segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Justificados pela fé


Romanos 5.11 a 11: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus. E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança.

Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado. Porque Cristo, quando nós ainda éramos fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer.

Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; e não apenas isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação.”

Nesta passagem, Paulo destaca alguns pontos importantes:

1º Nós somos justificados

Nós, muitas vezes, procuramos dar justificativas por causa de nossas atitudes, por causa da forma como nos vestimos, por causa de nossa postura... Achamos, erroneamente, que precisamos dar satisfações a homens, até mesmo em relação ao que não lhes dizem respeito. Isso é uma prisão.

Jesus nos ensina que devemos amá-lo acima de todas as coisas. Então, não devemos ser reféns de opiniões alheias. Precisamos, em primeiro lugar, buscar agradar ao Senhor.

Nós somos justificados pelo sangue e pela obra que nós realizamos! E esta justificação nos traz liberdade, autenticidade e autoridade.

Cristo vive em nós, e estamos debaixo de Suas onipotentes mãos. Nossa vida está no controle do Espírito Santo.

2º Temos que ter paz e equilíbrio nos momentos difíceis

É muito raro encontrar alguém que consegue ficar 100% equilibrado em momentos de crise. Os religiosos, então, só descansam quando recebem uma profecia. Em vez de recorrer à Palavra de Deus, ficam desesperados. Eles se esquecem de que, mesmo nos dias tempestuosos, o Senhor está no controle.

Paulo, por meio de suas experiências, mostra que é possível, sim, ter paz em dias de guerras. Ele disse: “A tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança. Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado.”.

Precisamos entender que a nossa esperança, no Senhor, jamais será frustrada.

3º Somos reconciliados com Cristo

Em Cristo, nós somos um! Tudo o que nos separava d’Ele foi quebrado!

João 17.22: “Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos...”

Ser reconciliado é voltar ao estado original de filhos, herdeiros e coerdeiros com Cristo.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Quando colocamos tudo a perder!



Daniel 5.1 a 7: “O rei Belsazar deu um grande banquete a mil dos seus grandes e bebeu vinho na presença dos mil. Enquanto Belsazar bebia e apreciava o vinho, mandou trazer os utensílios de ouro e de prata que Nabucodonosor, seu pai, tirara do templo, que estava em Jerusalém, para que neles bebessem o rei e os seus grandes, as suas mulheres e concubinas. Então, trouxeram os utensílios de ouro, que foram tirados do templo da Casa de Deus que estava em Jerusalém, e beberam neles o rei, os seus grandes e as suas mulheres e concubinas.

Beberam o vinho e deram louvores aos deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra. No mesmo instante, apareceram uns dedos de mão de homem e escreviam, defronte do candeeiro, na caiadura da parede do palácio real; e o rei via os dedos que estavam escrevendo. Então, se mudou o semblante do rei, e os seus pensamentos o turbaram; as juntas dos seus lombos se relaxaram, e os seus joelhos batiam um no outro.

O rei ordenou, em voz alta, que se introduzissem os encantadores, os caldeus e os feiticeiros; falou o rei e disse aos sábios da Babilônia: Qualquer que ler esta escritura e me declarar a sua interpretação será vestido de púrpura, trará uma cadeia de ouro ao pescoço e será o terceiro no meu reino.”.

O rei Belsazar cometeu uma grande abominação e colocou tudo a perder! Ele esteva em uma orgia e mandou que seus servos trouxessem os utensílios de ouro e de prata que Nabucodonosor, seu pai, tirara do templo. Ele usou o que era sagrado de forma leviana, ou seja, ultrapassou todos os limites.

Infelizmente, muitas pessoas têm agido desta forma. Muitas pessoas têm brincado com as coisas de Deus.

Gálatas 6.7: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá.”.

Belsazar cometeu os seguintes erros e, por isso, perdeu seu reinado:

Em primeiro lugar: foi soberbo

Provérbios 16.18: “A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito, a queda.”.

Em segundo lugar: foi jactante!

2 Timóteo 3.1 e 2: “1 Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes...”.

Em terceiro lugar: desprezou princípios e valores espirituais, ou seja, foi inconsequente!

No livro de Daniel, está escrito que aquele rei viu alguns dedos escrevendo uma mensagem na parede. Aqueles dedos eram de Deus.

Belsazar, então, pede para os magos e os sábios interpretarem aquela escrita, mas eles não conseguiam. Por quê? Porque quem não é espiritual não consegue discernir o que é espiritual.

A rainha-mãe, ao ver aquela situação, lembrou-se de Daniel, que, sem aceitar nada em troca, traduziu a mensagem, que dizia: “Pesado foste na balança e achado em falta!”. Aquele que é pesado na balança de Deus e é achado em falta sofre consequências terríveis!

Aquele rei achava que poderia comprar Daniel com seus presentes, mas foi surpreendido pela voz do profeta!

As consequências dos erros de Belsazar foram a divisão do seu reinado e sua própria morte.

Hoje, eu quero deixar um conselho: Cuidado para que as suas loucuras não te levem ao fim da linha! Cuidado, porque o cálice da ira de Deus pode transbordar!

Se hoje você for pesado na balança de Deus, você será achado em falta? Se a resposta for “sim”, está na hora de você corrigir sua rota! Está na hora de ter uma vida de santidade!

Não deixe que a “síndrome de Belsazar” encontre um espaço no seu coração. Não se precipite, não coloque tudo a perder. Seja um vaso consagrado ao Senhor! Ponha tua casa em ordem e acerte tua vida, porque de Deus não se zomba!  

Não seja como aquele rei, mas seja como Daniel: aquele que não se contaminou e, por isso, chegou aos lugares altos!

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Como assumir minha posição com soberania e sabedoria



Atos 26.25 a 32: “Paulo, porém, respondeu: Não estou louco, ó excelentíssimo Festo! Pelo contrário, digo palavras de verdade e de bom senso. Porque tudo isto é do conhecimento do rei, a quem me dirijo com franqueza, pois estou persuadido de que nenhuma destas coisas lhe é oculta; porquanto nada se passou em algum lugar escondido. Acreditas, ó rei Agripa, nos profetas? Bem sei que acreditas.

Então, Agripa se dirigiu a Paulo e disse: Por pouco me persuades a me fazer cristão. Paulo respondeu: Assim Deus permitisse que, por pouco ou por muito, não apenas tu, ó rei, porém todos os que hoje me ouvem se tornassem tais qual eu sou, exceto estas cadeias.

A essa altura, levantou-se o rei, e também o governador, e Berenice, bem como os que estavam assentados com eles; e, havendo-se retirado, falavam uns com os outros, dizendo: Este homem nada tem feito passível de morte ou de prisão. Então, Agripa se dirigiu a Festo e disse: Este homem bem podia ser solto, se não tivesse apelado para César.”

Paulo era um homem inteligente e sábio. O seu mentor – Gamaliel – era um grande mestre. Antes de se converter, seu nome era Saulo. Ele nasceu na cidade de Tarso. Era um homem temido e conhecido por perseguir cristãos. Foi um dos responsáveis pelo apedrejamento de Estêvão, o primeiro grande mártir da história.

Depois de ter uma experiência com o Senhor, teve sua vida completamente transformada. De perseguidor, tornou-se um grande seguidor de Cristo. Escreveu boa parte do Novo Testamento, fundamentou igrejas e foi um dos maiores apóstolos da Bíblia.

Enquanto estava em sua missão de levar a mensagem que o libertou, foi vítima de uma armação por parte de grandes religiosos da época e acabou sendo preso. A intensão deles era matá-lo. Mas Paulo consegue reverter aquela situação! Como? Exercendo sua soberania!

Ele se levanta e dá uma cartada decisiva: “Eu sou um cidadão romano!”. Paulo sabia que só poderia ser julgado por um tribunal formado por autoridades constituídas em Roma. E foi exatamente isso o que aconteceu! Além disso, Paulo também tinha direito a ter um advogado, mas decidiu fazer sua própria defesa e faz um discurso brilhante, no qual relatou suas experiências com Cristo, deixando o rei Agripa impressionado.

Em um determinado momento, o governador – Festo – o interrompe e o chama de louco. Mas Paulo não se deixou intimidar diante daquela afronta, e continua se dirigindo a Agripa.

Agripa chega à conclusão de que Paulo não tinha culpa das acusações que realizaram contra ele e o envia de volta para Roma.

Qual foi o segredo de Paulo? Ele exerceu sua soberania. Paulo tinha consciência de quem ele era e não abriu mão de suas convicções e direitos.  E essa condição é uma herança acessível a todos nós!

Nós vivemos em um mundo competitivo. Vivemos entre pessoas que têm sede de poder e que são capazes de tudo para atingir seus objetivos: denegrir, mentir, puxar tapete, apropriar-se de resultados alheios...

Quem é soberano sabe que não precisa “dar jeitinhos” para se manter em destaque. Quem é soberano não se abala com ameaças e provocações.

E como ser soberano?

1- Tendo consciência de que sua origem não é determinante para o seu sucesso


Muitas vezes, achamos que determinadas posições são inatingíveis por causa da nossa condição social, por exemplo. Ou por que ninguém nunca acreditou ou investiu na nossa formação. Você cresceu ouvindo dos seus próprios pais dizendo que você não é capaz, que você não pode sonhar alto, que você não tem talento, que as coisas nunca darão certo para você...

Não importa de onde você veio, mas aonde você quer chegar! Não importa em qual colégio ou faculdade você estudou, o que importa é o quanto você está disposto a aprender e a realizar!

Não se contente mais com a média. Você pode, sim, ir muito além, com ou sem o apoio da sua família.

Lembre-se de que as suas escolhas vão determinar quantas milhas você vai percorrer!

Na Bíblia, existem muitos exemplos de homens que foram desacreditados, mas que, mesmo assim, chegaram ao topo. José foi um deles. Era odiado pelos irmãos e, apesar de muito amado, era subestimado pelos pais. De um simples escravo, tornou-se governador do Egito.

José não foi contaminado pelos ambientes. Manteve-se soberano e fiel às suas convicções e conquistou a posição que Deus lhe havia determinado!

Está na hora de você assumir sua condição como filho de Deus!

2- Tendo autoconfiança e confiança em Deus


Provérbios 23.7: “Porque, como imagina em sua alma, assim ele é; ele te diz: Come e bebe; mas o seu coração não está contigo.”

Provérbios 24.10: “Se te mostras fraco no dia da angústia, a tua força é pequena.”

Nunca podemos demonstrar fraqueza diante dos nossos adversários. Fé é isso: agir como vencedor, não como vítima!
Mostre a força e as habilidades que há em você, como:

- Davi, o filho renegado e “despreparado”!

Foi à guerra e derrubou o gigante com apenas uma pedrada.

- Elias, a minoria!

Com ousadia, desafiou os profetas de Baal.

Quem é autoconfiante define resultados!

- Daniel, o perseguido.

Daniel era tão soberano, que não cedeu aos costumes da Babilônia. Entrou na cova dos leões e saiu ileso.

3- Não se rasteje mais


Romanos 6.16: “Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça?”

O homem é escravo daquilo que o domina e servo daquilo que acredita. Muitas vezes, sem perceber, tornarmo-nos escravos da nossa condição atual. Sentimo-nos inferiores e incapazes de progredir.

A sua conta bancária não pode mais definir o seu estado de espírito. Para a sociedade, nós somos o que temos! Se essa é a sua verdade, você se torna refém dela! Muitas pessoas acabam se atolando em dívidas, porque acham que dependem de um carro importado para serem aceitas.

Tenha consciência de que o seu valor não está nas suas posses, mas em quem você é!

Isaías 40.31: “... mas os que esperam no SENHOR renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam.”

Lembre-se de que você não nasceu para rastejar como a serpente, mas para alçar voos altos como a águia!

Você nasceu para ser livre!

4- Aprendendo a ter domínio e encarando todos os desafios


Gênesis 1.26: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra.”

O homem foi criado para ter domínio sobre todas as coisas, mas perdeu essa condição após sua queda. Mas a nossa soberania foi restituída em Cristo!

Esta na hora de você exercê-la com autoridade!

Romanos 8.17: “Se somos filhos, então somos herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo, se de fato participamos dos seus sofrimentos, para que também participemos da sua glória.”

Efésios1.20 e 21: “Esse mesmo poder que agiu em Cristo, ressuscitando-o dos mortos e entronizando-o à sua direita, nas regiões celestiais, muito acima de toda potestade e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que possa ser pronunciado, não somente nesta era, mas da mesma forma na que há de vir.”