sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Respire fundo e mergulhe!



1 Reis 5.1 a 15: “Naamã, comandante do exército do rei da Síria, era grande homem diante do seu senhor e de muito conceito, porque por ele o SENHOR dera vitória à Síria; era ele herói da guerra, porém leproso. Saíram tropas da Síria, e da terra de Israel levaram cativa uma menina, que ficou ao serviço da mulher de Naamã.

Disse ela à sua senhora: Tomara o meu senhor estivesse diante do profeta que está em Samaria; ele o restauraria da sua lepra. Então, foi Naamã e disse ao seu senhor: Assim e assim falou a jovem que é da terra de Israel. Respondeu o rei da Síria: Vai, anda, e enviarei uma carta ao rei de Israel. Ele partiu e levou consigo dez talentos de prata, seis mil siclos de ouro e dez vestes festivais.

Levou também ao rei de Israel a carta, que dizia: Logo, em chegando a ti esta carta, saberás que eu te enviei Naamã, meu servo, para que o cures da sua lepra. Tendo lido o rei de Israel a carta, rasgou as suas vestes e disse: Acaso, sou Deus com poder de tirar a vida ou dá-la, para que este envie a mim um homem para eu curá-lo de sua lepra? Notai, pois, e vede que procura um pretexto para romper comigo. Ouvindo, porém, Eliseu, homem de Deus, que o rei de Israel rasgara as suas vestes, mandou dizer ao rei: Por que rasgaste as tuas vestes? Deixa-o vir a mim, e saberá que há profeta em Israel.

Veio, pois, Naamã com os seus cavalos e os seus carros e parou à porta da casa de Eliseu. Então, Eliseu lhe mandou um mensageiro, dizendo: Vai, lava-te sete vezes no Jordão, e a tua carne será restaurada, e ficarás limpo. Naamã, porém, muito se indignou e se foi, dizendo: Pensava eu que ele sairia a ter comigo, pôr-se-ia de pé, invocaria o nome do SENHOR, seu Deus, moveria a mão sobre o lugar da lepra e restauraria o leproso.

Não são, porventura, Abana e Farfar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? Não poderia eu lavar-me neles e ficar limpo? E voltou-se e se foi com indignação. Então, se chegaram a ele os seus oficiais e lhe disseram: Meu pai, se te houvesse dito o profeta alguma coisa difícil, acaso, não a farias? Quanto mais, já que apenas te disse: Lava-te e ficarás limpo.

Então, desceu e mergulhou no Jordão sete vezes, consoante a palavra do homem de Deus; e a sua carne se tornou como a carne de uma criança, e ficou limpo. Voltou ao homem de Deus, ele e toda a sua comitiva; veio, pôs-se diante dele e disse: Eis que, agora, reconheço que em toda a terra não há Deus, senão em Israel; agora, pois, te peço aceites um presente do teu servo.”

Como as Escrituras Sagradas nos mostram, o Senhor tinha um caminho diferente para Naamã. Sua fortuna e influência não poderiam salvá-lo daquela doença mortal.

A cura dele estava em Israel, onde pode conhecer o poder ilimitado e transformador de Deus.

O que ele precisava, assim como nós precisamos para sermos curados e libertos de nossas lepras emocionais e mentais:

1- Seguir a direção correta (revelação)

Provérbios 14.12: “Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte.”

Em tudo, precisamos buscar uma direção do Senhor, para não sermos guiados por deduções, opiniões e pela nossa autossuficiência.

Naamã foi orientado por uma menina a procurar o profeta Eliseu. Mas ele preferiu se valer de suas influências e envia uma carta ao rei e Israel.

Deus tinha outro rumo para Naamã. Quando ele entendeu isso, caminhou em direção ao profeta Eliseu. Aquela viagem o colocou na rota do seu milagre tão esperado.

João 4.6: “Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.”

O nosso caminho de transformação é Jesus Cristo!

2- Dar ouvidos à voz profética (obediência)

Hebreus 3.7 e 8: “Assim, pois, como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais o vosso coração como foi na provocação, no dia da tentação no deserto...”

Sem humildade, não existe transformação. Qual foi a direção do profeta para Naamã? Mergulhar sete vezes no Rio Jordão. Obviamente, ali havia outros rios mais atraentes. Mas o mover de cura estava somente em um lugar.

Precisamos ter consciência de que não adianta ter beleza, dinheiro, influência, fama... e continuar leproso... Sem Deus, não somos nada!

Quando não damos ouvidos à voz d’Eele, perecemos no deserto, assim como aquela geração que saiu do Egito.

3- Mergulhar sete vezes, segundo a palavra (perseverança)

Naquele sete mergulhos, houve a manifestação dos Sete Espíritos de Deus!

Isaías 11.2: “Repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do SENHOR.”

Apocalipse 1.4: “João, às sete igrejas que se encontram na Ásia, graça e paz a vós outros, da parte daquele que é, que era e que há de vir, da parte dos sete Espíritos que se acham diante do seu trono...”

Naamã se esvaziou de sua posição humana e dá os sete mergulhos! Ele saiu de lá completamente curado e restaurado.

Ele volta ao profeta, reconhecendo que não há outro deus como o Deus de Israel.

Através da sua vida, o Senhor manifestará a glória d’Ele aqui na terra!

A sua cura não está na superfície. Por isso, mergulhe! Entregue-se ao amor de Deus!

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Semeie boas atitudes!



Gálatas 6. 1 a 10: “Irmãos, se alguém for surpreendido nalguma falta, vós, que sois espirituais, corrigi-o com espírito de brandura; e guarda-te para que não sejas também tentado. Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo. Porque, se alguém julga ser alguma coisa, não sendo nada, a si mesmo se engana.

Mas prove cada um o seu labor e, então, terá motivo de gloriar-se unicamente em si e não em outro. Porque cada um levará o seu próprio fardo. Mas aquele que está sendo instruído na palavra faça participante de todas as coisas boas aquele que o instrui.  Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.

Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos. Por isso, enquanto tivermos oportunidade, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé.”

Esta passagem é profunda aos nossos corações, porque nós estamos vivendo um período de uma tamanha crueldade e de julgamentos.

Paulo fala que, se alguém for pego em um problema, em uma luta ou em um pecado, deve ser exortado com brandura, para que ele possa ser reintegrado à fé, ou seja, não é para ele ser destruído.

Paulo coloca um princípio espiritual muito sério: “Exorte-o para que você não seja tentando por aquilo também.”. Isso significa que a tua conivência pode também trazer aquele mal sobre a tua vida.

Muitas vezes, vemos pessoas sendo coniventes com o pecado alheio ou tendo uma atitude hipócrita de querer repreender, de querer julgar.

A questão é que nós precisamos, em amor, transmitir a palavra da verdade e corrigir a pessoa, porque a correção é algo bom, é algo construtivo. Mas o julgamento é algo terrível, porque possui um objetivo maligno de matar o próximo.  Para ser um abençoador, você precisa estar firmado neste princípio bíblico.

Boas sementes, bons frutos!

Paulo fala sobre as nossas atitudes espirituais em relação à nossa semeadura. Ele não fala de semearmos financeiramente, mas sobre semearmos atitudes! É o princípio de Lucas 6.38, que diz: “Como a medida que você medir será medido também!”.  Ou seja, quilo que você semear, você vai colher.

Existem pessoas que são tão manipuladas espiritualmente, que ficam revoltadas por aquilo que colherem. Só que elas esquecem as atitudes que semearam. Se você semeou vento, com certeza, colherá tempestade.  Se você semeou o mal, com certeza, colherá o mal.


Muitas coisas que você nem percebe estão acontecendo, por causa de uma semeadura. Agora, do Senhor, ninguém zomba! Há muita gente brincando com as coisas de Deus, achando que podem falar e arbitrar em nome d’Ele. Acham que sua vontade pode estar acima da vontade d’Ele.

Andar com Deus é o mesmo que andar na verdade!

Mateus 5.37 “Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno.”

Guarde o teu coração. Não tenha mais atitudes precipitadas. Busque ter domínio próprio. Tome cuidado, porque uma semeadura errada pode trazer sérias consequências para o futuro!

“O que eu faço agora, Apóstolo? Como faço para matar uma semente ruim?”.  Para semente ser morta, é necessário colocar um veneno, algo que a impeça de germinar. A má semente que você plantou pode ser morta com o perdão, por exemplo.

Você fez mal a alguém? Peça perdão, conserte-se, lave-se no sangue do cordeiro.

Agora, se você for indiferente e não buscar reparar este mal, ele será a sua semeadura.

Persevere!

Paulo também nos ensina sobre a perseverança. Se nós perseverarmos, no tempo certo, nós vamos colher. Mas há um detalhe! Qual? Colheremos se não desanimarmos.

Nós, às vezes, temos um discurso! Se eu perguntar: “Você se considera uma pessoa desanimada?”. Com certeza, a sua resposta será: “Claro que não!”.

Só que o desanimo é uma malignidade tão grande, que te vence pelo cansaço. Você bateu tantas vezes naquela porta que nunca se abre. Isso te gera um sentimento tão forte de derrota, que você vai largando tudo pela metade. Sem perceber, você está sendo roubado na sua colheita.

Hebreus 10.35: “Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão.”

Você precisa fazer um autoavaliação e observar qual é a origem do seu desânimo, porque ele mata o seu futuro.

Vou dar um exemplo de perseverança. Para ser curado da lepra, Naamã tinha que dar sete mergulhos. Se ele mergulhasse apenas seis vezes, nada aconteceria. Ele tinha que ir até o fim.

Portanto, você tem de estar preparado e fortalecido para colher, e o Senhor vai te abençoar. Não se canse. Às vezes, dá uma canseira de fazer bem. Você faz o bem e só recebe paulada. Mas Paulo nos ensina: “Não se canse de fazer o bem, porque, quando você paga o mal com o bem, você está sendo beneficiado, porque este é o principio de colheita.”. É só questão de tempo.

Independente das recompensas, continue praticando o bem. Foi assim que Jesus fez lá na cruz quando todos os homens o agrediam. Cristo ainda clamou por eles: “Pai, perdoai-os, porque não sabem o que fazem.”. Ali, ele esteva fazendo o bem para a humanidade, e não desistiu.

Então, não desista. Deus é por você. Fique firme!