeldes;

-Murmuraram.

Todos esses ingredientes, juntos, culminaram em uma perda irreversível.

Deus havia começado um projeto de restituição para aquele povo de maneira tremenda:

Em primeiro lugar, libertando-os!

Em segundo lugar, dando condições para que eles atravessassem o deserto

O povo tinha comida, proteção e fontes de água! Em vez de agradecer pelo livramento e pela provisão, eles preferiram reclamar. Muitos, inclusive, afirmaram que viver como escravo no Egito era melhor!

Tome cuidado para você não cometer o mesmo erro. Se você está passando por uma luta, não a transforme em uma maldição. O caminho é: transformar a luta em bênçãos! Como? Através dos seus posicionamentos, das suas escolhas, da sua fé, pela sua espera no Senhor, pela sua dependência d´Ele, por você ter escolhido caminhar de acordo com a Palavra de Deus... Caso contrário, você vai comprometer todas as áreas da sua vida, vai ferir princípios espirituais e, ainda, transformar essa batalha em uma grande guerra.

O apóstolo Paulo também nos deixa outra recomendação: “Aquele que está em pé cuide para que não caia!”. O que isso quer dizer? Que essa luta ainda não te derrubou, mas você não pode relaxar.

Em terceiro lugar, dando oportunidades para aquele povo

Paulo deixa uma revelação muito profunda na passagem que acabamos de ler.  Aquela pedra que Moisés bateu e saiu água representava Jesus Cristo. Pedro fala que Jesus é a pedra de esquina, ou seja, mesmo no deserto, o povo tinha a fonte de água viva.

Eles tinham todas as condições para terem suas forças renovadas, assim como Elias, em 1 Reis 19, que, depois de comer do pão e beber da água, correu 40 dias no deserto.

Sabe, eu quero deixar um conselho: Ainda que seja uma pequena nuvem, não despreze o que Deus está fazendo! Faça com que ela seja uma chama de esperança no seu coração ou a porta que Ele vai abrir para que uma revolução comece na sua vida.

No final do texto, Paulo afirma que não há tentação, não há dor e não há dificuldades que não possamos suportar.

Às vezes, passamos por lutas tão difíceis, que achamos que é o fim da linha. Mas precisamos ter a certeza de que a nossa esperança no Senhor jamais será confundida.

Eu sei que, com a provação e com a dificuldade, Deus vai prover um grande livramento, porque Ele é fiel.

Se você está passando por um deserto, não faça dele a sua morada ou o seu funeral! Deserto é uma passagem, é uma fase! Deus tem muito mais para você! Não desista, não negocie suas convicções, opte em ser diferente! Calebe conviveu com a aquele povo, mas não cometeu as mesmas práticas. Ele escolheu ser diferente, por isso, o seu futuro foi diferente! Pague um preço! Vale a pena.

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Livres ou escravos?


Gálatas 3.1 a 5: “Ó gálatas insensatos! Quem vos fascinou a vós outros, ante cujos olhos foi Jesus Cristo exposto como crucificado? Quero apenas saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé? Sois assim insensatos que, tendo começado no Espírito, estejais, agora, vos aperfeiçoando na carne? Terá sido em vão que tantas coisas sofrestes? Se, na verdade, foram em vão. Aquele, pois, que vos concede o Espírito e que opera milagres entre vós, porventura, o faz pelas obras da lei ou pela pregação da fé?”

Todo mundo fala: “Eu quero ser livre!”. Mas, infelizmente, a maioria das pessoas tem muita dificuldade em conviver com a liberdade. Muitas, inclusive, vivem aprisionadas porque têm fascínio pela religiosidade.

Para ter liberdade, precisamos ter maturidade, consciência de nossas responsabilidades e saber quais são os limites.

Nesta passagem, o apóstolo Paulo fala exatamente sobre isso. Os gálatas estavam fascinados pela religiosidade, começaram a viver de acordo com a lei. Passaram a guardar o sábado, queriam se circuncidar.

Paulo havia deixado para eles experiências, sinais, prodígios e maravilhas, mas eles começaram a se encantar com o misticismo. Isso, infelizmente, acontece até hoje. Muitas pessoas ignoram o poder da graça e acabam deixando de caminhar pela fé. Elas ficam aprisionadas em suas necessidades e se tornam, muitas vezes, piores do que os ímpios. São mais cruéis e odiosas. Para elas, o evangelho tem de ser de imposição, e deus delas é o próprio ventre. 

Hoje, eu quero perguntar: Quem fez a boa obra em sua vida? Foi a lei ou a graça? Você viveu, até agora, pela lei ou pela fé? O Senhor disse, em Romanos 10.38, que o justo viverá pela fé. Paulo afirmou, em Efésios 2.8, que, pela graça, nós fomos salvos.  

Se você recebeu a salvação pela graça e vive pela fé, procure, então, viver esta libertação.

João 8.36: "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”

Por fim, o apóstolo Paulo, na passagem que iniciou nosso estudo, deixou um questionamento: “Vocês estavam tão bem! Vão continuar negando tudo o que Cristo fez e pode fazer?”.  Esta mesma pergunta eu te faço hoje.

Então, chegou o momento de abandonar o domínio da carne e a hipocrisia religiosa. Chega de ter uma vida dupla. Chega de ser uma pessoa no domingo e ser outra completamente diferente na segunda-feira.

Aprenda a desfrutar da liberdade que o Senhor te deu.

Eu quero finalizar a Palavra do Dia com dois versículos:

Gálatas 5.1: “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.”

1 Coríntios 7.21: “Foste chamado, sendo escravo? Não te preocupes com isso; mas, se ainda podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade.”

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Como fazer a diferença no trabalho?


Mateus 6.22 e 23: “São os olhos a lâmpada do corpo. Se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo será luminoso; se, porém, os teus olhos forem maus, todo o teu corpo estará em trevas. Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!”


Ao ler este texto tão conhecido entre os cristãos, podemos chegar à conclusão de que, dentro de nós, pode haver um ambiente de luz ou um ambiente de trevas. E que esses ambientes se manifestam por meio de nossas palavras, reações e ações.
  
Jesus Cristo nos mostra que, independente das circunstâncias, nós podemos, sim, fazer a diferença.

Na Bíblia, existem diversos exemplos de homens que se destacaram por carregar essa luz dentro de si. Todos eles possuíam uma capacidade realizadora fora do comum.

Acompanhe, a seguir, alguns deles:

1- Estêvão

Atos 6.9 a 11: “Levantaram-se, porém, alguns dos que eram da sinagoga chamada dos Libertos, dos cireneus, dos alexandrinos e dos da Cilícia e Ásia, e discutiam com Estêvão; e não podiam resistir à sabedoria e ao Espírito, pelo qual ele falava. Então, subornaram homens que dissessem: Temos ouvido este homem proferir blasfêmias contra Moisés e contra Deus.”

Era um homem sábio que chamava a atenção por seus argumentos fortes, contundentes e indiscutíveis. Dentro dele, como a Palavra nos mostra, havia um espírito que o diferenciava. Aquela luz interior ofuscava os outros mestres, ou seja, ela o colocou em um patamar superior.

Diante de tantos desafios que nós enfrentamos no nosso ambiente de trabalho, precisamos buscar essa sabedoria e esta disposição interior para que não sejamos sucumbidos pelas pressões e metas diárias.

No mundo, hoje, existem mais de sete bilhões de pessoas – todas diferentes. O que isso significa? Que você não nasceu para ser mais um! Deus tem um propósito para a sua existência.

Quantas vezes, diante de uma notícia ruim, nós não afirmamos: “Preciso de uma luz!”. Mas precisamos ter consciência de que essa luz já está dentro de nós!


2- Jesus

Era um homem brilhante, mas, como as Escrituras nos mostram, não chamava atenção por Sua aparência, mas por Suas obras, por Sua sabedoria, por Seus ensinamentos...

O Seu diferencial não estava no seu exterior, mas no seu interior!

Atualmente, nós vemos pessoas investindo mais em sua aparência do que em seu conhecimento, ou em seus relacionamentos e ou em sua saúde emocional.

Não adianta ter uma aparência impecável, se, dentro de nós, só há sentimentos destrutivos.

Quando somos iluminados internamente, o nosso exterior reflete esta luz. Isso é uma lei espiritual: o nosso exterior reflete o nosso interior.

Qual é o objetivo do nosso maior adversário? Apagar a nossa luz e nos tornar pessoas amargas, odiosas, tristes, desmotivadas e improdutivas.

Uma das estratégias que ele adota é a inveja! Quem é tomado pela inveja acusa, desmerece, inibe, intimida e coloca em suas vítimas uma “capa de incompetência”. Quem se deixa abater pelos comportamentos dos invejosos acaba ficando limitado em suas ações.

Suas reações precisam mudar! Levante-se contra a ação que veio para te destruir. Em vez de se acovardar, expanda seu campo de ação! Faça o dobro! Acenda todo o potencial de luz que há dentro de você! Só está em evidência quem tem luz.


E como refletir esta luz interior?

1- Sendo decisivo!

Daniel 5.11: “Há no teu reino um homem que tem o espírito dos deuses santos; nos dias de teu pai, se achou nele luz, e inteligência, e sabedoria como a sabedoria dos deuses...”


Daniel era um homem bem resolvido! Apesar de ter chegado à Babilônia como um escravo, ele não se enxergava assim.

Em vez de se entregar aos costumes daquela terra, tornou-se um grande diferencial. Desenvolveu-se humanamente e espiritualmente e, desta forma, tornou-se um grande estadista! Passou por quatro reinados e, em todos eles, destacou-se por sua luz interior, inteligência e sabedoria.

As nossas origens não determinam o nosso futuro, mas nossas escolhas e o nosso preparo, sim!

Daniel era luz naquele ambiente de trevas. Pela sua capacidade de interpretar sonhos, foi peça-chave para a tomada de grandes decisões.

Em vez de ser só mais um funcionário, busque ser um fator decisivo! Deseje isso, decida ser isso e prepare-se para isso! Saia da caverna da insegurança, da frustração e da intimidação. Esteja disponível e seja participativo!

Encare tudo com maturidade, inclusive as críticas, porque elas fazem parte do nosso desenvolvimento.

2- Antes de entrar na guerra, busque revelações e enxergue-se como um vencedor!

Provérbios 23.7: “Como o homem imagina em sua alma, assim ele é”

Quando passamos por lutas, a tendência é nos isolarmos!

Lembre-se de que o mal só atrai o mal. Já percebeu que quem é depressivo só atrai pessoas negativas?

Jó 3.25: “Porque aquilo que temia me sobreveio; e o que receava me aconteceu.”


Em vez de alimentar seus medos, alimente sua fé. Mude o seu ambiente interior! Enxergue esta batalha como uma oportunidade de avanço, não de retrocesso.

2 Reis 6.12: “Respondeu um dos seus servos: Ninguém, ó rei, meu senhor; mas o profeta Eliseu, que está em Israel, faz saber ao rei de Israel as palavras que falas na tua câmara de dormir.”

Israel estava em guerra contra os assírios. Era um exército extremamente estratégico e equipado. Mas Deus revelava a Eliseu todas as ações que eles estavam prestes a tomar! Desta forma, Israel sempre estava um passo a frente! O rei assírio ficou tão transtornado, que achou que havia um traidor entre eles.

O segredo de Eliseu foi o desenvolvimento de sua luz interior, ou seja, do seu discernimento.

Dizem que, contra fatos, não há argumentos, mas lembre-se de que existem muitos fatos que são manipulados. Por isso, ter discernimento é essencial para que, diante de momentos de extrema pressão, tenhamos as reações que nos levarão à vitória.

Marcos 4.22: “Pois nada há de oculto que não venha a ser revelado, e nada em segredo que não seja trazido à luz do dia.”

3- Em vez de ser uma lâmpada, seja um farol


Busque ser uma pessoa estratégica, uma peça-chave! Deus te criou para você brilhar!

Se você é um péssimo cristão, um péssimo marido, um péssimo pai de família, um péssimo amigo, um péssimo profissional, o que será da sua vida? Nada! Então, em tudo, busque ser o melhor!

Mateus 5.13 a 16: “Vós sois o sal da terra; ora, se o sal vier a ser insípido, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo. Não se pode esconder a cidade edificada sobre um monte; nem se acende uma candeia para colocá-la debaixo do alqueire, mas no velador, e alumia a todos os que se encontram na casa. Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.”

Chegou a hora de você assumir sua posição! Acione todas as suas turbinas de energia! Faça tudo com amor, dedicação, garra e disciplina, para você se tornar brilhante!

Serviço:
Prosperity Coaching
Data: às segundas-feiras
Horário: 20 horas
Local: Todas as Igrejas Renascer em Cristo
Endereço da sede internacional: Rua Dr. Almeida Lima, 1.290 – Mooca