quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Tudo é possível ao que crê



Marcos 2.1 a 12: “Dias depois, entrou Jesus de novo em Cafarnaum, e logo correu que ele estava em casa. Muitos afluíram para ali, tantos que nem mesmo junto à porta eles achavam lugar; e anunciava-lhes a palavra. Alguns foram ter com ele, conduzindo um paralítico, levado por quatro homens. E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o eirado no ponto correspondente ao em que ele estava e, fazendo uma abertura, baixaram o leito em que jazia o doente.

Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Filho, os teus pecados estão perdoados. Mas alguns dos escribas estavam assentados ali e arrazoavam em seu coração:  Por que fala ele deste modo? Isto é blasfêmia! Quem pode perdoar pecados, senão um, que é Deus?  E Jesus, percebendo logo por seu espírito que eles assim arrazoavam, disse-lhes: Por que arrazoais sobre estas coisas em vosso coração? Qual é mais fácil? Dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados, ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito e anda?

Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados – disse ao paralítico:  Eu te mando: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa.  Então, ele se levantou e, no mesmo instante, tomando o leito, retirou-se à vista de todos, a ponto de se admirarem todos e darem glória a Deus, dizendo: Jamais vimos coisa assim!”

Jesus tinha sua base espiritual em Cafarnaum, onde Ele sempre reunia multidões.

Ali, também havia um paralítico que ficou conhecido pela grandiosidade se sua fé. No coração dele, havia um único objetivo: ficar frente a frente com Jesus!

Quando temos está disposição e este desejo, movemos o mundo espiritual.

Em primeiro lugar, precisamos encontrar um caminho através da fé.

Aquele paralítico estava cansado das dores, das humilhações e da cama que o prendia. Aquela fé e aquele inconformismo fizeram com que ele descobrisse um caminho para se aproximar de Jesus!

Se você permanecer acomodado e achando culpados para os seus problemas, você vai se afundar ainda mais! É como se fosse uma areia movediça! Mas, se você se abrir para ser movido pela fé, encontrará um caminho!

Qual caminho aquele paralítico encontrou? Não dava para passar pela multidão. Qual alternativa ele tinha? Entrar pelo telhado!

Em segundo, precisamos estar associados com quem pode nos levar ao milagre.

O paralítico chamou quatro grandes amigos e explicou seu plano.

O primeiro amigo representa aqueles que estimulam nossa fé;

O segundo amigo representa a determinação;

O terceiro amigo representa a disposição;

O quarto amigo representa a superação.

O plano foi colocado em prática!

Jesus estava ministrado e, de repente, desce uma cama do teto.  Ao olhar o paralítico, Ele afirma: “Seus pecados estão perdoados!”.

Ao ser questionado pelos religiosos sobre esta atitude, Jesus responde: “O que é mais fácil: dizer ‘Estão perdoados os seus pecados!’ ou ‘Levanta e anda!’?

Precisamos entender que a obra que o Senhor tem para nossas vidas é completa!

Quando aquele homem começou a andar, todos ficaram surpresos: “Jamais vi coisa igual!”.

Jesus Cristo é o Senhor do milagre!

Tenha fé, seja perseverante! O Senhor é contigo, e você caminhará em liberdade!

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

A essência é a fé


Romanos 14.13 a 23: “Não nos julguemos mais uns aos outros; pelo contrário, tomai o propósito de não pordes tropeço ou escândalo ao vosso irmão. Eu sei e estou persuadido, no Senhor Jesus, de que nenhuma coisa é de si mesma impura, salvo para aquele que assim a considera; para esse é impura. Se, por causa de comida, o teu irmão se entristece, já não andas segundo o amor fraternal. Por causa da tua comida, não faças perecer aquele a favor de quem Cristo morreu.

Não seja, pois, vituperado o vosso bem. Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.  Aquele que deste modo serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens. Assim, pois, seguimos as coisas da paz e também as da edificação de uns para com os outros.

Não destruas a obra de Deus por causa da comida. Todas as coisas, na verdade, são limpas, mas é mau para o homem o comer com escândalo.  É bom não comer carne, nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa com que teu irmão venha a tropeçar [ou se ofender ou se enfraquecer]. A fé que tens, tem-na para ti mesmo perante Deus. Bem-aventurado é aquele que não se condena naquilo que aprova. Mas aquele que tem dúvidas é condenado se comer, porque o que faz não provém de fé; e tudo o que não provém de fé é pecado.”

Esta passagem é muito profunda. Eu não teria como ministrá-la em poucos minutos ou explica-la em poucas linhas, mas eu quero destacar alguns princípios espirituais sérios que Paulo nos ensina: 

1º Não devemos continuar julgando uns aos outros.

Os julgamentos sempre partem de um interesse. Quando você julga o teu irmão, além de fazer mal a ele, você está fazendo mal a si mesmo. Com a medida que nós julgarmos, seremos julgados também.

O julgamento, além de cruel, não faz sentido, porque parte de pessoas, e as pessoas são imperfeitas.

Pare de julgar, faça do amor a sua bandeira! Faça do amor o seu estilo de vida.

Paulo fala que o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo.

2º Nós temos que conhecer o poder da liberdade espiritual.

Em Tito 1.15, está escrito: “Todas as coisas são puras para os puros; todavia, para os impuros e descrentes, nada é puro. Porque tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas.”. Então, se algo te condena, não o faça.  Aquilo que a consciência não te permite, não o faça!

Fomos chamados para a liberdade, não podemos nos submeter novamente a jugo de escravidão. Não podemos colocar nossas vidas nas mãos do inimigo.

Precisamos entender também que santidade é opção, não é imposição. Imposição é hipocrisia, é falta de amor.

3- A essência é a fé!

Os julgamentos, as grandes imposições, a prisão religiosa... Tudo isso é falta de fé.

Quando a pessoa não tem fé, ela anda na carne.

Paulo disse: “Mas aquele que tem dúvidas é condenado se comer, porque o que faz não provém de fé; e tudo o que não provem da fé é pecado.”.

Quando eu sou templo do espírito santo, o que me nutre é a fé!

A fé nos fortalece, a fé quebra barreiras, a fé nos faz andar em santidade, a fé abre caminhos!

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Justificados pela fé!


Romanos 5.1 a 11: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus. E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança; e a perseverança, experiência; e a experiência, esperança.

Ora, a esperança não confunde, porque o amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado. Porque Cristo, quando nós ainda éramos fracos, morreu a seu tempo pelos ímpios. Dificilmente, alguém morreria por um justo; pois poderá ser que pelo bom alguém se anime a morrer.

Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; e não apenas isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação.”

Ser justificado pela fé é não andar mais debaixo da justiça humana, é não ser mais cobrado ou julgado espiritualmente segundo o entendimento humano, ou seja, é estar debaixo da justiça de Cristo, que é perfeita, honesta e pautada no amor.  

Ela nos torna benditos e abençoados, pois nos livra da condenação de homens, das forças do mal e da nossa própria falta de misericórdia.

Romanos 8.1: “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.”

Precisamos ter consciência de que:

1- A justiça de Deus nos livra da ira de Satanás

1 Pedro 5.8: “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar.”

Não podemos desprezar os intentos do inferno. O nosso adversário só alcança vantagem sobre nós, quando temos pendencias espirituais. Mas, quando somos justificados em Cristo, o maligno não nos toca.

1 João 5.18: “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o Maligno não lhe toca.”

2- Passamos por lutas e tribulações em paz, porque Deus está no controle

Não estamos debaixo de punição, mas de propósitos superiores!

2 Coríntios 4.17: “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação...”

Jó passou por diversas tribulações, mas nada abalou sua fé, porque ele sabia que o Senhor não o estava punindo. Ele tinha consciência de que existia um propósito superior, que é mostrar que nada pode derrubar um ungido do Senhor.

Jó 4.2: “Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos podem ser frustrados.”

3- Quando somos justificados, somos reconciliados com a vitória de Cristo!

Efésios 1.15 e 23: “Por isso, também eu, tendo ouvido a fé que há entre vós no Senhor Jesus e o amor para com todos os santos, não cesso de dar graças por vós, fazendo menção de vós nas minhas orações, para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele, iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder; o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais, acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro. E pôs todas as coisas debaixo dos pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu à igreja, a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas.”

O sacrifício de Cristo nos deu o direito à sua justiça e nos reconciliou com o ser vitorioso criado por Deus!


Somos reconciliados em Cristo e justificados para viver abundantemente! 

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Livres ou escravos?


Gálatas 3.1 a 5: “Ó gálatas insensatos! Quem vos fascinou a vós outros, ante cujos olhos foi Jesus Cristo exposto como crucificado? Quero apenas saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé? Sois assim insensatos que, tendo começado no Espírito, estejais, agora, vos aperfeiçoando na carne? Terá sido em vão que tantas coisas sofrestes? Se, na verdade, foram em vão. Aquele, pois, que vos concede o Espírito e que opera milagres entre vós, porventura, o faz pelas obras da lei ou pela pregação da fé?”

Todo mundo fala: “Eu quero ser livre!”. Mas, infelizmente, a maioria das pessoas tem muita dificuldade em conviver com a liberdade. Muitas, inclusive, vivem aprisionadas porque têm fascínio pela religiosidade.

Para ter liberdade, precisamos ter maturidade, consciência de nossas responsabilidades e saber quais são os limites.

Nesta passagem, o apóstolo Paulo fala exatamente sobre isso. Os gálatas estavam fascinados pela religiosidade, começaram a viver de acordo com a lei. Passaram a guardar o sábado, queriam se circuncidar.

Paulo havia deixado para eles experiências, sinais, prodígios e maravilhas, mas eles começaram a se encantar com o misticismo. Isso, infelizmente, acontece até hoje. Muitas pessoas ignoram o poder da graça e acabam deixando de caminhar pela fé. Elas ficam aprisionadas em suas necessidades e se tornam, muitas vezes, piores do que os ímpios. São mais cruéis e odiosas. Para elas, o evangelho tem de ser de imposição, e deus delas é o próprio ventre. 

Hoje, eu quero perguntar: Quem fez a boa obra em sua vida? Foi a lei ou a graça? Você viveu, até agora, pela lei ou pela fé? O Senhor disse, em Romanos 10.38, que o justo viverá pela fé. Paulo afirmou, em Efésios 2.8, que, pela graça, nós fomos salvos.  

Se você recebeu a salvação pela graça e vive pela fé, procure, então, viver esta libertação.

João 8.36: "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.”

Por fim, o apóstolo Paulo, na passagem que iniciou nosso estudo, deixou um questionamento: “Vocês estavam tão bem! Vão continuar negando tudo o que Cristo fez e pode fazer?”.  Esta mesma pergunta eu te faço hoje.

Então, chegou o momento de abandonar o domínio da carne e a hipocrisia religiosa. Chega de ter uma vida dupla. Chega de ser uma pessoa no domingo e ser outra completamente diferente na segunda-feira.

Aprenda a desfrutar da liberdade que o Senhor te deu.

Eu quero finalizar a Palavra do Dia com dois versículos:

Gálatas 5.1: “Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Permanecei, pois, firmes e não vos submetais, de novo, a jugo de escravidão.”

1 Coríntios 7.21: “Foste chamado, sendo escravo? Não te preocupes com isso; mas, se ainda podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade.”

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Uma oferta viva!



Atos 7.54 a 60: “Ouvindo eles isto, enfureciam-se no seu coração e rilhavam os dentes contra ele. Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à sua direita, e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, em pé à destra de Deus. 

Eles, porém, clamando em alta voz, taparam os ouvidos e, unânimes, arremeteram contra ele. E, lançando-o fora da cidade, o apedrejaram. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo. E apedrejavam Estêvão, que invocava e dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito! Então, ajoelhando-se, clamou em alta voz: Senhor, não lhes imputes este pecado! Com estas palavras, adormeceu.”

Estêvão foi colocado diante do sinédrio e acusado de heresia, porque essa era a estratégia dos religiosos que queriam matar a igreja que estava nascendo. 

O fato de ele ser sábio, capacitado, conhecedor da lei, cheio do Espírito Santo e ser usado com poder e grande glória começou a trazer um incômodo terrível entre aqueles que eram contra o evangelho. O que se manifesta, então? O espírito do anticristo, aquele que se opõem a tudo relacionado a Jesus Cristo. 

Hoje, eu quero dividir com vocês algo muito sério sobre este assunto. Uma coisa é a possessão. O espírito do anticristo, até o momento, não possui ninguém. Mas ele manifesta os seus sentimentos nas pessoas. De acordo com João, ele já está no mundo. 

1 João 4.3: “... e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo.”. 

Então, veja bem, até aqueles que serviam a Jesus podem ter, em si, a manifestação do espírito do anticristo. Por isso que, muitas vezes, você não compreende algumas pessoas que dizem que acreditavam em Deus, mas se levantam contra tudo o que está relacionado a Jesus Cristo, principalmente contra Sua obra. 

Tome cuidado com os julgamentos precipitados e as palavras proferidas contra a igreja e seus ungidos, contra você mesmo, contra o seu casamento.... Aquilo que você pratica contrário a esta palavra é a manifestação do espírito do anticristo, e ela te coloca em juízo perante Deus. 

Aqueles que têm sua manifestação e não se consertam acabam cometendo abominações e pecando contra o Espírito Santo. Muitos, infelizmente, não encontram um caminho de arrependimento. 

Aqueles homens que mataram Estêvão estavam contaminados pelo espírito do anticristo. Entre eles, estava Saulo. 

Saulo achava que estava praticando o bem, que estava defendendo os interesses da lei judaica, mas, na verdade, estava permitindo o apedrejamento de um homem de Deus. Quando Estêvão fez aquele discurso, houve uma reação terrível. 

Sabe, querido, Deus vai te usar, mas as reações contrárias vão se manifestar. Entretanto, se agirmos de acordo com Tiago 4.17“Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” –, a vitória é garantida. Precisamos resistir, precisamos nos santificar! 

Talvez, as pedras que o inimigo está jogando não te machuquem fisicamente, mas te ferem emocionalmente, matando suas motivações e sonhos. Você precisa resistir, rejeitá-las e canalizá-las, para que a glória do Senhor se manifeste. 

O inimigo achou que estava destruindo Estêvão. Mas ele mal sabia que aquele homem era a ofertava viva que geraria o apóstolo Paulo, aquele que causou um grande estrago no inferno. 

Estêvão viu a glória de Deus e foi recebido nos céus. Ele, ainda, deixou uma habilitação. A capa dele foi colada aos pés de Saulo, que se transformou em Paulo, um grande apóstolo de Jesus Cristo. 

Eu termino está palavra dizendo: Estas pedras podem ser lançadas com o objetivo de te matar, mas elas serão um instrumento de Deus para te habilitar para coisas superiores. 

A exemplo do que aconteceu com Estêvão, hoje, estamos gerando coisas grandes para o futuro, porque o mover apostólico não pode parar. Quem poderia imaginar que aquele apedrejamento traria à existência o apóstolo Paulo? 

Deus tem o poder de transformar lutas em bênçãos. Creia nesta palavra e lembre-se: Tudo coopera para o bem para aqueles que amam a Deus!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Três palavras-chave de Isaías 12


Isaías 12: Orarás naquele dia: Graças te dou, ó SENHOR, porque, ainda que te iraste contra mim, a tua ira se retirou, e tu me consolas. Eis que Deus é a minha salvação; confiarei e não temerei, porque o SENHOR Deus é a minha força e o meu cântico; ele se tornou a minha salvação. Vós, com alegria, tirareis água das fontes da salvação.

Direis naquele dia: Dai graças ao SENHOR, invocai o seu nome, tornai manifestos os seus feitos entre os povos, relembrai que é excelso o seu nome. Cantai louvores ao SENHOR, porque fez coisas grandiosas; saiba-se isto em toda a terra. Exulta e jubila, ó habitante de Sião, porque grande é o Santo de Israel no meio de ti.”

Esta palavra profética se manifestou na Marcha para Jesus, quando todos se levantaram, e o mundo inteiro viu a glória de Deus por meio daquela linda manifestação.

Hoje, ainda debaixo deste mover, eu quero destacar três palavras-chave que há neste texto de Isaías:

1- Deus quebrou todas as sentenças

O Senhor afastou de nossas vidas todas as sentenças contrárias! Não tenha medo, porque o mal não vai prevalecer sobre a sua vida! Maior do que as ameaças são os planos do Senhor! A vontade d’Ele é soberana.

2- O Senhor cessou o período da dor e da tristeza

A tristeza, a incredulidade, o pessimismo e a murmuração matam o nosso futuro. Mas o Senhor acendeu no seu povo a chama da esperança de um novo tempo. No lugar do choro, Ele nos deu um cântico de vitória! No lugar do luto, uma grande festa! No lugar da opressão, um caminho de libertação!

3- Precisamos trilhar o caminho da perseverança 

Gálatas 6.9: 9 “Não nos cansemos de praticar o bem; pois a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.”

Não entregue os pontos! Lembre-se de que, no Senhor, não existem situações irreversíveis!


Confie, porque você ainda O louvará!

terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Você nasceu para vencer


Hebreus 10.35 a 39: “Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão. Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa. Porque, ainda dentro de pouco tempo, aquele que vem virá e não tardará; todavia, o meu justo viverá pela fé; e: Se retroceder, nele não se compraz a minha alma. Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma.”

Nesta passagem, o escritor aos hebreus destacou três pontos importantes:

1º) Não abandone sua confiança

A tristeza, a frustração e a falta de perspectivas nos fazem querer, muitas vezes, entregar os pontos.

Talvez, hoje, você esteja a ponto de desistir. Você era confiante e cheio de disposição interior, mas, por não encarar seus desafios, acabou se tornando uma pessoa insegura, triste, desmotivada e sem base sólida para nada. Você acabou ficando como a onda do mar – agitada de um lado para o outro. E o pior: além de perder a autoconfiança perdeu a confiança em Deus. Cuidado! Este é o ambiente ideal para Satanás roubar, matar e destruir.

Tiago 1.6: “...pois o que dúvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento.”

A falta de autoconfiança e a falta de confiança em Deus nos fazem ter grandes derrotas. Não importa se você esteja em um cenário de guerra. Não importa se parece que tudo vai desabar diante de você. Faça do Salmo 37.5  a sua verdade: “Entrega teu caminho ao senhor; confia n’Ele e o mais Ele fará”.

2ª) Viva pela fé

Hebreus 3.12: “Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo”

A incredulidade é algo sutil. Se não vigiarmos, ela se torna como um câncer e nos domina completamente. Talvez, você esteja assim porque não aconteceu o que você esperava, e você acha que, por causa disso, não acontecerá amanhã. No final, você fica magoado com o Senhor, o único que pode realmente de ajudar.

1 Timóteo 4.1 “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios.”

Lucas 18.8: 8 “Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?”

Quando você não vive pela fé, tudo é mais difícil e pesado. Sem fé, nossa vida não tem sentido!

3ª) Não desista

Ainda que você tenha perdido a confiança, ainda que você não esteja conseguindo ter fé, não desista!

Se você voltou para trás, é sinal que você abandonou tudo o que o Senhor já te deu! Desistência é sinal de fraqueza e covardia.

Quando você encarar qual quer desafio, diga com convicção: “Eu vou encarar essa situação, porque eu não sou daqueles que retrocedem. Mas, pela perseverança, eu alcançarei a promessa”.  

Seja perseverante, confiante, viva pela fé e receba autoridade para ser mais que vencedor, em Cristo Jesus. 

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Andar segundo o modelo apostólico



Filipenses 3.17 a 21: “Irmãos, sede imitadores meus e observai os que andam segundo o modelo que tendes em nós. Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas. Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo de sua glória, segundo a eficácia do poder que Ele tem de até subordinar a si todas as coisas.”

Este foi um direcionamento que o apóstolo Paulo deixou à igreja de Filipos e aos filipenses. Na carta, em primeiro lugar, ele diz: “Ande segundo o nosso modelo, o modelo apostólico.”. Sabe o que é isso? É ter integridade, santidade, uma relação profunda com Deus e um coração impregnado do amor de Cristo. 

Há muitos, no meio de nós, que se levantam contra o mover apostólico. Sabe como Paulo os nomeou? De inimigos da cruz, porque eles invalidam o sacrifício de Jesus, não aceitam a salvação e estão limitados às questões terrenas! 

Tome cuidado, porque os inimigos da cruz desprezam os valores espirituais, não se relacionam com o Espírito Santo, só buscam valores materiais. A mente destas pessoas está cauterizada. Os inimigos da cruz são os opositores da salvação! 

Mais importante do que viver um milagre, ou receber uma bênção, é ter um relacionamento profundo com Deus! 

Hoje, eu quero te perguntar: Qual é o padrão que você está seguindo? O que você tem imitado? 

Você está imitando o viver de Cristo? Você pode afirmar: “Não vivo eu, mas Cristo vive em mim?” ou você está conectado aos valores deste mundo? 

As coisas terrenas são efêmeras e passageiras. Hoje, você tem! Amanhã, não! Hoje, você pode estar vivendo em um belo palácio e, amanhã, não ter onde morar. 

Aqueles que são inimigos da cruz têm como deus o seu próprio ventre; o seu bem estar está acima de tudo e de todos! 

Fuja de quem é assim! Lembre-se de que sua pátria é celestial! Tenha a visão da eternidade. Tenha consciência de que você é nova criatura, e que nós passaremos por essa terra e enfrentaremos a morte! 

Se nós vivermos de forma inconsequente, achando que somos imortais e que a eternidade não é importante, consequentemente, estamos afirmando que a nossa pátria é aqui.

Ao fazer esta alusão, Paulo quer dizer que é como se nós estivéssemos ligados ao mundo, para sempre, pois temos nossa cidadania carnal, mas ignoramos nossa cidadania espiritual! 

A tua pátria é espiritual, valorize sua salvação, valorize a eternidade! Satanás quer destruir nossas vidas e nos afastar do Deus vivo! 

Hebreus 3.12: “Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo.”

Não há nada melhor do que ter uma perspectiva de um futuro com Cristo! Isso fortalece nossa fé! 

Tenha consciência de que tudo será subordinado ao Senhor Jesus! A sujeição das coisas espirituais foram entregues a Ele, por meio de sua vitória na cruz do calvário, e também através de sua vitória contra Satanás. 

Satanás precisava ser vencido por um homem, porque ele veio para derrubar o homem. 

Jesus tem o poder de subordinar a si todas as coisas! A enfermidade que você está passando, o problema financeiro que você está enfrentando, as tuas desilusões, as tuas inseguranças, o teu medo, a falta de paz, as ameaças e as condenações que o inimigo tem imposto em sua vida estão sujeitas ao Senhor. 

Em Cristo, somos mais que vencedores! Não tenha mais medo! Ande de acordo com essa perspectiva! Deixe que o poder da Palavra de Deus e a tua relação verdadeira com Ele, segundo o modelo apostólico, possa determinar sua caminhada. A caminhada daquele que não está associado às coisas terrenas, daquele que tem a pátria nos céus e daquele que tem a certeza de que todas as coisas estão subordinadas a Cristo, para que a eficácia do Seu poder possa se manifestar com sinais, prodígios e maravilhas! 

Todos os sentimentos e situações que estavam te derrubando estão subordinados à autoridade de Deus. Você terá uma vida abundante, aqui na terra, e a certeza da eternidade, com o nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Cuidado com as interpretações‏


Lucas 8.26 a 39: “Então, rumaram para a terra dos gerasenos, fronteira da Galiléia. Logo ao desembarcar, veio da cidade ao seu encontro um homem possesso de demônios que, havia muito, não se vestia, nem habitava em casa alguma, porém vivia nos sepulcros. E, quando viu a Jesus, prostrou-se diante dele, exclamando e dizendo em alta voz: Que tenho eu contigo, Jesus, Filho do Deus Altíssimo? Rogo-te que não me atormentes.  Porque Jesus ordenara ao espírito imundo que saísse do homem, pois muitas vezes se apoderara dele. E, embora procurassem conservá-lo preso com cadeias e grilhões, tudo despedaçava e era impelido pelo demônio para o deserto.

Perguntou-lhe Jesus: Qual é o teu nome? Respondeu ele: Legião, porque tinham entrado nele muitos demônios. Rogavam-lhe que não os mandasse sair para o abismo. Ora, andava ali, pastando no monte, uma grande manada de porcos; rogaram-lhe que lhes permitisse entrar naqueles porcos. E Jesus o permitiu.  Tendo os demônios saído do homem, entraram nos porcos, e a manada precipitou-se despenhadeiro abaixo, para dentro do lago, e se afogou. Os porqueiros, vendo o que acontecera, fugiram e foram anunciá-lo na cidade e pelos campos.

Então, saiu o povo para ver o que se passara, e foram ter com Jesus. De fato, acharam o homem de quem saíram os demônios, vestido, em perfeito juízo, assentado aos pés de Jesus; e ficaram dominados de terror. E algumas pessoas que tinham presenciado os fatos contaram-lhes também como fora salvo o endemoninhado. Todo o povo da circunvizinhança dos gerasenos rogou-lhe que se retirasse deles, pois estavam possuídos de grande medo. E Jesus, tomando de novo o barco, voltou.

O homem de quem tinham saído os demônios rogou-lhe que o deixasse estar com ele; Jesus, porém, o despediu, dizendo: Volta para casa e conta aos teus tudo o que Deus fez por ti. Então, foi ele anunciando por toda a cidade todas as coisas que Jesus lhe tinha feito.”

Em Gadara, havia um jovem possesso de demônios. O Senhor Jesus, vendo aquela situação terrível, o libertou, causando um grande alvoroço na cidade.

Aquele milagre atraiu pessoas de outras regiões. Ao chegarem à Garada, elas se depararam com aquele jovem aos pés de Jesus. 

Em fez de ficarem felizes, elas foram tomadas por um grande medo – era uma estratégia de Satanás para afastá-los.

Hoje, com base nesta passagem, quero deixar três conselhos:

1º Não se deixe enganar por suas deduções e interpretações.

Tome cuidado para Satanás não te confundir. 

Em vez de ficarem felizes com aquela libertação, aquelas pessoas ficaram com medo de Jesus. Diante de um grande milagre, eles reagiram da pior maneira possível.

Cuidado com os pensamento e sentimentos que podem te roubar!

2º Não seja ingrato!

Aquelas pessoas foram ingratas com Jesus. Que mal Ele havia feito? Nenhum!

Sabe, muitas vezes, agimos desta forma, quando transferirmos os nossos problemas para Deus, como se Ele fosse o culpado.

Os gadarenos se tornaram duros de coração. Esta ingratidão fez com que eles expulsassem Jesus dali.

Ser ingrato com Jesus é o mesmo que expulsá-lo de sua vida!

3º Independente do sentimento coletivo, permaneça aos pés do Senhor Jesus

Aquele jovem queria ir com Jesus para Israel, pois sabia a grande transformação que o Senhor havia feito em sua vida. Estava com o coração cheio de gratidão.

O plano do inimigo era que ele retrocedesse e ficasse mais atormentado do que estava quando era possesso por demônios.

Jesus, então, deixa uma missão para aquele jovem: mostrar para as pessoas a linda obra que o Senhor fez em sua vida!

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

O amor cura, liberta e transforma!


1 João 4: 13 a 21 “Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito. E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque Ele nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão.”

O mundo está em crise. Hoje, nós observamos atos cruéis de ódio contra a vida humana. Isso só demonstra que o mundo está dominado pelo ódio. Este é o maior objetivo de Satanás: roubar, matar e destruir.

Este ambiente de violência e este clima de destruição geram insegurança. A insegurança gera medo; e o medo aprisiona.

Por que isso ocorre? Porque falta amor, o amor que Paulo fala em Colossenses 14 e em 1 Coríntios 13.

A ausência de amor é ocupada pelo sentimento de ódio. Por isso, nós precisamos plantar, regar e exercitar o amor. De todos os dons, ele é o maior, é o principal!

Muitos, infelizmente, desprezam este sentimento. Isso é nítido nos relacionamentos familiares e espirituais.

A política de Caim, infelizmente, é a política exercida pela religiosidade. Vemos irmão matando irmãos. Vemos irmãos desejando a divisão, a exemplo do que aconteceu com José – Rubem, felizmente, foi usado por Deus para impedir uma desgraça maior.

Mas, pelo ódio, os irmãos de José, cruelmente, o jogaram em um poço e o venderam como escravo. O ódio faz com que as pessoas cometam loucuras! É um sentimento demoníaco.

Então, não deixe que o ódio entre na sua casa. Não deixe que ele encontre espaço no seu coração. Não seja nutrido por sentimentos de vingança, inveja, raiva e destruição. Ao contrário, como um verdadeiro cristão, faça do amor o seu estilo de vida, a sua verdade. Este é o reconhecimento de que Deus habita em nós.

No texto que acabamos de ler, João nos dá uma lição de vida! É uma lição que temos que praticar. Se não tivermos amor, vamos nos destruir.

Eu não posso falar que eu amo a Deus, a quem não vejo, se eu não amo meu irmão, a quem eu vejo.

Limpe seu coração! Não deseje, não pratique e não estimule o mal. Que o amor possa imperar dentro de você.

O amor lança fora todo o medo!

Nesta passagem, João também fala sobre o medo. A origem do medo é a falta de amor. A origem do medo é a falta de proteção, porque, quando nos sentimos amados, nos sentimos protegidos e sustentados. Quando nos sentimos amados, temos a certeza de que não seremos descartados ou prejudicados.

Precisamos entender, acima de tudo, que Deus não é um déspota, não é um tirano. Deus é pai! Pai de amor e Pai das luzes!

Quando eu amo Deus acima de todas as coisas, eu percebo que o amor d’Ele por mim também é recíproco; e o medo desaparece!

Eu não tenho medo de ir para o inferno. Eu não tenho medo do Senhor me abandonar. Eu não tenho medo de ser destruído, porque eu sei que Ele está comigo todos os dias!

O amor me dá a certeza de que Deus está comigo no dia dos meus acertos e nos dias dos meus erros. Quando eu erro, eu sei que encontrarei, em Cristo, uma fonte de perdão!

Querido, o amor nos protege, nos fortalece e lança fora todo o medo! Creia nesta verdade!

Se você está possuído por um medo, se você está tomado pela síndrome do pânico, se você está dominado pelo desespero, clame ao Senhor. Declare que você é amado! Não deixe mais esta opressão determinar como serão os seus dias.

Receba o poder de cura e de libertação que há no amor de Deus! Receba esta arma que o inferno não conhece!

Eu quero terminar a Palavra do Dia de hoje, dizendo que, quando há amor, há perspectivas de futuro. Quando há amor, há segurança para seguir em frente! Quando há amor, há sempre um caminho de retorno!

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Um exemplo de fé e determinação!



Mateus 15.24 a 30: “Partindo Jesus dali, retirou-se para os lados de Tiro e Sidom. E eis que uma mulher cananeia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada. 

Ele, porém, não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, aproximando-se, rogaram-lhe: Despede-a, pois vem clamando atrás de nós. Mas Jesus respondeu: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. 

Ela, porém, veio e o adorou, dizendo: Senhor, socorre-me! Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ela, contudo, replicou: Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos. Então, lhe disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã.”. 

Queridos, quando nós conseguimos mover o coração do Senhor Jesus em nossa direção, não há limites para o nosso milagre. É o que esta história nos mostra.  

Quando Jesus chega à região de Tiro e Sidom, aquela mulher cananeia – ou siro-fenícia – vai ao encontro d´Ele em busca de uma milagre para a sua filha, que estava atormentada por espíritos malignos.  

Ela, simplesmente, não mediu esforços para conseguir o que queria.Hoje, eu gostaria de destacar alguns posicionamentos que ela teve que foram fundamentais para aquele processo de libertação:

Em primeiro lugar, aquela mulher se ajoelhou na presença de Jesus e o adorou.  

Jesus, querendo provar o coração daquela mulher, não a atendeu imediatamente e disse: “Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos.”. 

Em segundo lugar, ela não aceitou aquela resposta, porque sabia que existia amor em Jesus.  

Aquela mulher, com muita fé, respondeu: “Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos!”. 

Para ela, as migalhas de Jesus eram o suficiente. Jesus, então, libertou a filha daquela cananeia.  

Querido, a exemplo do que aconteceu com ela, o Senhor tem para realizar na sua vida o impossível e o improvável. Ele vai honrar a sua fé e determinação.  

Aquela mulher teve cinco atitudes que foram essenciais para que o milagre se manifestasse.  

1- Ela se humilhou na presença de Jesus; 

2- Ela se posicionou diante da dificuldade; 

3- Ela não se intimidou; 

4- Ela argumentou por aquilo que havia no seu coração; 

5- Ela se preparou para receber o milagre.  

Que está palavra posso despertar na sua vida atitudes de fé, porque o seu milagre já está liberado, em nome de Jesus!