quinta-feira, 23 de julho de 2020

Três palavras-chave para a manifestação do milagre


Lucas 7.1 a 10: “Tendo Jesus concluído todas as suas palavras dirigidas ao povo, entrou em Cafarnaum. E o servo de um centurião, a quem este muito estimava, estava doente, quase à morte. Tendo ouvido falar a respeito de Jesus, enviou-lhe alguns anciãos dos judeus, pedindo-lhe que viesse curar o seu servo. Estes, chegando-se a Jesus, com instância lhe suplicaram, dizendo: Ele é digno de que lhe faças isto; porque é amigo do nosso povo, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.


Então, Jesus foi com eles. E, já perto da casa, o centurião enviou-lhe amigos para lhe dizer: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres em minha casa. Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado.


Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens, e digo a este: vai, e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz. Ouvidas estas palavras, admirou-se Jesus dele e, voltando-se para o povo que o acompanhava, disse: Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta. E, voltando para casa os que foram enviados, encontraram curado o servo.”


É tremendo o poder ilimitado do Senhor Jesus. Aqui, neste texto, nós podemos destacar três palavras-chave: habilitação, humildade e fé.

Habilitação

Jesus voltou da Galileia para Cafarnaum, sua base ministerial. Naquela época, Israel estava debaixo do império romano. Cada região possuía um centurião, que comandava uma centúria – obviamente, composta por cem homens – e tinha autoridade absoluta.

Este centurião a quem a Bíblia se refere tinha um servo muito querido que estava à beira da morte. Para salvá-lo, ele, então, envia alguns anciãos, que suplicaram a Jesus: “Ele é digno de que lhe faças isto; porque é amigo do nosso povo, e ele mesmo nos edificou a sinagoga.”.

O que aquilo significava? Aquele servo tinha uma habilitação, ou seja, um memorial diante de Deus.

O ser humano, muitas vezes, se preocupa como os faraós, em construir pirâmides e fazer delas o seu túmulo. Mas o Senhor Jesus disse, em Mateus 6.19, que devemos ajuntar tesouros no céu, onde a traça, nem a ferrugem pode destruir.

Aquele homem, sem saber, estava se habilitando. Ele construiu uma sinagoga para que o nome do Senhor fosse glorificado. Ele tinha uma oferta que, assim como a de Abel, clamava diante do Senhor. Era a oferta de Hebreus 11.4: “Pela fé, Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim; pelo qual obteve testemunho de ser justo, tendo a aprovação de Deus quanto às suas ofertas. Por meio dela, também mesmo depois de morto, ainda fala.”.

Nós precisamos ter uma vida de entrega. Precisamos ter uma relação verdadeira com Deus. 

O rei Ezequias é outro grande exemplo de habilitação. Depois de receber, da boca do profeta Isaías, a revelação de que iria morrer, ele clamou: “Senhor, eu abri as portas da Tua casa. Eu limpei o templo. Eu fiz o que era reto diante do povo.”. Ele colocou sua vida diante de Deus, e aquela sentença foi quebrada.

Estes homens que a Bíblia cita plantaram no passado o milagre que iriam colher lá na frente.

1 Coríntios 15.58: “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor, o vosso trabalho não é vão.”

Humildade

1 Pedro 5.6: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte...”


Os prepotentes são dignos de dó. É digno de dó aquele que se vale de uma posição para subjugar os outros.

Aquele centurião era extremamente poderoso, e Jesus, por outro lado, era um homem simples, sem beleza e formosura. Só que ele sabia que Jesus era o Filho de Deus e que tinha poder para realizar aquele milagre. 

O centurião, que morava na melhor casa de Cafarnaum, esvazia-se de sua posição e se humilha: “Não sou digno de que entres em minha casa. Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado.”.

Ele pediu para que Jesus dissesse somente uma palavra. Como eu creio nisso. Um simples gesto do nosso Deus pode mudar sua história. 

Mas, para que o milagre aconteça, precisamos deixar de ser prepotentes, ou seja, de achar que não precisamos de ninguém.



Hebreus 11.1: “Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não vêem.”


Aquele centurião, mesmo não sendo judeu, tinha muita fé. Jesus, inclusive, disse: “Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta!”.

Sabe qual é a conclusão que eu chego? Há pessoas no mundo que têm mais fé que os filhos de Deus. Aquele homem não seguia Jesus, mas sabia que a solução estava n’Ele!

Você está enfermo? Sua solução está em Jesus! Você está solitário? Sua solução está em Jesus! Você está frustrado? Sua solução está em Jesus!

Aquele homem tinha plena convicção de que seu servo seria curado!

Salmo 107.20: “Enviou-lhes a sua palavra, e os sarou, e os livrou do que lhes era mortal.”

Jesus enviou a sua palavra, e livrou aquele servo do que lhe era mortal. Jesus nem precisou entrar na casa do centurião, Ele nem precisou orar com imposição de mãos.

Hoje, eu creio que o Senhor tem uma palavra de cura para a sua vida!

O mesmo Jesus Cristo que estava em Cafarnaum está aqui! 

Ele é o mesmo ontem, hoje, e será eternamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.