quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Em Cristo, somos um!


Efésios 2.11 a 22: “Portanto, lembrai-vos de que, outrora, vós, gentios na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, por mãos humanas ,naquele tempo, estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo. 

Mas, agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos fez um; e, tendo derribado a parede da separação que estava no meio, a inimizade, aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz, e reconciliasse ambos em um só corpo com Deus, por intermédio da cruz, destruindo por ela a inimizade. 


E, vindo, evangelizou paz a vós outros que estáveis longe e paz também aos que estavam perto; porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito. Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito.”

Nesta passagem, nós vimos que existiam dois povos: o Israel carnal eleito e os gentios, que somos nós.

Paulo, então, explica que:

Em primeiro lugar, destes dois povos, Deus criou um!

A barreira que existia foi quebrada porJesus Cristo. Agora, o povo de Deus não são mais somente aqueles que foram circuncidados por mãos humanas, mas são todos aqueles que foram circuncidados espiritualmente, ou seja, são aqueles que têm a marca de Cristo.

Se você não tem a marca de Cristo, se você não O coloca em primeiro lugar na sua vida, você não pode ser o Israel de Deus.

Paulo nos ensina que a cruz uniu os dois povos. Verticalmente, em cada ponta, a cruz simboliza a união de dois povos, que se tornaram o povo de Deus.

Em segundo lugar, nós estamos debaixo de promessas

Gálatas 3.13 e 14: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro), para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios, em Jesus Cristo, a fim de que recebêssemos, pela fé, o Espírito prometido.”

Desta forma, nós entendemos o que é andar na graça, mas sem desprezar as promessas.

Muitas pessoas, infelizmente, acabam tendo o entendimento espiritual totalmente contrário àquilo que Paulo nos ministra. Elas pensam que graça é deligar-se totalmente das promessas, das orientações e das experiências vividas com Deus.

Querido, tenha consciência de que as promessas do Senhor estão sobre sua vida!

Quando o inimigo  vier te acusar ou querer te colocar embaixo de maldição, lembre-se de que você está debaixo da Palavra de Romanos 8. Você é filho, eleito e coerdeiro com Cristo. Você foi chamado para ser povo de Deus.

Paulo também fala que estamos reconciliados em Cristo, e que a barreira de inimizade foi quebrada. Portanto, devemos caminhar de forma soberana e nos comportar como filhos de Deus.

Em terceiro lugar, nós estamos fundamentados sobre Cristo, a pedra angular

Se você não está sobre a pedra angular, você não tem fundamentos. Paulo também fala que nós estamos fundamentados na doutrina dos apóstolos e dos profetas.

Você não está somente fundamentado naquilo que são as promessas da graça, mas você está fundamentado em todas as profecias, porque elas são eternas e saem do altar de Deus.

Coloque sua vida, a tua casa, a tua família e tudo o que te pertence sobre essa pedra angular, porque ela te dará sustentação para que você possa crescer e desenvolver. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.