segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

As palavras de despedida de Jesus


João 16.25 a 33:  ”Estas coisas vos tenho dito por meio de figuras; vem a hora em que não vos falarei por meio de comparações, mas vos falarei claramente a respeito do Pai. Naquele dia, pedireis em meu nome; e não vos digo que rogarei ao Pai por vós. Porque o próprio Pai vos ama, visto que me tendes amado e tendes crido que eu vim da parte de Deus.  Vim do Pai e entrei no mundo; todavia, deixo o mundo e vou para o Pai.

Disseram os seus discípulos: Agora é que falas claramente e não empregas nenhuma figura. Agora, vemos que sabes todas as coisas e não precisas de que alguém te pergunte; por isso, cremos que, de fato, vieste de Deus. Respondeu-lhes Jesus: Credes agora? Eis que vem a hora e já é chegada, em que sereis dispersos, cada um para sua casa, e me deixareis só; contudo, não estou só, porque o Pai está comigo. Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.”

Nesta passagem, o Senhor Jesus fala aos apóstolos suas palavras finais. Durante todo o período de Seus ensinamentos na terra, em algumas ocasiões, Ele os ensinava por meio de parábolas e figuras de linguagem. Quando os discípulos não entendiam, eles perguntavam ao Senhor: “O que representa esta parábola? Quais ensinamentos o Senhor pretende passar?”. E, em seguida, Jesus lhes explicava.

Em primeiro lugar, naquele momento de “despedida” – coloquei entre aspas porque, afinal de contas, Jesus nunca os desamparou. Ele só não estaria mais perto deles como um humano –, Jesus disse: “Eu estou partindo para o Pai. Eu estou, fisicamente, saindo do mundo!”.

Este era o momento crucial para que eles pudessem adquirir maturidade. Deus quer que sejamos maduros, que sejamos marcados e experientes.

Existem muitos personagens na Bíblia que precisavam ter uma experiência que os deixassem mais maduros. Isaías, por exemplo, no capítulo 6, era apenas um menino que dependia do rei Uzias. Em função de sua imaturidade, ele se sentia incapaz. Mas o Senhor o marcou com a brasa viva. Depois daquela experiência, houve uma transformação profunda. 

Aquela criança imatura, insegura e cheia de variações comportamentais se torna um homem firme, íntegro e um profeta messiânico. A partir daquele momento, ele se colocou à disposição de Deus.

Em 1 Coríntios 13.11, Paulo fala: “Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, pensava como menino; quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino.”.

Muitas vezes, temos sofrido no ministério por causa da imaturidade. Os casamentos têm sofrido por causa da imaturidade. A vida profissional de muitos está em crise por causa da imaturidade. Sabe por quê? Porque o imaturo é inconsistente.

Uma aliança só pode ser preservada com maturidade. E essa maturidade é forjada no nosso interior quando temos experiências firmes e fortes!

Em segundo lugar, Jesus disse: “A partir de agora, vocês vão assumir responsabilidades!”.

Quais eram essas responsabilidades? Divulgar o evangelho. Jesus sabia que eles seriam dispersos e que não o teriam mais como corpo presente para ajudá-lo. Chegou o momento de eles colocaram a fé e todos os ensinamentos em prática!

Tiago nos ensina, no capítulo 1, que não podemos ser expectadores e meros ouvintes, mas que temos que ser praticantes da Palavra de Deus.

Infelizmente, o inimigo tem trabalhado nas pessoas para que elas não assumam compromissos. Quando não temos compromisso, deixamos de ter uma liga com as coisas de Deus. Muitas pessoas querem as bênçãos, mas não querem o compromisso. Mas Jesus estava alertando seus discípulos: “Vocês precisam se comprometer porque Eu vou para o Pai. Eu estarei convosco todos os dias, até a consumação dos séculos, mas vocês precisam assumir responsabilidades.”.

Então, meu querido, assuma responsabilidades pela tua casa, pelo teu trabalho, pelo teu ministério, porque Deus é contigo!

Em terceiro lugar, Jesus disse: “Continuem firmes porque, no mundo, vocês terão aflições!”.

Há dias difíceis. Muitas vezes, achamos que os céus estão fechados para nós. Passamos por vales, pelo dia da perseguição, pelo dia da incompreensão, pelo dia da escassez, pelo dia da enfermidade, mas saímos vitoriosos.

Se você está passando pelo deserto lembre-se do que está escrito no Salmo 34: “Muitas são as aflições do justo, mas, de todas, o Senhor o livra.”.

Lembre-se do que está escrito em Jó 5.19: “Em seis angústias te livrará; e, na sétima, o mal não te tocará.”.

Lembre-se do que Jesus disse, em João 16.33: “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo!”.

Hoje, está sendo difícil ser você? Está sendo um dia de aflições e incertezas? Então, guarde essa Palavra no seu coração!

As suas aflições estão asfaltando a estrada do seu sucesso de amanhã. Por trás destas batalhas existe um propósito superior. Os discípulos não sabiam, mas Jesus não os estava deixando desamparados.

Sabe, eu passo por dias de tristeza, mas eu sei que não estou sozinho... Eu passo pela luta, mas sei que não estou contando somente com minhas forças carnais... Eu passo por elas porque eu sei em quem tenho crido e estou bem certo de que Ele é poderoso.

Creia nesta Palavra! Você está liberado para viver um novo tempo! Lembre-se de que Jesus venceu o mundo, e que nós venceremos também.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2019

Como aproveitar melhor o tempo?



Efésios 5.15 a 18: “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual é a vontade do Senhor.

E nos vos embriagueis com o vinho, no qual há contenda, mas enchei-vos do Espírito Santo, falando entre vós com salmos, entoando e louvando ao Senhor com hinos e cânticos espirituais, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome do Senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Cristo.”

Em uma das minhas orações matinais, o Espírito Santo colocou no meu coração esta passagem, que nos fala sobre como remir o tempo.

O que significa remir o tempo? Significa aproveitá-lo, maximizá-lo, torná-lo útil e aproveitável.

Se nós calculássemos todo o tempo que gastamos com coisas inúteis, veríamos quantos anos de vida nós já perdemos.

Quanto tempo você perdeu alimentando essa depressão? Quanto tempo você perdeu odiando? Quanto tempo você perdeu sendo refém desta mágoa? Quanto tempo você perdeu tentando se justificar, em vez de procurar uma solução?

Podemos estocar comida, dinheiro, roupas... mas não existe estoque de vida! Ou nós aproveitamos o tempo ou o desperdiçamos, e, muitas vezes, é um desperdício irreversível.

Hoje, eu quero deixar alguns conselhos para quem quer aproveitar melhor o tempo! Para começar, você vai adotar o termo "remir", como uma prática. Remir o tempo, espiritualmente, significa que:

1º Não devemos nos deixar levar pelos ventos contrários

Não se deixe levar pelos ventos dos falatórios, das intimidações, das inseguranças. Não deixe nada te tirar do foco!

Quando não caminhamos firmados em Cristo, somos levados facilmente por ventos de doutrinas, e isso tem acontecido com muitas pessoas que, ao olharem para trás, ficam desesperadas, porque foram enganadas.

Existem pessoas que foram levadas por modismos e, até hoje, não construíram nada. Construíram suas moradas sobre a areia, achando que haviam construído sobre a rocha.

Estes ventos te levam para longe da vontade do Senhor. Tome cuidado! Esteja firmado, para que o vento do Espírito Santo seja o único a soprar em sua vida.

João 20.22: “E, havendo dito isto, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo”.

2º Devamos renovar nossas forças em Deus!

Desta forma, superaremos todas as crises!

Quando, ao olhar as dificuldades, entregamos os pontos, somos consumidos pelo desânimo. Isso custa muito caro. Se, em vez disso, nós nos levantássemos para enfrentar os gigantes, ganharíamos mais tempo!

O tempo que você perdeu reclamando, o tempo que você perdeu brigando com sua esposa, o tempo que você perdeu arquitetando uma vingança, e o tempo que você perdeu se sentindo o homem mais injustiçado do mundo trouxeram o que para sua vida? Nada! Em vez de lamentar, clame ao Senhor!
 
Josué 1.9 “Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas e nem te espantes, porque o Senhor, Teu Deus, é contigo por onde quer que andares.”

Em Deus, nós podemos renovar nossas forças. Em Lamentações 3.22, está escrito que as misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã.

Não se integre às más notícias do inferno, porque evangelho são boas novas.

Salmo 112.7: “Não se atemoriza de más notícias; o seu coração é firme, confiante no Senhor”.

Receba forças, em seu interior, para que, a despeito das adversidades, você tenha condições de seguir em frente.

3º Precisamos aproveitar as oportunidades

Aproveite o tempo que Deus te deu. Quando estiver com seus filhos, aproveite ao máximo possível. Quando você estiver trabalhando, dê o seu melhor! Não se distraia com a internet, com telefonemas inúteis e com fofocas. Quando estiver fazendo a obra de Deus, aproveite ao máximo este tempo para mostrar seu amor por Ele.

Todos os dias, Deus nos dá oportunidades de fazermos as melhores escolhas! Nós não temos domínio sobre a nossa própria vida. Existem pessoas que vivem inconsequentemente, achando que são imortais! Todos nós vamos enfrentar a morte física. Se tivermos o nosso espírito fortalecido, teremos vitórias, diariamente. O Senhor Jesus nos diz: "Basta para cada dia o seu próprio mal!".

Salmo 84.5 a 7: “Bem-aventurado o homem que encontra cuja força está em ti, em cujo coração se encontram os caminhos aplanados, o qual passando pelo vale árido, faz dele um manancial; de bênçãos o cobre a primeira chuva. Vão indo de força em força; cada um deles aparece diante de Deus em Sião.”

Nós temos condições de, literalmente, fazer do limão uma limonada! Nós temos a oportunidade de transformar adversidades em bênçãos.

Aproveite a oportunidade que Deus te deu de ser feliz, de ter uma família, de ter saúde e de estar vivo!

Em nome de Jesus, siga estes conselhos! Dê o seu melhor, pregue o evangelho e seja cheio do Espírito Santo. Faça tudo por Ele e para Ele.

Se você saiu da igreja, por qualquer motivo, volte para a Casa do Senhor! Você será recebido em amor! Sabe qual é uma das maiores dignidades que existem no homem? Poder voltar e terminar aquilo que começou.

Se você foi roubado, não se desespere, Deus tem o poder de nos restaurar e nos restituir. Você vai remir o tempo que você tem e vai recuperar o tempo perdido, em nome de Jesus!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Jesus dá uma lição de humildade


João 13. 12 a 20: “Depois de lhes ter lavado os pés, tomou as vestes e, voltando à mesa, perguntou-lhes: Compreendeis o que vos fiz? Vós me chamais o Mestre e o Senhor e dizeis bem; porque eu o sou. Ora, se eu, sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.

Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu senhor, nem o enviado, maior do que aquele que o enviou. Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes. Não falo a respeito de todos vós, pois eu conheço aqueles que escolhi; é, antes, para que se cumpra a Escritura: Aquele que come do meu pão levantou contra mim seu calcanhar. Desde já vos digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, creiais que EU SOU. Em verdade, em verdade vos digo: quem recebe aquele que eu enviar, a mim me recebe; e quem me recebe aquele que me enviou."

No momento de sua última santa ceia com os discípulos, ou seja, no seu último momento de comunhão, Jesus surpreende a todos, ao lavar, humildemente, os pés dos seus seguidores.

Aquela atitude nos mostra:

Em primeiro lugar, que, com Ele, somos um

Nós, em Cristo, somos um porque, Em João 17.21, Ele disse: Pai, que eles sejam um, assim como somos um!”.

Quando estamos em Cristo, Ele participa de nossas vidas. Ele participa das nossas dores e das nossas alegrias.

Mateus 28.20: “...eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século.”

A humildade do senhor Jesus transmitia amor, lealdade e parceria. Ele não nos chama de servos, mas de amigos.

Ele nos ensinou que devemos nos humilhar debaixo das onipotentes mãos do Senhor.

Em segundo lugar, a soberania de Jesus Cristo

Jesus mostrou que, independente da posição que ocupamos, podemos ter atitudes de humildade e amor.

A arrogância nos cega. Quando estamos insuflados pelo nosso ego, deixamos de enxergar a necessidade do próximo.  

Em terceiro lugar, a revelação do que estava oculto

Naquele momento de profunda comunhão, houve a manifestação de Lucas 12.2: “Pois nada há de oculto que não venha a ser revelado!”. Ali, o traidor foi revelado.

Deus revelará tudo o que estava oculto, e, por meio da comunhão e do amor, teremos vitórias. 

quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Quando tudo parece estar perdido!


Ezequiel 37.1 a 10: “Veio sobre mim a mão do SENHOR; ele me levou pelo Espírito do SENHOR e me deixou no meio de um vale que estava cheio de ossos, e me fez andar ao redor deles; eram mui numerosos na superfície do vale e estavam sequíssimos. Então, me perguntou: Filho do homem, acaso, poderão reviver estes ossos? Respondi: SENHOR Deus, tu o sabes.

Disse-me ele: Profetiza a estes ossos e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra do SENHOR. Assim diz o SENHOR Deus a estes ossos: Eis que farei entrar o espírito em vós, e vivereis. Porei tendões sobre vós, farei crescer carne sobre vós, sobre vós estenderei pele e porei em vós o espírito, e vivereis. E sabereis que eu sou o SENHOR. Então, profetizei segundo me fora ordenado; enquanto eu profetizava, houve um ruído, um barulho de ossos que batiam contra ossos e se ajuntavam, cada osso ao seu osso.

Olhei, e eis que havia tendões sobre eles, e cresceram as carnes, e se estendeu a pele sobre eles; mas não havia neles o espírito. Então, ele me disse: Profetiza ao espírito, profetiza, ó filho do homem, e dize-lhe: Assim diz o SENHOR Deus: Vem dos quatro ventos, ó espírito, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. Profetizei como ele me ordenara, e o espírito entrou neles, e viveram e se puseram em pé, um exército sobremodo numeroso.”

Deus deu uma tremenda visão profética a Ezequiel. A visão representava o estado espiritual do povo de Israel, que estava destruído pelo pecado e pelas malignidades. Eles realmente precisavam receber uma porção espiritual para conhecerem o poder da ressurreição.

Com base nesta passagem:

Em primeiro lugar, precisamos entender que é necessário renascer todos os dias.

Em Romanos 8.11, está escrito: “Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.”.

O que Paulo quis dizer? Que, todos os dias, precisamos nos encher do Espírito Santo de Deus. Precisamos nos encher deste poder. Este poder que nos levanta, que nos dá perspectivas de um futuro glorioso, que tira todas as confusões das nossas mentes e que nos impede de chegar ao estado que estava aquele vale que Ezequiel enxergou.

Aqueles ossos estavam sequíssimos e destruídos. Com certeza, virariam pó. Mas havia uma saída, uma solução: o poder da ressurreição. E ele precisa estar presente em nós!

Em segundo lugar, precisamos ter fé!

O profeta estava diante de um vale de ossos secos. Talvez, essa seja a visão que você tenha de muitas áreas da sua vida! Pode ser que, para você, não tenha mais jeito!

Mas o Senhor ouve o teu choro, o teu clamor, olha para você e pergunta: "Você crê que todos estes ossos podem renascer? Você crê na transformação deste cenário?".

Qual será a sua resposta? Pense muito bem, pois ela vai determinar o final desta história!

Eu sei que a resposta de Ezequiel foi: “Senhor, Tu sabes, Tu podes, e eu creio! Eu creio que Tu podes realizar o impossível!”.

Depois de ouvir aquela resposta carregada de fé, o Senhor diz a ele: “Já que você crê, profetize!”.

Você está chorando, mas continua crendo no poder transformador do Senhor? Então, profetize! Está difícil? Profetize! Clame ao Senhor, porque haverá uma revolução!

Depois do posicionamento de Ezequiel, os ossos começaram a se juntar, tendões se juntaram com tendões... a pele começou a se regenerar... os músculos... os corpos recuperam suas formas... A transformação foi completa!

Daquele vale de ossos secos, surgiu um grande exército! E o Senhor mostrou que a glória da segunda casa é maior do que a da primeira, porque Ele continua dizendo ao profeta: “Este é o povo de Israel, e vocês saberão que eu sou Deus, quando Eu abrir as vossas sepulturas!”.

Há uma mensagem profética grandiosa neste milagre: Deus vai colocar as coisas da sua vida em ordem, pelo poder da ressurreição.

Hoje, o Senhor está abrindo todas as sepulturas, está enxugando as lágrimas dos seus olhos e está realizando uma grande restauração!

Creia, profetize e você verá, destas áreas que estavam mortas em sua vida, surgir um grande milagre.

1 Coríntios 2.9: “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam.”

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Não olhe para os lados, olhe para o alto!


Salmo 121: “Elevo os olhos para os montes: de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra. Ele não permitirá que os teus pés vacilem; não dormitará aquele que te guarda. É certo que não dormita, nem dorme o guarda de Israel. O SENHOR é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra à tua direita.

De dia não te molestará o sol, nem de noite, a lua. O Senhor te guardará de todo mal; guardará a tua alma. O Senhor guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre.”

Neste Salmo, Davi derrama o seu coração e nos transmite verdades espirituais profundas. Ele começa dizendo: “Elevo os meus olhos para os montes. De onde virá o meu socorro?”. Esta é uma pergunta que todos nós devemos fazer. Por quê? Porque, muitas vezes, o nosso coração é enganoso, manipula nossas vontades e nos faz ter expectativas frustradas.

Muitas pessoas, ao ver a primeira oportunidade de obter algum benefício, correm atrás de braços humanos. Ficam na dependência de estruturas efêmeras e inseguras.

Você tem esperado o socorro de quem? Do seu chefe? Do seu marido? Do seu filho? Por melhores e especiais que sejam, você acha mesmo que eles têm condições de salvar sua vida? Não! Sabe qual é o problema? As relações humanas são baseadas em trocas, e trocas incertas! Mas a relação de Deus conosco é diferente, é desprovida de interesses, é uma relação de amor.

O seu socorro está naquele que te amou a ponto de entregar o seu único filho. O seu socorro está no Senhor! Profetize isso! Creia nisso! Viva isso! Encha-se dessa verdade.

Quando eu estou desamparado, meu socorro vem do Senhor. Quando eu estou sozinho, meu socorro vem do Senhor. Quando ninguém pode fazer nada por mim, o meu socorro vem do Senhor. O meu socorro está naquele que criou o céu e a terra! O meu socorro está naquele que diz em, Mateus 28.20: “... eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos...”.

Aquele que está conosco não cochila e nem dorme. No mundo espiritual, um pequeno cochilo pode desencadear em uma destruição terrível. Uma cochilada pode colocar vidas a perder. Mas o nosso socorro está naquele que está com os olhos inclinados sobre os fiéis da terra 24 horas por dia, conforme está escrito no Salmo 101.6.

Ele está ao teu lado te guardando, te livrando e te amparado. De dia, não te atormentará o sol, nem de noite, a lua. Ou seja, o inimigo não pode te tocar. É a verdade de 1 João 5.18:  “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.”.

Ele também guardará a tua entrada e a tua saída. Jesus disse, em João 10.9: “Eu Sou a porta. Qualquer pessoa que entrar por mim, será salva. Entrará e sairá; e encontrará pastagem.”.

As entradas espirituais são os portais eternos. Deus abre estes portais para que tenhamos avanço e progresso no mundo espiritual. Deus abre os portais do entendimento, da unção, do conhecimento e da autoridade.

Em Apocalipse 3.7, o Senhor fala sobre a chave de Davi, e que as portas que Ele abre, ninguém fecha, e as portas que Ele fecha, ninguém abre. Por isso, em nome de Jesus, eleve seus olhos para os montes. Não ande mais cabisbaixo e sem motivações

Não seja mais roubado! Ande de cabeça erguida. Tome uma nova posição, e, assim como está em Hebreus 12.2: olhe, firmemente, para o Autor e Consumador da fé, Jesus Cristo. 

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

A grande reviravolta



Atos 8 a 24: “Em Listra, costumava estar assentado certo homem aleijado, paralítico desde o seu nascimento, o qual jamais pudera andar. Esse homem ouviu falar Paulo, que, fixando nele os olhos e vendo que possuía fé para ser curado, disse-lhe em alta voz: Apruma-te direito sobre os pés! Ele saltou e andava.

Quando as multidões viram o que Paulo fizera, gritaram em língua licaônica, dizendo: Os deuses, em forma de homens, baixaram até nós. A Barnabé chamavam Júpiter, e a Paulo, Mercúrio, porque era este o principal portador da palavra. O sacerdote de Júpiter, cujo templo estava em frente da cidade, trazendo para junto das portas touros e grinaldas, queria sacrificar juntamente com as multidões.

Porém, ouvindo isto, os apóstolos Barnabé e Paulo, rasgando as suas vestes, saltaram para o meio da multidão, clamando: Senhores, por que fazeis isto? Nós também somos homens como vós, sujeitos aos mesmos sentimentos, e vos anunciamos o evangelho para que destas coisas vãs vos convertais ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar e tudo o que há neles; o qual, nas gerações passadas, permitiu que todos os povos andassem nos seus próprios caminhos; contudo, não se deixou ficar sem testemunho de si mesmo, fazendo o bem, dando-vos do céu chuvas e estações frutíferas, enchendo o vosso coração de fartura e de alegria.

Dizendo isto, foi ainda com dificuldade que impediram as multidões de lhes oferecerem sacrifícios. Sobrevieram, porém, judeus de Antioquia e Icônio e, instigando as multidões e apedrejando a Paulo, arrastaram-no para fora da cidade, dando-o por morto. Rodeando-o, porém, os discípulos, levantou-se e entrou na cidade. No dia seguinte, partiu, com Barnabé, para Derbe.

E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio, e Antioquia, fortalecendo a alma dos discípulos, exortando-os a permanecer firmes na fé; e mostrando que, através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus. E, promovendo-lhes, em cada igreja, a eleição de presbíteros, depois de orar com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido.”

A mitologia grega imperava naquela local. No centro da cidade, havia um grande templo onde as entidades eram cultuadas. Paulo, acompanhado de Barnabé, estava naquela região e liberou a palavra que curou um paralítico que estava no meio do caminho.

Os homens daquela cidade, impressionados com o milagre, começaram a endeusar Paulo e Silas e a chamá-los de Mercúrio e Júpiter.

Paulo sabia que aquilo era uma armadilha demoníaca e que teria que lutar contra aqueles principados. Ele não caiu naquela cilada e cumpriu, em sua vida, o plano que Deus havia estabelecido.

Por não ter aceitado o sacrifício e as ofertas daquela multidão, ele foi apedrejado e arrastado para fora da cidade, onde foi dado como morto. Mas o inesperado aconteceu!

Quando as perspectivas humanas não existirem e, mesmo quando tudo parecer definitivamente perdido, Deus dá uma grande reviravolta.

Paulo foi dado como morto por apedrejamento, mas o Senhor o levantou, e ele realizou uma grande obra!

Se o inimigo levantou situações para te desestruturar e te destruir, renove suas forças no Senhor, porque Ele vai te justificar e manifestar a glória d´Ele através da sua vida.   

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Viver na dependência de Deus



Lucas 21.1 a 4: “Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas; e disse: Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento.”

O Senhor Jesus nos dá uma tremenda lição. Muitas pessoas estão com a vida amarrada por causa de suas escalas de prioridades.

Mateus 6.21: “Porque, onde estiver o teu tesouro, aí também estará o teu coração”.

Onde está o seu coração? Você tem servido a Deus com integridade? Você ama Deus sobre todas as coisas? A sua relação com Deus está acima de tudo? Se não estiver, o seu coração, certamente, está corrompido.

Em Jeremias 17, está escrito que o nosso coração é desesperadamente corrupto, ou seja, ele pode, sim, nos levar a inverter nossa escala de prioridades.

Colocar algo ou alguém acima de Deus é sinal de idolatria. Há pessoas, situações e coisas que, sem perceber, você tem colocado no lugar do único que é digno de toda honra, glória e louvor.

Talvez, você esteja idolatrando sua casa, seus filhos, seu emprego, ou até mesmo uma enfermidade, porque você tem vivido em função dela. É ela quem determina seu humor e sua rotina. Talvez, você esteja idolatrando um relacionamento. Você, de repente, deixou os amigos, a família e o ministério de lado.

Em Mateus 6.33, Jesus disse: Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.”. Uma das leis deixada pelo Senhor foi “não terás outros deuses além de mim.”.

Está na hora de você rever sua escala de prioridades. Está na hora de você, verdadeiramente, entregar seus caminhos ao Senhor, confiar n’Ele, porque o mais Ele fará.

Naquele momento de entrega de ofertas, Jesus viu os ricos entregando esmolas e não deu muita importância porque, simplesmente, era um ato religioso. Um ato religioso, sem amor e sem um propósito não diz nada diante de Deus. Mas, na sequência, chega aquela viúva pobre e entrega duas moedinhas. 

Com certeza, em comparação às outras ofertas, aquele valor era baixo, mas Jesus Cristo não olha o valor que nós entregamos, mas o nosso coração. Ela entregou tudo o que tinha! Se o Bill Gates, por exemplo, entregasse tudo o que tem, ou seja, bilhões e bilhões, proporcionalmente, seria a mesma oferta que a aquela viúva entregou. Tudo é tudo, não importa se a pessoa possui muito ou pouco.  

Aquela mulher era desprendida, era liberal. Ela não estava preocupada com o dia de amanhã, mas em agradar a Deus.

Você tem entregado tudo ao Senhor? Ou você tem agido como aquele mancebo de “qualidade”, que não quis abrir mão de suas riquezas para seguir Jesus?

Aquela viúva tinha em seu coração a verdade de Gálatas 5.1: “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.”.

Abrir mão de tudo o que gostamos e da segurança humana é sinal de muita fé.

Hebreus 10.38: “Mas o justo viverá pela fé...”

Hebreus 11.6: “Sem fé, é impossível agradar a Deus...”

Aquela viúva entregou uma oferta similar à oferta de Ester. Ester arriscou sua própria vida: “Se perecer, pereci!”. A fé delas estava acima de tudo, porque elas sabiam que estavam em um plano superior.

Nós precisamos colocar nosso coração no lugar certo. Precisamos exercitar mais a fé que pregamos e a verdade que acreditamos!

Sabe qual foi o fim daquela viúva? Dias de suprimento, dias de viver o que aquelas duas moedinhas jamais proporcionariam a ela. Precisamos ter consciência de que sempre, sempre, sempre o fruto será maior que a semente!

Aquela mulher aprendeu a viver na dependência de Deus e a viver a verdadeira liberdade no espírito.

 João 8.38: “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”

Tenha convicção de que o Senhor jamais de abandonará ou te desamparará. Nele, o seu trabalho não é vão. Que a atitude desta viúva seja um grande exemplo para a sua vida. 

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

O que nos espera?



1 Tessalonicenses 4.13 a 18 e 5.1 a 3: “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança. 

Pois, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também Deus, mediante Jesus, trará, em sua companhia, os que dormem. 

Ora, ainda vos declaramos, por palavra do Senhor, isto: nós, os vivos, os que ficarmos até à vinda do Senhor, de modo algum precederemos os que dormem. 

Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras. 

Irmãos, relativamente aos tempos e às épocas, não há necessidade de que eu vos escreva; pois vós mesmos estais inteirados com precisão de que o Dia do Senhor vem como ladrão de noite. Quando andarem dizendo: Paz e segurança, eis que lhes sobrevirá repentina destruição, como vêm as dores de parto à que está para dar à luz; e de nenhum modo escaparão.”
                                                                     
A preocupação que as pessoas têm com a volta de Jesus e com o destino dos seus amados que morreram não é de hoje. 

O Apóstolo Paulo, atendendo a uma expectativa ansiosa dos tessalonicenses, que discutiam intensamente sobre o arrebatamento de Cristo, deixou um alerta e uma sabedoria profunda do Espírito Santo! A sabedoria que nos traz consolo, que nos traz paz e a certeza de que, na volta do Senhor, haverá um grande e poderoso mover de ressurreição. Por isso, nós precisamos: 

Em primeiro lugar, ter em nós Romanos 8.11: “Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita.”

Se eu não convivo com a ressurreição, eu não posso experimentar das misericórdias do Senhor que se renovam a cada manhã. Para aqueles que não têm a ressurreição e que não têm esperança, a morte é definitiva, é o fim da linha! 

Por isso que, em 1 Coríntios 15.55 a 57, Paulo diz: “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo.”

Então, este poder de vida que está em nós é o poder que nos ressuscitará, se estivermos mortos na volta de Cristo! 

Se nós não estivermos mortos, nós, em primeiro lugar, veremos os mortos ressuscitando e, em um segundo momento, seremos arrebatados! Portanto, devemos ter em nós a vida de Cristo, a qual Ele no concedeu em João 10.10: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.”

Em segundo lugar, vigiar e orar! 

Nós temos que orar e vigiar constantemente! A grande estratégia do diabo é levar as pessoas a não se ligarem na volta de Cristo! Isso nos torna inconsequentes. Muitos pensam: “Ah! Jesus não voltou até agora, tenho certeza de que só meus bisnetos terão essa experiência!”... “Já passaram tantas décadas e tantos séculos, e nem sinal da volta de Cristo!”. 

Eu não sei se Ele vai voltar hoje ou daqui mil anos. Eu sei que vou fazer de tudo para estar pronto! 

Precisamos ficar espertos, porque nosso adversário quer nos levar a viver como nos dias de Moisés – quando o povo se embriagava, fazia orgias, idolatrava outros deuses, murmurava contra Deus e se rebelava contra os enviados do Senhor. O povo praticava malignidades como se nada fosse acontecer! Este é, justamente, o estado espiritual de inconsciência quanto à volta de Jesus! Isso é a letargia que nos leva à morte espiritual! É como se Deus nem existisse! 

Aquele que não deixou morrer a sua natureza carnal, ou seja, está contaminado pelo mundo e impregnado pela sujeira de satanás, despreza a volta do Senhor Jesus. Mas Paulo alerta: “Ele virá como o ladrão à noite!”. 

Em Colossenses 3.1 a 6, Paulo também deixa um alerta: Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus.  Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória. Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena: prostituição, impureza, paixão lasciva, desejo maligno e a avareza, que é idolatria; por estas coisas é que vem a ira de Deus [sobre os filhos da desobediência].”

Jesus virá como a mulher que está prestes a dar à luz, ou seja, é algo incontrolável. Quando a mãe está para dar à luz, a bolsa estoura, e nada pode impedir o nascimento daquele bebê! Assim será a volta de Cristo! Será no abrir e fechar de olhos! Então, precisamos estar preparados! 

Estar preparado significa estar em santidade, em aliança, plenos de oração e plenos do Espírito Santo! É saber que, quando nós menos esperarmos, o Senhor voltará com poder e grande glória! 

Em terceiro lugar, não despreze essa verdade 

Paulo fala: “Eu não quero que vocês sejam ignorantes quando a isso! Eu não quero que vocês desprezem essa verdade, mas eu quero que sejam cheios do Espirito Santo. No momento em que as pessoas estiverem falando sobre paz, virá uma repentina destruição.”. 

Eu estava meditando nessa palavra e eu quero dividir algo muito precioso com você! Nós temos muitos exemplos de destruição na Bíblia, mas eu vou repartir um que me chamou a atenção. 

No livro de Juízes, a queda da muralha de Jericó foi algo inesperado!  Ela caiu pelo brado, pelo grito e por uma intervenção divina. 

A única coisa que não foi destruída foi a casa de Raabe, que estava coberta por um símbolo profético – o sangue do Cordeiro. Isso significa que o sangue do Cordeiro, que é o sangue de Cristo, nos protege da destruição, desde que nós o coloquemos sobre nossas vidas! 

Assim como Paulo disse, nós veremos uma repentina destruição! Satanás sabe disso! Você acha mesmo que ele está de braços cruzados?  Não! Ele tenta nos roubar da presença do Senhor. Ele quer te tirar do seu ministério, te tirar da igreja e te impedir de ter uma vida espiritual para que, quando vier essa repentina destruição, você não esteja com a marca do sangue do Cordeiro. O objetivo dele é te destruir e roubar de você a salvação eterna. 

Então, querido, enquanto é dia, conecte-se com a luz! Enquanto houver pregação, alimente-se da Palavra de Deus! Enquanto houver Espírito Santo, seja cheio dele! Enquanto houver esperança, volte para os caminhos do Senhor! 

Não seja mais roubado! Se você tem vivido uma vida morna, deixe o Espírito Santo queimar no seu interior! Se você tem vivido uma vida de prostituição, o Senhor quer que você volte para a casa d´Ele! Volte! Não perca mais tempo! Não interessa se você se magoou com homens, a sua salvação não vem deles, mas de Jesus! Por Ele, vale a pena passar por cima de qualquer sentimento! 

Querido, quanto mais se aproxima a volta de Cristo, mais o mundo fica podre, mais o mundo fica destruído, mais nós vemos noticias barbarizantes, porque o homem vai se degradando. Nós temos visto por ai uma verdadeira sodomia! Estamos vivendo dias difíceis! 

Então, prepare-se, porque Ele virá! E, quando Ele vier, que nós sejamos, pelas Suas misericórdias, arrebatados, e, com base na visão de João no Apocalipse, nós sejamos a multidão daqueles que lavaram suas vestiduras no sangue do cordeiro e que, para sempre, adorarão ao Senhor! 

Este é o seu tempo! É o tempo de estarmos atentos, porque, quando Jesus voltar, todo o olho verá e toda a língua confessará que Ele é o Senhor!

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Instabilidade pessoal


Isaías 6.1 a 8: “No ano da morte do rei Uzias, eu vi o Senhor assentado sobre um alto e sublime trono, e as abas de suas vestes enchiam o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobria o rosto, com duas cobria os pés e com duas voava. E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, santo, santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.

As bases do limiar se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. Então, disse eu: Ai de mim! Estou perdido! Porque sou um homem de lábios impuros, habito no meio de um povo de impuros lábios, e os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos! Então, um dos serafins voou para mim, trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; com a brasa tocou a minha boca e disse: Eis que ela tocou os seus teus lábios; a tua iniquidade foi tirada, e perdoado, o teu pecado. Depois disto, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei e quem há de ir por vós? Disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim."

Aqui, podemos acompanhar a experiência impactante que Isaías viveu. Ele começa a descrição do livro, mostrando sua imaturidade, afirmando que era apenas um menino na fé.

Isaías fez essa declaração, justamente, quando o rei Uzias havia falecido. Na verdade, ele era uma pessoa psicologicamente e emocionalmente dependente do rei. Consequentemente, Isaías não tinha vida própria, não se desenvolvia em nada e estava com o ministério achatado.

Quando alguém tem um chamado e o rejeita, a vida dele fica sem sentido. Quando alguém quebra uma aliança com Deus, entra em maldição, porque está quebrando um voto que fez diante do Senhor.

Isaías precisava, assim como nós precisamos:

Em primeiro lugar, amadurecer!

Isaías precisava ter uma experiência que o deixasse maduro. Você está passando por muitas lutas, porque você está vivendo uma instabilidade pessoal. Essa instabilidade, na verdade, é aquilo que você tem produzido, o caminho que você tem trilhado e a maneira como você tem se comportado.

Você precisa amadurecer. Deus permite as provações com o objetivo de nos fortalecer, nos corrigir e nos preparar para coisas superiores.

Em segundo lugar, passar por uma experiência curadora

Ele não podia ocupar aquela posição, porque se sentia indigno. Isaías sentia sobre sua vida o peso do pecado, da acusação e da condenação que vinha do seu passado. Ao ver a glória de Deus, ele expressou essa condição. Isaías, inclusive, achou que iria morrer, porque Deus mostrou Sua glória para ele.

É claro que nós, humanamente, não somos dignos, mas, pelo sangue do cordeiro, nos tornamos dignos. Quando não temos essa consciência, acabamos entrando em uma armadilha.

Você nunca estará pronto para caminhar com Deus e para ver Sua Glória enquanto estiver escondido atrás desta condição de indignidade. Isso não passa de uma fuga!

O Senhor enviou o anjo e tocou os lábios de Isaías com a brasa viva que ele tirou do altar de Deus com uma tenaz. Aquele momento foi um divisor de águas, em que ele amadurece, entende seu chamado e responde a Deus o que era esperado.

Isaías, até então, havia agido como uma criança, havia se acovardado e não havia assumido seu ministério. Até aquele momento, a vida dele era cercada de incertezas, porque não estava conectado ao centro da vontade de Deus. 

Em terceiro lugar, estar disposto a viver a vontade do Senhor

Quando Isaías se entregou à vontade de Deus, todas as coisas começam a fazer sentido. Ele, então, entendeu que a prioridade de sua vida era o chamado. Deus é a nossa prioridade! Ele está acima de tudo e de todos!

Eu posso deixar casa, carro, pai, mãe... todas as coisas por amor ao Senhor e, com liberdade, dizer: “Eis-me aqui, envia-me a mim!”.

A expectativa que o Senhor tem ao seu respeito é que você viva essa transformação! Que, de uma pessoa problemática, insegura e imatura, você se transforme em um profeta, um grande homem de Deus, cheio de autoridade contra as adversidades.

Que você, em nome de Jesus, seja tocado pelo Senhor, para ter uma experiência poderosa! Que Ele te levante para viver um novo tempo. Que você não seja mais manipulado pelos seus sentimentos, mas seja dirigido pelo Espírito Santo de Deus.

Hoje, com toda a sinceridade do seu coração, declare: “Senhor, eis-me aqui, envia-me a mim. Sem reservas e sem limites, minha vida está em tuas mãos!”. Assim, o Senhor te fará um vaso novo, vai te moldar e te mostrar um grande e excelente caminho. Você encontrará moradas de paz e a verdadeira felicidade.