quinta-feira, 12 de julho de 2018

Em qual plano você está?



Gálatas 5.16 a 24: “Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne. Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais sob a lei.
 
 Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam. 

Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências.”.

Para não satisfazermos os desejos carnais, precisamos andar no espírito. Existem três posições que podemos ocupar no mundo espiritual. 

O primeiro plano é o carnal: Quando a pessoa exerce as obras da carne, como prostituição, mentira, lascívia, inveja, guerras, facções... São pessoas que se entregam às sujeiras deste mundo e, consequentemente, à morte. 

O segundo plano é o da religiosidade: São aqueles que vivem de aparências. São aqueles cujo deus é o próprio ventre. 

Apocalipse 2.4 a 6: “Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não, venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas. Tens, contudo, a teu favor que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.”.

Judas 1.12 e 13: “Estes homens são como rochas submersas, em vossas festas de fraternidade, banqueteando-se juntos sem qualquer recato, pastores que a si mesmos se apascentam; nuvens sem água impelidas pelos ventos; árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidas, duplamente mortas, desarraigadas; ondas bravias do mar, que espumam as suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre.”.

Uma das características de religiosidade é a crueldade. É exatamente o que Jesus Cristo nos mostra na Parábola do Bom Samaritano. São pessoas que ignoram a dor e o sofrimento alheio. São aqueles que têm posicionamentos contrários à Palavra de Deus. 

Quem está neste plano deixa de ter a alegria na salvação. Quem está neste plano tem uma vida dupla e se coloca debaixo de um jugo, que a impede de receber o amor do Senhor. 

O terceiro plano é o apostólico: É o plano da revelação, dos sinais, prodígios e maravilhas. Ocupamos este plano quando carregamos em nosso corpo as marcas do evangelho. 

2 Coríntios 12.12: “Os sinais do meu apostolado foram manifestados entre vós com toda a paciência, por sinais, prodígios e maravilhas.”.

É onde somos guiados pelo Espírito Santo e encontramos descanso nos braços do Pai.

Saia dos planos carnal e religioso e venha para o plano apostólico. Deus tem uma grande obra para realizar na sua vida! Desta forma, você caminhará no espírito. 

Gálatas 5.22 e 23: Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei.”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.