terça-feira, 12 de novembro de 2019

Somos pedras vivas!



1 Pedro 2.1 a 6: “Despojando-vos, portanto, de toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas e de toda sorte de maledicências, desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação, se é que já tendes a experiência de que o Senhor é bondoso.

Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo. Pois isso está na Escritura: Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo algum, envergonhado.”

Nesta passagem, o apóstolo Paulo fala sobre limpeza! Ele fala que devemos nos despojar da falsidade, da inveja, da hipocrisia... Como? Deixando de praticá-las e mergulhando na sinceridade, na honestidade, na integridade, ou seja, abandonando as capas da religiosidade e caminhando de acordo com a Palavra do Senhor.

Antes de ir ao encontro de Jesus e ser curado da cegueira, Bartimeu se despojou de sua capa. Depois de ter sido curado, ele já não andava com ela. Por quê? Porque aquela capa o identificava como uma pessoa suja e abandonada. Depois de curado e liberto, aquela capa já não lhe servia mais.

Há muitas pessoas que têm uma vida dupla. No mundo, colocam uma capa, e, na igreja, colocam outra. Vivem de aparência!

Hoje, eu quero destacar três lições que o apóstolo Pedro nos ensinou na passagem bíblica que introduziu o nosso estudo:

Em primeiro lugar, despojar-se é sinal de maturidade

Precisamos ser maduros. Pare e pense! Quantas oportunidades você já perdeu por causa da sua imaturidade? Quantas confusões você arrumou por causa da imaturidade? Está na hora de crescer, evoluir e de andar de acordo com suas convicções.

1 Coríntios 13.11: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.”

Pedro também fala que, como uma pessoa madura, precisamos buscar o leite espiritual, assim como crianças recém-nascidas. O que isso quer dizer? Que precisamos ter consciência da necessidade do crescimento e do desenvolvimento espiritual.  

Então, querido, não seja mais roubado. Aprenda que passar pelo sofrimento vai te amadurecer! Aprenda que aquilo que não aconteceu hoje não vai te matar, porque, para cada dia, basta o seu mal.

Em segundo lugar, depois do amadurecimento, nos tornamos pessoas estratégicas

O Senhor Jesus é a pedra angular, mas foi rejeitada pelos homens. O que é pedra angular? É aquela usada em construções, como uma base, ou seja, ela dá sustentação às demais.

O Senhor Jesus é a pedra que sustenta nossas vidas. Nós, assim como Ele, somos pedras vivas, pedras criadas para entregar a Deus um sacrifício santo e agradável. Estamos no edifício que o Senhor está construindo.

Você foi chamado para ser uma pedra que oferece sacrifícios agradáveis ao Senhor, por meio de dons, talentos e capacitações que vêm dos céus.

Volte para o lugar que o Senhor te colocou!

Hoje, eu quero falar com você especificamente. Talvez, eu não te conheça pessoalmente, mas eu tenho certeza de que você é importante para o Senhor Jesus! Foi por você que Ele se entregou naquela cruz.

Querido (a), está faltando uma pedra na construção do edifício do Senhor Jesus, e esta pedra é você!

Em qual lugar você colocou a pedra que foi criada para a edificação da obra do Senhor? O que você está fazendo com os dons e talentos que Deus te entregou? Você consegue identificar o Senhor nas suas escolhas, atitudes, pensamentos e sentimentos? Você tem sido luz do mundo e sal da terra?

Se sua reposta for “não”, significa que você ao menos tem consciência de que é hora de voltar, porque este edifício precisa de você, e você precisa dele.

Volte! Volte para o seu casamento! Volte para a sua família! Volte para o seu trabalho! Volte para a Casa do Pai. Ele está te esperando.

João 15.5: “Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

O envio



João 2.1 a 12: “Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, achando-se ali a mãe de Jesus. Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento. Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho. Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Então, ela falou aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser.

Estavam ali seis talhas de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas. Jesus lhes disse: Enchei de água as talhas. E eles as encheram totalmente. Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram. Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora.

Com este, deu Jesus princípio a seus sinais em Caná da Galileia; manifestou a sua glória, e os seus discípulos creram nele. Depois disto, desceu ele para Cafarnaum, com sua mãe, seus irmãos e seus discípulos; e ficaram ali não muitos dias.”

Precisamos ser marcados por experiências que tragam às nossas vidas as melhores memórias e nos façam recordar das melhores lições.

Quando aprendemos com cada experiência, construímos maturidade e ficamos satisfeitos, pois esse crescimento gera em cada um de nós um senso de propósito e uma alegria de realização. Na religião, vemos muitas pessoas insatisfeitas, pois acumulam, com o tempo, apenas cansaço e traumas pelas tentativas de agradar a Deus, cumprindo regras e mandamentos carnais.

Jesus, no seu primeiro milagre, deixou uma marca em todos os presentes naquele casamento. Deixou a marca de satisfação obtida no final da festa e superação dos traumas de que tudo o que se fazia nunca era suficiente. Em outras palavras, eles venceram suas frustrações.

Poderíamos pensar que para um primeiro milagre haveria uma situação especial ou um anuncio público, e todos os olhos voltados para Ele, que com palavras especiais resolvesse a falta de vinho, mas o que Ele fez foi surpreendente e fica de lição a todos os que desejam entender como que um milagre se manifesta.

Jesus simplesmente ENVIA as talhas cheias de água, e, quando elas chegam ao outro lado do salão – onde havia um desesperado mestre-sala preocupado com o eminente fracasso da festa sem vinho –, chegam quase 500 litros de Vinho Novo, o melhor que ele havia provado.

Entender o ENVIO e este primeiro milagre é fundamental para descobrirmos como a dinâmica apostólica opera em cada passo, para nos fazer viver milagres e realizar os propósitos de Deus em cada circunstância.

Por que a religião está limitada nos seus resultados?

Jesus tomou as talhas que eram utilizadas para a purificação e drasticamente mudou o seu destino, enviando-as para um propósito superior. O máximo que a religião poderia oferecer era a purificação. O que Jesus realizou através do ENVIO foi a transformação.

Aquelas seis talhas representam o homem criado no sexto dia da criação, e que, por mais que ele se esforce, não consegue ser transformado. A marca da frustração e da insuficiência vão sempre acompanhá-lo, o vinho sempre acaba antes do fim da festa, e somente a presença de Jesus e Seu poderoso ENVIO podem trazer um cenário diferente.

Hoje, o poder do envio vai transformar a sua história!

As talhas saíram com água e chegaram ao outro lado cheias de um vinho novo. Não teve invocação de espíritos fermentadores, nem o poder das uvas vermelhas. As práticas bizarras religiosas e os rituais esotéricos querem seduzir as pessoas na obtenção de resultados espirituais. Jesus utilizou o profético (seis talhas) e o apostólico (ENVIO), e o milagre se concretizou.

Isaíasm diante do desafio apresentado ao “QUEM ENVIAREI E QUEM HÁ DE IR POR NÓS?” não se intimidou ao dizer: HINENI - EIS ME AQUI, ENVIA-ME!

É o profético respondendo ao desafio apostólico, mesmo num cenário onde os Serafins com suas seis asas eram os mais capacitados para realizar qualquer tarefa. Mas o privilégio de anunciar esta palavra e ver todas as coisas transformadas pela sua eficácia são exclusivos dos homens, ainda que os anjos queiram atentar.

1 Pedro 1.12: “A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para vós outros, ministravam as coisas que, agora, vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho, coisas essas que anjos anelam perscrutar.”

Receba agora o envio de Jesus que, como um sopro, vai mudar a direção da sua vida!

João 20.19 a 23: “Ao cair da tarde daquele dia, o primeiro da semana, trancadas as portas da casa onde estavam os discípulos com medo dos judeus, veio Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco! E, dizendo isto, lhes mostrou as mãos e o lado. Alegraram-se, portanto, os discípulos ao verem o Senhor.

Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco! Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio. E, havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo. Se de alguns perdoardes os pecados, são-lhes perdoados; se lhos retiverdes, são retidos.”

Os discípulos estavam com medo dos Judeus e, por isso, trancaram as portas do lugar onde estavam reunidos. Mas, de repente, Jesus se põe no meio deles e proclama: Paz! e declara: ASSIM COMO O PAI ME ENVIOU, EU TAMBÉM VOS ENVIO!

Naquele momento, um sopro vem sobre eles, e o espírito deste envio os capacita a resistir a todas as pressões. Por 40 dias, eles desfrutam da presença do Senhor ressuscitado, que traz uma alegria e propósito que eles nunca tinham vivido.

Jesus entrou, atravessando as paredes, porque Ele tinha um envio para cumprir. Ele é a porta e, por isso, não tem barreiras para o seu agir e o seu manifestar. O sopro representava o hálito da ressurreição, de quem tinha vencido o último inimigo, e agora era o tempo de espalhar esta vitória na dimensão do Espirito Santo.

Este é o seu momento!

Receba o vinho novo que vai testificar que o ENVIO produz suprimento, direção e proteção.  Responda à voz que te desafia e viva o ENVIO que fará a sua vida ganhar um novo sentido. Reaja contra toda a intimidação das ameaças e medos que querem controlar os seus ambientes

O ENVIO é a saída e, somente na Dimensão Apostólica, você pode experimentar a plenitude desta experiência. VEM!

terça-feira, 5 de novembro de 2019

Um alerta!



Efésios 5.1 a 21: “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave. Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos; nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças. 

Sabei, pois, isto: nenhum incontinente, ou impuro, ou avarento, que é idólatra, tem herança no reino de Cristo e de Deus. Ninguém vos engane com palavras vãs; porque, por essas coisas, vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência. Portanto, não sejais participantes com eles. Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz (porque o fruto da luz consiste em toda bondade, e justiça, e verdade), provando sempre o que é agradável ao Senhor. 

E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha. Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas; porque tudo que se manifesta é luz. Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. 

Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.”. 

Nesta passagem, o apóstolo Paulo nos deixa um alerta sobre a importância de conhecermos as obras das trevas. Nós não podemos ignorar os intentos do inimigo.  

O que ocorre é que, infelizmente, muitos acabam perdendo a consciência de que um dos princípios fundamentais do evangelho é a santidade. 

Nós precisamos ser separados, precisamos ser luz do mundo e sal da terra. As pessoas precisam olhar para nós e enxergar a presença do Senhor. Mas o que acontece? Exatamente o oposto. A permissividade e a falta de conhecimento da Palavra de Deus têm levado muitos a procurar o evangelho, visando somente o seu bem estar pessoal.  

Deus tem para nós o bem estar; isso faz parte do plano d’Ele. Mas, para que possamos experimentar e estar debaixo da vontade do Senhor, precisamos ser santos como Ele é santo. Precisamos andar em novidade de vida.  

Infelizmente, é muito comum nos depararmos com pessoas que se dizem servas de Deus, mas que acabam tendo atitudes e reações piores do que a dos ímpios. Sem perceber, elas estão andando nas trevas. Para vencer a obra das trevas, precisamos exercer a autoridade que o Senhor nos deu. De que maneira? Resistindo-as, ou seja, não sendo participante das obras do inferno.  

Está na hora de você ser radical. Está na hora de o mundo começar a encontrar em nós algo diferente. Está na hora de sair das trevas e ser participante das obras de Cristo. É uma questão de escolha, porque ninguém pode servir a dois senhores.  

Paulo deixou também a seguinte mensagem: “Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará!”.  

Está na hora de despertar e assumir a missão que o Senhor tem para você! Está na hora de deixar a podridão do mundo e ser cheio do Espírito Santo.