sexta-feira, 31 de julho de 2020

Fortaleça sua raiz em Jesus Cristo!



João 15.1 a 5: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda. Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; permanecei em mim, e eu permanecerei em vós.

Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”

Esta passagem mostra o momento em que Jesus estava pregando para uma multidão e para os seus discípulos. Ele estava reportando uma palavra profética de Isaías e afirmou: “Eu sou a videira verdadeira, e meu pai é o agricultor!”.

O que Jesus estava querendo dizer? Que, como uma árvore, nós precisamos estar enraizados, ligados a algo, para garantir nossa sobrevivência.

Você pode ter galhos frutíferos e floridos, mas, se cortá-los, eles deixarão de receber os nutrientes da raiz e, consequentemente, vão secar e morrer.

Em Tiago 1.16, está escrito que aquele que não tem fé é como um morto sem espírito. É como a pessoa que está em um caixão, com o corpo intacto, mas sem fôlego de vida e sem poder se movimentar.

Pode parecer chocante, mas é isso que ocorre quando achamos que podemos viver sem Deus, sem Suas bênçãos, sem Suas palavras e quando achamos que podemos estar desconectados de Cristo e de sua igreja.

Jesus disse: “Pedro, tu és pedra. Sobre ti, edificarei a minha igreja, contra a qual as portas do inferno não prevalecerão.”. Cristo deixou bem claro qual é a autoridade de Sua igreja! Se eu estou fora dela e desconectado de Cristo, sou como um galho que secará com o tempo.

Sem cobertura, ficamos desorientados. O apóstolo Paulo fala que nós devemos honrar os nossos guias. Na Palavra, está escrito que Deus constitui autoridades espirituais.

Se eu ignoro esse principio, eu fico desprotegido e sem nutrientes, porque Jesus é a raiz de Jessé.

Jesus é a raiz que nos dá vida, que nos faz florescer e dar frutos. Cristo diz que precisamos estar ligados a Ele. Precisamos fazer com que nossas vidas saiam da rotina material.

Com base nesta palavra, eu quero desacatar três pontos importantes:

Em primeiro lugar: Estando na videira, o Senhor vai te limpar, te podar, tirar as folhas e os galhos secos, para que você produza mais frutos.

Em segundo lugar: Estando na videira, Você recebe do Senhor autoridade para crescer.

A tua vida tem sido infrutífera? Conectado a Jesus, você dará frutos e será conhecido por eles. Em vez de ser uma árvore seca no deserto, você será uma árvore plantada junto ao ribeiro de águas e dará frutos na estação própria.

Em terceiro lugar: Sem o Senhor, nada podeis fazer.

Sem Cristo, o máximo que pode acontecer é você ser aquela figueira sem frutos (Mateus 12. 33 a 36). Você pode ter uma aparência bonita, você pode parecer feliz, mas, no seu interior, só há morte. Só em Cristo, nós temos vida, e vida em abundância.

Abra seu coração. Se você está afastado dos caminhos do Senhor, volte! Procure a igreja mais próxima de você! Na casa do Pai, há amor, esperança, renovo e perdão!

Se você está perdido, precisando de um amigo e está em uma busca espiritual incessante, saiba que Jesus é o caminho, a verdade e a vida!

Se você pensa que é tarde demais, porque você esteve perdido por muitos anos e não tem mais perspectivas, venha encontrar um sentido para a vida!

Em Cristo, nós temos cura, libertação e vida eterna!

quinta-feira, 30 de julho de 2020

O tempo da escravidão acabou!


Isaías 52.1 a 12: “Desperta, desperta, reveste-te da tua fortaleza, ó Sião; veste-te das tuas roupagens formosas, ó Jerusalém, cidade santa; porque não mais entrará em ti nem incircunciso nem imundo. Sacode-te do pó, levanta-te e toma assento, ó Jerusalém; solta-te das cadeias de teu pescoço, ó cativa filha de Sião.

Porque assim diz o SENHOR: Por nada fostes vendidos; e sem dinheiro sereis resgatados. Porque assim diz o SENHOR Deus: O meu povo no princípio desceu ao Egito, para nele habitar, e a Assíria sem razão o oprimiu. Agora, que farei eu aqui, diz o SENHOR, visto ter sido o meu povo levado sem preço? Os seus tiranos sobre ele dão uivos, diz o SENHOR; e o meu nome é blasfemado incessantemente todo o dia.

Por isso, o meu povo saberá o meu nome; portanto, naquele dia, saberá que sou eu quem fala: Eis-me aqui. Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina! Eis o grito dos teus atalaias! Eles erguem a voz, juntamente exultam; porque com seus próprios olhos distintamente vêem o retorno do SENHOR a Sião. Rompei em júbilo, exultai à uma, ó ruínas de Jerusalém; porque o SENHOR consolou o seu povo, remiu a Jerusalém.

O SENHOR desnudou o seu santo braço à vista de todas as nações; e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus. Retirai-vos, retirai-vos, saí de lá, não toqueis coisa imunda; saí do meio dela, purificai-vos, vós que levais os utensílios do SENHOR. Porquanto não saireis apressadamente, nem vos ireis fugindo; porque o SENHOR irá adiante de vós, e o Deus de Israel será a vossa retaguarda.”

Esta palavra profética é tremenda, porque ela anuncia o fim de dois grandes cativeiros: o assírio e o babilônico.

Deus estava anunciando um novo tempo. Que tempo era esse? O fim do sofrimento, da prisão, da escravidão e do sentimento de abandono.

Para vivermos esta palavra, precisamos seguir o caminho que o Senhor nos deixou:

Em primeiro lugar, Ele disse: “Acorde!”

O Senhor está anunciando: “Acorde, porque o pesadelo acabou!”. Não fique mais se lamentando pelas coisas que você passou, olhe para frente!

Acorde, porque este tempo de dor, enfermidade, guerra e solidão já acabou! Deus vai te tirar desta situação muito antes do que você imagina!

Em segundo lugar, Ele anuncia: “Eu vou quebrar o poder do inimigo sobre sua vida!”

Ele estava se referindo aos grandes tiranos. Qual é a tirania que Satanás impôs sobre você? A da injustiça, a do ódio, a da amargura, a do abandono?

Deus anunciou a vitória sobre o poder dos tiranos! Então, você é livre! Agora, chegou o tempo de você voltar para Sião!

E, em terceiro lugar, Deus afirmou: “Eu vou fazer, Eu estou agindo, mas é importante você fazer a sua parte!”.

O Senhor disse: “Retirai-vos!”. Ou seja, disse para sairmos do domínio do inimigo! Saia do domínio do pecado, da maledicência, da morte!

Deus quer fazer uma grande obra, mas, para isso, você precisa quebrar as prisões! Como? A sua atitude pessoal de não aceitar já te da autoridade para vencê-las.

Quando você sair desta prisão, todos saberão que a mão forte do Senhor está sobre você!

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Os primeiros lugares



Lucas 14.7 a 14: “Reparando como os convidados escolhiam os primeiros lugares, propôs-lhes uma parábola: Quando por alguém fores convidado para um casamento, não procures o primeiro lugar; para não suceder que, havendo um convidado mais digno do que tu, vindo aquele que te convidou e também a ele, te diga: Dá o lugar a este. Então, irás, envergonhado, ocupar o último lugar. 

Pelo contrário, quando fores convidado, vai tomar o último lugar; para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, senta-te mais para cima. Ser-te-á isto uma honra diante de todos os mais convivas. Pois todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado. Disse também ao que o havia convidado: Quando deres um jantar ou uma ceia, não convides os teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem vizinhos ricos; para não suceder que eles, por sua vez, te convidem e sejas recompensado. 

Antes, ao dares um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos; e serás bem-aventurado, pelo fato de não terem eles com que recompensar-te; a tua recompensa, porém, tu a receberás na ressurreição dos justos.” 

O Senhor Jesus estava em um casamento, e Ele percebeu que, naquela festa, havia uma disputa pelos primeiros lugares. Ali, então, Ele ministra seus discípulos e os ensina sobre uma prática vinda dos céus, dando uma verdadeira lição de humildade. 

Ele mostrou o quanto arrogância, a necessidade de ostentar e de auto-afirmação pode tornar o ser humano repugnante. 

Através daquela parábola, Ele ensinou que: 

Em primeiro lugar, não devemos buscar, na carne, a nossa posição. 

Muitas vezes, você pensa que o seu jeitinho, as suas amizades, a sua situação financeira vão te beneficiar em relação à posição espiritual que você precisa alcançar. Mas o Reino de Deus não é feito de lobbies! O Reino de Deus não é feito de favorecimentos. O Reino de Deus é feito pela eleição, pela escolha e pela sua disposição de servir o Senhor. 

Infelizmente, muitas pessoas erram porque não sabem exatamente ocupar, espiritualmente, os seus lugares. 

Quando você casa, você precisa, por exemplo, como esposa, ocupar sua posição no relacionamento. Uma mulher sábia edifica sua casa, mas a tola a destrói com suas próprias mãos. 

Quando você é um homem de Deus, você ocupa a posição de sacerdote do seu lar, não carnalmente, achando que a sua vontade é absoluta, mas espiritualmente! 

Ocupe o seu lugar no mundo espiritual. Tudo o que é conquistado na carne é passageiro. 

O Senhor Jesus disse: “Você senta na primeira fila, mas vão te levar para o fundo!”. No mundo, há um jogo de interesses! Sempre vai chegar alguém mais importante do que você. Mas, quando você é constituído espiritualmente, ninguém te tira da posição que o Senhor te colocou, porque os dons e a unção são irrevogáveis. 

Então, busque espiritualmente, o lugar que o Senhor te deu! 

Em segundo lugar, que devemos aprender a sentar no último lugar! 

Tenha consciência de que os últimos serão os primeiros. Tenha consciência de que humilhação não significa para nós o que significa para o mundo. 

Há muitas pessoas que estão na igreja, que meditam na Palavra de Deus, mas, na hora de tomar uma decisão, erram de maneira grotesca. Por quê? Entendem humilhação como punição. Entendem humilhação como um abandono. Mas, na verdade, como próprio Jesus nos ensinou: os humilhados serão exaltados. 

Se você sentou na última fileira, se você está na última cadeira, o dono da festa, que é Cristo e conhece o seu coração, te colocará na frente, e todos os convidados verão que você está sendo honrado pelo Senhor, sem que haja interferência da sua carne ou um jogo de interesses, mas porque você recebeu a graça d’Ele. 

Tiago 4.6: “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.”

Então, em vez de ser arrogante, prepotente e egoísta, aguarde! Sente no último lugar, porque, no tempo oportuno, Deus vai te exaltar e vai te levar para os primeiros lugares, porque você terá passado por um processo de preparação. 

Se você está enfrentando uma humilhação, não se desespere. Se, hoje, você está chorando pelo mal que te fizeram, humilhe-se na presença de Deus. Ele vai enxergar suas lágrimas com milagres, porque, para nós, a humilhação possui três aspectos importantes: 

1- A consequente exaltação;

2- A restituição;

3- A bem-aventurança. 

Este tempo de humilhação é passageiro! Os primeiros lugares estão te esperando. 

Em terceiro lugar, que somos eleitos 

Você é eleito de Deus! É aquele que recebeu o convite do dono da festa! O seu reconhecimento virá do Senhor. Então, não se precipite. Deixe que Ele complete o ciclo. No tempo de Deus, todas as coisas vão se encaixar. 

Filipenses 1.6: “Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.”

terça-feira, 28 de julho de 2020

Ele nos amou primeiro


1 João 4.13 a 21: “Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito. E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque Ele nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão.”


Estamos vivendo dias de crise. Hoje, nós observamos atos cruéis de violência.
Isso só demonstra que o mundo está dominado pelo ódio. Este é o maior objetivo de Satanás: roubar, matar e destruir.

Este ambiente de violência e este clima de destruição geram insegurança. A insegurança gera medo; e o medo aprisiona.

Por que isso ocorre? Porque falta amor, o amor que Paulo fala em Colossenses 14 e em 1 Coríntios 13.

Por isso, nós precisamos plantar, regar e exercitar o amor. De todos os dons, ele é o maior, é o principal!

Muitos, infelizmente, desprezam este sentimento. Isso é nítido nos relacionamentos familiares e espirituais.

A política de Caim, infelizmente, é a política exercida pela religiosidade. Vemos irmão matando irmãos. Vemos irmãos desejando a divisão – a exemplo do que aconteceu com José. Rubem, felizmente, foi usado por Deus para impedir uma desgraça maior.

Mas, pelo ódio, os irmãos de José, cruelmente, o jogaram em um poço e o venderam como escravo. O ódio faz com que as pessoas cometam loucuras! 

Então, não deixe que o ódio entre na sua casa. Não deixe que ele encontre espaço no seu coração. Não seja nutrido por sentimentos de vingança, inveja, raiva e destruição. Pelo contrário, como um verdadeiro cristão, faça do amor o seu estilo de vida, a sua verdade. Este é o reconhecimento de que Deus habita em nós.

No texto que acabamos de ler, João nos dá uma lição de vida! É uma lição que temos que praticar, por que, se não tivermos amor, vamos nos destruir.

Eu não posso falar que eu amo o Senhor, a quem não vejo, se eu não amo meu irmão, a quem eu vejo.

Limpe seu coração! Não deseje, não pratique e não estimule o mal. Deixe que amor imperede dentro de você.

O amor lança fora todo o medo!

Nesta passagem, João também fala sobre o medo. A origem do medo é a falta de amor. A origem do medo é a falta de proteção, porque, quando nos sentimos amados, sentimo-nos protegidos e sustentados. Quando nos sentimos amados, temos a certeza de que não seremos descartados ou prejudicados.

Precisamos entender, acima de tudo, que Deus não é um déspota, não é um tirano. Deus é pai! Pai de amor e Pai das luzes!

Quando eu amo o Senhor acima de todas as coisas, eu percebo que o amor d’Ele por mim também é recíproco; e o medo desaparece!

Eu não tenho medo de ir para o inferno. Eu não tenho medo de o Senhor me abandonar. Eu não tenho medo de ser destruído, porque eu sei que Ele está comigo todos os dias!

O amor me dá a certeza de que Deus está comigo no dia dos meus acertos e nos dias dos meus erros. Quando eu erro, eu sei que encontrarei, em Cristo, uma fonte de perdão e de conserto!

O amor nos protege, fortalece e nos impulsiona! 

Se você está se sentindo oprimido, se você foi dominado pela síndrome do pânico, se você foi sucumbido pelo desespero, clame ao Senhor. Declare que você é amado! Não deixe mais esta opressão determinar como serão os seus dias.

Receba o poder de cura e de libertação que há no amor de Deus! Receba esta arma que o inferno não conhece!

Eu quero terminar a Palavra do Dia de hoje, dizendo que, quando há amor, há perspectivas de futuro. Quando há amor, há segurança para seguir em frente! Quando há amor, há sempre um caminho de retorno!

O amor cura, transforma e liberta!

segunda-feira, 27 de julho de 2020

Uma mente transformada


Romanos 12.1 e 2: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

Quando Paulo fala sobre transformação de mente, ele está se referindo a uma grande libertação pessoal que pode nos levar a uma vida melhor.

Existem, basicamente, três tipos de mentes:

1- A mente estagnada e conformada;

2- A mente retrógrada, atrasada e escrava;

3- A mente apostólica, que é livre.

Devemos lutar para alcançar esta libertação. De que maneira?

1- Desfazendo fortalezas espirituais e anulando mentiras

2 Coríntios 10.4: “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando sofismas...”

Temos, em nossas mentes, áreas de resistência que nos impedem de evoluir. Precisamos destruir, crendo que aquele que nos enviou também nos capacitará. 

2- Tendo a mente livre de prisões emocionais, como o complexo de inferioridade

Ester 5.1 e 2: “Ao terceiro dia, Ester se aprontou com seus trajes reais e se pôs no pátio interior da casa do rei, defronte da residência do rei; o rei estava assentado no seu trono real fronteiro à porta da residência.Quando o rei viu a rainha Ester parada no pátio, alcançou ela favor perante ele; estendeu o rei para Ester o cetro de ouro que tinha na mão; Ester se chegou e tocou a ponta do cetro.”

3- Tendo a mente transformada pela unção do Espírito Santo

Romanos 8.5 a 7: “Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar.”

Uma mente transformada pelo Espírito Santo é otimista, criativa, empreendedora e inspiradora.


1 Coríntios 2.14 a 16: “Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.”

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Tudo é possível ao que crê



Marcos 2.1 a 12: “Dias depois, entrou Jesus de novo em Cafarnaum, e logo correu que ele estava em casa. Muitos afluíram para ali, tantos que nem mesmo junto à porta eles achavam lugar; e anunciava-lhes a palavra. Alguns foram ter com ele, conduzindo um paralítico, levado por quatro homens. E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o eirado no ponto correspondente ao em que ele estava e, fazendo uma abertura, baixaram o leito em que jazia o doente.

Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Filho, os teus pecados estão perdoados. Mas alguns dos escribas estavam assentados ali e arrazoavam em seu coração:  Por que fala ele deste modo? Isto é blasfêmia! Quem pode perdoar pecados, senão um, que é Deus?  E Jesus, percebendo logo por seu espírito que eles assim arrazoavam, disse-lhes: Por que arrazoais sobre estas coisas em vosso coração? Qual é mais fácil? Dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados, ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito e anda?

Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados – disse ao paralítico:  Eu te mando: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa.  Então, ele se levantou e, no mesmo instante, tomando o leito, retirou-se à vista de todos, a ponto de se admirarem todos e darem glória a Deus, dizendo: Jamais vimos coisa assim!”

Jesus tinha sua base espiritual em Cafarnaum, onde Ele sempre reunia multidões.

Ali, também havia um paralítico que ficou conhecido pela grandiosidade se sua fé. No coração dele, havia um único objetivo: ficar frente a frente com Jesus!

Quando temos está disposição e este desejo, movemos o mundo espiritual.

Em primeiro lugar, precisamos encontrar um caminho através da fé.

Aquele paralítico estava cansado das dores, das humilhações e da cama que o prendia. Aquela fé e aquele inconformismo fizeram com que ele descobrisse um caminho para se aproximar de Jesus!

Se você permanecer acomodado e achando culpados para os seus problemas, você vai se afundar ainda mais! É como se fosse uma areia movediça! Mas, se você se abrir para ser movido pela fé, encontrará um caminho!

Qual caminho aquele paralítico encontrou? Não dava para passar pela multidão. Qual alternativa ele tinha? Entrar pelo telhado!

Em segundo, precisamos estar associados com quem pode nos levar ao milagre.

O paralítico chamou quatro grandes amigos e explicou seu plano.

O primeiro amigo representa aqueles que estimulam nossa fé;

O segundo amigo representa a determinação;

O terceiro amigo representa a disposição;

O quarto amigo representa a superação.

O plano foi colocado em prática!

Jesus estava ministrado e, de repente, desce uma cama do teto.  Ao olhar o paralítico, Ele afirma: “Seus pecados estão perdoados!”.

Ao ser questionado pelos religiosos sobre esta atitude, Jesus responde: “O que é mais fácil: dizer ‘Estão perdoados os seus pecados!’ ou ‘Levanta e anda!’?

Precisamos entender que a obra que o Senhor tem para nossas vidas é completa!

Quando aquele homem começou a andar, todos ficaram surpresos: “Jamais vi coisa igual!”.

Jesus Cristo é o Senhor do milagre!

Tenha fé, seja perseverante! O Senhor é contigo, e você caminhará em liberdade!

terça-feira, 21 de julho de 2020

Transformando convicções em atitudes!


Josué 1.6 a 9: “Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais. Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares. 

Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido. Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.”. 

Existem muitas intranquilidades que tomam conta dos nossos corações. A questão é: Como superá-las? 

Como transformar convicções e discursos em atitudes? Esse é um dos maiores desafios entre os cristãos. 

Através da vida de Josué e das experiências que ele teve com o Senhor, podemos identificar a solução para essas questões. Hoje, eu gostaria de citar algumas: 

Em primeiro lugar, entender que o Senhor também se relaciona conosco através da promessa, e que Ele não falha! 

Todos nós temos uma promessa. Mas precisamos entender que a concretização dela depende, e muito, de nossas atitudes. Depende da nossa fé e da nossa postura diante das dificuldades.

Isaías 55. 10 e 11: “Como a chuva e a neve descem dos céus e não retornam para eles sem regarem a terra e fazerem-na brotar e florescer, a fim de que ela produza sementes para o semeador e pão para os que dele se alimentam, assim também acontece com a Palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas realizará toda a obra que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei.”. 

Nós, muitas vezes, literalmente, empacamos no meio do caminho da nossa promessa. Por quê? Porque deixamos a dúvida tomar conta de nossas vidas e, consequentemente, bloqueamos qualquer possibilidade de que ela será realizada.   

Deus disse para Josué: “Seja forte e corajoso, porque é você quem levará o povo a herdar a terra que eu prometi que entregaria para eles.”. 

Então, não fique esperando que Deus ou que outras pessoas façam sua parte. Não tropece mais nos seus impossíveis. 

Ser forte e ser corajoso são os ingredientes fundamentais pra que a promessa se cumpra. 

Em segundo lugar, não desanimar, porque o Senhor está te capacitando para que você supere todas as suas limitações e não seja roubado no meio da caminhada. 

Gálatas 6.7 e 9: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá. Não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.”. 

Pare e pense: Quantos projetos inacabados você pode contabilizar na sua vida?

Quantas situações e oportunidades passaram e você pensou: "Poxa, eu poderia ter feito, mas não fiz."? 

Sabe, querido, aquela oportunidade que você perdeu não volta mais. Poderão vir outras, mas aquela não! Com certeza, outra pessoa se levantou para realizá-la. Então, esteja preparado para as que virão e não desanime! 

Se está demorando muito, persevere! Se, aos olhos humanos, não há mais perspectivas, persevere! Renove-se na esperança! 

Salmos 119.116: “Ampara-me, segundo a tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança me envergonhe.”. 

Em terceiro lugar, mova-se! Caminhe em direção à conquista. 

Muitas vezes, deixamos a passividade nos dominar. Essa passividade pode ser fruto de uma formação errada ou, até mesmo, da religiosidade, porque cruzamos os braços e queremos que tudo aconteça em um piscar de olhos. Muitas pessoas, erroneamente, acham que elas podem ficar só orando, e que Deus fará todo o resto. 

O Senhor disse para Josué: “Mova-se! Faça as coisas acontecerem, porque Eu sou contigo. Eu estou te enviando. Então, seja forte e corajoso!”. 

O Senhor também disse ainda: “...para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares.”.  Se Josué ficasse parado, nada iria acontecer. Ele tinha que seguir em frente, manter o foco e caminhar! 

Então, mova-se, não seja mais roubado em suas motivações, porque o Senhor é contigo, e a vitória já está ordenada! 

quinta-feira, 16 de julho de 2020

O amor nos faz romper limites


Lucas 10.25 a 37: “E eis que certo homem, intérprete da Lei, se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Então, Jesus lhe perguntou: Que está escrito na Lei? Como interpretas? A isto ele respondeu: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

Então, Jesus lhe disse: Respondeste corretamente; faze isto e viverás. Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: Quem é o meu próximo? Jesus prosseguiu, dizendo: Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e veio a cair em mãos de salteadores, os quais, depois de tudo lhe roubarem e lhe causarem muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o semimorto.

Casualmente, descia um sacerdote por aquele mesmo caminho e, vendo-o, passou de largo. Semelhantemente, um levita descia por aquele lugar e, vendo-o, também passou de largo. Certo samaritano, que seguia o seu caminho, passou-lhe perto e, vendo-o, compadeceu-se dele. E, chegando-se, pensou-lhe os ferimentos, aplicando-lhes óleo e vinho; e, colocando-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e tratou dele.

No dia seguinte, tirou dois denários e os entregou ao hospedeiro, dizendo: Cuida deste homem, e, se alguma coisa gastares a mais, eu to indenizarei quando voltar. Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores? Respondeu-lhe o intérprete da Lei: O que usou de misericórdia para com ele. Então, lhe disse: Vai e procede tu de igual modo.”

Jesus estava explicando àquele doutor da lei, que queria a todo o custo colocá-lo à prova, uma das leis bíblicas mais conhecidas: amar o próximo como a nós mesmos.

Amar o próximo, querido internauta, é amar sem distinção! É amar independente da raça, idade, condição social e religião....

Só que, infelizmente, entre os cristãos – aqueles que deveriam seguir à risca os ensinamentos de Jesus – existe muito partidarismo.

O discurso é lindo: “Eu quero ser um pastor! Eu quero ser um homem de Deus! Eu quero levar a mensagem do evangelho.”. Mas o coração está divido pelos interesses carnais. A realidade é: “Eu trato as pessoas de acordo com o que me convém!”. Será que isso é evangelho? Será que isso é cristianismo? Com certeza, não!

A vontade de Deus é a prática do amor, que tudo crê, tudo espera, tudo suporta.... é um amor puro, genuíno, ou seja, sem preconceitos... O amor está acima de tudo é o verdadeiro vínculo da perfeição. Ele nos faz romper limites e superar qualquer dificuldade! 

Para mostrar a grandiosidade e a intensidade do amor que devemos sentir pelas pessoas, independente do seu grau de aproximação, ele conta àquele doutor da lei a parábola que eu acredito que seja a mais conhecida.

Ele conta a história de um homem que, no caminho de Jericó para Jerusalém, foi assaltado, espancado e largado no meio da estrada.

No decorrer do dia, três homens passaram por ele. O primeiro era um levita, aquele que ministrava os louvores no templo. O que ele fez? Simplesmente, ignorou o sofrimento daquele homem que estava à beira da morte e com uma hemorragia muito séria. O segundo homem – um sacerdote, conhecedor das Escrituras – teve a mesma atitude.

Sabe, querido leitor, existem situações na nossa vida em que nos sentimos abandonados e sem esperança. Somos discriminados e julgados indevidamente. Só que, por meio daquela parábola, Jesus mostrou que sempre existirá um caminho e que o amor pode curar e transformar qualquer situação.

Há esperança! Como? Por meio daquele que veio buscar e salvar o que estava perdido.

Quando aquele homem estava cansado, sem esperança e quase morto pela crueldade da religiosidade, surge o bom samaritano. Quem é o nosso bom samaritano? Jesus Cristo!

Ele para tudo o que está fazendo, cura as feridas daquele homem com o óleo – que representa a presença do Espírito Santo –, o leva à hospedeira – que representa a Casa de Deus –, paga um preço para que ele seja acolhido – assim como Jesus Cristo pagou um preço por nós na cruz do calvário – e se responsabiliza por ele.

O amor verdadeiro, querido leitor, envolve responsabilidade, cuidado, dedicação e uma entrega. Aquele rapaz, que estava à beira da estrada, foi resgatado, curado e restituído pelo amor de um completo estranho, que vivia muito mais a essência da Palavra de Deus do que aqueles religiosos que sabiam as Escrituras de cor.

Depois de contar aquela parábola, O Senhor Jesus pergunta ao doutor da lei: “Quem praticou o verdadeiro o amor?”.

Isso é muito profundo! Não podemos nos esquecer de que a base do evangelho é o amor e não discursos vazios. A nossas atitudes sempre, sempre, sempre, revelam nossas verdadeiras motivações e nossa essência!

Que você, a partir de hoje, busque ser como o bom samaritano. E, se você está como aquele homem que foi humilhado e abandonado, eu tenho uma palavra: Jesus Cristo veio para te salvar de tudo isso! Ele veio para te resgatar, estancar suas feridas e te enviar para um novo tempo!


Que, hoje, onde quer que você esteja, você seja invadido e agasalhado por este amor!

segunda-feira, 13 de julho de 2020

Faça uma aliança com a vida!


2 Timóteo 2.1 a 13: “Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus. E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros. Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou.

Igualmente, o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a participar dos frutos. Pondera o que acabo de dizer, porque o Senhor te dará compreensão em todas as coisas. Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado de entre os mortos, descendente de Davi, segundo o meu evangelho; pelo qual estou sofrendo até algemas, como malfeitor; contudo, a palavra de Deus não está algemada.

Por esta razão, tudo suporto por causa dos eleitos, para que também eles obtenham a salvação que está em Cristo Jesus, com eterna glória. Fiel é esta palavra: Se já morremos com ele, também viveremos com ele; se perseveramos, também com ele reinaremos; se o negamos, ele, por sua vez, nos negará; se somos infiéis, ele permanece fiel, pois de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo.”

Deste texto, surgiu um dos adesivos mais famosos do Brasil, que, há muitos anos, eu mandei confeccionar, com a frase: “Deus é fiel”.

Nesta Passagem, Paulo destaca princípios espirituais profundos.

Nós fomos chamados para agradar ao Senhor. Em Salmos 37.4, está escrito: “Agrada-te do Senhor, e Ele satisfará o desejo do seu coração.”.

Será que a sua vida tem agradado ao Senhor? Os seus comportamentos, os seus sentimentos e as suas palavras têm agradado a Deus? Ou será que você está com a vida completamente enrolada?

Paulo fala que nenhum soldado em serviço deve se envolver em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer aquele que o arregimentou. Jesus Cristo nos arregimentou.

Precisamos tomar cuidado para que o espírito de confusão não nos tire do plano que o Senhor tem para nossas vidas.

Lamentavelmente, muitas pessoas estão sendo roubadas. Estão perdendo tempo murmurando, lamentando-se e com conversas que não edificam.

A recomendação de Paulo, em primeiro lugar, é: “Libere sua vida! Permita-se ser conduzido para o centro da vontade de Deus!”.

Em segundo lugar, ele fala para não agirmos como mortos-vivos e para lembrarmos de Jesus Cristo, porque Ele ressuscitou.

João 10.10: “O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.”

Será que você tem conseguido passar pelo dia mau com essa certeza? Se você não tem conseguido nem manter o bom humor, acho, sinceramente, muito difícil você conseguir manter a fé.

Lucas 18.8: “Digo-vos que, depressa, lhes fará justiça. Contudo, quando vier o Filho do Homem, achará, porventura, fé na terra?”

Faça uma aliança com a vida. Seja determinado e convicto! Se você receber alguma tarefa, faça-a da melhor maneira possível.

Nós não podemos andar como mortos-vivos, porque servimos ao Cristo ressurreto!

Em terceiro lugar, Paulo aconselha: “Persevere!”

Se perseverarmos, em Cristo, também com Ele reinaremos! Persevere em todas as situações, ou seja, no dia bom e no dia mau!

Seja perseverante em suas convicções. Paulo fala que, se nós negarmos a Cristo, Ele também nos negará! Isso é muito sério. Você pode falar aos quatro ventos que ama Jesus, mas pode estar negando-o com suas atitudes.

Está na hora de fazer uma autoavaliação, está na hora de você rever seus conceitos e mudar de atitudes.

Salmo 101.6: “Os meus olhos procurarão os fiéis da terra, para que habitem comigo; o que anda em reto caminho, esse me servirá.”

A sua infidelidade não muda o Senhor, mas pode te colocar em um caminho de morte e destruição. As consequências podem ser desastrosas.


Caminhe em retidão sabendo que aquele que começou a boa obra em sua vida é fiel e justo para completá-la.  Os homens podem mudar, as circunstancias podem mudar, mas Deus continua o mesmo!

quinta-feira, 9 de julho de 2020

Os segredos da vitória de Daniel


Daniel 1.1 a 16 e 20: No ano teceiro do reinado de Jeoaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei da Babilônia, a Jerusalém e a sitiou. O Senhor lhe entregou nas mãos a Jeoaquim, rei de Judá, e alguns dos utensílios da Casa de Deus; a estes, levou-os para a terra de Sinar, para a casa do seu deus, e os pôs na casa do tesouro do seu deus. Disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, tanto da linhagem real como dos nobres, jovens sem nenhum defeito, de boa aparência, instruídos em toda a sabedoria, doutos em ciência, versados no conhecimento e que fossem competentes para assistirem no palácio do rei e lhes ensinasse a cultura e a língua dos caldeus. 

Determinou-lhes o rei a ração diária, das finas iguarias da mesa real e do vinho que ele bebia, e que assim fossem mantidos por três anos, ao cabo dos quais assistiriam diante do rei. Entre eles, se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias. O chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel, o de Beltessazar; a Hananias, o de Sadraque; a Misael, o de Mesaque; e a Azarias, o de Abede-Nego. 

Resolveu Daniel, firmemente, não contaminar-se com as finas iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; então, pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não contaminar-se. Ora, Deus concedeu a Daniel misericórdia e compreensão da parte do chefe dos eunucos. Disse o chefe dos eunucos a Daniel: Tenho medo do meu senhor, o rei, que determinou a vossa comida e a vossa bebida; por que, pois, veria ele o vosso rosto mais abatido do que o dos outros jovens da vossa idade? Assim, poríeis em perigo a minha cabeça para com o rei. 

Então, disse Daniel ao cozinheiro-chefe, a quem o chefe dos eunucos havia encarregado de cuidar de Daniel, Hananias, Misael e Azarias: Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias; e que se nos dêem legumes a comer e água a beber. Então, se veja diante de ti a nossa aparência e a dos jovens que comem das finas iguarias do rei; e, segundo vires, age com os teus servos. Ele atendeu e os experimentou dez dias. 

No fim dos dez dias, a sua aparência era melhor; estavam eles mais robustos do que todos os jovens que comiam das finas iguarias do rei. Com isto, o cozinheiro-chefe tirou deles as finas iguarias e o vinho que deviam beber e lhes dava legumes. Em toda matéria de sabedoria e de inteligência sobre que o rei lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos e encantadores que havia em todo o seu reino.”. 

Daniel saiu de Jerusalém e foi levado para a Babilônia. Ele poderia ter se encantado, pois, naquela época, era um dos locais mais cobiçados da terra, mas não se contaminou.  

A Babilônia era tudo para muitas pessoas, mas, para Daniel, não. O relacionamento que ele tinha com Deus era a sua prioridade e sua força motriz. 

Hoje, eu gostaria de destacar algumas características que levaram Daniel a ter vitória na Babilônia:  

Em primeiro lugar, Daniel era incorruptível, ou seja, não era como alguns “cristãos”, que, no domingo, são fervorosos, mas, na segunda-feira, são duros como uma pedra e não acreditam em mais nada.  

Em segundo lugar, ele aceitou o desafio de honrar suas convicções 

Só aceita este desafio quem confia no Senhor. Só aceita este desafio quem é ousado! 

Salmos 125.1: “Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre.”. 

O rei havia mandado servi-lo com o que havia de melhor naquela terra. Mas Daniel resolveu, firmemente, não se contaminar!  

Mas, pensando bem, será mesmo que aquelas iguarias causariam algum mal ao organismo de Daniel? Claro que não! Aquele cardápio foi desenvolvido especialmente para os príncipes. Daniel, na verdade, escolheu não se contaminar espiritualmente. Aqueles alimentos eram consagrados aos ídolos babilônicos. Naquele cardápio, também havia alimentos que, antes da graça, eram abominados por Deus.  

Daniel aceitou o desafio de honrar suas convicções, sem se importar com as consequências. Ele disse ao chefe dos eunucos: “Espere dez dias, e você verá Deus agir!”.  

Querido, chegou a hora de você desafiar o mundo e crer verdadeiramente no Senhor.  

Daniel sabia que o alimento que viria do Senhor o deixaria mais forte. Depois de dez dias, Daniel e os amigos dele estavam mais robustos. O chefe dos eunucos ficou tão impressionado, que aceitou manter a dieta estipuladas por eles.  

Não adiante se alimentar do que o mundo oferece, e continuar vazio! Alimente-se no Senhor. Busque ser cheio do Espírito Santo!  

Em terceiro lugar, Daniel buscou ser o melhor! 

Daniel foi achado dez vezes mais sábio do que os grandes encantadores da Babilônia! Daniel era disciplinado, organizado, estudioso e, o mais importante de tudo, ele tinha um vida de oração! 

Tiago 1.5: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.”.