quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

O renovo apostólico



Jeremias 23.5 e 6: “Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, rei que é, reinará, e agirá sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra. Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro; será este o seu nome, com que será chamado: SENHOR, Justiça Nossa.”

A Palavra de Deus nos mostra o renovo que se manifestou com a vinda de Jesus, assim como Isaías havia profetizado.

Isaías 11.1: “Do tronco de Jessé sairá um rebento, e das suas raízes, um renovo.”

Todos nós sofremos um desgaste natural. Todos nós, diariamente, enfrentamos guerras e precisamos lidar com uma série de emoções. Por isso, precisamos passar por um processo de renovação. Sem isso, nosso futuro fica comprometido. Renovar-se é literalmente renascer!

A estratégia que o inimigo adota para nos desmotivar e nos paralisar é colocar um grande peso sobre nós e um desgaste espiritual. Esse processo nos afasta dos planos que o Senhor tem para nossas vidas! Muitas vezes, chegamos até a desistir no meio do caminho! O cansaço espiritual é muito mais grave que o carnal, pois todas as áreas de nossas vidas dependem do nosso bem estar espiritual!

Na Bíblia, existem exemplos de homens que sofreram por causa deste desgaste espiritual. Hoje, eu gostaria de destacar alguns:

1- Elias, que se deixou abalar pelas ameaças de Jezabel

1 Reis 19.4: “Ele mesmo, porém, se foi ao deserto, caminho de um dia, e veio, e se assentou debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte e disse: Basta; toma agora, ó SENHOR, a minha alma, pois não sou melhor do que meus pais.”

Depois de todas as experiências que Elias teve com Deus, nada justificava aquele momento de fraqueza. Não era o momento de entregar os pontos e muito menos de recuar!

O nosso desgaste faz com que pequenas deformações se transformem em grandes cárceres emocionais!

2- Moisés, aquele que foi levantado como o libertador do povo judeu, mas que, após ter sofrido um grande desgaste no deserto, chegou a desejar que seu nome fosse riscado do Livro da Vida.

Êxodo 32.32: “Agora, pois, perdoa-lhe o pecado; ou, se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste.”

A convivência com o povo no deserto trouxe um grande desgaste para Moisés. Mas, em vez de buscar um caminho da renovação, ele se entregou à ira e, em vez de tocar na rocha, bateu nela!

3- Jeremias, que mesmo tendo enfrentado a solidão, a depressão e a rebeldia do povo judeu, em seu momento de desgaste, amaldiçoou o dia em que nasceu.

Jeremias 20.14: “Maldito o dia em que nasci! Não seja bendito o dia em que me deu à luz minha mãe!”

Precisamos ter consciência de que o desgaste espiritual traz acomodação, covardia e nos leva ao retrocesso em todas as áreas. Esse processo, muitas vezes, é tão sutil, que só percebemos quando temos grandes prejuízos.

O desgaste transforma grandes homens de Deus em meros ‘profissionais da fé. O desgaste faz com que nos relacionemos com o Senhor, não pelo que Ele é, mas pelo que Ele pode fazer. O desgaste faz com que nos relacionemos por interesse, não por amor!

Precisamos ter consciência de que:

1- Renovar-se é voltar ao primeiro amor.

Mateus 18.3: “E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.”

Apocalipse 2.4: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor.”

2- Renovar-se é colocar nossas vidas nas mãos do oleiro.

Jeremias 18.1 a 6: “Palavra do SENHOR que veio a Jeremias, dizendo: Dispõe-te, e desce à casa do oleiro, e lá ouvirás as minhas palavras. Desci à casa do oleiro, e eis que ele estava entregue à sua obra sobre as rodas. Como o vaso que o oleiro fazia de barro se lhe estragou na mão, tornou a fazer dele outro vaso, segundo bem lhe pareceu. Então, veio a mim a palavra do SENHOR: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? – diz o SENHOR; eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.”

3- O renovo se manifesta na igreja figurativamente:

- Pela água: Água da Vida;

João 4.14: “... aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.”

- Pelo vento: sopro do Espírito Santo;

João 3.3: “A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.”

- Pelo pão: corpo de Cristo.

João 6.35: “Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede.”

Prepare-se para se renovar como a água e alçar voos altos!

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Autoridade Apostólica



Marcos 16.15 a 20: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.

De fato, o Senhor Jesus, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu e assentou-se à destra de Deus. E eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o Senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam.”

Após Sua ressurreição e antes de Sua ascensão, Jesus entrega uma autoridade apostólica para a Sua igreja. O princípio básico de autoridade se constitui em estarmos também debaixo de uma autoridade. Espiritualmente falando, quando eu me submeto à autoridade, eu estou habilitado a exercer autoridade. Tudo no mundo espiritual se estabelece por autoridade.

Quando Saul se levantou contra Davi, ele pensou que estava somente derrubando mais um oponente. Mas, na verdade, estava se levantando contra a autoridade de Samuel. Quando ele foi à guerra sem esperar por Samuel, oficiou a Deus sem a presença do sacerdote e não matou o agagita, como lhe fora ordenado, ele feriu a autoridade espiritual.

A partir destes momentos, ele gera uma série de consequências devastadoras. Ele e seus filhos morreram de maneira trágica. A rebeldia o desviou do destino que Deus tinha para ele. É isso que o inimigo quer! Ele quer que nós desprezemos as autoridades espirituais, para transformar nossas escolhas em uma terrível destruição. Precisamos ter consciência de que a rebeldia é uma prática espiritual maligna. Na Bíblia, ela é comparada à feitiçaria.

Em Filipenses 2, nós vimos que Jesus Cristo se submeteu à autoridade do Pai. Ele foi fiel até a morte, e morte de cruz! Com esta atitude, ele conquistou a nossa salvação e foi colocado em uma condição de honra. O nome d’Ele está sobre todo o nome. Podemos concluir que a submissão nos leva a patamares superiores.
  
O que Jesus fez antes de subir aos céus? Derramou a autoridade plena sobre os apóstolos, ou seja, sobre Sua igreja. Nós, então, passamos a ter a autoridade plena de Cristo em nós. Esta autoridade foi derramada para quê? Para que possamos caminhar em um plano superior.

Quando ignoramos este princípio, automaticamente, deixamos de ter autoridade:

1- Sobre a carne (1 Coríntios 9.27 e Colossenses 3.5 e 6)

A autoridade nos dá estabilidade e equilíbrio! Quando nascemos de novo, deixamos de ser dominados pelos nossos anseios, pelos nossos impulsos carnais, ou seja, recebemos autocontrole!

Mas o que acontece quando eu perco o controle? Sou reprovado espiritualmente! Se nascemos de novo, não podemos retomar as velhas práticas. Precisamos ter autoridade, diariamente, para matar a nossa natureza terrena.

Novo nascimento é ter autoridade sobre a carne. Não adianta teorizar, é uma prática diária! Não é só pedir perdão, é ter domínio sobre aquilo que veio para te destruir!

Estamos no mundo, mas não somos do mundo! Estamos no mundo, mas o mundo não está dentro de nós!

2- Sobre o pecado (Romanos 6.11 a 14, 2 Pedro 2.9 e Romanos 6.23)

Não tem como viver de aparências, o pecado se manifesta no copo carnal. O pecado sempre vem à tona, porque o nosso comportamento muda!

O pecado é um corpo espiritual que ocupa, dentro de você, o espaço do Espírito Santo!

O salário do pecado é a morte! Todo mundo sabe disso? Sabe? Mas por que continuam pecando? Por que não têm autoridade! Exercer a autoridade sobre o pecado é questão de escolha!

3- Contra os demônios (Atos 19.13 a 28, Lucas 10.8 e 17 e Mateus 16.18 e 19)

Para exercer esta autoridade, é necessário ter consciência e santidade! Sem uma vida espiritual limpa, é impossível ter autoridade sobe espíritos malignos.

Há muitas pessoas enfermas porque não têm autoridade contra demônios! Vivem oprimidas e subjugadas!

Como o diabo oprime e subjuga o homem?

- Por meio do medo;
- Por meio da divisão;
- Por meio da incredulidade.

Mas, hoje, o Senhor entregará a chave que nos dá acesso à restituição desta autoridade:
  
1- Para estarmos onde Ele está (João 14.3)

Cristo está em uma posição de autoridade absoluta! O mundo jaz no maligno, mas estamos onde Ele está! Maior é aquele que está em nós!

2- Para submetermos os principados que agem no mundo (1 João 5.19, Mateus 5.12, 1 João 4.3 a 6)

O espírito do anticristo se manifestou no mundo com a ascensão de Jesus. Mas ele não pode agir livremente por causa da autoridade de Cristo em nós!

A nossa missão é limitar o poder do anticristo! Está na hora da sua luz confrontar a obra das trevas!

3- Para movermos o mundo espiritual e trazer poder para a terra (Josué 10.13 e 14 e 1 Coríntios 4.20)

O evangelho é a demonstração do poder de Deus!

4- O revestimento deste poder e autoridade se manifesta em nós por meio da glória de Deus (2 Coríntios 3.7 e 8, Atos 5.14 a 16 e Apocalipse 7.11 a 17)

Exerça a sua autoridade, porque é tempo de manifestar a glória de Deus! É tempo de vencer o que nunca foi vencido! Aleluia!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Mas, afinal, o que a Bíblia diz sobre piercing e tatuagem?



Tatuagem e piercing fazem parte do grupo de temas polêmicos que não estão expostos diretamente na bíblia, por serem práticas culturais muito mais recentes (ou nem tanto), como a cerveja e o sexo depois do casamento. Não existe passagem bíblica que expresse algo especificamente sobre tatuagens, ficando assim a interpretação mediante à visão da palavra de Deus, contextualizada em nossa realidade cultural, no caso, Brasil no século 21. Entende-se também que este tipo de assunto não esclarecido pode trazer discussões (falatórios) inúteis, a ponto de afastar pessoas com esta prática da salvação em Cristo Jesus.

Vale lembrar alguns princípios bíblicos básicos para auxiliar em todo o estudo:

O homem é constituído simbioticamente de corpo, alma e espírito. Corpo é nossa constituição fisiológica que faz parte do universo sensível em que vivemos. Espírito é nossa constituição divina, que faz parte de uma dimensão espiritual ao qual estamos envolvidos, mas fisicamente não podemos tangê-la. Nossa alma é o encontro do Espírito (Sopro) e o Corpo, constituição das nossas faculdades mentais, emocionais e sentimentais, onde está nossa volição (vontade de agir).

Segundo Gálatas 6.7, tudo que semeamos, colhemos. O que realizamos com nossas ações tem consequências espirituais e físicas. Por isso, na oração do “Pai Nosso”, Jesus afirma “assim na terra como nos céus”, porque tudo é realizado PRIMEIRO no mundo espiritual, através dos nossos sentimentos ou motivações.

Estamos no século 21, mais de dois mil anos a frente da narrativa da bíblia. Todo contexto bíblico se passa com civilizações na Antiguidade, nas Idades do Bronze e do Ferro, onde muitas procedem como tribos sem ética. Deus criou as leis do Antigo Testamento para um povo tribal de cultura ainda em formação. O Novo Testamento se passa em um período que a humanidade já avançara consideravelmente nos assuntos ética e moral, com a influência helenista (grega). Hoje, estamos em uma sociedade muito mais avançada tecnologicamente, com estes conceitos tão mais comuns do que naquelas civilizações. Estamos na Era do  Conhecimento, em um mundo globalizado sem fronteiras, com democracia e liberdade religiosa na maioria dos países. Um tempo que misturar costumes e tendências de povos distantes é muito comum e acessível.

Ainda neste assunto, temos que tomar cuidado com preconceitos. Em Atos 15, há uma grande discussão em Jerusalém se os cristãos estrangeiros deveriam contrair os hábitos dos cristãos judeus, ou seja, realizar os ritos do judaísmo como circuncisão (corte da dobra da pele que cobre o órgão sexual masculino, segundo a lei de Moisés, como símbolo de aliança com Deus), por exemplo. Após a discussão, leia a resposta de Tiago:

“A minha opinião é esta: eu acho que não devemos atrapalhar os não-judeus que estão se convertendo a Deus. Penso que devemos escrever a eles uma carta, dizendo que não comam a carne de animais que foram oferecidos em sacrifício aos ídolos, que não pratiquem imoralidade sexual, que não comam a carne de nenhum animal que tenha sido estrangulado e que não comam sangue.” (Atos 15.19 a 20 NTLH).

Então, Tiago afirma para não abrirem mão dos seus costumes, mas para não praticarem prostituição, nem se alimentar de idolatria ou cometer atitudes bestiais (beber sangue).
Antes de chegarmos a nossa discussão, Jesus diz em Mateus 10.28: "Não tenham medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma. Porém tenham medo de Deus, que pode destruir no inferno tanto a alma como o corpo.".

Da mesma forma, apóstolo Paulo ministra este sentido em 2 Coríntios 4 e, ainda, em
Logo, mais importante do que nosso corpo mortal é a dedicação da nossa alma ao cumprimento das direções do Espírito Santo de Deus. Nosso corpo será reduzido ao pó, o que subirá é nosso espírito. Nossa alma é o centro de escolhas, envolvidas por sentimentos e emoções. Ela que fará a opção de ir aos Céus. Veja esta passagem de 1 Coríntios 15.42, 48 a 49 (RA): “Pois será assim quando os mortos ressuscitarem. Quando o corpo é sepultado, é um corpo mortal; mas, quando for ressuscitado, será imortal. Os que pertencem à terra são como aquele que foi feito do pó da terra; os que pertencem ao céu são como aquele que veio do céu. Assim como somos parecidos com o homem feito do pó da terra, assim também seremos parecidos com o Homem do céu.”

O que é tatuagem? É um desenho permanente na pele, por uma técnica de inserção de pigmentos por agulhas, de forma irreversível. Resumindo, você machuca sua pele e põe coloração simultaneamente, ou seja, conjunto de cicatrizes coloridas. Cicatriz é algo que te traz memória. Quem nunca olha para uma cicatriz e se lembra do acidente que a gerou? Tatuagem segue este raciocínio, uma forma de relembrar fatos marcantes, situações relevantes, algo que demonstre suas opiniões ou até uma homenagem a alguém.

Por que tatuagem é tão criticada? Porque muitos têm a imagem antiga, associada a esta técnica como: “Tatuagem é realizada por gente rebelde”; “É coisa de bandido na cadeia que tatuam símbolos dos seus crimes”; ou “Dragões ou símbolos ligados à máfia, principalmente à cultura oriental”. Segue a mesma linha de crítica ao rock’n roll na Igreja, na década de 90, que é um estilo musical, mas que por muito tempo foi tido como referência satânica, por causa das bandas seculares que começaram a tocar o estilo.

Bispa Sonia afirmou em uma reunião: “Texto fora de contexto é pretexto”. Vamos, então, tratar versículos correntes que apoiam ou contradizem a realização de tatuagens ou piercing:

"Pelos mortos não ferireis a vossa carne; nem fareis marca nenhuma sobre vós. Eu sou o SENHOR." (Levítico 19.28 RA)

"Filhos sois do SENHOR, vosso Deus; não vos dareis golpes, nem sobre a testa fareis calva por causa de algum morto." (Deuteronômio 14.1 RA)

Estas passagens são preferidas daqueles que se levantam contra tatuagem. Elas pertencem ao mito de não marcar o corpo. A passagem fala sobre derramar sangue pelos mortos. Todos que tatuam fazem para mortos? E mais, os golpes nesta passagem são cortes, práticas que os povos pagãos tinham na época de se retaliar para chamar a atenção de seus deuses. Tatuagem não é retaliação. Tatuagem não é necessariamente um sacrifício intencional a demônios. Se você tatuar “Jesus” no seu corpo, imagino que não esteja adorando demônios.

"Da mesma sorte, que as mulheres, em traje decente, se ataviem com modéstia e bom senso, não com cabeleira frisada e com ouro, ou pérolas, ou vestuário dispendioso..." (1 Timóteo 2.9 RA)

Esta passagem é usada para o mito do exibicionismo. Muitos tratam a tatuagem como uma forma de exibir o corpo. Nem todos fazem tatuagem para mostrá-las. E quem o faz quer deixar uma mensagem, não exibir seu corpo e ser sensual. Além disso, se levarmos ao pó da letra esta passagem, ninguém mais corta o cabelo, faz a barba, as mulheres não se vestiriam bem, nem penteariam o cabelo, nem usariam brincos e apetrechos. Cuidado. Aqui, o apóstolo Paulo fala sobre bom senso. A questão que deve ser feita é: Fazer sua tatuagem é hoje ter bom senso? Trará danos socialmente?

"Será que em lugar de perfume haverá podridão, e por cinta, corda; em lugar de encrespadura de cabelos, calvície; e em lugar de veste suntuosa, cilício; e marca de fogo, em lugar de formosura." (Isaías 3.24 RA)

Esta passagem procura tratar por muitos a tatuagem como paganismo. Tatuagem é cultura. Qualquer cultura da face da terra nasceu com paganismo ou influências pagãs. Se observarmos a história de Israel, muitos hábitos errados da cultura, segundo a bíblia, são originados por influências pagãs. Deus purifica as culturas. Se um indígena se converter, ele não pode mais se pintar para o Senhor? Se um haitiano ou um africano se converter, ele não pode dançar para o Senhor? Se um brasileiro se converter, ele não pode sambar para o Senhor? A questão não é a prática cultural, mas a intenção e se ela incita ou não ao pecado. Tatuagem não incita um ser humano ao pecado.

"Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado.” (1 Coríntios 3:16 a 17 RA)

Aqui está a defesa do mito da destruição do Corpo. É interessante as pessoas dizerem: A tatuagem destrói o seu corpo. Nào destrói. Seu corpo cicatriza e se reconstrói todos os dias. A tatuagem, neste caso, só seria evitada se gerasse doenças. Por isso, quem realiza, deve sempre avaliar as condições de higiene do local. Por outro lado, quem afirma sobre a destruição da tatuagem, não afirma coisas do tipo: “Pare de tomar refrigerantes e comer doces, pois você está obeso e seu corpo está padecendo”; “Faça exercícios, para que seu corpo fique melhor”; “Tome vacinas”; ou “Pare de comer gorduras, por causa do seu colesterol”. Daí, percebemos que mais matamos nosso corpo com um monte de besteiras que consumimos do que com uma tatuagem.

“Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (1 Coríntios 10.31 RA)

Tatuagem pode glorificar a Deus. Por que não?

"Mas, antes que viesse a fá, estávamos sob a tutela da lei e nela encerrados, para essa fé que, de futuro, haveria de revelar-se. De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé." (Gálatas 3.23 a 24 RA)

Clássica passagem em defesa da tatuagem. Não pertencemos ao período da lei, então façamos o que quisermos? Se Antigo Testamento não fosse válido, não estaria na bíblia. Leis do Antigo Testamento caíram em desuso por pertencer a um povo tribal, mas muitas leis foram preservadas e reforçadas pelo Novo Testamento. Cuidado com a libertinagem na leitura da Palavra. Muita gente quer as bênçãos do Antigo Testamento, mas não querem seguir os preceitos e leis que não foram revogadas no Novo Testamento.

“Pois, quando viu o pendente e as pulseiras nas mãos de sua irmã, tendo ouvido as palavras de Rebeca, sua irmã, que dizia: Assim me falou o homem, foi Labão ter com ele, o qual estava em pé junto aos camelos, junto à fonte. Daí lhe perguntei: de quem és filha? Ela respondeu: Filha de Betuel, filho de Naor e Milca. Então, lhe pus o pendente no nariz e as pulseiras nas mãos.” (Gênesis 24.30, 47 RA)

Rebeca tornou-se o mito em defesa do piercing, por causa do pendente no nariz. Primeiro que a báblia não afirma que ela furou o nariz. E, por ser um hábito cultural exibir joias, não significa que temos que sair com monte de coisas penduradas. Ou seja, se o uso destes artifícios cabe ao momento e a sua cultura, vá em frente! Se não, para quê?

“No manto, sobre a sua coxa tem escrito o nome: Rei dos reis e Senhor dos senhores.” (Apocalipse 19.16 RA)

Este é o mito de apoio a tatuagem: Jesus tinha uma tattoo na coxa. Pode tatuar sim, mas esta passagem não é um apoio, até porque é uma visão espiritual de João. Então, os que vão pro inferno têm tatuagem na testa ou nas mãos de 666? Então, vamos pegar leve com as leituras.

Concluindo, você quer fazer tatuagem ou piercing? A bíblia não abomina a prática, mas as motivações. Então, seguem algumas dicas, pois a bíblia diz que:

“Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos.” (Colossenses 3.15 RA)

O que você está tatuando? Teu corpo é templo do Espírito Santo (1 Coríntios 6.19). Tatuar nome de gente, figuras, heróis ou inspirações está agradando o Espírito Santo? Estão afirmando que o Espírito Santo está presente na sua vida?

Vale a pena fazer tatuagem? Saiba que não sai e as técnicas para remoção ainda não são eficientes para retirada por completo. Vai tatuar nome de namorada pra quê? E se o namora acaba? Vai tatuar escudo do time pra quê? Vai te fazer mais torcedor do que os outros? E o risco de pegar uma torcida organizada contrária? Pense bem quando tatuar, para não se arrepender.

Todos ao teu redor entendem tatuagem? Ainda tem pessoas com muito preconceito e até empregadores. O mundo está bem menos preconceituoso, mas ainda está em transformação. Então, seja cuidadoso e assuma os riscos. Fazer tatuagem para se rebelar contra a família não é boa ideia. Faça as pessoas compreenderem suas intenções e até participar deste momento na sua vida, é melhor. Não que você deva algo a alguém, mas se possível, tenha paz com todos.

Fazer piercing pra quê? Pode fazer, mas saiba que há áreas que podem comprometer tua saúde se não houver higiene, como a língua. Ou pode ter uma reação alérgica ao metal. Fazer piercing no umbigo ou no mamilo, qual é intenção? Mostrar para você ou para os outros? Por isso, tudo depende de nossas intenções.

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convém. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas." (1 Coríntios 6:12 RA)

Faça escolhas que não padeçam sua alma e nem te afastem da essência do Espírito Santo de Deus. Tudo pode, mas nem tudo convém. O Senhor viu o seu coração, mais do que a sua marca no corpo. Pense nisso!

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Dicas para superar as frustrações profissionais


Uma pesquisa realizada em todo o país pela consultoria 4hunter apontou quais são os principais vilões da motivação profissional.

Para chegar à conclusão, 500 profissionais de diversas áreas em todo o país foram entrevistados. Entre eles, mais da metade alegou estar insatisfeito com o emprego atual. 62% do grupo dos desmotivados é composto pelo público masculino.

O diretor executivo da 4hunter, Carlos Felicíssimo Ferreira, dividiu a pesquisa em três motivos, veja a seguir:

1- Salário abaixo da expectativa


Em meio à crise financeira, ter o salário abaixo da média faz qualquer um perder o sono.  Para 31,6% os profissionais entre 21 e 28 anos, este é o principal fator desmotivador e limitador. Principalmente, porque os impedem de investir em momentos de lazer ou em seu desenvolvimento profissional.

2- Clima pesado no ambiente de trabalho


Depois de acordar cedo, encarar o trânsito e ainda passar um terço do dia em um ambiente odioso e intimidador desanima qualquer um. Entre os jovens, 24,1% tem o clima pesado como maior fator desmotivador.

3- Falta de reconhecimento profissional


O salário não é suficiente para motivar. Se o trabalho não trouxer desafios, e os seus desafios, o reconhecimento do bom papel que foi desenvolvido, os profissionais ficam totalmente desmotivados, e o trabalho se torna um peso.

Como reverter este quadro

Em entrevista ao portal iGospel, a Gerente de Compliance da Microsoft Juliana Nogueira Rocha deu algumas dicas para os profissionais que estão descontentes com o teu trabalho. “Para combater estas situações, o ideal é verificar todas as possibilidades antes de tomar uma decisão definitiva. Em relação ao clima pesado, muitas vezes, pode ser coisa da sua cabeça. Se não for, converse com seus colegas e, se precisar, com o seu gestor”, afirmou.


“Salário baixo nem sempre é sinal de que a empresa não te reconhece. Por isso, você precisa entender qual é a real situação da empresa, e, se ela te enxerga. Caso essa situação esteja alinhada, verifique se você bateu as metas, entregou tudo no prazo e se destacou acima do esperado. Se isso aconteceu, cobre uma posição”, aconselhou.

“Já em relação ao reconhecimento profissional, verifique como a empresa funciona, e se ela possui um histórico de reconhecer os funcionários. Com isso, você precisa ter em mente o que quer, e se está preparado para exercer aquela função”, concluiu.

Andando na contramão


Para que o ambiente mude, a disposição interior precisa mudar. É isso que aprendemos na Palavra de Deus. Nossa conquista começa no mundo espiritual.

Em uma de suas palestras realizadas em todas as segundas-feiras, na sede internacional da Igreja Renascer em Cristo, Apóstolo Estavam ensinou segredos de como ter as esperanças renovadas, independente das frustrações profissionais.

Ele usou como base a passagem bíblica de Zacarias 9: 12, que diz “Voltai à fortaleza, ó presos de esperança; também, hoje, vos anuncio que tudo vos restituirei em dobro.”.

“Espiritualmente, nós temos que entender que, sem esperança espiritual, nada acontece em nossas vidas. Eu posso esperar na minha capacidade pessoal, em um grande negócio, em uma fortuna que eu tenha para receber de herança. Tem gente que vive a vida inteira assim. Este é o problema de esperar humanamente que as coisas mudem”, afirmou.

“Nós, na nossa vida profissional, precisamos ter esta condição, que é a esperança espiritual. A esperança espiritual é um subproduto da fé e, ao mesmo tempo, aquilo que nos leva a ter fé, porque nós passamos a esperar em Deus. É natural o ser humano ser pessimista e sempre esperar o pior, principalmente quando o assunto é vida profissional, mas, com o Espírito Santo em nossas vidas, ficamos destravados e livres para crer no melhor”, ressaltou.

Para ter as motivações e as esperanças renovadas, o líder da igreja Renascer deixou três conselhos:

1- Restituição da fé na nossa vida profissional


A maioria das pessoas passa por um processo no qual o tempo, as lutas e as decepções fazem com que elas trabalhem somente por obrigação. Elas trabalham, simplesmente, para sobreviver. Apóstolo Estevam afirma que este sentimento é destrutivo. “A vida profissional vira um fardo, em vez de ser um prazer. As pessoas começam o expediente contando as horas para que o dia acabe. As pessoas contam o dias para que os finais de semana ou os feriados cheguem. Isso é uma sobrevida! Pessoas que têm este sentimento nunca vão render ou subir de posição no trabalho, porque envolvimento gera desenvolvimento. Como dizem: o único sucesso que vem antes do trabalho está no dicionário”, alertou.

“Quando eu tenho prazer interior significa que eu tenho fé e alegria. Você precisa crer que, do fruto do seu trabalho, o Senhor te abençoará”, complementou.

Dica 1: Faça de 2 Coríntios 5: 17 – “O justo não anda por vista, mas anda por fé" –, a sua verdade.

Dica 2: Creia que o seu trabalho é uma bênção, e que Deus abrirá as portas por onde você for! Tenha uma disposição interior.

2- Restituição do poder de guerra


Como já diz a máxima: “sem guerra, não há conquistas”, a força de trabalho é essencial para que haja reconhecimento e o desenvolvimento de novas habilidades.

“O nosso problema é que aquele ‘amem’ que nós entoamos no culto cai por terra quando recebemos a primeira má notícia no dia seguinte no trabalho”, declarou Apóstolo Estevam.

Além dos dados citados na pesquisa, o líder da Igreja Renascer acredita que existem mais três fatores que podem desestimular o ímpeto de guerrear:

1º O poder da palavra (cobranças, notícias ruins, metas...)
2º Pela influência que nós recebemos do comportamento alheio
3º Pelas próprias deformações e conveniências (é mais fácil correr, do que encarar)

Ele também destacou que a perseverança é essencial. “Tudo depende da sua capacidade de guerrear e lidar com as adversidades. Continue crendo, não deixe nada te intimidar. Não entregue os pontos”, destacou.

Dica 1: Tenha o comportamento de um vencedor.

Dica 2: Tenha uma posição firme e definitiva.

3- Restituição do positivismo


O negativismo é a resultante dos vilões da motivação profissional. Para combater este mal, Apóstolo Estevam aconselha uma comunhão maior com o Espírito Santo. “Quando estamos cheios do Espírito Santo, temos as características do Senhor. Em Neemias 8:12, está escrito: ‘A alegria do Senhor é a nossa força”, afirmou.

“Falta de dinheiro dá tristeza, é chato. Você trabalha tanto e, no final, não consegue comprar o que quer ou o que precisa. Eu não estou falando para você ficar feliz, mas para você buscar a felicidade. Eu estou falando para você guerrear por ela, seja uma pessoa positiva. A prosperidade não está no que você tem, mas está em você. A prosperidade não estava no Egito, estava em José. Acorde, sabendo que a maior alegria que podemos ter é a alegria da salvação. Este é o maior bem que nós temos”, destacou.

Ele também afirmou que é preciso batalhar para que haja a restauração da alegria. “Temos que buscar a restituição daquilo que Deus nos deu. Deus nos fez felizes, positivos! É só a gente olhar para qualquer bebê. Eles dão risadas e abrem aquele sorriso com as coisas mais simples da vida”, afirmou.

Dica 1: Medite em Filipenses 4: 4 “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos”.

Dica 2: Busque ser um diferencial, porque, com Jesus Cristo em sua vida, não tem como você dar errado. O sucesso começa dentro de você.


Dê um upgrade na sua carreira

Todas as segundas-feiras, a partir das 20 horas, a Igreja Renascer realiza as reuniões da AREPE (Associação de Renascer de Empresários e Profissionais Evangélicos).

O culto é direcionado para empresários, profissionais liberais e para pessoas que precisam de restauração e um direcionamento na área profissional.

No Renascer Hall, sede internacional da Renascer em Cristo, em São Paulo, as palestras são ministradas pelo Apóstolo Estevam Hernandes.

Serviço:
Culto da AREPE
Horário: 20 horas
Local: Todas as Igrejas Renascer em Cristo
Endereço da sede internacional: Rua Dr. Almeida Lima, 1.290 – Mooca


Redação iGospel

Informações: Exame