sexta-feira, 31 de julho de 2020

Fortaleça sua raiz em Jesus Cristo!



João 15.1 a 5: “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda. Vós já estais limpos pela palavra que vos tenho falado; permanecei em mim, e eu permanecerei em vós.

Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira, vós, os ramos. Quem permanece em mim, e eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.”

Esta passagem mostra o momento em que Jesus estava pregando para uma multidão e para os seus discípulos. Ele estava reportando uma palavra profética de Isaías e afirmou: “Eu sou a videira verdadeira, e meu pai é o agricultor!”.

O que Jesus estava querendo dizer? Que, como uma árvore, nós precisamos estar enraizados, ligados a algo, para garantir nossa sobrevivência.

Você pode ter galhos frutíferos e floridos, mas, se cortá-los, eles deixarão de receber os nutrientes da raiz e, consequentemente, vão secar e morrer.

Em Tiago 1.16, está escrito que aquele que não tem fé é como um morto sem espírito. É como a pessoa que está em um caixão, com o corpo intacto, mas sem fôlego de vida e sem poder se movimentar.

Pode parecer chocante, mas é isso que ocorre quando achamos que podemos viver sem Deus, sem Suas bênçãos, sem Suas palavras e quando achamos que podemos estar desconectados de Cristo e de sua igreja.

Jesus disse: “Pedro, tu és pedra. Sobre ti, edificarei a minha igreja, contra a qual as portas do inferno não prevalecerão.”. Cristo deixou bem claro qual é a autoridade de Sua igreja! Se eu estou fora dela e desconectado de Cristo, sou como um galho que secará com o tempo.

Sem cobertura, ficamos desorientados. O apóstolo Paulo fala que nós devemos honrar os nossos guias. Na Palavra, está escrito que Deus constitui autoridades espirituais.

Se eu ignoro esse principio, eu fico desprotegido e sem nutrientes, porque Jesus é a raiz de Jessé.

Jesus é a raiz que nos dá vida, que nos faz florescer e dar frutos. Cristo diz que precisamos estar ligados a Ele. Precisamos fazer com que nossas vidas saiam da rotina material.

Com base nesta palavra, eu quero desacatar três pontos importantes:

Em primeiro lugar: Estando na videira, o Senhor vai te limpar, te podar, tirar as folhas e os galhos secos, para que você produza mais frutos.

Em segundo lugar: Estando na videira, Você recebe do Senhor autoridade para crescer.

A tua vida tem sido infrutífera? Conectado a Jesus, você dará frutos e será conhecido por eles. Em vez de ser uma árvore seca no deserto, você será uma árvore plantada junto ao ribeiro de águas e dará frutos na estação própria.

Em terceiro lugar: Sem o Senhor, nada podeis fazer.

Sem Cristo, o máximo que pode acontecer é você ser aquela figueira sem frutos (Mateus 12. 33 a 36). Você pode ter uma aparência bonita, você pode parecer feliz, mas, no seu interior, só há morte. Só em Cristo, nós temos vida, e vida em abundância.

Abra seu coração. Se você está afastado dos caminhos do Senhor, volte! Procure a igreja mais próxima de você! Na casa do Pai, há amor, esperança, renovo e perdão!

Se você está perdido, precisando de um amigo e está em uma busca espiritual incessante, saiba que Jesus é o caminho, a verdade e a vida!

Se você pensa que é tarde demais, porque você esteve perdido por muitos anos e não tem mais perspectivas, venha encontrar um sentido para a vida!

Em Cristo, nós temos cura, libertação e vida eterna!

quinta-feira, 30 de julho de 2020

O tempo da escravidão acabou!


Isaías 52.1 a 12: “Desperta, desperta, reveste-te da tua fortaleza, ó Sião; veste-te das tuas roupagens formosas, ó Jerusalém, cidade santa; porque não mais entrará em ti nem incircunciso nem imundo. Sacode-te do pó, levanta-te e toma assento, ó Jerusalém; solta-te das cadeias de teu pescoço, ó cativa filha de Sião.

Porque assim diz o SENHOR: Por nada fostes vendidos; e sem dinheiro sereis resgatados. Porque assim diz o SENHOR Deus: O meu povo no princípio desceu ao Egito, para nele habitar, e a Assíria sem razão o oprimiu. Agora, que farei eu aqui, diz o SENHOR, visto ter sido o meu povo levado sem preço? Os seus tiranos sobre ele dão uivos, diz o SENHOR; e o meu nome é blasfemado incessantemente todo o dia.

Por isso, o meu povo saberá o meu nome; portanto, naquele dia, saberá que sou eu quem fala: Eis-me aqui. Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas-novas, que faz ouvir a paz, que anuncia coisas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina! Eis o grito dos teus atalaias! Eles erguem a voz, juntamente exultam; porque com seus próprios olhos distintamente vêem o retorno do SENHOR a Sião. Rompei em júbilo, exultai à uma, ó ruínas de Jerusalém; porque o SENHOR consolou o seu povo, remiu a Jerusalém.

O SENHOR desnudou o seu santo braço à vista de todas as nações; e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus. Retirai-vos, retirai-vos, saí de lá, não toqueis coisa imunda; saí do meio dela, purificai-vos, vós que levais os utensílios do SENHOR. Porquanto não saireis apressadamente, nem vos ireis fugindo; porque o SENHOR irá adiante de vós, e o Deus de Israel será a vossa retaguarda.”

Esta palavra profética é tremenda, porque ela anuncia o fim de dois grandes cativeiros: o assírio e o babilônico.

Deus estava anunciando um novo tempo. Que tempo era esse? O fim do sofrimento, da prisão, da escravidão e do sentimento de abandono.

Para vivermos esta palavra, precisamos seguir o caminho que o Senhor nos deixou:

Em primeiro lugar, Ele disse: “Acorde!”

O Senhor está anunciando: “Acorde, porque o pesadelo acabou!”. Não fique mais se lamentando pelas coisas que você passou, olhe para frente!

Acorde, porque este tempo de dor, enfermidade, guerra e solidão já acabou! Deus vai te tirar desta situação muito antes do que você imagina!

Em segundo lugar, Ele anuncia: “Eu vou quebrar o poder do inimigo sobre sua vida!”

Ele estava se referindo aos grandes tiranos. Qual é a tirania que Satanás impôs sobre você? A da injustiça, a do ódio, a da amargura, a do abandono?

Deus anunciou a vitória sobre o poder dos tiranos! Então, você é livre! Agora, chegou o tempo de você voltar para Sião!

E, em terceiro lugar, Deus afirmou: “Eu vou fazer, Eu estou agindo, mas é importante você fazer a sua parte!”.

O Senhor disse: “Retirai-vos!”. Ou seja, disse para sairmos do domínio do inimigo! Saia do domínio do pecado, da maledicência, da morte!

Deus quer fazer uma grande obra, mas, para isso, você precisa quebrar as prisões! Como? A sua atitude pessoal de não aceitar já te da autoridade para vencê-las.

Quando você sair desta prisão, todos saberão que a mão forte do Senhor está sobre você!

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Os primeiros lugares



Lucas 14.7 a 14: “Reparando como os convidados escolhiam os primeiros lugares, propôs-lhes uma parábola: Quando por alguém fores convidado para um casamento, não procures o primeiro lugar; para não suceder que, havendo um convidado mais digno do que tu, vindo aquele que te convidou e também a ele, te diga: Dá o lugar a este. Então, irás, envergonhado, ocupar o último lugar. 

Pelo contrário, quando fores convidado, vai tomar o último lugar; para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, senta-te mais para cima. Ser-te-á isto uma honra diante de todos os mais convivas. Pois todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será exaltado. Disse também ao que o havia convidado: Quando deres um jantar ou uma ceia, não convides os teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem vizinhos ricos; para não suceder que eles, por sua vez, te convidem e sejas recompensado. 

Antes, ao dares um banquete, convida os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos; e serás bem-aventurado, pelo fato de não terem eles com que recompensar-te; a tua recompensa, porém, tu a receberás na ressurreição dos justos.” 

O Senhor Jesus estava em um casamento, e Ele percebeu que, naquela festa, havia uma disputa pelos primeiros lugares. Ali, então, Ele ministra seus discípulos e os ensina sobre uma prática vinda dos céus, dando uma verdadeira lição de humildade. 

Ele mostrou o quanto arrogância, a necessidade de ostentar e de auto-afirmação pode tornar o ser humano repugnante. 

Através daquela parábola, Ele ensinou que: 

Em primeiro lugar, não devemos buscar, na carne, a nossa posição. 

Muitas vezes, você pensa que o seu jeitinho, as suas amizades, a sua situação financeira vão te beneficiar em relação à posição espiritual que você precisa alcançar. Mas o Reino de Deus não é feito de lobbies! O Reino de Deus não é feito de favorecimentos. O Reino de Deus é feito pela eleição, pela escolha e pela sua disposição de servir o Senhor. 

Infelizmente, muitas pessoas erram porque não sabem exatamente ocupar, espiritualmente, os seus lugares. 

Quando você casa, você precisa, por exemplo, como esposa, ocupar sua posição no relacionamento. Uma mulher sábia edifica sua casa, mas a tola a destrói com suas próprias mãos. 

Quando você é um homem de Deus, você ocupa a posição de sacerdote do seu lar, não carnalmente, achando que a sua vontade é absoluta, mas espiritualmente! 

Ocupe o seu lugar no mundo espiritual. Tudo o que é conquistado na carne é passageiro. 

O Senhor Jesus disse: “Você senta na primeira fila, mas vão te levar para o fundo!”. No mundo, há um jogo de interesses! Sempre vai chegar alguém mais importante do que você. Mas, quando você é constituído espiritualmente, ninguém te tira da posição que o Senhor te colocou, porque os dons e a unção são irrevogáveis. 

Então, busque espiritualmente, o lugar que o Senhor te deu! 

Em segundo lugar, que devemos aprender a sentar no último lugar! 

Tenha consciência de que os últimos serão os primeiros. Tenha consciência de que humilhação não significa para nós o que significa para o mundo. 

Há muitas pessoas que estão na igreja, que meditam na Palavra de Deus, mas, na hora de tomar uma decisão, erram de maneira grotesca. Por quê? Entendem humilhação como punição. Entendem humilhação como um abandono. Mas, na verdade, como próprio Jesus nos ensinou: os humilhados serão exaltados. 

Se você sentou na última fileira, se você está na última cadeira, o dono da festa, que é Cristo e conhece o seu coração, te colocará na frente, e todos os convidados verão que você está sendo honrado pelo Senhor, sem que haja interferência da sua carne ou um jogo de interesses, mas porque você recebeu a graça d’Ele. 

Tiago 4.6: “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.”

Então, em vez de ser arrogante, prepotente e egoísta, aguarde! Sente no último lugar, porque, no tempo oportuno, Deus vai te exaltar e vai te levar para os primeiros lugares, porque você terá passado por um processo de preparação. 

Se você está enfrentando uma humilhação, não se desespere. Se, hoje, você está chorando pelo mal que te fizeram, humilhe-se na presença de Deus. Ele vai enxergar suas lágrimas com milagres, porque, para nós, a humilhação possui três aspectos importantes: 

1- A consequente exaltação;

2- A restituição;

3- A bem-aventurança. 

Este tempo de humilhação é passageiro! Os primeiros lugares estão te esperando. 

Em terceiro lugar, que somos eleitos 

Você é eleito de Deus! É aquele que recebeu o convite do dono da festa! O seu reconhecimento virá do Senhor. Então, não se precipite. Deixe que Ele complete o ciclo. No tempo de Deus, todas as coisas vão se encaixar. 

Filipenses 1.6: “Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.”

terça-feira, 28 de julho de 2020

Ele nos amou primeiro


1 João 4.13 a 21: “Nisto conhecemos que permanecemos nele, e ele, em nós: em que nos deu do seu Espírito. E nós temos visto e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Aquele que confessar que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele, e ele, em Deus. E nós conhecemos e cremos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor, e aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus, nele.

Nisto é em nós aperfeiçoado o amor, para que, no Dia do Juízo, mantenhamos confiança; pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. Nós amamos porque Ele nos amou primeiro. Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. Ora, temos, da parte dele, este mandamento: que aquele que ama a Deus ame também a seu irmão.”


Estamos vivendo dias de crise. Hoje, nós observamos atos cruéis de violência.
Isso só demonstra que o mundo está dominado pelo ódio. Este é o maior objetivo de Satanás: roubar, matar e destruir.

Este ambiente de violência e este clima de destruição geram insegurança. A insegurança gera medo; e o medo aprisiona.

Por que isso ocorre? Porque falta amor, o amor que Paulo fala em Colossenses 14 e em 1 Coríntios 13.

Por isso, nós precisamos plantar, regar e exercitar o amor. De todos os dons, ele é o maior, é o principal!

Muitos, infelizmente, desprezam este sentimento. Isso é nítido nos relacionamentos familiares e espirituais.

A política de Caim, infelizmente, é a política exercida pela religiosidade. Vemos irmão matando irmãos. Vemos irmãos desejando a divisão – a exemplo do que aconteceu com José. Rubem, felizmente, foi usado por Deus para impedir uma desgraça maior.

Mas, pelo ódio, os irmãos de José, cruelmente, o jogaram em um poço e o venderam como escravo. O ódio faz com que as pessoas cometam loucuras! 

Então, não deixe que o ódio entre na sua casa. Não deixe que ele encontre espaço no seu coração. Não seja nutrido por sentimentos de vingança, inveja, raiva e destruição. Pelo contrário, como um verdadeiro cristão, faça do amor o seu estilo de vida, a sua verdade. Este é o reconhecimento de que Deus habita em nós.

No texto que acabamos de ler, João nos dá uma lição de vida! É uma lição que temos que praticar, por que, se não tivermos amor, vamos nos destruir.

Eu não posso falar que eu amo o Senhor, a quem não vejo, se eu não amo meu irmão, a quem eu vejo.

Limpe seu coração! Não deseje, não pratique e não estimule o mal. Deixe que amor imperede dentro de você.

O amor lança fora todo o medo!

Nesta passagem, João também fala sobre o medo. A origem do medo é a falta de amor. A origem do medo é a falta de proteção, porque, quando nos sentimos amados, sentimo-nos protegidos e sustentados. Quando nos sentimos amados, temos a certeza de que não seremos descartados ou prejudicados.

Precisamos entender, acima de tudo, que Deus não é um déspota, não é um tirano. Deus é pai! Pai de amor e Pai das luzes!

Quando eu amo o Senhor acima de todas as coisas, eu percebo que o amor d’Ele por mim também é recíproco; e o medo desaparece!

Eu não tenho medo de ir para o inferno. Eu não tenho medo de o Senhor me abandonar. Eu não tenho medo de ser destruído, porque eu sei que Ele está comigo todos os dias!

O amor me dá a certeza de que Deus está comigo no dia dos meus acertos e nos dias dos meus erros. Quando eu erro, eu sei que encontrarei, em Cristo, uma fonte de perdão e de conserto!

O amor nos protege, fortalece e nos impulsiona! 

Se você está se sentindo oprimido, se você foi dominado pela síndrome do pânico, se você foi sucumbido pelo desespero, clame ao Senhor. Declare que você é amado! Não deixe mais esta opressão determinar como serão os seus dias.

Receba o poder de cura e de libertação que há no amor de Deus! Receba esta arma que o inferno não conhece!

Eu quero terminar a Palavra do Dia de hoje, dizendo que, quando há amor, há perspectivas de futuro. Quando há amor, há segurança para seguir em frente! Quando há amor, há sempre um caminho de retorno!

O amor cura, transforma e liberta!

segunda-feira, 27 de julho de 2020

Uma mente transformada


Romanos 12.1 e 2: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

Quando Paulo fala sobre transformação de mente, ele está se referindo a uma grande libertação pessoal que pode nos levar a uma vida melhor.

Existem, basicamente, três tipos de mentes:

1- A mente estagnada e conformada;

2- A mente retrógrada, atrasada e escrava;

3- A mente apostólica, que é livre.

Devemos lutar para alcançar esta libertação. De que maneira?

1- Desfazendo fortalezas espirituais e anulando mentiras

2 Coríntios 10.4: “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando sofismas...”

Temos, em nossas mentes, áreas de resistência que nos impedem de evoluir. Precisamos destruir, crendo que aquele que nos enviou também nos capacitará. 

2- Tendo a mente livre de prisões emocionais, como o complexo de inferioridade

Ester 5.1 e 2: “Ao terceiro dia, Ester se aprontou com seus trajes reais e se pôs no pátio interior da casa do rei, defronte da residência do rei; o rei estava assentado no seu trono real fronteiro à porta da residência.Quando o rei viu a rainha Ester parada no pátio, alcançou ela favor perante ele; estendeu o rei para Ester o cetro de ouro que tinha na mão; Ester se chegou e tocou a ponta do cetro.”

3- Tendo a mente transformada pela unção do Espírito Santo

Romanos 8.5 a 7: “Porque os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito. Porque o pendor da carne dá para a morte, mas o do Espírito, para a vida e paz. Por isso, o pendor da carne é inimizade contra Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem mesmo pode estar.”

Uma mente transformada pelo Espírito Santo é otimista, criativa, empreendedora e inspiradora.


1 Coríntios 2.14 a 16: “Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.”

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Tudo é possível ao que crê



Marcos 2.1 a 12: “Dias depois, entrou Jesus de novo em Cafarnaum, e logo correu que ele estava em casa. Muitos afluíram para ali, tantos que nem mesmo junto à porta eles achavam lugar; e anunciava-lhes a palavra. Alguns foram ter com ele, conduzindo um paralítico, levado por quatro homens. E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o eirado no ponto correspondente ao em que ele estava e, fazendo uma abertura, baixaram o leito em que jazia o doente.

Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Filho, os teus pecados estão perdoados. Mas alguns dos escribas estavam assentados ali e arrazoavam em seu coração:  Por que fala ele deste modo? Isto é blasfêmia! Quem pode perdoar pecados, senão um, que é Deus?  E Jesus, percebendo logo por seu espírito que eles assim arrazoavam, disse-lhes: Por que arrazoais sobre estas coisas em vosso coração? Qual é mais fácil? Dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados, ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito e anda?

Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados – disse ao paralítico:  Eu te mando: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa.  Então, ele se levantou e, no mesmo instante, tomando o leito, retirou-se à vista de todos, a ponto de se admirarem todos e darem glória a Deus, dizendo: Jamais vimos coisa assim!”

Jesus tinha sua base espiritual em Cafarnaum, onde Ele sempre reunia multidões.

Ali, também havia um paralítico que ficou conhecido pela grandiosidade se sua fé. No coração dele, havia um único objetivo: ficar frente a frente com Jesus!

Quando temos está disposição e este desejo, movemos o mundo espiritual.

Em primeiro lugar, precisamos encontrar um caminho através da fé.

Aquele paralítico estava cansado das dores, das humilhações e da cama que o prendia. Aquela fé e aquele inconformismo fizeram com que ele descobrisse um caminho para se aproximar de Jesus!

Se você permanecer acomodado e achando culpados para os seus problemas, você vai se afundar ainda mais! É como se fosse uma areia movediça! Mas, se você se abrir para ser movido pela fé, encontrará um caminho!

Qual caminho aquele paralítico encontrou? Não dava para passar pela multidão. Qual alternativa ele tinha? Entrar pelo telhado!

Em segundo, precisamos estar associados com quem pode nos levar ao milagre.

O paralítico chamou quatro grandes amigos e explicou seu plano.

O primeiro amigo representa aqueles que estimulam nossa fé;

O segundo amigo representa a determinação;

O terceiro amigo representa a disposição;

O quarto amigo representa a superação.

O plano foi colocado em prática!

Jesus estava ministrado e, de repente, desce uma cama do teto.  Ao olhar o paralítico, Ele afirma: “Seus pecados estão perdoados!”.

Ao ser questionado pelos religiosos sobre esta atitude, Jesus responde: “O que é mais fácil: dizer ‘Estão perdoados os seus pecados!’ ou ‘Levanta e anda!’?

Precisamos entender que a obra que o Senhor tem para nossas vidas é completa!

Quando aquele homem começou a andar, todos ficaram surpresos: “Jamais vi coisa igual!”.

Jesus Cristo é o Senhor do milagre!

Tenha fé, seja perseverante! O Senhor é contigo, e você caminhará em liberdade!

quinta-feira, 23 de julho de 2020

Três palavras-chave para a manifestação do milagre


Lucas 7.1 a 10: “Tendo Jesus concluído todas as suas palavras dirigidas ao povo, entrou em Cafarnaum. E o servo de um centurião, a quem este muito estimava, estava doente, quase à morte. Tendo ouvido falar a respeito de Jesus, enviou-lhe alguns anciãos dos judeus, pedindo-lhe que viesse curar o seu servo. Estes, chegando-se a Jesus, com instância lhe suplicaram, dizendo: Ele é digno de que lhe faças isto; porque é amigo do nosso povo, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.


Então, Jesus foi com eles. E, já perto da casa, o centurião enviou-lhe amigos para lhe dizer: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres em minha casa. Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado.


Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens, e digo a este: vai, e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz. Ouvidas estas palavras, admirou-se Jesus dele e, voltando-se para o povo que o acompanhava, disse: Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta. E, voltando para casa os que foram enviados, encontraram curado o servo.”


É tremendo o poder ilimitado do Senhor Jesus. Aqui, neste texto, nós podemos destacar três palavras-chave: habilitação, humildade e fé.

Habilitação

Jesus voltou da Galileia para Cafarnaum, sua base ministerial. Naquela época, Israel estava debaixo do império romano. Cada região possuía um centurião, que comandava uma centúria – obviamente, composta por cem homens – e tinha autoridade absoluta.

Este centurião a quem a Bíblia se refere tinha um servo muito querido que estava à beira da morte. Para salvá-lo, ele, então, envia alguns anciãos, que suplicaram a Jesus: “Ele é digno de que lhe faças isto; porque é amigo do nosso povo, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.”.

O que aquilo significava? Aquele servo tinha uma habilitação, ou seja, um memorial diante de Deus.

O ser humano, muitas vezes, se preocupa como os faraós, em construir pirâmides e fazer delas o seu túmulo. Mas o Senhor Jesus disse, em Mateus 6.19, que devemos ajuntar tesouros no céu, onde a traça, nem a ferrugem pode destruir.

Aquele homem, sem saber, estava se habilitando. Ele construiu uma sinagoga para que o nome do Senhor fosse glorificado. Ele tinha uma oferta que, assim como a de Abel, clamava diante do Senhor. Era a oferta de Hebreus 11.4: “Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala.”.

Nós precisamos ter uma vida de entrega. Precisamos ter uma relação verdadeira com Deus. 

O rei Ezequias é outro grande exemplo de habilitação. Depois de receber, da boca do profeta Isaías, a revelação de que iria morrer, ele clamou: “Senhor, eu abri as portas da Tua casa. Eu limpei o templo. Eu fiz o que era reto diante do povo.”. Ele colocou sua vida diante de Deus, e aquela sentença foi quebrada.

Estes homens que a Bíblia cita plantaram no passado o milagre que iriam colher lá na frente.

1 Coríntios 15.58: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.”

Humildade

1 Pedro 5.6: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte...”


Os prepotentes são dignos de dó. É digno de dó aquele que se vale de uma posição para subjugar os outros.

Aquele centurião era extremamente poderoso, e Jesus, por outro lado, era um homem simples, sem beleza e formosura. Só que ele sabia que Jesus era o Filho de Deus e que tinha poder para realizar aquele milagre. 

O centurião, que morava na melhor casa de Cafarnaum, esvazia-se de sua posição e se humilha: “Não sou digno de que entres em minha casa. Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado.”.

Ele pediu para que Jesus dissesse somente uma palavra. Como eu creio nisso. Um simples gesto do nosso Deus pode mudar sua história. 

Mas, para que o milagre aconteça, precisamos deixar de ser prepotentes, ou seja, de achar que não precisamos de ninguém.



Hebreus 11.1: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.”


Aquele centurião, mesmo não sendo judeu, tinha muita fé. Jesus, inclusive, disse: “Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta!”.

Sabe qual é a conclusão que eu chego? Há pessoas no mundo que têm mais fé que os filhos de Deus. Aquele homem não seguia Jesus, mas sabia que a solução estava n’Ele!

Você está enfermo? Sua solução está em Jesus! Você está solitário? Sua solução está em Jesus! Você está frustrado? Sua solução está em Jesus!

Aquele homem tinha plena convicção de que seu servo seria curado!

Salmo 107.20: “Enviou-lhes a sua palavra, e os sarou, e os livrou do que lhes era mortal.”

Jesus enviou a sua palavra, e livrou aquele servo do que lhe era mortal. Jesus nem precisou entrar na casa do centurião, Ele nem precisou orar com imposição de mãos.

Hoje, eu creio que o Senhor tem uma palavra de cura para a sua vida!

O mesmo Jesus Cristo que estava em Cafarnaum está aqui! 

Ele é o mesmo ontem, hoje, e será eternamente.

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Três ensinamentos do Salmo 140


Salmo 140: Livra-me, SENHOR, do homem perverso, guarda-me do homem violento, cujo coração maquina iniquidades e vive forjando contendas. 

Aguçam a língua como a serpente; sob os lábios têm veneno de áspide. Guarda-me, SENHOR, da mão dos ímpios, preserva-me do homem violento, os quais se empenham por me desviar os passos.

Os soberbos ocultaram armadilhas e cordas contra mim, estenderam-me uma rede à beira do caminho, armaram ciladas contra mim. Digo ao SENHOR: tu és o meu Deus; acode, SENHOR, à voz das minhas súplicas. 

Ó SENHOR, força da minha salvação, tu me protegeste a cabeça no dia da batalha. Não concedas, SENHOR, ao ímpio os seus desejos; não permitas que vingue o seu mau propósito.

Se exaltam a cabeça os que me cercam, cubra-os a maldade dos seus lábios. Caiam sobre eles brasas vivas, sejam atirados ao fogo, lançados em abismos para que não mais se levantem. O caluniador não se estabelecerá na terra; ao homem violento, o mal o perseguirá com golpe sobre golpe. 

Sei que o SENHOR manterá a causa do oprimido e o direito do necessitado. Assim, os justos renderão graças ao teu nome; os retos habitarão na tua presença.”

Além de ser uma linda oração, este Salmo traz três grandes ensinamentos: 

1- Cuidado para não ser enredado pelas armadilhas do inimigo

A maldade não faz parte da natureza humana. Deus não criou o homem para ser um instrumento de destruição... Deus não criou o homem para cometer atrocidades... Deus nos criou para sermos um canal de bênçãos, para manifestarmos a glória d'Ele aqui na terra!

Existem pessoas que, infelizmente, permitem que o mal habite em seu coração. Elas permitem que estes sentimentos se transformem em atitudes destrutivas. Esta é a natureza terrena, porque o mundo jaz no maligno. Mas a natureza divina só produz o bem!

Para não sermos envolvidos por armadilhas de pessoas mal intencionadas, precisamos vigiar e orar! 

Viva sempre debaixo da orientação do Senhor. Espere n’Ele! Vença o mal com o bem!

2- Mantenha-se fiel, porque os caluniadores não prevalecerão

3- Confie nos livramentos e nos propósitos do Senhor

Não seja conduzido pelos seus impulsos, mas seja guiado pelo Espírito Santo. Não tenha medo, tenha fé, porque os planos do Senhor são superiores. Os intentos do inimigo não vão prevalecer!


Lembre-se de que, no Senhor, não existem situações irreversíveis!

terça-feira, 21 de julho de 2020

Transformando convicções em atitudes!


Josué 1.6 a 9: “Sê forte e corajoso, porque tu farás este povo herdar a terra que, sob juramento, prometi dar a seus pais. Tão-somente sê forte e mui corajoso para teres o cuidado de fazer segundo toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares. 

Não cesses de falar deste Livro da Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo tudo quanto nele está escrito; então, farás prosperar o teu caminho e serás bem-sucedido. Não to mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares.”. 

Existem muitas intranquilidades que tomam conta dos nossos corações. A questão é: Como superá-las? 

Como transformar convicções e discursos em atitudes? Esse é um dos maiores desafios entre os cristãos. 

Através da vida de Josué e das experiências que ele teve com o Senhor, podemos identificar a solução para essas questões. Hoje, eu gostaria de citar algumas: 

Em primeiro lugar, entender que o Senhor também se relaciona conosco através da promessa, e que Ele não falha! 

Todos nós temos uma promessa. Mas precisamos entender que a concretização dela depende, e muito, de nossas atitudes. Depende da nossa fé e da nossa postura diante das dificuldades.

Isaías 55. 10 e 11: “Como a chuva e a neve descem dos céus e não retornam para eles sem regarem a terra e fazerem-na brotar e florescer, a fim de que ela produza sementes para o semeador e pão para os que dele se alimentam, assim também acontece com a Palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas realizará toda a obra que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei.”. 

Nós, muitas vezes, literalmente, empacamos no meio do caminho da nossa promessa. Por quê? Porque deixamos a dúvida tomar conta de nossas vidas e, consequentemente, bloqueamos qualquer possibilidade de que ela será realizada.   

Deus disse para Josué: “Seja forte e corajoso, porque é você quem levará o povo a herdar a terra que eu prometi que entregaria para eles.”. 

Então, não fique esperando que Deus ou que outras pessoas façam sua parte. Não tropece mais nos seus impossíveis. 

Ser forte e ser corajoso são os ingredientes fundamentais pra que a promessa se cumpra. 

Em segundo lugar, não desanimar, porque o Senhor está te capacitando para que você supere todas as suas limitações e não seja roubado no meio da caminhada. 

Gálatas 6.7 e 9: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá. Não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos.”. 

Pare e pense: Quantos projetos inacabados você pode contabilizar na sua vida?

Quantas situações e oportunidades passaram e você pensou: "Poxa, eu poderia ter feito, mas não fiz."? 

Sabe, querido, aquela oportunidade que você perdeu não volta mais. Poderão vir outras, mas aquela não! Com certeza, outra pessoa se levantou para realizá-la. Então, esteja preparado para as que virão e não desanime! 

Se está demorando muito, persevere! Se, aos olhos humanos, não há mais perspectivas, persevere! Renove-se na esperança! 

Salmos 119.116: “Ampara-me, segundo a tua promessa, para que eu viva; não permitas que a minha esperança me envergonhe.”. 

Em terceiro lugar, mova-se! Caminhe em direção à conquista. 

Muitas vezes, deixamos a passividade nos dominar. Essa passividade pode ser fruto de uma formação errada ou, até mesmo, da religiosidade, porque cruzamos os braços e queremos que tudo aconteça em um piscar de olhos. Muitas pessoas, erroneamente, acham que elas podem ficar só orando, e que Deus fará todo o resto. 

O Senhor disse para Josué: “Mova-se! Faça as coisas acontecerem, porque Eu sou contigo. Eu estou te enviando. Então, seja forte e corajoso!”. 

O Senhor também disse ainda: “...para que sejas bem-sucedido por onde quer que andares.”.  Se Josué ficasse parado, nada iria acontecer. Ele tinha que seguir em frente, manter o foco e caminhar! 

Então, mova-se, não seja mais roubado em suas motivações, porque o Senhor é contigo, e a vitória já está ordenada! 

segunda-feira, 20 de julho de 2020

Desistir não é uma opção



Esdras 4.1 a 23: “Ouvindo os adversários de Judá e Benjamim que os que voltaram do cativeiro edificavam o templo ao Senhor, Deus de Israel, chegaram-se a Zorobabel e aos cabeças de famílias e lhes disseram: Deixai-nos edificar convosco, porque, como vós, buscaremos a vosso Deus; como também já lhe sacrificamos desde os dias de Esar-Hadom, rei da Assíria, que nos fez subir para aqui.  Porém Zorobabel, Jesua e os outros cabeças de famílias lhes responderam: Nada tendes conosco na edificação da casa a nosso Deus; nós mesmos, sozinhos, a edificaremos ao Senhor, Deus de Israel, como nos ordenou Ciro, rei da Pérsia.

Então, as gentes da terra desanimaram o povo de Judá, inquietando-o no edificar; alugaram contra eles conselheiros para frustrarem o seu plano, todos os dias de Ciro, rei da Pérsia, até ao reinado de Dario, rei da Pérsia.  No princípio do reinado de Assuero, escreveram uma acusação contra os habitantes de Judá e de Jerusalém.  E, nos dias de Artaxerxes, rei da Pérsia, Bislão, Mitredate, Tabeel e os outros seus companheiros lhe escreveram; a carta estava escrita em caracteres aramaicos e na língua siríaca.  Reum, o comandante, e Sinsai, o escrivão, escreveram contra Jerusalém uma carta ao rei Artaxerxes.

Escreveu Reum, o comandante, e Sinsai, o escrivão, os outros seus companheiros: dinaítas, afarsaquitas, tarpelitas, afarsitas, arquevitas, babilônios, susanquitas, deavitas, elamitas e outros povos, que o grande e afamado Osnapar transportou e que fez habitar na cidade de Samaria, e os outros aquém do Eufrates. Eis o teor da carta endereçada ao rei Artaxerxes:  Teus servos, os homens daquém do Eufrates e em tal tempo. Seja do conhecimento do rei que os judeus que subiram de ti vieram a nós a Jerusalém. Eles estão reedificando aquela rebelde e malvada cidade e vão restaurando os seus muros e reparando os seus fundamentos.

Saiba ainda o rei que, se aquela cidade se reedificar, e os muros se restaurarem, eles não pagarão os direitos, os impostos e os pedágios e assim causarão prejuízos ao rei. Agora, pois, como somos assalariados do rei e não nos convém ver a desonra dele, por isso, mandamos dar-lhe aviso,  a fim de que se busque no Livro das Crônicas de seus pais, e nele achará o rei e saberá que aquela cidade foi rebelde e danosa aos reis e às províncias e que nela tem havido rebeliões, desde tempos antigos; pelo que foi a cidade destruída.

Nós, pois, fazemos notório ao rei que, se aquela cidade se reedificar, e os seus muros se restaurarem, sucederá que não terá a posse das terras deste lado do Eufrates.  Então, respondeu o rei: A Reum, o comandante, a Sinsai, o escrivão, e a seus companheiros que habitam em Samaria, como aos restantes que estão além do Eufrates: Paz! A carta que nos enviastes foi distintamente lida na minha presença. Ordenando-o eu, buscaram e acharam que, de tempos antigos, aquela cidade se levantou contra os reis, e nela se têm feito rebeliões e motins.

Também houve reis poderosos sobre Jerusalém, que dalém do Eufrates dominaram em todo lugar, e se lhes pagaram direitos, impostos e pedágios. Agora, pois, dai ordem a fim de que aqueles homens parem o trabalho e não se edifique aquela cidade, a não ser com autorização minha. Guardai-vos, não sejais remissos nestas coisas. Por que há de crescer o dano em prejuízo dos reis? Depois de lida a cópia da carta do rei Artaxerxes perante Reum, Sinsai, o escrivão, e seus companheiros, foram eles apressadamente a Jerusalém, aos judeus, e, de mão armada, os forçaram a parar com a obra.”

A obra de edificação do templo estava a todo vapor, mas, por incrível que parece, havia opositores que se levantaram com falsas acusações para paralisá-la. 

O que fazer quando existem forças contrárias?

1- Nunca abra mão do direito de lutar pelo que você acredita

2 Coríntios 5.7: “...visto que andamos por fé e não pelo que vemos.”

Não permita que situações ou pessoas determinem seus resultados.

Confie naquele que te enviou e lembre-se de que as promessas sempre ser

2- Busque sempre uma alternativa

Sempre haverá um caminho de restauração e de restituição. Para Deus, não existem problemas sem solução!

2 Crônicas 20.17: “Neste encontro, não tereis de pelejar; tomai posição, ficai parados e vede o salvamento que o Senhor vos dará, ó Judá e Jerusalém. Não temais, nem vos assusteis; amanhã, saí-lhes ao encontro, porque o Senhor é convosco.”

Precisamos aprender a bater nas portas certas!

Mateus 7.7: “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á.”

3- Enfrente todos os desafios com determinação

Esdras 6:8: “Também por mim se decreta o que haveis de fazer a estes anciãos dos judeus, para que reedifiquem esta Casa de Deus, a saber, que da tesouraria real, isto é, dos tributos dalém do rio, se pague, pontualmente, a despesa a estes homens, para que não se interrompa a obra.”

Esdras estava determinado: “Não importam as circunstâncias, este templo será edificado!”

O que é ser determinado? É ser decidido...

A determinação é aquela força interior que nos impulsiona a seguir em frente, ainda que os eventos sejam contrários! É permanecer e perseverar!

A minha mensagem hoje para você é: Lute pelo seu casamento, lute pelos seus filhos, lute pelo seu trabalho, lute pelo seu ministério...

Desistir nunca mais será uma opção!