quarta-feira, 1 de julho de 2020

Como estão suas motivações?


João 6.22 a 40: “No dia seguinte, a multidão que ficara do outro lado do mar notou que ali não havia senão um pequeno barco e que Jesus não embarcara nele com seus discípulos, tendo estes partido sós. Entretanto, outros barquinhos chegaram de Tiberíades, perto do lugar onde comeram o pão, tendo o Senhor dado graças. Quando, pois, viu a multidão que Jesus não estava ali nem os seus discípulos, tomaram os barcos e partiram para Cafarnaum à sua procura.

E, tendo-o encontrado no outro lado do mar, lhe perguntaram: Mestre, quando chegaste aqui? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: vós me procurais, não porque vistes sinais, mas porque comestes dos pães e vos fartastes. Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela que subsiste para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará; porque Deus, o Pai, o confirmou com o seu selo. Dirigiram-se, pois, a ele, perguntando: Que faremos para realizar as obras de Deus?

Respondeu-lhes Jesus: A obra de Deus é esta: que creiais naquele que por ele foi enviado. Então, lhe disseram eles: Que sinal fazes para que o vejamos e creiamos em ti? Quais são os teus feitos? Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Deu-lhes a comer pão do céu. Replicou-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo: não foi Moisés quem vos deu o pão do céu; o verdadeiro pão do céu é meu Pai quem vos dá. Porque o pão de Deus é o que desce do céu e dá vida ao mundo.

Então, lhe disseram: Senhor, dá-nos sempre desse pão. Declarou-lhes, pois, Jesus: Eu sou o pão da vida; o que vem a mim jamais terá fome; e o que crê em mim jamais terá sede. Porém eu já vos disse que, embora me tenhais visto, não credes. Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora. Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou. E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum eu perca de todos os que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia. De fato, a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia.”

Jesus já havia alimentado a multidão, quando multiplicou os pães e os peixes. Mas essa mesma multidão continuou desesperada atrás d’Ele única e exclusivamente por questões materiais e efêmeras.

Nesta passagem, nós vemos que, em primeiro lugar, ao multiplicar os pães e peixes Jesus, obviamente, estava suprindo uma necessidade física deles. Mas que, desta vez, Ele estava oferecendo um alimento profético. Um alimento que consiste em palavras de vida eterna. Ser alimentado por Jesus é ter o próprio Deus nos suprindo com um alimento celestial.

Apesar de ter acesso a esse alimento, aquela multidão não entendeu qual era sua profundidade. Pelo contrário, eles estavam correndo um grande risco de serem alimentados por aquilo que a carne os impulsionava.

Hoje, eu quero te perguntar: Do que você tem se alimentado?

Tome cuidado para você não cair na armadilha de se alimentar de motivações erradas e de toda a podridão que o inferno tem para oferecer.

O Senhor Jesus, então, repreende aquela multidão, dizendo: “Vocês estão correndo atrás de mim somente por causa do pão que perece. Vocês precisam do pão que é eterno!”. Esse pão é  o pão vivo que desceu dos céus, Jesus Cristo, que quer nos alimentar de paz, de esperança e de forças para que possamos seguir em frente.

Então, querido, não se alimente de nada que não seja o pão da vida!

Está passagem nos mostra, em segundo lugar, um segredo espiritual profundo e verdadeiro.

Aquela multidão estava pressionando Jesus e o questionando: “Moisés nos deu pão no deserto!”. Jesus, então, sabiamente, os respondeu: “Os vossos pais comeram o maná no deserto e morreram.”.

Ele também os conscientizou: “Não foi Moisés quem lhes deu o pão! O pão foi provisão do Senhor!”.

Muitas vezes, nós ficamos confusos, achando que a solução de nossas vidas está em homens. Aquela multidão estava querendo dizer que Moisés os havia suprido. Mas Jesus mostrou que, na verdade, foi o Pai celestial quem os sustentou naquele deserto.

Querido, quem vai resolver a sua vida é o Deus Todo-Poderoso. Ele é quem está no controle da situação!

Em terceiro lugar, por meio desta palavra tão profunda, creia que, além das coisas materiais, o Senhor Jesus tem muito mais para te entregar espiritualmente.

Mateus 6.33 precisa ser uma verdade na tua vida! Busque, em primeiro lugar, o Reino de Deus, e as demais coisas te serão acrescentadas!

Querido, buscar somente coisas materiais é ter uma vida vazia. Não tenha apenas interesses humanos em Cristo porque a nossa maior riqueza é a salvação. Busque ter uma relação profunda com Deus, busque ter uma vida espiritual intensa, e, consequentemente, o Senhor vai operar em todas as áreas da tua vida.

Eu espero que, a partir de hoje, você seja alimentado pelo pão da vida e que você viva a palavra que está em Tiago 1.17, que diz: Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança.”.

É tempo de você se aproximar de Jesus com fome espiritual. É tempo de você se aproximar de Jesus com desejos pessoais de crescer na fé! É tempo de buscar transformação e novas motivações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.